Cirurgias de pescoço

3.372 visualizações

Publicada em

ok

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cirurgias de pescoço

  1. 1. TireoidectomiaParatireoidectomiaTraqueostomiaCricotireoidotomiaTraqueoplastiasRessecções de cistos
  2. 2. Anatomia Gl. Tireóide. Correlaciona-se com traquéia, laringe e glandulas paratireoidéias. M. Esternocleidomastoideo. Nervos laringeo recorrente. Vascularização: art. Tireoidiana sup. (Carótida Ext) art. Tireoidiana inf. (T. Tireo-cervical) vei. Tireoidiana sup. (V. Jug. Interna) vei Tireoidiana med. (V. Jug. Interna) vei. Tireoidiana inf. (V. inominada)
  3. 3. Indicações. Estabelecer diagnóstico de massa. Remover tumores benignos e malignos. Tratamento de tireotoxicose. Aliviar sintomas de compressão
  4. 4. Técnica. Incisão cervical 1 a 2 cm acima da clavícula. Elevação retalho superior (dissecção) e abaixar inferior. Dissecção entre músculo platisma e fáscia. Incisão fáscia cervical linha média, desde margem superior cartilagem tireóide até manúbrio. Retração e divisão músculos esterno-hioideo e esternotireóideo. Dissecção digital da tireóide e fáscia adjacente. Ligadura veias tireoidianas médias. Isolar nervo laringeo superior do polo superior e ligar vasos. Dissecar lobo inferior até identificar artéria tireoidiana inferior e nervo laringeo recorrente. Ligar artéria próximo ao lobo para assegurar vascularização paratireóides.. Dreno de sucção contínua
  5. 5. Cuidados:Hematoma cervicalNervo laringeo recorrente: paralisia cordas vocaisParatireoides: hipocalcemiaa) parestesia perioral e corporalb) ansiedadec) Sinal de Chvostek: contração músculos faciais após leve toque sobre n. faciald) Sinal de Trousseau: compressao arterial acima P.S. leva em 3 min espasmo carpal
  6. 6. Anatomia e FisiologiaLocalizam-se geralmente nos cornos da tireóideVariam de 2 até 8, em geral 4.Vascularizadas por ramos artérias tireoidianasSecretam Paratormônio - estimula osteoclastos hipercalcemiante
  7. 7. Indicações• Adenomas paratireoidianos• Hiperparatireoidismo primário caso apresentem sintomas ósseos ou renais• Úlcera péptia secundária ao hiperparatireoidismo• Pancreatite secundária ao hiperparatireoidismo• Tanto maior a urgência quanto maior o nível de cálcio
  8. 8. Técnica Cirúrgica• Incisão e dissecção como tireoidectomia• Secção art. tireoidiana média• Localização paratireóides: laringeo recorrente x art. tireoidiana inf.• Ligar vasos e ressecar a glândula• Paratireoidectomia subtotal x adenomectomia
  9. 9. Complicações:• Hemorragia• Lesão n. laringeo recorrente• Hipoparatireoidismo• Doença persistente
  10. 10. • Traquéia órgão impar que conduz ar.• Aproximadamente 10 a 11 cm extensão• Faz a união vias aéreas altas• Vascularização: Traquéia cervical: Art. Tireoidiana inferior Traquéia torácica: Porção alta - diversas ramos Porção distal - bronquiais
  11. 11. Indicações• Permitir ventilação mecanica prolongada• Para passar uma obstrução de vias aéreas altas - trauama maxilofacial ou laringotraqueal - grandes tumores orofaringeos - procedimentos cabeça e pescoço - corpo estranho via aérea superior - paralisia corda vocal bilateral - edema de glotis• Proteger via aérea de aspiração• Permitir acesso direto para melhor toilete pulmonar
  12. 12. Técnica• Incisão transversa de 3 a 5cm a 1-2cm do esterno• Dissecção dos músculos através da linha média, até chegar a glândula tireóide• Afastamento da glândula tireóide, ou secção do ístimo tireoidiano• Abertura da fáscia pré-traqueal• Abertura da traquéia a nivel de 2-3 anéis em “U” invertido, em cruz, longitudinal, circulo• Fizar traquéia a subcutâneo (vicryl 3-0)• Colocação cânula apropriada
  13. 13. VariçõesMinitraqueostomiaTraqueostomia percutâneaTraqueostomia transesternal
  14. 14. Complicaçõesa) Imediatas hemorragia, laceração traqueal, fístula traqueoesofágica, tubo mal colocado, pneumotórax, PCRb) Precoces hemorragia, abcesso ou celulite, emfisema subcutâneo, obstrução tubo, mal posição tubo.c) Tardias fístula traqueo-arterial, fístula traqueo-esofágica, estenose traqueal, malacia traqueal, fístula traqueo-cutânea persistente
  15. 15. ComplicaçõesFístula traqueo-esofágicaEndoscopia digestiva
  16. 16. Abertura da membrana cricotireoideaEntre cartilagens tireóide e cricóideIndicada:necessidade de via aérea com extrema urgênciaTécnica:incisão de pele e posteriormente da membranaintrodução da cânula (preferentemente pequena)
  17. 17. Vantagens:rapidez, proximidade membrana à pele, ausênciaestruturas importantes.Desvantagens;25% de complicações15% disturbios da voz4% estenose subglótica importante
  18. 18. IndicaçõesTumores de traquéia - benignosEstenose traquealMalácia traqueal
  19. 19. Técnica• Incisão cervical 1 a 2 cm acima da clavícula• Elevação retalho superior (dissecção) e abaixar inferior• Dissecção entre músculo platisma e fáscia• Retração e divisão músculos esterno-hioideo e esternotireóideo• Secção do ístimo da tireóide, separando a mesma• Dissecção da traquéia pelo plano da fáscia pré-traqueal• Isolar esôfago• Identificar lesão e seccionar extremo inferior, colocando IT• Dissecar restante da traquéia lesionada e extirpar-la• Anastomose T-T com pontos soltos de Vicryl 3-0• Fixar mento ao esterno
  20. 20. ComplicaçõesFalho de suturaHematomaInfecção local
  21. 21. Cisto Tireoglosso• persistencia trajeto tireóide• mais comum na linha média• movem-se ao ingerir salivaCisto Sebáceo• mais frequente em homens• por todo o pescoço
  22. 22. Técnica• Em geral são superficiais• Ressecção através de incisão do local da lesão e dissecção do cisto

×