Curso:Fontes de Financiamento - Empreendimentos Culturais e CriativosAula 4Investimento ColaborativoMinom PinhoViabilizand...
• Sistema S é o nome pelo qual ficou convencionado de sechamar ao conjunto de onze contribuições de interesse decategorias ...
• Agricultura◦ SENAR - Serviço Nacional de Aprendizagem Rural• Comércio◦ SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem do Comér...
Um EMPREENDIMENTO/PROJETO/INICIATIVA só se fortalece quando toda acadeia se fortalece e colabora... Saiba quem são os elos...
SHARING ECONOMY = MESHComo compartilhar recursos físicos,tecnológicos, econômicos, intelectuais parauma nova economia?O qu...
Um EMPREENDIMENTO/PROJETO/INICIATIVA só se fortalece quando toda acadeia se fortalece e colabora... Saiba quem são os elos...
THE MESHWHY THE FUTURE OF BUSINESS IS SHARINGLISA GANSKY
CROWDSOURCING...é um modelo de produção que utiliza a inteligênciae os conhecimentos coletivos e voluntáriosespalhados pel...
CROWDFUNDINGDe forma bem simples, é o termo parausar quando a gente fala de iniciativasde financiamento colaborativas.Tradu...
Catarse
CASE	  -­‐	  FORA	  DO	  EIXOO Circuito Fora do Eixo é uma rede de trabalho quedesenvolveu alternativas sustentáveis para ...
FORA	  DO	  EIXOUniversidade	  Livre	  Fora	  do	  EixoA	  Universidade	  Livre	  Fora	  do	  Eixo	  (UniFDE)	   surge	  a...
FORA	  DO	  EIXO	  -­‐	  METODOLOGIAS	  DE	  TRABALHO	  ::Car?lhas	  -­‐	  Ferramenta	  de	  sistema7zação	  e	  difusão	 ...
Observatórios	   -­‐	   Projeto	   de	   formação	   que	   consiste	   na	   realização	   de	   reuniões,	   encontros,	...
Wiki	  FDE	  /	  	  Fora	  do	  Eixo	  TEC	  -­‐	  Banco	  de	  Tecnologia	  colabora7va	  do	  Fora	  do	  Eixo,	  conten...
Sites de interesse:http://queroincentivar.com.br/https://partio.com.br/http://crowdfundingbr.com.br/http://catarse.me/pt E...
MODELOS DE FINANCIAMENTOPRIVADOInvestimento empresarial − patrocínios/doações/ISP;investimento social privado/sócios-inves...
dicas importantes1. Diversifique suas fontes de receita e definanciamento.2. Participe de cursos, eventos, premios, editais,...
Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.
Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.
Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.
Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.

283 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 4- Curso Fontes de Financiamento dias 22 e 23 de Junho 2013.

  1. 1. Curso:Fontes de Financiamento - Empreendimentos Culturais e CriativosAula 4Investimento ColaborativoMinom PinhoViabilizando iniciativas culturais e criativas de forma colaborativa e cooperativa.Moedas criativas, moedas solidárias, crowdfunding, mesh e outros formatos.Diálogo e Laboratório.
  2. 2. • Sistema S é o nome pelo qual ficou convencionado de sechamar ao conjunto de onze contribuições de interesse decategorias profissionais, estabelecidas pela Constituiçãobrasileira.• São elas:a)contribuições sociais;b) contribuição de intervenção no domínio econômico;c) contribuição de interesse das categorias profissionais oueconômicas.SISTEMA S
  3. 3. • Agricultura◦ SENAR - Serviço Nacional de Aprendizagem Rural• Comércio◦ SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio◦ SESC - Serviço Social do Comércio• Cooperativismo◦ SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo• Indústria◦ SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem IndustrialServiço Social da Indústria• Transporte◦ SEST - Serviço Social de Transporte◦ SENAT - Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte• Outras áreas◦ DPC - Diretoria de Portos e Costas do Ministério da Marinha◦ INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária◦ SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e PequenasEmpresas◦ Fundo Aeroviário - Fundo Vinculado ao Ministério da AeronáuticaSISTEMA S
  4. 4. Um EMPREENDIMENTO/PROJETO/INICIATIVA só se fortalece quando toda acadeia se fortalece e colabora... Saiba quem são os elos da sua cadeiaprodutiva/criativa e colabore em rede.O financiador também é seu parceiro. Evite lógicas paternalistas em relação afinanciadores, sejam eles privados ou públicos.Parcerias sustentáveis se fazem por convergência de sentidos. Encontreparceiros convergentes e compreenda a unidade na diversidade.Comunicação é elemento fundamental à sustentabilidade do seuempreendimento. Compreenda quem são os seus parceiros( público,investidores, colaboradores, fornecedores, sócios, associados) e dialogue comeles.Tamanho não é documento. Saiba operar em cadeias colaborativas. Suainiciativa/empreendimento ficará mais “leve”, seus movimentos mais ágeis e asua cadeia criativa/produtiva mais fortalecida e sustentável.Cadeias Sustentáveis
  5. 5. SHARING ECONOMY = MESHComo compartilhar recursos físicos,tecnológicos, econômicos, intelectuais parauma nova economia?O que isto tem a ver com financiamento deprojetos?O que isto tem a ver com sustentabilidadede empreendimentos?economia colaborativa
  6. 6. Um EMPREENDIMENTO/PROJETO/INICIATIVA só se fortalece quando toda acadeia se fortalece e colabora... Saiba quem são os elos da sua cadeiaprodutiva/criativa e colabore em rede.O financiador também é seu parceiro. Evite lógicas paternalistas em relação afinanciadores, sejam eles privados ou públicos.Parcerias sustentáveis se fazem por convergência de sentidos. Encontreparceiros convergentes e compreenda a unidade na diversidade.Comunicação é elemento fundamental à sustentabilidade do seuempreendimento. Compreenda quem são os seus parceiros( público,investidores, colaboradores, fornecedores, sócios, associados) e dialogue comeles.Tamanho não é documento. Saiba operar em cadeias colaborativas. Suainiciativa/empreendimento ficará mais “leve”, seus movimentos mais ágeis e asua cadeia criativa/produtiva mais fortalecida e sustentável.Cadeias Sustentáveis
  7. 7. THE MESHWHY THE FUTURE OF BUSINESS IS SHARINGLISA GANSKY
  8. 8. CROWDSOURCING...é um modelo de produção que utiliza a inteligênciae os conhecimentos coletivos e voluntáriosespalhados pela INTERNET para resolverproblemas, criar conteúdo e soluções ou desenvolvernovas tecnologias como também para gerar fluxo deinformação.O crowdsourcing ENVOLVE pessoas no dia-a-diausam seus momentos ociosos para criar acolaboração. É uma nova e crescente ferramentapara a inovação. Utilizado adequadamente, podegerar ideias novas, reduzir o tempo de investigaçãoe de desenvolvimento dos projectos, diminuir noscustos, para além de criar uma relação directa e atéuma ligação sentimental com os usuários de umarede colaborativa de ciência e inteligência.Comporta a noção de que o universo dos internautaspode fornecer informações mais exactas do queperitos individuais.
  9. 9. CROWDFUNDINGDe forma bem simples, é o termo parausar quando a gente fala de iniciativasde financiamento colaborativas.Traduzindo para o português seria algocomo “financiamento pela multidão”. Aideia é que várias pessoas contribuam,com pequenas quantias, de maneiracolaborativa, a viabilizar uma ideia, umnegócio, um projeto.FONTE: http://crowdfundingbr.com.br
  10. 10. Catarse
  11. 11. CASE  -­‐  FORA  DO  EIXOO Circuito Fora do Eixo é uma rede de trabalho quedesenvolveu alternativas sustentáveis para gestão cultural,apostando na criação de tecnologias a partir da troca e docompartilhamento livre de conhecimento e experiênciaspráticas. Sendo assim, os espaços criados pela redetornam-se plataforma de formação e construçãocolaborativa.
  12. 12. FORA  DO  EIXOUniversidade  Livre  Fora  do  EixoA  Universidade  Livre  Fora  do  Eixo  (UniFDE)   surge  a  par7r  da  necessidade  de   organização  e  sistema7zação  do  conhecimento  produzido  pelo  Circuito  Fora  do  Eixo  com  vistas  a  estender  estas  tecnologias  a  diversas  instâncias  da  sociedade.    Além  disso,  o  projeto  busca  a  conexão  com   grupos,   parceiros   e   en7dades,   para   a   construção   e   a   democra7zação   de   tecnologias  sociais,  conhecimentos  teóricos  e  prá7cos  mais  sustentáveis  ligados  ao  tema  da  cultura.  A  UniFdE  é  o  projeto  de  formação  do  CFE  que  tem  como  foco  o  fortalecimento,  capacitação  e  organicidade   da   rede.   O   projeto   busca   a   construção   de   metodologias   e   ambientes   de  formação  livres  que  promovam  o  estreitamento  das  relações,  o  trabalho  colabora7vo,  o  caixa  cole7vo,   a  consciência  polí7ca,   o  desenvolvimento  cria7vo,   a  disciplina  e   a  organização  do  arranjo  cria7vo  cultural  nacional.
  13. 13. FORA  DO  EIXO  -­‐  METODOLOGIAS  DE  TRABALHO  ::Car?lhas  -­‐  Ferramenta  de  sistema7zação  e  difusão  de  tecnologias  desenvolvidas  pela  rede.  Hoje  existem  car7lhas   de  todas  as   frentes   temá7cas   do  Circuito  Fora  do  Eixo,  abrangendo  temas   desde   como   montar   uma   banquinha,   transmi7r   um   evento   ao   vivo   até   como  implementar   uma   moeda   complementar   em   seu   cole7vo.   foradoeixo.org.br/universidade/car7lhasImersão   FDE   -­‐   Projeto  de   formacao   livre,   pautado  na   realização   de   encontros   e   reuniões  presenciais  para  avaliação,  diagnós7co  e  planejamento,  podendo  ser  feita  para  um  cole7vo,  uma  regional  ou  uma  frente  de  trabalho.Colunas  -­‐  Projeto  de  formação  no  qual  agentes  da  rede  viajam,  conhecendo  de  perto  diversas  realidades  e  conjunturas  da  rede,  realizando  reuniões  de  planejamento  com  os  cole7vos  da  rota,  bem  como  com  parceiros  locais.Vivência  FDE  -­‐  Programa  de  "estágio"  baseado  na  troca  de  experiências  de  trabalho  e  convívio  em  ambientes  cogni7vos  de  auto-­‐formação,  onde  a  pessoa  integra  a  equipe  de  um  evento  ou  cole7vo   por   tempo   determinado   com   um   plano   de   trabalho   definido   conforme   as  necessidades  e  interesses  conjunturais  da  pessoa  e  da  rede.
  14. 14. Observatórios   -­‐   Projeto   de   formação   que   consiste   na   realização   de   reuniões,   encontros,  oficinas,  palestras  ou  debates  transmi7dos  online,   com  par7cipação  de  público  presencial  e  virtual.  Os  Observatórios   são  eventos  abertos  a  todos,   com  obje7vo  de   qualificar  e   refle7r  sobre   os   processos   e   temas   que   circundam   a  rede,   bem   como  estabelecer   parcerias   com  consultores  e  especialistas  das  áreas  e  temas  abordados.Compacto.TEC  -­‐  Ferramenta  de  gestão  colabora7va  desenvolvida  pelo  Circuito  Fora  do  Eixo,  que   busca   o7mizar   o   planejamento,   gestão   e   produção   cultural,   compilando   todas   as  informações  necessárias  para  a  gestão,  da  pré-­‐produção  à  prestação  de  contas.  Além  destas  informações,  o  Compacto.TEC  também  quan7fica  todo  o  trabalho  inves7do  na  construção  das  ações,  o  que  permite  a  contabilização  do  valor  real  dos  projetos,  através  da  soma  da  moeda  corrente  e  da  moeda  social.  A  par7r  dos  indicadores  gerados  é  possível  extrair  diagnós7cos  de  processos  de  produção,  que  poderão  ser  u7lizados  para  avaliação  e  qualificação  do  trabalho  do  núcleo  ou  cole7vo.  Assim,   incen7vamos  todos  os  cole7vo  a  u7lizarem   essa  ferramenta,  dando  suporte  em  sua  implementação  e  organização.  
  15. 15. Wiki  FDE  /    Fora  do  Eixo  TEC  -­‐  Banco  de  Tecnologia  colabora7va  do  Fora  do  Eixo,  contendo  informacoes  sobre  os  principais  projetos,  sobre  a  própria  rede  e  seus  cole7vos,  alem  de  seus  conceitos.  Nele,   são   compar7lhados   todos   os   Compactos.tec,   atas   de   reunião,   registro  de  eventos,  textos  e  ar7gos  produzidos.Congresso  FDE  -­‐  Encontro  presencial  anual  de  todos  os  cole7vos  da  rede,  no  qual  é  realizada  uma  serie  de  reuniões  livres,   plenárias,  palestras   e  GTs  para  definição  do  planejamento  do  ano  seguinte.  O  Congresso  também  conta  com  etapas  regionais,  que  garantem  que  as  pautas  locais  sejam  priorizadas,  além  de  ampliar  a  conexão  entre  os  pontos  da  região.Hospedagem   Solidária   /   Residencia   Cultural   -­‐   Projeto   que   fomenta   a   hospedagem   nos  cole7vos   e   casas   parceiras   para   bandas,   aristas,   membros   do   Fora   do   Eixo   e   demais  interessados.    As  sedes  dos  Pontos  FDE  recebem  constantemente  ar7stas  e  agentes  culturais  de  todo  o  país  e  da  América  La7na,  que  ficam  hospedados,  par7cipam  dos  projetos  diários  e  compar7lham   da   dinâmica   dos   grupos   de   trabalho.   O   obje7vo   é   que   as   sedes   além   de  moradia  temporária,   sirvam   também   como  ambiente  cogni7vo  contaminador  de   princípios  cole7vos,  solidários,  colabora7vos  e  livres.
  16. 16. Sites de interesse:http://queroincentivar.com.br/https://partio.com.br/http://crowdfundingbr.com.br/http://catarse.me/pt E VÁRIOS OUTROS
  17. 17. MODELOS DE FINANCIAMENTOPRIVADOInvestimento empresarial − patrocínios/doações/ISP;investimento social privado/sócios-investidores (investimento-anjo ou outrosmodelos).PÚBLICOInvestimento governamental, fomento, editais públicos, outros.ORGANIZAÇÕESInvestimento de fundos de pesquisa e desenvolvimento (organiza- çõesinternacionais, institutos, fundações, universidades, outros).MERCADOComercialização de produtos, serviços e ideias para pessoas, governos eorganizações, investidores, empreendedorismo, outros.MODALIDADES COLABORATIVASCrowdfunding, moedas solidárias/sociais/criativas, parcerias, permutas, outros.
  18. 18. dicas importantes1. Diversifique suas fontes de receita e definanciamento.2. Participe de cursos, eventos, premios, editais,outros.3. Cadastre-se em sites de interesse: editais,órgãos públicos, centros de informação, centrosculturais, patrocinadores, redes colaborativas,associações, veículos de imprensa digital, etc.4. Tenha sempre novos projetos, novas ideias,novas parcerias em curso. NÃO espere o recursode um projeto acabar para criar/empreenderoutros projetos.5. Não pense apenas na comunicação/viabilidadede um projeto. Pense na comunicação /viabilidade do seu empreendimento.6. Não esqueça das cadeias produtivas/criativasdo seu empreendimento. Colabore em rede.

×