Ano 9
                                               Edição 54
                                               Abr/2009
Jor...
2                   Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009



Editorial  ...
3
                                                   Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 ...
4               Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009




              ...
5
                                          Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54...
6                         Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009


Fotos:...
7
                                          Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54...
8           Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009




   Comprar ou não ...
9
                                                   Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 ...
10                       Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009




A bel...
11
                                                   Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9...
12                Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009




            ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal EM FOCO - Abr.09

2.061 visualizações

Publicada em

Jornal Laboratório do Curso de Jornalismo do Instituto Superior de Ciências Aplicadas - ISCA Faculdades (Limeira/SP)

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.061
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal EM FOCO - Abr.09

  1. 1. Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades Vaidade, desejo e admiração Tatuagem Comprar ou não comprar? Expressão artística, produto de beleza Vaidade influencia as decisões de ou desenho marginal? consumo. Páginas 6 e 7 Página 8
  2. 2. 2 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Editorial O nariz, quase sempre, serve para cheirar. lhorias faciais. Espera-se igual empenho e dedicação Com o tempo, porém, virou assunto sério na vida de para com a causa Brasil, a coisa pública. Afinal, todo Jackson, questão muito pessoal e íntima. À parte a brasileiro de estômago cheio se olha no espelho e sua “descoloração” de pele, o astro passou por mais se sente feliz com o que vê. E já é voz corrente que A feiúra sempre esconde seu lado belo. Ser de 30 intervenções cirúrgicas. Outras mais virão para quem tem fome não tem dignidade nem vaidades. feio, com efeito, traz uma liberdade e um despoja- que ele possa realizar a última turnê de sua carreia. Se todos os brasileiros tiverem suas necessidades mento que são de fazer inveja aos pretensos lindos. Esta busca incessante pela vaidade, algumas vezes, primárias supridas, todos se sentirão mui bonitos e Ser feio é andar na contramão da sociedade, é ser re- leva o sujeito a “tomar no nariz” literalmente. Não bem apessoados. volucionário em relação ao código da aparência. É raro, depois de uma cirurgia definitiva, o paciente de- Em suma, estar em sociedade é um desa- necessária uma boa dose de audácia para que o feio se seja voltar ao seu estado anterior de “imperfeição”. fio para feios e belos. A aparência, embora seja ob- insira no todo. E este “todo” social está cada vez mais A aparência jamais engana, pelo contrário, jeto de desejo e admiração, não sustenta um indiví- relativo, mais complexo e terrivelmente mutante. denuncia. Há muitas variáveis incutidas na necessi- duo. Isto é um ônus para todo aquele que acha que No entanto, feio não é bonito e não está na dade humana de expor ao outro, previamente, aqui- encontrará liberdade na beleza que prega. Não. Ser moda. Nunca esteve. Este desprezo que pessoas têm lo que se é de verdade ou o que se pretende ser. belo é tarefa para todos os que, em dado momento, por suas características genuínas, esta incapacidade de O lado irônico do que se convencionou chamar de decidem abarcar o mundo de alguma forma. Com encarar a vida com a cara única que se nasceu, dá ori- “vaidade” é que ela nunca é satisfeita. “O bicho do seu trabalho, com seu talento, com sua beleza. Isso gem a figuras folclóricas como o cantor norte-ameri- homem é o próprio homem”, dizia Manoel Bandei- mesmo: beleza é adquirir capacidade extra-humana cano Michael Jackson. Na “Terra do Nunca”, por ele ra. Isso significa que a sociedade está presa nos gri- de ver e viver o delicado devaneio que é a vida. mesmo fabricada, o astro resolveu abrir as janelas, dei- lhões de beleza que ela mesma criou. Que nos diga E, quem sabe, ter a sorte de um dia morrer xar o sol entrar e, nostálgico, decidiu também reformar Dilma Russeff, sempre tão robusta e afeita a me- com o mesmo nariz que se nasceu. o nariz – desta vez para não ficar sem. Na linguagem do blog Sulamita Bela Alunos de Jornalismo utilizam uma nova ferramenta para postagem de notícias ........................................................................................... Tracy Caetano jeto”. Coordenadora do curso de Jornalismo do elas são corrigidas e devolvidas para os alunos, fi- Os alunos de Jornalismo Gustavo Isca, Milena Castro considera a iniciativa ótima. cando a cargo deles a publicação no blog. Nolasco e Tamires Gonçalves, ambos com 20 “Até porque, como sempre digo, no curso de Jor- A estagiária da agência experimental anos, na busca de uma maior interação entre nalismo, os projetos e produtos que resultam das Liandra Santarosa, 20, que dará apoio aos pro- os estudantes do Isca Faculdades e seus futuros várias disciplinas são dos alunos e para os alunos. fessores envolvidos no projeto, ressalta que as empregadores, idealizaram um blog informativo Claro, com o suporte dos professores”. antigas matérias da Agência Nova serão posta- e opinativo que veio para substituir a Agência Milena destaca também que é comum o das no blog gradativamente. “Dentro da editoria Nova - um projeto experimental para divulgar projeto ir crescendo e envolvendo mais alunos e de notícias, as matérias ficarão subdivididas em as reportagens feitas pelos alunos do curso. “Na professores. “Com o tempo, as pessoas vão perce- Agenda, Cidade, Cultura, Esporte, Isca Faculda- agência, não tínhamos muitas opções, conseguía- ber a importância desse espaço para o nosso curso. des e Meio Ambiente”, fala. mos postar texto e fotos com dificuldade, preci- Por isso, tenho certeza de que o portal contará num Outros desafios do blog são a efetiva saríamos inovar com algo atual”, cita Tamires. futuro próximo com a participação do conjunto dos participação dos alunos; ser ágil e interessante, O blog, um espaço virtual, serve como estudantes de Jornalismo”, afirma. sempre com textos de qualidade e informações um diário no qual as pessoas divulgam seus pen- A ideia, que partiu de Nolasco e Tamires, relevantes; e ter credibilidade. samentos relacionados a diversos assuntos. Ele agora envolve todos os alunos do curso de Jornalis- Os integrantes do blog ressaltam que os combina texto, imagens e links para outros blogs, mo. O objetivo, porém, é abranger os demais estu- alunos envolvidos no projeto poderão exercitar e páginas da web e mídias referentes ao seu tema. dantes da instituição. Para que isso aconteça, foi ado- aperfeiçoar a produção de texto. Além disso, seus A professora de Comunicação e administradora tada uma forma diferente de postagem das notícias currículos serão mais valorizados e eles poderão das matérias do novo portal, Audre Alberguini, em relação ao que era feito na Agência Nova. Sendo ser descobertos por alguma empresa que possa 29, destaca que “o grande desafio é fazer com assim, as matérias não são mais postadas por Audre; conhecê-los por meio do portal. que os alunos sintam-se construtores desse pro- Expediente Editor Responsável: Prof. Rodrigo Piscitelli (Mtb 29073) lamita T. Bela, Tamires R. Gonçalves, Thiago A. Machado, Tiago Projeto Gráfico: Prof. Victor Corte Real P. Praxedes, Tracy E. Caetano, Virgilio Gabriel N. Correa. Jornal-laboratório do Curso de Comunicação Social (Habilita- Reportagem, edição e diagramação Tiragem: 2.000 exemplares ção em Jornalismo) do Instituto Superior de Ciências Aplicadas Impressão: Tribuna Piracicabana Beatriz Buck, Callebe R. Bueno, Camilla P. Coelho, Daniel M. (ISCA Faculdades), entidade mantida pela Associação Limei- Pereira, Felipe A. M. Furlanetti, Fernanda D. Santa Cruz, Hen- rense de Educação (ALIE). Endereço: Rod. SP 147 (Limeira-Piracicaba) - Km 4 rique M. Andrielli, Italo Ferreira, Ivan F. da Costa, Johelson S. Costa, Karina M. Rossi, Ketlyn F. Zabin, Liandra Santarosa, Lil- CEP 13.482-383 - CxP 98 - Limeira/SP Ano 9 Edição 54 Abr/2009. Telefone: 55 (19) 3404-4700 ian D. Geraldini, Lucas C. Filho, Lucas N. Del Pietro, Luciana F. E-mail: jornalismo@alie.br Nagata, Luis Gustavo N. de Souza Ferro, Mariana A. dos Santos, Diretora Geral: Rosely Berwerth Pereira Site: www.iscafaculdades.com.br Neliane C. Simioni, Rebeca R. Barbosa, Roxane E. Regly, Su- Coord. Curso de Jornalismo: Milena de Castro Silveira
  3. 3. 3 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Uma doença na moda Felipe Furlanetti Comum entre adolescentes, distúrbio alimentar pode se tornar crônico se não tratado .............................................................................................. Johelson Costa “No auge da doença cheguei a pesar Ela destaca ainda que a doença é mais Felipe Furlanetti 37 quilos, mas sempre que me via no espelho comum entre as mulheres e geralmente mais tinha o reflexo de uma imagem totalmente dis- intensa durante a adolescência. Os homens torcida. Sempre estava acima do peso”, recorda também podem apresentar sintomas da ano- a dentista Luana Franco, de 22 anos. Ela, que rexia, porém, são poucos os casos. “Pesquisas aos 18 enfrentou uma anorexia nervosa, não revelam que a anorexia é prevalente em paí- imaginava que para ser feliz fosse preciso seguir ses ocidentais e claramente mais frequentes padrões da moda e deixar a saúde de lado. entre as mulheres jovens. Os dados mostram Após tratamentos com psicólogos que especialmente aquelas que pertencem a e nutricionistas, porém, a estudante pôde re- posições mais elevadas na sociedade são as tomar sua vida sem apresentar sequelas. “Foi que mais apresentam sintomas. Isso fortalece muito difícil recuperar o peso novamente. Não a conexão da doença com fatores sociocultu- aceitava engordar tudo de novo. Pesava-me de rais”, afirma a psicóloga. três a quatro vezes por dia, mas com a ajuda Além da anorexia, Paula cita também de vários profissionais e com apoio de minha a bulimia nervosa. Nesta outra patologia, que família consegui ser eu mesma de novo”, relata. consiste no sentimento de rejeição do alimen- A perda de peso em curto prazo e a to ingerido, a pessoa sente a necessidade de se briga diária com a balança resultaram em di- livrar - por meio do vômito ou de remédios versas dificuldades. Luana cita que durante esse laxativos - da comida recém-engolida. “A ano- período de sua vida teve sensações de fraque- rexia pode ou não ser acompanhada de sinto- za, tontura, além de perda do controle sobre mas bulímicos. Essa outra doença consiste na si mesma. “Devido a uma disfunção hormonal compulsão alimentar em grande quantidade de meus cabelos caiam e eu não tinha mais vonta- alimento, porém, em curto período de tempo. Adolescentes deixam saúde de lado de de ver ninguém”, lamenta. Esse episódio, quando frequente, leva à sensa- em busca de corpo perfeito Agora, recuperada e com o peso ideal ção de perda de controle”, destaca. para seu corpo, Luana não entende a sua busca O tratamento sugerido pela psicóloga alimentar autoimposta. Isso, segundo ela, tende por um corpo perfeito. “Hoje, vejo que a inces- prevê um acompanhamento multidisciplinar, a calhar com dietas rigorosas, padrões bizarros sante procura pela ‘magreza’ só me trouxe infe- ou seja, com o apoio de vários profissionais. de alimentação, acentuada perda de peso e pa- licidade. Não me lembro de nenhum momento “Os melhores resultados parecem ocorrer na- vor intenso da obesidade. “Em geral, depois de alegria. Realmente vivia em um mundo preto queles casos de intervenção precoce, evitando de intervenções terapêuticas, a recuperação é e branco”, dispara. os estados crônicos e imutáveis da doença. Re- satisfatória”, diz. Conforme a psicóloga Paula Cavinatto, comendo um trabalho entre psicólogo, médico a anorexia nervosa trata-se de um transtorno e nutricionista para se obter um resultado efi- alimentar em que a pessoa possui uma limitação ciente e dinâmico”, complementa. SUPERAÇÃO medo de ir a algum lugar onde tivesse que co- Em entrevista ao Em Foco, a dentista mer. Queria somente ficar em casa deitada, na Luana Franco, de 22 anos, relata sua experiên- escola não conseguia mais me concentrar nas cia durante a anorexia que teve na adolescência. aulas. Já com minha família foi pior porque to- dos sofriam ao me ver naquela situação. Em Foco: O que a levou a fazer um regime tão vívio com as pessoas (família, amigo, escola...)? Luana: Mesmo as pessoas falando que estava EF: Mito ou verdade: quando você se olhava rígido? Você estava satisfeita com o seu corpo? Luana Franco: Não estava satisfeita com meu feia e magra, eu me sentia realizada. Mas sabia no espelho se via acima do peso? Luana: Sim. Sempre que me olhava no espelho corpo nem com meu peso. Resolvi começar uma que tudo estava fugindo do meu controle. Meu dieta rígida para ter um resultado mais rápido. convívio com as pessoas era muito difícil, pois me sentia acima do peso, mesmo sabendo que EF: Você se sentiu realizada? Como foi o con- não queria sair mais com meus amigos. Tinha estava magra.
  4. 4. 4 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Em busca da boa forma Ítalo Ferreira lojas Pernambucanas, sem Tiago Praxedes dizer a fama que ganhou Academias são mais procuradas com as meninas. Ele se con- sidera um metrossexual, pois por homens pelo culto ao corpo Atualmente as acade- além do corpo definido, faz mias são mais procuradas pelo depilação, limpeza de pele e público jovem. Em média, 60% tira a sobrancelha. dos alunos são homens, que vão Cerca de 90% dos alu- à academia em busca da melhor nos das academias frequentam estética para o seu corpo, segundo o local por estética e 10% por informam os professores das aca- saúde. Apesar de a porcentagem demias Podium e Fitness. ser pequena, existem os alunos Carlos Donizete Neves, 31 que pensam na saúde. Renan Gar- anos, treina há 12 anos. Ele começou de- cia, 18, se enquadra nesse grupo. Ele vido à admiração que sentia por pessoas com pratica musculação há dois anos e está o corpo delineado. “No início, comecei com o mais preocupado com seu bem-estar e não objetivo de ficar com o corpo bonito, mas passado em ter um corpo delineado. algum tempo decidi virar instrutor. Após esse pe- De acordo com o professor Marcelo Luís ríodo, comecei praticar fisioculturismo, competindo Pereira, 38, as mulheres são mais disciplinadas na categoria de 1,65 m a 1,72 m”, diz. com relação aos treinos, porém, os homens são O atleta faz uso de anabolizante, porém sabe os os que mais frequentam a academia. Não há dife- males que esse produto oferece à saúde, como problemas renças nos treinos passados para homens e mulheres, cardíacos, pancreáticos, no fígado, entre outros. Ele não incentiva mas o sexo feminino prefere trabalhar mais os glúteos o uso desses produtos e admite que só faz isso devido à competi- e coxas, enquanto os homens trabalham mais a parte ção que disputa. Entre os mais usados estão Equipod, Deca Duran, superior. Segundo Pereira, para se ter um corpo bem de- Ekifort e Emoginin. Neves também tem uma dieta balanceada nas finido e em boa forma é necessário treinar de quatro épocas de competição, comendo batata doce, frango, peixes e ce- a cinco dias por semana, em média uma hora diária, reais. Já quando não está competindo, come de tudo um pouco. dando ao músculo 48 horas de descanso para o resul- No início dos treinamentos, o atleta conseguiu ti- tado se desenvolver por meio de ciclos de exercícios. rar vantagens de seu corpo, pois foi convidado a desfilar “Pois quem nasce gato nunca será tigre, mas pode para algumas marcas em eventos realizados pela rede de ser tornar um gatão”, brinca o professor. Fotos: Tiago Praxedes Neves preparando-se para campeonatos O atleta começou a praticar musculação de fisioculturismo devido à estética
  5. 5. 5 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 A psicologia da vaidade Liandra Santarosa Padrões de beleza são incutidos no subconsciente imperceptivelmente .................................................................................................................. Rebeca Barbosa Presente no mundo desde o início das civilizações, a vaidade é assunto vai sendo incutido nas mentes das pessoas sem que per- que apresenta longas discussões de tempos em tempos, com opiniões divergentes. cebam”, explica. Mudam-se comportamentos, estilos e tendências, mas tudo gira em torno da vaida- Ela pondera que a vaidade, quando utilizada de. Seja de maneira consciente ou não, o homem ao longo da história de modo equilibrado, pode até ser favorável sempre apresentou atitudes vaidosas. no sentido de cuidar de si, sentindo-se bem, No princípio da humanidade, o fundamental para garan- desde que a autoestima não dependa unica- tir a beleza era boa alimentação e reprodução. Já em tempos de mente disso. guerra e grande expansão, a beleza se caracterizava por quadris A estudante de gastronomia Alice Jo- largos nas mulheres e por homens musculosos. Isso se associa rente, 19 anos, considera-se uma pessoa a questões psicológicas, com a mulher representando o papel vaidosa desde a infância. Para ela, de boa reprodutora e o homem, o bom guerreiro. arrumar-se e se cuidar cons- No Humanismo, o homem obeso era mais va- tantemente são fatores que lorizado, pois isso era relacionado a poder financeiro e ajudam a elevar sua auto- fartura. Nos anos 70, a mulher começou a se preocu- estima. “Todo mundo par com malhação e curvas mais finas. gosta de pessoas ar- Para a socióloga Eliana de Gaspari Rodri- rumadas. Eu me gues, a vaidade é algo ligado ao contexto cultural arrumo para o de cada grupo. “Os indígenas se pintam com uru- meu namora- cum para se enfeitar, já em algumas tribos da do, para sair África as mulheres utilizam argolas para alongar e também o pescoço”. para as mu- No entanto, na sociedade ocidental, a lheres, pois vaidade está ligada muito a consumo. A soci- geralmente óloga explica que, ao se organizar por meio são elas que de padrões, a vaidade se associa à perfeição. reparam umas Isso pode levar a uma “escravização”, tor- nas outras”, fala. nando as pessoas insatisfeitas e infelizes. Quando em ex- “Esses padrões apresentam um limite muito cesso, porém, a tênue, uma vez que poucas pessoas se enqua- vaidade faz com dram neles”. que as pessoas se De acordo com a violentem desneces- Liandra Santarosa psicóloga Maísa Pompeu sariamente para terem um corpo jovial e belo, Villar, não existe muito chegando muitas vezes a ser artificial. Essas consenso para o concei- pessoas acabam desenvolvendo visões distorci- to de beleza. Há pesqui- das, ideias fixas e obsessivas que comprometem sas que defendem que o julgamento de si próprio, o que pode acarretar há leis universais para a muitas vezes problemas psicológicos como depres- beleza e ela estaria rela- são e ansiedade, além de doenças como anorexia e cionada a estímulos visuais bulimia. simétricos que, por motivos Por isso, a psicóloga afirma que é importan- evolutivos, indicariam mais saúde te aprender a ter um raciocínio mais livre, não as- e, consequentemente, a melhora da perpe- similando tudo que é aprendido sem questionar. tuação da espécie. “Aprender, por exemplo, a perguntar o que é im- Segundo Maísa, nos próprios dese- portante valorizar num ser humano, até onde um nhos infantis é muito comum o vilão ser belo corpo é importante e em que nível deveria feio e o herói, o seu oposto, baseado em influenciar a vida de cada um? Qual conceito de simetria e proporcionalidade. “Este padrão estética vale ter para viver bem?”, cita.
  6. 6. 6 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Fotos: Kado Tattoo / Joe Tattoo Studio A beleza de uma arte Tatuagem artística ocupa cada vez mais espaço como um produto de beleza Henrique Andrielli produto comercial. “Não é uma nova modinha, Thiago Machado algo que surgiu neste verão e, no próximo, não vai mais estar em evidência. É uma arte milenar, A tatuagem contemporânea, com significado para os que se tatuam”, conta. feita por profissionais de estúdios Em sua opinião, os preconceitos com relação ao especializados, é vista cada vez mais tatuado já não são mais os mesmos. “As pessoas como adereço, “enfeite” para o corpo, sabem diferenciar uma tatuagem artística, feita tornando-se mais um produto prestes profissionalmente, daquelas caseiras, feitas sem a ser consumido pela vaidade humana. o mínimo cuidado com a saúde”. A vaidade nada mais é do A curiosidade acerca dos significados que o modo como as pessoas se colo- das tatuagens sempre foi grande. As pessoas cam sob os olhares da sociedade. Esse gostam de saber o motivo da escolha do sím- modo é construído por ideologias, ques- bolo a ser tatuado. “Acredito que a escolha de tões culturais, políticas e até mesmo pela um determinado símbo- maneira como o indivíduo é influenciado lo reflete algo de nós, pelas grandes mídias, afirma João Paulo assim como qualquer Pitoli, 28 anos, psicólogo. “Se um ator ‘glo- escolha que fazemos bal’ aparece na novela das oito com uma em nossas vidas”, tatuagem, por menor que ela seja, acaba conta Pitoli. Não é o criando uma imagem de perfeição, daquilo caso de Cíntia Fuma- que é belo, em que a pessoa que estiver as- galli, 40, protética, sistindo vai se espelhar”, explica. em que o lado estético Mas nem sempre a tatua- é o que conta. “Sempre gem teve esse status perante a sociedade. quis ter tatuagens e atu- Nos anos 60, por exemplo, era vista como almente tenho três. Não sinal de rebeldia ou marginalidade, pois tenho uma definição os traços e desenhos representados eram para esse desejo que “agressivos” às pessoas. “Atualmente as sempre foi in- tatuagens ganharam contornos mais su- tenso. Sim- aves, menos agressivos, principalmente plesmente naquelas feitas em mulheres”, analisa. gosto de Para Michel Moreno, 19, o olhá- “Shell”, tatuador há quatro anos, a tatu- las”, agem não pode ser vista somente como diz. Galeria Alguns dos principais estilos de tatuagens feitas atualmente nos ORIENTAL TRIBAL “NEW SCHOOL” REALISTA estúdios Marcada por imagens de Marcada por símbolos Traços baseados em Desenhos que dragões, tigres, carpas e indígenas, celtas, druidas animes, histórias em representam ideogramas e polinésios quadrinhos e caricaturas figuras reais
  7. 7. 7 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Henrique Andrielli Desenho marginal Tatuagens identificam facções, crimes e hierarquias nos presídios Henrique Andrielli Thiago Machado Quem assiste à série “Pri- forçadamente na parte superior das son Break” pode acreditar que ta- costas por outros detentos, significa tuagem em presídio é usada apenas que o preso cometeu crime de estu- como estratégia para facilitar fugas. pro, normalmente contra crianças. Michael Scofield traz tatuadas em Um punhal cravado sobre uma ca- seu corpo a planta e outras informa- veira identifica presos que executa- ções da arquitetura da penitenciária ram policiais (veja outros exemplos onde ele e o irmão cumprem pena. no quadro). Especialista em Tratamento Detidas na Cadeia Pública Penal e Gestão Prisional, Cezinando de Leme, Gisele, 28 anos, e Ilzelene, Vieira Paredes relata que em presí- 33, têm tatuagens feitas no sistema dios do mundo inteiro os próprios prisional paulista. Ararense, Gisele detentos se tatuam para diferenciar foi presa por roubo. Diz que fez as REVOLTA À FLOR DA PELE Por “puxar muita cadeia”, a facção a que pertencem. “Nas pe- tatuagens por achar bonitos os de- Gisele mandou tatuar nas costas nitenciárias, tatuagens não são feitas senhos. Nas costas, do lado esquer- as palavras ódio e vingança em para enfeitar ninguém. Elas contam do, mandou tatuar “ódio e vingan- letras japonesas. histórias, se comunicam e mantêm ça” em letras japonesas. A tatuagem distâncias; mostram quem é o preso, foi feita com máquina de tatuar no o crime que ele praticou e o que se Departamento de Administração Ilzelene é carioca, mas vivia não existe mais. “As tatuagens foram deve sentir por ele: medo ou despre- Carcerária (Dacar), na capital pau- em Cordeirópolis. Está presa há um feitas de forma manual mesmo, com zo”, descreve. lista. “Tinha ‘puxado’ muita cadeia ano por tráfico de drogas. Tem 11 uso de agulha e tinta de tecido”, re- A Escola de Administração e estava revoltada; por isso mandei tatuagens no corpo, todas feitas em vela. Para não ter problemas de saú- Penitenciária (EAP), da Secretaria tatuar”. As outras tatuagens (tribais presídios, seis delas na unidade de de, ela costuma passar pomada no de Segurança Pública do Estado de e flor nas costas e estrela no pé) São Bernardo, em Campinas. Os de- local e tomar antiinflamatório. São Paulo, apresenta em sua página foram feitas nos presídios de Tatu- senhos escolhidos representam sua Gisele e Ilzelene têm a na internet (www.eap.sp.gov.br) um apé, Franco da Rocha e Butantan. ligação com a família. Duas meninas mesma intenção: fazer novas tatu- grande número de figuras que costu- Na perna esquerda, quando estava (uma na perna esquerda e outra na agens quando saírem da Cadeia de mam ser tatuadas nos presos e seus no presídio do Butantan, mandou direita) representam as filhas; o Leme. Ali não existe tatuadora. significados. Um preso com uma tatuar um dragão com o símbolo sol e a lua unidos, tatuados “O delegado não deixa e tatuagem de Nossa Senhora Apare- do cachimbo. Segundo a EAP, o na mão, representam as detentas não cida no peito ou braço pode estar cachimbo representa ligação do de- a união do per mitem”, pedindo proteção ou revelando sua tento com o tráfico ou dependência casal que justifica devoção. A mesma imagem, tatuada de drogas, o crack em especial. hoje Gisele. Corpo de delito Fonte e fotos: Escola de Administração Penitenciária (EAP) AVISO - A caveira pode ter vários significa- dos no universo prisional, repre- sentando desde um homicida até O revólver na tatuagem identifica o ladrão de bancos ou o líder de uma quadrilha; folha de um matador de maconha ou cachimbo representa as drogas; cinco pontos tatuados identificam condenados policiais por roubo; cruzes, suásticas e símbolos de umbanda são usados como proteção
  8. 8. 8 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Comprar ou não comprar? Karina Rossi Vaidade influencia a todo momento, principalmente na hora de comprar ......................................................................................................... Mariana Antonella Ópera Rock, Kipling, Colcci, Acostamento, sição da estudante Tamires Gonçalves, Pulo do Gato, Farm, Billa Bong... Essas são apenas 20, foi uma dessas. A jovem conta que algumas das marcas que fazem a cabeça de mui- não precisava de mais uma sandália, mas tas pessoas. De acordo com a vendedora Elisângela como é apaixonada por estampas de Araújo Dias, 27 anos, as mulheres compram mais que onça, não resistiu. Ela não sabe quantos os homens. “Quando eles buscam a loja, compram pares de sapato tem e diz que sempre tudo o que precisam de uma única vez. Já as mulheres acha alguma coisa bonita. “Por isso aca- estão sempre atrás de algo novo. Toda vez que vão bo comprando”, justifica. sair, compram uma blusinha”, diz. Questionada sobre quanto gas- As famosas bolsas do macaco, as da Kipling, ta por mês em roupas, sapatos e acessó- são muito procuradas. Meninas a partir de 15 anos já rios, a resposta surpreende. “Não sei, é colecionam esse tipo de acessório de todos os tama- relativo. Como compro a prazo, sempre nhos e modelos. A vendedora conta que as opções que vou até a loja pagar uma prestação agradam a todos os gostos e idades. “No Natal, vendi acabo fazendo outra”, explica. Ela não duas para uma vovozinha”. Outra marca que chegou se considera consumista, mas tem no para ficar é a Pulo do Gato. As sandálias plataforma mínimo dez bolsas e já perdeu a conta possuem modelos diferenciados e cores vibrantes, de quantas blusas possui. Como descul- misturadas com estampas de animais. A última aqui- pa, Tamires afirma que, por estar traba- lhando com moda, tem que estar ante- nada nas tendências do mercado. Para a psicoterapeuta Clélia Ma- ria Contin Marchi, 43, comprar incon- sequentemente muitas vezes é sinal de carência. Ela afirma que a partir do momento que não se tem controle, a situação passa a ser um tipo de distúr- bio. “Muitas pessoas Karina Rossi desenvolvem esse pro- blema independente da idade ou sexo”, fala. A especialista reco- menda que essas pessoas busquem alternativas para amenizar a com- pulsão, procurando um profissional qualificado para tratar a doença. Tamires acha que no seu caso não há necessidade de ajuda pro- fissional, porém, conta que se não tivesse outras despesas gastaria todo seu salário nisso. “Sinto-me mais feliz, realizada e merecedora quando compro Tamires: “Tenho nove blusas de onça, o que quero”, finaliza. adoro essa estampa” Fotos: Mariana Antonella
  9. 9. 9 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 O custo da beleza Callebe Bueno Nós pesquisamos as diversas formas e valores para se embelezar e ficar em forma ......................................................................................................... Camila Paes Antes só se ouvia falar em cirurgia Callebe Bueno plástica quando o assunto envolvia artistas. Hoje, esses tratamentos cirúrgicos estão mais comuns e acessíveis para mulheres e homens descontentes com sua compleição física. Existem diversas alternativas para, por exemplo, se livrar daquela gordurinha localizada, rugas ou até mesmo dar uma “turbinada” no visual com próteses de mama e glúteos. São vários os métodos de corrigir, recuperar ou modificar seu corpo em bus- ca dos padrões de beleza atual ou para ter uma vida mais saudável e aceitação social. Além da prática de exercícios e da cirur- gia plástica, existem tratamentos faciais e corporais não cirúrgicos como botox, car- boxiterapia, mesoterapia, bioplastia, preen- chimento e o “peeling”. Dependendo da situação, também são opções os produtos encontrados em cosméticas, supermerca- dos, farmácias e perfumarias, ou seja, tintu- ra para cabelo, maquiagem, diversos tipos de creme, óleos e por aí vai... Outra opção para mudar o visu- al são os salões de beleza. Alguns deles, mais do que corte de cabelo, penteados, barba, alisamento, manicure e pedicure, também dispõem de tratamento capilar e couro cabeludo, alisamento definitivo, podologia, massagem relaxante, banhos mental da estética da face. É ele aromaterapêuticos e estética (limpeza de Opções não faltam na hora de se cuidar que define o perfil da pessoa e pele, drenagem linfática, lipoescultura Para o cirurgião certificado pela SBCP André Gonçalves também fornece características gessada, “peeling” de cristal, argiloterapia Colaneri, a probabilidade de acontecer alguma complicação é mí- marcantes de raças e etnias”, ex- e jet bronze). Em um salão de beleza de nima, mas o ideal é sempre operar em hospital. “Ele oferece uma plica. Essa cirurgia é mais deli- Limeira, o valor dos serviços pode variar maior estrutura de apoio e o mais importante é a sinceridade do cada pelo fato do nariz ser uma de R$ 24 até R$ 550. paciente com o médico. Esconder o uso de alguma droga e alergia estrutura pequena, complexa e Se a solução for mesmo a cirurgia pode gerar reação com a anestesia”. funcional. “De nada adianta ter plástica, é importante checar se o médico é As cirurgias mais comuns são a mamoplastia, prótese de um nariz bonito e não funcional certificado pela Sociedade Brasileira de Ci- mama, rinoplastia e abdominoplastia. O pós-operatório dessas in- ou incompatível com o biótipo rurgia Plástica (SBCP) e discutir a melhor tervenções é similar: inchaço e manchas roxas. No caso de alguma ou raça. A plástica da cirurgia não alternativa, pois o resultado desejado pode complicação, o paciente está sujeito à infecção, hematomas, seromas, está somente em atenuar e corri- não ser o alcançado. No caso da lipoaspi- irregularidades, trombose, além de acidentes durante a cirurgia e pro- gir imperfeições, mas em adaptar ração, é comum pensar que esta cirurgia é blemas com anestésicos. um modelo de beleza nasal com- para redução de peso, mas na realidade é Segundo Colaneri, a rinoplastia é a que necessita de maior patível e harmônico com o res- para retirar gordura localizada, conferindo atenção. “O nariz, sem dúvida nenhuma, é o componente funda- tante da face”, explica. ao paciente um melhor contorno corporal.
  10. 10. 10 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 A beleza das artes Beatriz Buck O belo em suas variadas formas.................................................................................................................................................................................... Lucas Navarro Os três 2) Estética: Para estabelecer as condições necessárias de sua existência. 1) Imitação: Para definir a natureza da arte. Exemplo: elementos sensíveis, como o meio princípios Exemplo: aquilo que chamamos de beleza em que ela se apresenta. Está ligada de certa estética como o equilíbrio, simetria, belo forma com a imitação. respeito às proporções. do 3) Moral: Para definir o seu valor. O efeito, as consequências que ela pode acarretar que dependem de suas qualidades. Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela, E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela, Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala, E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança. Amar é pensar. E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela. Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela. Tenho uma grande distração animada. Quando desejo encontrá-la Quase que prefiro não a encontrar, Para não ter que a deixar depois. Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só pensar nela. Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar. Poema Autor: Alberto Caieiro Foto: Beatriz Buck “A beleza é a finalidade da arte. Que é arte, que é beleza, que é finalidade?” Fonte de mel Rosário Fusco Música: “Você é linda” Nos olhos de gueixa Autor: Caetano Veloso Linda Kabuki, máscara E sabe viver “Em todas as fases literárias, a mulher apare- Choque entre o azul Você me faz feliz ce como uma das figuras principais, sempre E o cacho de acácias Esta canção é só pra dizer bonita e associada à beleza. Luz das acácias E diz Somente depois do realismo, a mulher se tor- Você é mãe do sol Você é linda na comum, deixando de ser algo idealizado, A sua coisa é toda tão certa Mais que demais como musas e deusas.” Beleza esperta Vocé é linda sim Você me deixa a rua deserta Onda do mar do amor Márcia Pincelli Assato Quando atravessa Que bateu em mim Professora de Língua Portuguesa E não olha pra trás e Literatura
  11. 11. 11 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 Do ferro de passar à escova progressiva Ketlyn Zabin Ter cabelos lisos é o sonho de muitas garotas, que para conseguir isso fazem de tudo ................................................................................................. Roxane Regly “Eu prefiro só tomar sol a chegar em casa e precisar fazer uma escova”, explica. O motivo de tamanha vaidade em meninas cada vez mais jovens se deve ao fato da mídia “impor” um padrão de beleza em revistas, comercias e novelas, nos quais modelos e atrizes aparecem com cabelos sempre lisos e sedosos. Outro argumento usado pelas adeptas a chapinha é o gosto masculino. Apesar de não ser a opinião de todos, muitos confirmam que gostam do es- tilo. “Acho o cabelo liso mais bonito”, comenta Daniel Bauer, 20. “Gosto de cabelo liso, mas não escorrido e sim bem tratado”, diz Rafael Siqueira, 19. Sabendo dessa opção de jovens meninas por alisarem os fios, Daniela – que é proprietária de um salão de beleza – recomenda uma idade para o início Roxane Regly do uso desses processos químicos. “Visando à saúde e bem-estar das clientes em primeiro lugar, não faço nem recomendo qualquer tipo de processo químico antes Escovas: adeptas já podem escolher entre opções como as de chocolate, morango e açúcar que a menina tenha tido a primeira menstruação, pois Não é de hoje que a busca pelo ca- não voltem mais a ser como antes”. Já as o organismo não está completamente formado e ainda belo liso é obsessão entre as mulheres. Ter de chocolate, morango, açúcar e demais da podem ocorrer alterações”, justifica. um “cabelo perfeito” já era desejado no mesma família “nada mais são que trata- Para as mais jovens, ela aconselha que apenas tempo de nossas avós e mães, que utiliza- mentos cosméticos com formol, que agem “usem produtos de tratamento cosmético, bons xampus vam diversos truques, como pentes de ferro desidratando os fios, criando uma película e condicionadores, máscaras de tratamentos semanais e quentes, ferros de passar roupas, toucas e protetora na estrutura externa das cutículas, cremes sem enxágue”. grandes bobes para conseguir isso. Segundo conferindo um aspecto mais liso ao cabelo a cabeleireira Daniela Figueiredo, formada temporariamente”. CUIDADOS há 12 anos pelo Senac, isso se deve ao fato Por apresentar sérios riscos à saú- de que cerca de 80% das mulheres brasilei- de se usado de maneira incorreta, segundo Com relação à polêmica do formol, ras têm cabelos crespos e ondulados em ra- Daniela, a Vigilância Sanitária determina o a cabeleireira Daniela Figueiredo alerta que zão da miscigenação. uso máximo de 0,2% do produto. “Muitos “o uso incorreto do produto pode causar cri- “Esses cabelos costumam ser mais salões, porém, usam 10%, infringindo assim ses de asma, bronquite, labirintite e, em casos secos e rebeldes e isso causa um desconfor- todas as leis de segurança, visando apenas a extremos, levar à cegueira, causar atrofia da to muito grande na maioria das mulheres, lucratividade temporária”, comenta. papila dérmica, quando os fios já não crescem que decidem por tratamentos que lhes tra- mais, e também câncer de laringe, faringe, en- VAIDADE gam cabelos mais lisos e sedosos, brilhantes, tre outros”. com volume controlado” diz Daniela. Hoje A jovem Gabrielle dos Santos, 16 A recomendação para as meninas que em dia, a tecnologia aliou-se à química, o anos, começou a fazer estas escovas quan- querem se submeter ao processo é ve- que trouxe novas técnicas para o “cabelo do tinha 14 anos por achar que seu cabelo rificar se o estabelecimento é confiá- perfeito”. “Surgiram os alisamentos, esco- era “rebelde e dava trabalho”. “Optei por vel, com profissionais formados na vas definitivas, semidefinitivas, progressivas fazer a gradativa ao invés da progressiva por área e que busquem sempre se atualizar e as famosas escovas de chocolate, açúcar, achar que continha menos produtos quími- e estar dentro dos padrões exigidos pela marroquina, cristal, de morango e muitas cos e não agrediria meus cabelos”, conta. Anvisa. É importante também conhecer os outras”, explica. Hoje, a garota não sai de casa sem produtos a serem utilizados durante a rea- De acordo com Daniela, as defi- escovar os cabelos e passar chapinha. Deixa lização da escova para que não se corra o nitivas, semidefinitas e progressivas “são à muitas vezes de se divertir quando frequen- risco de ter problemas. base de amônia, que desestrutura e amo- ta piscinas e praias pelo comodismo de não lece as cutículas do cabelo, de forma que precisar secar seus cabelos quando voltar.
  12. 12. 12 Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo do ISCA Faculdades | Ano 9 Edição 54 Abr/2009 festa de arromba! Texto e Fotos: Que Fernanda Dias Néliane Simioni blicas de Limeira Dia de semana é sinônimo de agito em repú Lucro da festa chega a R$ 700 “Vejam só que festa de arromba, no outro dia eu fui parar...”, já dizia vendidos por R$ 1,50 o copo. Para entrar no local, era preciso pagar R$ 2 a Jovem Guarda. Quando chegamos à Avenida Cônego Manuel Alves, nº. com direito à pulseirinha para controle de entrada e saída. 708, por volta das 23h, não imaginávamos que iríamos encontrar gente no Na sala, as meninas dançavam até o chão embaladas ao som de funk portão esperando pela festa. Era quarta-feira, 18 de março, e a República dos para a alegria dos meninos. Pagode, axé e “psy trance” também fizeram parte Coyotes se preparava para agitar a noite dos estudantes de Limeira. do repertório musical da noite. Na casa, moram cinco universitários vindos de São Paulo, Salvador A paquera rolava solta. “No dia seguinte está todo mundo comen- e Rio de Janeiro, todos cursam Unicamp. Embalados pela nova experiência tando quem ficou com quem, é muito divertido”, conta Mariana Peruchi, de viver longe dos pais e dividir a casa com recém-conhecidos, os garotos estudante de Saneamento Ambiental do Centro Superior de Educação Tec- aproveitam esta fase para conhecer pessoas, estudar e, claro, festejar! nológica (Ceset – Unicamp). Ela acrescenta que nesses encontros em repú- “Nas festas, a galera tem a oportunidade de se conhecer melhor blicas as pessoas são mais maduras e diferentes, pois cada um vem de um fora da sala de aula, além de promover a interação entre ‘bixos’ e veteranos”, lugar e traz consigo uma cultura. diz Guilherme Bellangero, 20 anos, morador da república. A festa se arrastou até às 5h, até porque dali algumas horas os uni- Os meninos da Coyotes mandaram bem. A festa tinha DJ, banda versitários têm de encarar a maratona de aulas - e o pessoal garante que não de pagode, iluminação e serviço de bar. Cerveja, catuaba e refrigerante eram vai faltar.

×