Historicidade continente africano

1.869 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.869
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historicidade continente africano

  1. 1. O Continente Africano BREVE HISTÓRICO 8o.Ano – Profa. Raquel P. R. de Avila
  2. 2. Origem das civilizações <ul><li>Assim como a América do Sul e Central e Ásia, a África também foi colonizada pelos europeus(colônias de exploração). </li></ul><ul><li>A divisão do continente para exploração ocorreu na Conferência de Berlim, na Alemanha em 1885 (fizeram parte Inglaterra, França, Bélgica, Alemanha, Itália, Portugal e Espanha).  </li></ul>
  3. 3. <ul><li>No início do século XX, somente a Libéria havia alcançado a independência política em todo continente comprovando o grau de dependência em relação às metrópoles e também o nível de atraso em desenvolvimento tecnológico, industrial e econômico em comparação aos outros continentes. </li></ul><ul><li>O processo de independência das colônias em relação às metrópoles européias é denominado historicamente como descolonização. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Um dos fatores que mais favoreceu o processo de descolonização da África foi sem dúvida a Segunda Guerra Mundial que ocorreu na Europa entre 1939 e 1945 (declínio econômico) -  perdendo o controle sobre os territórios de sua administração.  </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Associado a guerra, surgiram grupos e movimentos que lutavam em busca da independência – LIBERDADE, por todo o continente por vários anos. </li></ul><ul><li>Posteriormente, o resultado foi a restituição dos territórios e surgimento de pelo menos 49 novas nações africanas. </li></ul><ul><li>Após de longas décadas de lutas para alcançar a autonomia política e econômica, hoje a África conta 54 países independentes, sendo 48 continentais e 6 insulares, 4 províncias (territórios nacionais) e mais de 10 territórios estrangeiros. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Ao analisar a África destacando suas características culturais, compreende-se uma divisão bem diferente da anterior: </li></ul><ul><li>África  “branca”  (cultura árabe) e </li></ul><ul><li>África  “negra” (culturas locais). </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Isto é possível em virtude da influência que a região norte da África (árabe) sofreu da ocupação dos povos do Oriente Médio (Ásia) durante os tempos, tendo como resultado um espaço totalmente adverso da África “negra”, sendo esta última caracterizada pelas culturas regionais provindas de milenares tribos africanas. Também é possível destacar a própria cor da pele dos africanos nessas duas regiões: os descendentes de árabes possuem uma tez clara, em grande parte, enquanto que os africanos relacionados com as culturas tribais já têm uma cor mais negra. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Divisão Sócio-Econômica da África </li></ul><ul><li>África “branca” </li></ul><ul><li>Argélia, Dijbuti, Egito, Eritréia, Etiópia, Líbia, Mali, Marrocos, Mauritânia, Níger, Saara Ocidental, Somália, Sudão e Tunísia. </li></ul><ul><li>África “negra” </li></ul><ul><li>Benin, Burkina Faso, Cabo Verde, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Libéria, Nigéria, Senegal, Serra Leoa, Togo, Camarões, Congo, Gabão, Guiné Equatorial, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, Chade, Burundi, Quênia, Ruanda, Tanzânia, Uganda, África do Sul, Angola, Botsuana, Lesoto, Madagascar, Malauí, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Zâmbia e Zimbábue </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  9. 10. Descolonização Mudanças Permanências <ul><li>Ruptura com um passado de exploração econômica e opressão política </li></ul><ul><li>Dependêncoa de tecnologias e capitais externos </li></ul><ul><li>Quebra do mito de inferioridade natural dos africanos </li></ul><ul><li>Enorme falta de profissionais (mão-de-obra especializada) </li></ul><ul><li>Busca de um modelo político-econômico adaptado às culturas desses países e luta para combater os altos índices de analfabetismo </li></ul><ul><li>Economias baseadas (sobretudo) nas exportações de produtos agrícolas e/ou minerais </li></ul>
  10. 11. O apartheid
  11. 12. Nelson Rolihlahla Mandela <ul><li>Foi um líder rebelde e, posteriormente, presidente da África do Sul de 1994 a 1999. Principal representante do movimento anti-apartheid, considerado pelo povo um guerreiro em luta pela liberdade, era tido pelo governo sul-africano como um terrorista e passou quase três décadas na cadeia. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>“ Seja qual for o castigo que sua crença considera justo para me impôr pelo crime pelo qual fui condenado ante esta corte, tenha certeza de que quando minha sentença for completada, ainda serei compelido pelo o que os homens sempre são; pela CONSCIÊNCIA ”. </li></ul><ul><li>No decorrer dos 27 anos que ficou preso, Mandela se tornou de tal modo associado à oposição ao apartheid que o clamor &quot;Libertem Nelson Mandela&quot; se tornou o lema das campanhas anti-apartheid em vários países. </li></ul><ul><li>Nelson Mandela e Frederik de Klerk dividiram o Prêmio Nobel da paz em 1993. </li></ul><ul><li>Após o fim do mandato de presidente, em 1999, Mandela voltou-se para a causa de diversas organizações sociais e de direitos humanos. Ele recebeu muitas distinções no exterior, incluindo a Ordem de St. John, da rainha Elizabeth 2ª., a medalha presidencial da Liberdade, de George W. Bush, o Bharat Ratna (a distinção mais alta da Índia) e a Ordem do Canadá. </li></ul><ul><li>A comemoração de seu aniversário de 90 anos foi um ato público com shows, que ocorreu em Londres, em julho de 2008, e contou com a presença de artistas e celebridades engajadas nessa luta. </li></ul>

×