História Propaganda CENP CONAR

1.216 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.216
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História Propaganda CENP CONAR

  1. 1. “História” da PropagandaProf. Victor Corte Realrealvic@gmail.comRef.: Pyr Marcondes
  2. 2. O anúncio• “Quem quiser cobrir o lance de 100$000 réis,que se dá pela Pescaria exclusiva da Alagoadenominada de Rodrigo de Freitas, dirija-se àcasa do Tesoureiro do Cofre de Pólvora”(A Gazeta do Rio de Janeiro, final séc. XIX)• Propaganda mediada• Objetivo diferente do jornalismo
  3. 3. O anúncio• Início séc. XX (art nouveau)– Texto: literatura, poesia, jornalismo– Arte: ilustrações, desenho, pintura• Deixa de ser mero classificado• Revistas fornecem importante contribuição
  4. 4. Agência de Propaganda• Eclética (São Paulo, 1913)• Anunciante nacional (produção própria)– Cervejaria Antarctica• Anunciantes internacionais– Mappin, Nestlé, Colgate-Palmolive, GE– Bayer (planejamento de campanha)– GM (departamento de propaganda)
  5. 5. Agência de Propaganda• 1930 Ford contrata agência americana Ayer– Eclética perde a conta• General Motors faz mesmo movimento– J.W. Thompson entra no país• Agências internacionais introduzem recursosfotográficos e profissionalismo
  6. 6. Rádio• Impacto ainda maior e mais rápido que amídia impressa – décadas de 1920 e 30• Propaganda ganha voz e audiência em massa• Primeiro, “leitura” sem graça• Depois, linguagem própria e criativa– Spots, jingles e patrocínio
  7. 7. Televisão• 22h 18.set.1950 – PRF-3 TV Tupi– Assis Chateaubriand (Diários Associados)• Viabilização depende dos anunciantes• Garota-propaganda• Ao vivo (incidentes e improvisos)• Competição comercial acirrada
  8. 8. Estereótipos• Galãs e rebeldes sem causa– Marlon Brando e James Dean• Brilhantina e rock n’ roll– Elvis Presley• Mesmo assim, ainda permanece o modelo da“dona-de-casa”...
  9. 9. Consolidação• 1º Congresso Brasileiro de Propaganda– 1957• Código de Ética da Profissão– 1960• Evolução TV e Rádio• Revistas “Manchete” e “O Cruzeiro”• Papel social da Publicidade
  10. 10. Anos Rebeldes• Década de 1960• Lua, satélites, shoppings e pílulas• Tropicália– Caetano Veloso (Alegria, alegria)• Jovem Guarda– Roberto Carlos
  11. 11. Anos Rebeldes• DITADURA MILITAR• Lei 4.680/1965– “Dispõe sobre o exercício da profissão dePublicitário e de Agenciador de Propaganda”– Regulamentação da profissão– Protecionismo e fortalecimento do setor– 20% sobre Mídia– 15% sobre Produção
  12. 12. Anos Rebeldes• Alex Periscinotto– Alcântara Machado e Periscinotto (Almap)– DUPLAS DE CRIAÇÃO• 1970 Brasil TRI Campeão– “Pra frente, Brasil”– “Brasil, ame-o ou deixe-o”– Propaganda e militares
  13. 13. Anos Rebeldes• 1972 TV em cores no Brasil• “Portáteis GE fazem suamulher durar muito mais”
  14. 14. Anos Rebeldes• “A propaganda tem o poder dealienar as pessoas, desinformar,anestesiar, esterilizar e imbecilizar asmassas. Criamos desejos. É precisoque nos preocupemos em como aspessoas podem satisfazê-los”Pedro Galvão (1º Encontro Nacional de Criação)
  15. 15. Anos Rebeldes• “Num país de pouca gente rica, um grandenúmero de pobres e uma enorme quantidadede miseráveis, a propaganda é um instrumentode desagregação social. Os publicitários devemacabar com a fantasia de que são cavalheiros daprosperidade, quando são, na verdade,jagunços do poder econômico”Julio Ribeiro (3º Congresso Brasileiro de Propaganda, 1978)
  16. 16. LEGISLAÇÃO• 1978/80 CONAR – Conselho Nacional deAutorregulamentação Publicitária• 1997 quebra da Lei 4.680/1965– “Desregulamentação”• 1998 CENP – Conselho Executivo de NormasPadrão
  17. 17. LEGISLAÇÃO• Não tem “poder de polícia”• Não aplica multas• Tem a função de orientar, esclarecer e educarpráticas comerciais saudáveis entre agências,veículos e anunciantes
  18. 18. LEGISLAÇÃO• 2.5.1 - Toda Agência que alcançar as metas dequalidade estabelecidas pelo CENP, (...)habilitar-se-á ao recebimento do “Certificadode Qualificação Técnica”, (...) e fará jus ao“desconto padrão de agência” não inferior a20% (vinte por cento) sobre o valor dosnegócios que encaminhar ao Veículo porordem e conta de seus Clientes.
  19. 19. LEGISLAÇÃO• 2.5.2 - O “Certificado de Qualificação Técnica”será válido pelo período de 1 (um) a 5 (cinco)anos, a critério do CENP, e sua renovaçãoatenderá ao disposto no item 2.5.3 destasNormas-Padrão.
  20. 20. LEGISLAÇÃO• 2.5.3 - Serão requisitos obrigatórios parapleitear a certificação que a Agência disponha,em caráter permanente, de estruturaprofissional e técnica, bem como de umconjunto mínimo de informações e dados demídia (...).
  21. 21. LEGISLAÇÃO• 2.7 - É facultado à Agência negociar parcelado “desconto padrão de agência” com orespectivo Anunciante, observados ospreceitos estabelecidos nos itens 3.5 e 4.4destas Normas-Padrão.
  22. 22. LEGISLAÇÃO• Atende a denúncias de consumidores,autoridades, dos seus associados ou aindaformuladas pela própria diretoria• Fiscaliza, julga e delibera no que se relaciona àobediência e cumprimento do CódigoBrasileiro de AutorregulamentaçãoPublicitária
  23. 23. LEGISLAÇÃO• A recomendação do Conselho, poderádeterminar a alteração do anúncio ou impedirque ele venha a ser veiculado novamente.• A decisão poderá, ainda, propor a Advertênciado Anunciante e ou sua Agência e,excepcionalmente, a Divulgação Pública dareprovação do CONAR.
  24. 24. LEGISLAÇÃOResultados em 2009

×