éTica e educação empresarial e profissional ii

508 visualizações

Publicada em

R Gómez Consultor
Apresentado por R Gómez
Graduado em Administração de Empresa
Especializado em Gestão Empresarial
Com habilidades em: Administração geral, supervisão geral, gerência, direção, acessória empresarial, processos empresariais, gestão estratégica, qualidade organizacional, custos, gestão financeira, gestão de pessoas, gestão de serviços, logística, produção, marketing, inovação, recrutamento de pessoas, Recursos Humano (RH), gestão do conhecimento, representação comercial, relações de comércio exterior, aplicação da psicologia positiva, palestra motivacional e comportamental.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
508
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

éTica e educação empresarial e profissional ii

  1. 1. ÉTICA E EDUCAÇÃO EMPRESARIAL E PROFISSIONAL Apresentado por R Gómez Graduado em Administração de Empresa Especializado em Gestão Empresarial Com habilidades em: Administração geral, supervisão geral, gerência, direção, acessória empresarial, processos empresariais, gestão estratégica, qualidade organizacional, custos, gestão financeira, gestão de pessoas, gestão de serviços, logística, produção, marketing, inovação, recrutamento de pessoas, Recursos Humano (RH), gestão do conhecimento, relações de comércio exterior, aplicação da psicologia positiva, palestra motivacional e comportamental.
  2. 2. Introdução  Há de se perguntar por que se tem falado tanto em ética. Por que a ética tem aparecido como uma das estratégias não apenas de sobrevivência, mas, sobretudo, de expansão dos negócios? O presente estudo pretende explicitar esta recente relação de parceria entre dois domínios aparentemente incompatíveis:  o do lucro e o da educação das vontades. A ética, nesta perspectiva, a ideia é demonstrar que a ética nem sempre deve ser entendida como ameaça ou obstáculo, mas como alavanca para o sucesso das empresas.
  3. 3.  A ética na empresa pode ser definida como transparência nas relações de trabalho e como principio norteador da conduta humana. O ser humano é o único ser capaz de pensar e agir. Porém pensar bem e agir adequadamente são características exclusivas de pessoas éticas, comprometidas consigo mesma, com os outros e com o meio onde estão inseridas.
  4. 4. Comentário  Não há empresa no cenário contemporâneo com pretensões de aumento de sua competitividade, que escolha tratar a ética não como aliada, mas como adversária. Certamente não há uma causa única e explicativa deste movimento em torno da ética, mas é provável que a concorrência entre empresas, aliada às crescentes exigências de clientes cada vez menos tolerantes com abusos, estejam forçando as empresas a levar em conta este tema.  Diante de clientes exigentes, as empresas pensam bastante antes de oferecer bens ou serviços que maculem negativamente suas imagens. Ao perceberem que não podem ser abusivas em relação aos clientes, as empresas estão introduzindo a ética em suas práticas.
  5. 5.  O novo líder obriga-se a atuar eticamente. Sua atuação está cada vez mais condicionada à necessidade de construir energias unificadoras, interna e externamente às organizações. Após a inevitável contextualização, são apresentadas, pois a através da ética empresarial são apresentadas algumas conceituações contemporâneas e caracterizações da ética como fator de produção. Nas considerações finais, ficam evidenciadas algumas posições afirmativas diante do encontro cada vez mais vigoroso da economia com a ética.  Entendemos então, que é extremamente importante saber diferenciar a Ética da Moral e do Direito. Estas três áreas de conhecimento se distinguem, porém têm grandes vínculos e até mesmo sobreposições. Tanto a Moral como o Direito baseia-se em regras que visam estabelecer uma certa previsibilidade para as ações humanas. Ambas, porém, se diferenciam.
  6. 6.  A Moral estabelece regras que são assumidas pela pessoa, como uma forma de garantir o seu bem-viver. A Moral independe das fronteiras geográficas e garante uma identidade entre pessoas que sequer se conhecem, mas utilizam este mesmo referencial moral comum.  Percebemos também que, a Ética é o estudo geral do que é bom ou mal, correto ou incorreto, justo ou injusto, adequado ou inadequado. Um dos objetivos da Ética é a busca de justificativas para as regras propostas pela Moral e pelo Direito. Ela é diferente de ambos - Moral e Direito - pois não estabelece regras.
  7. 7.  Esta reflexão sobre a ação humana é que caracteriza a Ética; pois a Ética é o conjunto de normas morais pelas quais um indivíduo deve orientar seu comportamento. A Ética é importante em todas as alas da sociedade, e para todo ser humano, para que todos possam viver bem em sociedade.  Todos os códigos de ética profissional trazem em seu texto a maioria dos seguintes princípios: honestidade no trabalho, lealdade na empresa, alto nível de rendimento, respeito à dignidade humana, segredo profissional, observação das normas administrativas da empresa e muitos outros.
  8. 8.  O Código de Ética é um instrumento criado para orientar o desempenho das empresas em suas ações e na interação com seus públicos. Para que haja um envolvimento maior, é importante que a empresa faça um código de ética bem objetivo, para facilitar a compreensão dos seus colaboradores.  Além das empresas, a maioria das profissões possuem seu próprio Código de Ética, principalmente em áreas da saúde onde envolve muitas questões éticas como vida, morte, que é o caso de médicos, enfermeiros, psicólogos e etc.
  9. 9. Sf. Palavra de origem latina: mor, mores. Refere-se aos costumes e a tradições específicas de cada povo ou grupo social. Daí temos: moral cristã, moral pública etc. Diz respeito às atividades humanas do ponto de vista do bem /do mal, do certo/errado, do correto/incorreto; Refere-se à capacidade e ao livre arbítrio. Ao orientar-se conforme regras de condutas em relação aos outros.
  10. 10.  Sf. Palavra de origem grega: ethos. Nasceu da filosofia, designando a morada humana. A ética é mais abrangente que a moral e é aberta a transformações.  Não basta ser apenas morais, apegados a valores das tradições. Isso nos faria moralistas e tradicionalistas, fechados sobre nosso sistema de valores.  Sermos éticos, quer dizer, abertos a valores que ultrapassam aqueles do sistema tradicional ou de alguma cultura determinada.  Comportamento real dos indivíduos em relação as regras (morais).
  11. 11.  Conjunto dos princípios morais fundamentais do certo ou errado, é a maneira pela qual o ser humano se conduz no desempenho de suas funções, obedecendo os princípios que regem a moral, o respeito, o conhecimento, o sigilo profissional, o relacionamento e a caridade humana.
  12. 12. “para que haja conduta ética é preciso que exista o agente consciente, isto é, aquele que conhece a diferença entre bem e mal, certo e errado, permitido e proibido, virtude e vício” (CHAUÍ, 1997, p. 337).
  13. 13. -Transmissão de valores culturais, religião, regras de sociais de convívio. -A importância da família para a solidificação da sociedade. -Educação é hábito assim como o gosto pelo bem vem do hábito. Está ligada aos conceitos de felicidade; dignidade humana; essência substancial; prudência; cuidado; respeito; polidez; limite; responsabilidade. regulação dos comportamentos que provêm do indivíduo.
  14. 14.  A Ética de nossa sociedade e a Ética empresarial são inseparáveis, algumas vezes indistinguíveis. Nossas preocupações diárias com a eficiência, competitividade e lucratividade não podem prescindir de um comportamento ético.
  15. 15.  Ética: regulação dos comportamentos que provêm do indivíduo.  Moral: é um conjunto de regras, valores e proibições, vindas do exterior do homem.  Costumes: são formas de pensar e de viver no seio de um grupo. Regem-se por regras informais e não escritas.  Direito: tal como a Ética, tem um caráter obrigatório e normativo, sendo regulador das relações humanas.
  16. 16.  Ética da convicção é apoiada nos valores morais,  Busca a verdade absoluta,  É autoritária, exclui o diferente, massifica os sujeitos.  Favorece o processo de imaturidade nos relacionamentos.  Próxima da violência.
  17. 17.  É considerada como a única ética válida – favorece o dinamismo da vida e a subjetividade.  É reflexiva, busca o estabelecimento de laços, pois envolve o agente, a ação e a finalidade da ação, facilita a abertura para o novo, o criativo, o diferente.  Pressupõe a análise crítica dos valores morais.
  18. 18. Reflexão Conta-se que num país, há muito tempo, um rei, pressentindo seu fim, chamou seus súditos para lhe responderem 3 perguntas, prometendo grandes honrarias àquele que desse respostas perfeitas: - Qual é o lugar mais importante do mundo? - Qual é a tarefa mais importante do mundo? - Qual é o homem mais importante do mundo?
  19. 19.  Doutores e ignorantes, ricos e pobres responderam às 3 perguntas, mas nenhuma satisfez o rei. Por fim, faltava ouvir o velho sábio, que não respondera por que não lhe interessavam as honrarias. Os emissários do rei foram enviados para que obtivessem as suas respostas, e ele as deu:
  20. 20. 1- O lugar mais importante do mundo é onde você está, porque ali está seu ser, de modo que ali você pode viver a sua vida plenamente, com todas as suas potências; 2- A tarefa mais importante do mundo é a que você deve fazer. E repensou: a que você deve, e não a que quer. 3- O homem mais importante do mundo é aquele que precisa de você, porque é ele que dá a ocasião de exercitar a virtude mais bela: a caridade”
  21. 21.  Ferramenta, criada por Joseph Luft e Harrington Ingham em 1955, que tem como objetivo auxiliar no entendimento da comunicação interpessoal e nos relacionamentos com um grupo.  A palavra Johari, tem origem na composição dos prenomes dos seus criadores: Jo(seph) e Hari(Harrington -1955).
  22. 22.  1. IMAGEM ABERTA OU SERENA  Eu sei quem sou e os outros também.  É a parte da janela que mostra a parte fundamental do nosso relacionamento com os outros, porque somos capazes de revelar- nos conscientemente.  Esta parte se abre na medida em que a confiança e a verdade aumentam. Informações pessoais são compartilhadas. É a troca livre e aberta de informações: quando você conversa com um amigo, sobre algo particular ou íntimo, faz um desabafo relatando fatos.
  23. 23. ◦ 2- IMAGEM CEGA OU OLHAR DOS OUTROS.  É o que não percebemos de nós mesmos mas que os outros percebem. O que os outros pensam de nós e não sabemos.  Os outros também tiram conclusões a nosso respeito e não revelam com medo de magoar-nos ou até porque, às vezes, não permitimos.  É difícil aceitar críticas, sugestões sobre o nosso modo de ser.  Não aceitamos que os outros se intrometam em nossa vida. Mas, quando aceitamos, a ajuda dos outros é sempre bem vinda, principalmente quando eles enxergam coisas que não conseguimos perceber. As pessoas bem sucedidas sempre souberam ouvir os outros.
  24. 24.  3. IMAGEM SECRETA OU FACHADA  É o que sabemos de nós mesmos mas não revelamos: é nossa parte secreta, a nossa intimidade.  São aquelas coisas que pensamos ou fazemos e que não queremos revelar por medo, por segurança, por vergonha e que temos medo de que os outros saibam e podem nos condenar, nos dominar e até cortar o relacionamento conosco.
  25. 25.  4. IMAGEM DESCONHECIDA OU SUBTERRÂNEA  É a parte desconhecida de nós e dos outros.  É tudo o que se passou em nossa história e que está inconsciente e que ainda não foi explorado.
  26. 26.  A candidatura  Tempo de aplicação:25 minutos  Atitudes:Relacionamento interpessoal, Comunicação, Criatividade, Auto- desenvolvimento e Auto-confiança  .Procedimento1. Divide-se o grupo em equipes  Cada equipe deve escolher um candidato para determinada missão. Por exemplo, ser presidente da associação de moradores,  Cada participante coloca no papel as virtudes que vê naquela pessoa indicada para o cargo e como se deveria fazer a propaganda de sua candidatura.  A equipe coloca em comum o que cada um escreveu sobre o candidato e faz uma síntese de suas virtudes. Prepara a campanha eleitoral e, dependendo do tempo disponível, faz uma experiência da campanha prevista.  Ao término, a equipe avalia a dinâmica e o candidato diz como se sentiu.  Explicam porque atribuíram determinadas virtudes e como se sentiram na campanha eleitoral.  Objetivos: Expressar de maneira simpática o valor que têm as pessoas que trabalham conosco. 
  27. 27. Diante de tais considerações, o profissional: 1. Sabe qual a sua função? 2. Tem consciência de quais competências lhe são exigidas? 3. Sabe como deve agir no exercício de sua função?
  28. 28. - Cuidar de sua apresentação pessoal; - Comunicar-se corretamente; - Aprender ouvir os outros; - Melhorar o vocabulário; - Nunca insultar ou gritar; - Evitar violência; - Oferecer informações; - Praticar a Ética Profissional.
  29. 29.  Honestidade enquanto ser humano e profissional;  Perseverança na busca de seus objetivos e metas;  Conhecimento Geral e Profissional para oferecer segurança na execução das atividades profissionais;  Responsabilidade na execução de qualquer tarefa;  Iniciativa para buscar solucionar as questões apresentadas;
  30. 30.  Imparcialidade na execução do trabalho e na apresentação de resultados e sugestões;  Atualização constante e contínua;  Trabalho em Grupo de modo que seja construído um espírito de equipe;  Eficîência em fazer um trabalho correto, sem erros e de boa qualidade;  Eficácia é fazer um trabalho que atinja totalmente um resultado esperado;
  31. 31.  Ambição na busca de crescimento pessoal e profissional;  Controle emocional nos relacionamentos pessoal e profissional para que ocorra a administração de conflitos;  Relacionamento Interpessoal baseado na compreensão, ajuda mútua, respeito e consideração;  Postura Profissional privilegiando as boas maneiras, a boa educação, a comunicação adequada, os bons hábitos e a boa aparência.
  32. 32. - Chamar o outro pelo nome; - Usar linguagem clara que facilite a compreensão; - Falar pausadamente e em tom normal; - Perguntar objetivamente e com clareza; - Ouvir as respostas com atenção e sem fazer interrupções;
  33. 33. -Sintetizar o que ouviu; -Dar respostas adequadas às perguntas do interlocutor; -Olhar nos olhos, braços soltos, movimentos leves com as mãos; -Ao lidar com público, manter um sorriso cordial.
  34. 34.  O avanço tecnológico, o crescimento vertiginoso da informação e dos meios de comunicação, a cibernética têm construído novas percepções e novos espaços para atuação profissional.
  35. 35. Afinal... O profissional precisa mudar a sua postura diante da organização e passar de ação passiva para uma ação pró-ativa.
  36. 36. Chamar para si as responsabilidades, de uma a profissão pautada no respeito, no conhecimento, no sigilo profissional, no relacionamento interpessoal e interprofissional e na caridade humana.
  37. 37.  O trabalho em equipe é um processo baseado em princípios e valores que estão claramente definidos.  O verdadeiro trabalho em equipe é um processo contínuo interativo de um grupo de pessoas aprendendo, crescendo e trabalhando interdependentemente para alcançar metas e objetivos específicos no suporte a uma missão comum.
  38. 38. E não esqueça: Sorria... Sempre!!! É um conjunto de pessoas praticando atividades comuns, com objetivos idênticos, porém individualizados. Grupo É um conjunto de pessoas que oferecem suas competências e conjugam seus esforços para fazerem coisas que são da responsabilidade de todos, visando obter resultados comum através da interatividade. Equipe
  39. 39.  Compreender o papel e a responsabilidade de cada um.  Somente julgar baseando-se em fatos.  Colaborar com os outros membros da equipe.  Priorizar o objetivo da equipe acima dos pessoais.  Fazer o esforço necessário para a realização do grupo.  Compartilhar informações abertamente.  Demonstrar padrões altos de excelência.  Apoiar decisões do grupo.  Responder construtivamente ao feedback dos outros.  Ter um senso de autocrítica.
  40. 40.  Eleger um líder.  Criar com sua equipe uma forma de reforço.  Valorizar todos e todas as etapas de um trabalho.  Criar um sistema de rodízio de tarefas.  Despertar a motivação da sua equipe.  Criar espaço para que as pessoas possam se expressar.  Praticar a delegação.  Aprender a dar “feedback” de forma adequada.
  41. 41.  Mostrar comprometimento pessoal perante o objetivo da equipe.  Ser justo e imparcial com os membros da equipe.  Estar disponível para enfrentar e resolver assuntos associados com o desempenho de alguns membros.  Estar aberto a novas ideias dos membros da equipe.  Não enfraquecer esforços da equipe com prioridades excessivas.  Manter o objetivo, metas, e abordagens relevantes e significativas.  Formar comprometimento e confiança.  Administrar relacionamentos, incluindo remoção de obstáculos.  Criar oportunidades para o grupo.  Fazer um trabalho real que agregue valor.
  42. 42. Estamos sempre fazendo apreciações sobre o que vemos, o que fazemos, o que ouvimos, o que nos interessa e o que nos desagrada. Praticamos avaliação quando estamos: Em uma fila de banco ou supermercado: para alguns o atendimento é rápido, para outros lento; Fazendo compras: analisamos os preços, comparamos, pechinchamos e decidimos pela compra de algo; Ao assistir um programa de televisão: comentamos a atuação dos atores, sobre suas roupas e temas debatidos.
  43. 43.  Romão disse a um ratinho que ia passando por perto dele: “Pare aí. Temos já de ir ao juiz. Quero te acusar”. “Vamos”, respondeu o ratinho. “A consciência de nada me acusa e saberei defender-me”. “Muito bem”, disse o gato. “Aqui estamos diante do senhor juiz”. “Não o vejo”, disse o ratinho. “O juiz sou eu”, disse o gato. “E o júri?”, perguntou o ratinho. “ O júri também sou eu”, disse o gato. “ E o promotor?”, perguntou o ratinho. “O promotor também sou eu”. “Então você é tudo?”, disse o ratinho. Sim, porque sou o gato. Vou acusar você, julgar você, e comer você”.  Lewis Carrol
  44. 44.  Você já observou elefante no circo?  Antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo.  A estaca é só um pequeno pedaço de madeira.  Parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir.  Que mistério!!!  Por que o elefante não foge?  Perguntei a um adestrador e ele  Me explicou que o elefante não escapa porque está adestrado.  Fiz então a pergunta óbvia:  * Se está adestrado, por que o prendem?  Descobri que, o elefante do circo não escapa, porque foi preso à  Estaca ainda muito pequeno.  Prof. Damásio de Jesus
  45. 45.  Para se conseguir a excelência no trabalho, é preciso considerar as quatro dimensões da experiência humana:  A dimensão intelectual, que almeja a Verdade  A dimensão estética, que almeja a Beleza  A dimensão moral, que almeja a Bondade  A dimensão espiritual, que almeja a Unidade
  46. 46.  A ética revela que nossas ações têm efeitos na sociedade e que cada homem deve ser livre e responsável por suas atitudes  A responsabilidade moral exige a necessidade de o homem decidir de forma livre e autônoma
  47. 47. Conclusão  As ideias trazidas para reflexão nessa estudo tem a preocupação de contribuir um pouco para a compreensão de quais foram os elementos centrais na constituição do espírito moderno de fazer ciência, Ética e apontando um percurso que podemos utilizar para pensarmos as questões educacionais.  A educação também é uma ciência ou, pelo menos, adota procedimentos próprios da atividade científica e que ambas tem o objetivo de nortear a conduta humanas.

×