Branded Content
Conteúdo e Entretenimento
Julho, 2014
Agenda
Apresentações
Introdução – como tudo comecou
Branded Content – Hoje
Premissas
Inspiração
Exercicio
Oi 
E foi assim que tudo começou…
http://youtu.be/wJqeufU_BQU
https://www.youtube.com/watch?v=1JcluhHKfNI
Produzidos e Gravados
Formatos
Vendas
Publicitárias
Ao vivo
Como ganhamos dinheiro
A quantidade é mais importante que a
qualidade.
Agencias são remuneradas por comissão de midia
Quan...
Um negócio ainda sem modelo
definido
Esqueçam a novela da Gobo. Isso é MERCHAN.
Merchan não é Branded Content ou
entreteni...
Branded Content, Bom para quem?
Se
as marcas querem mais visiblidade pelo menor preco, e
retencao da mensagem
+
as agencia...
Por que mudar?
A mudança de habito da audiencia muda o
negocio
SEM ilusões.
Tv é o veiculo de comunicação mais consumido d...
Então, Por que Branded Content?
Mudança de hábitos muda o negócio
Inventário finito: todos querem o primetime
Demanda dos ...
Branded Content. Bom para quem?
Para as marcas
anunciantes quando podem ter escala e visibilidade. Alem de produzir seus p...
O Boticario - Exemplos
Tudo isso + ajuda da Lei
Lei 12.485 de setembro 2011 + Artigo 1A do Audiovisual
O mecanismo do Art. 1º-A da Lei do Audiovi...
Premissas #
#1 Qualifique seu cliente
R$
Tempo disponivel para planejamento, criação,
desenvolvimento e produção – 1 ano ou mais
Cultu...
#2 Quem manda no Conteúdo é a
audiencia
Comercial: o caminho é o que a marca quer
falar para as pessoas
Branded Content: o...
#3 Preocupe-se com o dinheiro
Branded Content é negócio.
Viabilidade financeira faz diferença. Os clientes vão cobrar
cada...
#4 Considere o parceiro
O ambiente, o canal, a plataforma tem que ter
total sinergia com o formato, com a mensagem
e com a...
#5 Formato é consequencia
Formato é consequencia. Nada supera uma boa
história. Nada.
Inspiração
RedBull: 100% conteudo
http://youtu.be/W-QbHRVOfcM
BMW em 2001 – The Hire
https://www.youtube.com/watch?v=mrLYQnjzH7w
https://www.youtube.com/watch?v=BsWXkuyIdoY
“Pedir que ...
Vamos trabalhar
Uma grande marca de Food Solutions (produtos para restaurantes e e industrias de alimentos), de uma Multi ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014

432 visualizações

Publicada em

Nos últimos anos, temos acompanhado o crescimento acelerado do mercado audiovisual, em resposta principalmente às mudanças trazidas pela Lei 12.485/2011, e ao volume de recursos disponíveis para o desenvolvimento do setor.

Diante deste cenário otimista de grandes oportunidades, torna-se indispensável uma atenção e preparação cada vez maiores por parte daqueles que trabalham com projetos nesta área. Os mecanismos de financiamento disponíveis mudaram, assim como a própria dinâmica de produção e distribuição audiovisual.

Para oferecer suporte aos produtores, distribuidores, agentes e players do mercado, o curso Fontes de Financiamento ao Audiovisual funcionará como um espaço de reflexão e conhecimento, reunindo o olhar de especialistas do mercado audiovisual sobre as ferramentas de negócio, os instrumentos de financiamento público e privado, e as oportunidades de circulação comercial dos filmes e séries.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Financiamento Audiovisual/Financiamento Privado - Cris Orlandi - Jul 2014

  1. 1. Branded Content Conteúdo e Entretenimento Julho, 2014
  2. 2. Agenda Apresentações Introdução – como tudo comecou Branded Content – Hoje Premissas Inspiração Exercicio
  3. 3. Oi 
  4. 4. E foi assim que tudo começou… http://youtu.be/wJqeufU_BQU https://www.youtube.com/watch?v=1JcluhHKfNI
  5. 5. Produzidos e Gravados Formatos Vendas Publicitárias Ao vivo
  6. 6. Como ganhamos dinheiro A quantidade é mais importante que a qualidade. Agencias são remuneradas por comissão de midia Quanto mais vendem mais ganham Quanto maior o anunciante mais rentável para a agencia Muitas agencias, por contrato tem que devolver a Comissão ao cliente. Neste caso sao remuneradas por Fee ou Performance Todo o negocio das agencias esta baseado em um modelo de Midia
  7. 7. Um negócio ainda sem modelo definido Esqueçam a novela da Gobo. Isso é MERCHAN. Merchan não é Branded Content ou entretenimento.
  8. 8. Branded Content, Bom para quem? Se as marcas querem mais visiblidade pelo menor preco, e retencao da mensagem + as agencias estao sendo remuneradas pela midia tradicional: quanto mais compram mais ganham
  9. 9. Por que mudar? A mudança de habito da audiencia muda o negocio SEM ilusões. Tv é o veiculo de comunicação mais consumido do mundo. Brasil é um dos paises que mais consome TV no Mundo Tv Aberta ainda é muito maior que TV paga. Maior gerador de conteudos e conversas nas redes sociais: TV
  10. 10. Então, Por que Branded Content? Mudança de hábitos muda o negócio Inventário finito: todos querem o primetime Demanda dos clientes anunciantes para as agencias e os Canais de Televisão
  11. 11. Branded Content. Bom para quem? Para as marcas anunciantes quando podem ter escala e visibilidade. Alem de produzir seus produtos ou serviços as marcas também podem ser publishers Para as agencias quando tem o controle e a propriedade criativa (para ganhar novas contas ou premios) ou quando um projeto que envolva Branded Content aumente o investimento do cliente
  12. 12. O Boticario - Exemplos
  13. 13. Tudo isso + ajuda da Lei Lei 12.485 de setembro 2011 + Artigo 1A do Audiovisual O mecanismo do Art. 1º-A da Lei do Audiovisual (Lei Federal nº 8.685/93) é um mecanismo de patrocínio (aplica-se recursos para o retorno de marketing). Esse mecanismo permite deduzir 100% do valor incentivado do Imposto de Renda, até o limite de 4% (pessoa jurídica). Cliente pode utilizar até 4% desse imposto de renda em alguns tipos de obras audiovisuais e deduzir 100% do valor pago na produção. Valor limite por projeto R$4.000.000,00 MINISSÉRIE (“obra documental, ficcional ou de animação produzida em película ou matriz de captação digital ou em meio magnético com no mínimo 3 e no máximo 26 capítulos, com duração máxima de 1.300 minutos”); TELEFILME (obra documental, ficcional ou de animação, com no mínimo 50 e no máximo 120 minutos, produzida para primeira exibição em meios eletrônicos); OBRA SERIADA (produzida em capítulos sob o mesmo título); e PROGRAMA EDUCATIVO E CULTURAL (para tv educativa, em geral).
  14. 14. Premissas #
  15. 15. #1 Qualifique seu cliente R$ Tempo disponivel para planejamento, criação, desenvolvimento e produção – 1 ano ou mais Cultura organizacional que permita e facilite o envolvimento de agencia – cliente – veiculo – produtora Clientes / Marcas que tenham clara a mensagem a ser comunidada Clientes que tenham pouco ou nenhum interesse no controle editorial
  16. 16. #2 Quem manda no Conteúdo é a audiencia Comercial: o caminho é o que a marca quer falar para as pessoas Branded Content: o caminho é o que as pessoas querem ouvir / ver e como a marca pode fazer parte ou criar um conteúdo
  17. 17. #3 Preocupe-se com o dinheiro Branded Content é negócio. Viabilidade financeira faz diferença. Os clientes vão cobrar cada centavo investido. O modelo ainda é baseado do ROI. Quanto investiu Vs Quanto vendi. Lembre-se: produção + mídia. Tudo que é feito PARA UMA MARCA tem que ser mostrado e promovido. Artistas nao precisam de dinheiro!
  18. 18. #4 Considere o parceiro O ambiente, o canal, a plataforma tem que ter total sinergia com o formato, com a mensagem e com a linguagem. O Objetivo do canal é audiencia. Sempre.
  19. 19. #5 Formato é consequencia Formato é consequencia. Nada supera uma boa história. Nada.
  20. 20. Inspiração
  21. 21. RedBull: 100% conteudo http://youtu.be/W-QbHRVOfcM
  22. 22. BMW em 2001 – The Hire https://www.youtube.com/watch?v=mrLYQnjzH7w https://www.youtube.com/watch?v=BsWXkuyIdoY “Pedir que um consumidor busque por conta própria a mensagem publicitária, abra espaço para ela no hard drive do seu computador com o seu download e depois perca ainda mais tempo assistindo-a era algo pra lá de arriscado. A BMW ainda ia de encontro a outra vaca sagrada do negócio: para que os filmes tivessem a grandiosidade exigida, era necessário inverter as fatias do orçamento. Normalmente, um anunciante gasta 10% do seu orçamento para produzir os comerciais e 90% para distribuí-lo ao consumidor – comprando tempo de publicidade e espaço nas redes de televisão, revistas, jornais, outdoors e coisas do gênero. No entanto, para produzir os filmes com essa alta qualidade que fizessem jus ao alto padrão técnico e estético, a BMW teve de comprometer chocantes 90% do orçamento na produção. Com isso, sobraram apenas 10% para promover os filmes e atrair clientes em potencial para o seu site para baixar os filmes e assisti-los. Isso foi feito mediante comerciais em TV e jornais, mas também por meio de comerciais nos cinemas que imitavam os trailers de filmes.” Resultados de The Hire No ano de seu lançamento, 2001, a BMW teve um aumento de 12,5% em suas vendas, muito mais visitas às concessionárias do que no ano anterior e, nos dois anos seguintes, os números continuaram a aumentar. A campanha foi considerada um grande sucesso, conseguindo vincular o entretenimento à marca, transmitindo os valores e conceitos em torno do produto e sem aqueles velhos medos de associar coisas negativas – como violência, sangue e morte, presentes nos filmes – à marca
  23. 23. Vamos trabalhar Uma grande marca de Food Solutions (produtos para restaurantes e e industrias de alimentos), de uma Multi Nacional, precisa fazer crescer a margem de lucro com a venda de seus produtos além de crescer em volume em todo o Brasil. Decidiu então que era o momento de comunicar esta marca de maneira mais ampla. Até então só trabalhavam comunicação Direta (CRM, KKT Direto e de relacionamento). O foco são as pequenas e médias empresas, de fast food mais conhecidas por “restaurantes por quilo” que vem crescendo muito no Brasil, nas zonas urbanas. Cenario: • Negócio de Fast Food cresce ano a ano no Brasil (em média 15%) • Os donos de restaurante compram produtos bons, porem baseados numa escolha por preço • Os consumidores não conhecem as marcas que são compradas por estes restaurantes, portanto não é um critério de escolha na hora da refeição A ideia da equipe de MKT desta marca, é Desenvolver Conteúdo com a marca para que ela se torne mais conhecida e relevante aos donos de restaurante e também pelos consumidores, que assim poderão influenciar a decisão de compra. Falar dos beneificoos e agrehgar serviço ao produto é uma necessidade. Mensagem principal: GOSTO BOM é sua melhor parceira: a melhor qualidade de produtos com conhecimento do seu negocio. • Budget é bem limitado e a necessidade de crescimento muito grande. • Deve ser algo que inspire aos donos de pequenos e medios restaurantes . • Tem que ser entrenenimento • Deve ser Factual (real e não ficcção

×