Palestra robsão

322 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra robsão

  1. 1. Storytellers 50anos movendo marcase opaís Thursday, November 10, 11 Storytelling é sobre contar histórias. Uma arte tão antiga quanto a história do homem. Sherahzade e as 1001. Sempre terminando cada episódio com uma ponto alto, a trama em suspensão, lacunas de informação, pontas a serem amarradas. O mesmo sistema das novelas e das minisséries. Por isso dizer que não gosta de novela de tv aberta e acompanhar religiosamente um seriado em tv à cabo é um contrasenso. Contar histórias. E histórias sao sobre metáforas. Geração de significar, criar um estado de crença intimo e pessoal. E uma das pessoas que mais entendiam de storytelling e construção de plataformas transmídia era o Presidente Roosevelt.
  2. 2. Ondeentrarem nossosfilmes, entrarãotambém nossosprodutos. FranklinD.Roosevelt Thursday, November 10, 11 Gerar significado, para gerar valor e garantir a venda. Criar conexão emocional, memória afetiva, empatia nostágica., saudades do que não viveu. A indústria do entretenimento dos EUA, também é o grande vendedor dos produtos do país. Nos somos brasileiros de memória afetiva nostálgica americana. Isso faz com que a gente tenha saudades do que não viveu, mas que pode reviver através de produtos.
  3. 3. Thursday, November 10, 11 Por coincidência ou consequência, algumas das marcas mais importantes internacionais vieram para o Brasil nas décadas de 30 e 40, décadas de ouro da produção de clássicos do cinema. Histórias vendem ideologias, estilos de vida e produtos. As histórias se constroem em camadas de metáforas. E o que são metáforas?
  4. 4. Metáforassãoas lentescomque interpretamos omundo. Elasdãocontornos atudoquesentimos epensamos. Dr.GeraldZaltman Thursday, November 10, 11 Metáforas são as lentes com as quais interpretamos e sistematizamos o mundo que percebemos. Elas dão contornos a tudo que pensamos, sentimos e entendemos. Isso significa que nós exploramos, processamos e organizamos o mundo à nossa volta por analogia, por correlação.
  5. 5. Usamosem médiacinco metáforaspor minutoem nossasconversas cotidianas. Dr.GeraldZaltman Thursday, November 10, 11 Q:Tudo jóia? A:Beleza. Q:Como é que tá a luta? A: Correndo atrás, garantindo o leitinho das crianças. E se as metáforas são a forma mais corriqueira, familiar e eficiente de expressão, as marcas também conversam com o consumidor dessa forma. Na verdade, uma marca já é uma metáfora por definição. E o que é marca, dentro desse contexto de histórias e metáforas?
  6. 6. Marcaéumafusão metafóricaentreas históriasqueas pessoastêmde umprodutoesuas própriashistórias. Dr.BobDeutsch Thursday, November 10, 11 A convergência entre os significados que as marcas geram em nós e como nós percebemos a vida. É uma mecanismo de projeção, de se enxergar em um espelho, só que ele reflete uma imagem idealizada, não necessariamente o que somos, mas o que queremos ser e como queremos ser vistos.
  7. 7. Storytelling Cultural Movement Thursday, November 10, 11 Hoje em dia se fala muito em storytelling. E nós vamos ver exemplos aqui onde eu pego o nome das novas disciplinas ligadas à storytelling, mas usando cases de 50, 40 anos atrás. Esse distanciamento vai permitir a gente analisar com isenção a força dessas ações e a relevância como modelo para os dias de hoje. Vamos falar sobre um movimento que surgiu em plena ditadura, por decorrência de uma Proibição dos Jogos de Futebol. Buraco na Programação. Alguns visionários, homens de comunicação e música, alguns deles ligados à Bossa Nova inclusive, criaram e produziram um programa que seria mais do que a grandore expressão do comportamento jovem do seu tempo. E a mesmo tempo uma das maiores plataformas transmídia e stotytelling que o país já viu. Algo que convergiu a industria da fonogrática, televisão, cinema, moda, automóveis, acessórios, editoriais, brinquedos.
  8. 8. Ofuturodo socialismo repousanos ombrosda jovemguarda. VladimirLenin Thursday, November 10, 11 O nome movimento de consumo que colocou o jovem no centro veio de um discurso sobre socialismo. E a brincadeira ia além. Vamos instituir uma monarquia jovem, que terá um rei.
  9. 9. Thursday, November 10, 11 E tera um principe.
  10. 10. Thursday, November 10, 11 E toda uma corte.
  11. 11. Thursday, November 10, 11 A jovem guarda convergiu e estimulou vários segmentos da economia, dando poder de consumo ao jovem de maneira estruturada, onde ele poderia navegar por várias plataformas e compras vários produtos. musica, cinema, televisão, roupas, carros, moda.
  12. 12. Thursday, November 10, 11 brinquedos
  13. 13. Thursday, November 10, 11
  14. 14. Thursday, November 10, 11 Refrigerantes .
  15. 15. Thursday, November 10, 11 E se você não quiser comprar, tudo bem, furte.
  16. 16. Thursday, November 10, 11 Anel Brucutu. Um anel com design involuntariamente desenhado por designer da Volkswagen.
  17. 17. Thursday, November 10, 11 Jovem Guarda - Primeiro Movimento de Consumo Planejado que colocou o Jovem no Centro - Que Importou referências de fora - E AJudou a formar uma identidade brasleira cultural e musical muito própria. Como a Tropicalia, que de certa maneira é um filho enviesado da Jovem Guarda.
  18. 18. Storytelling Hoax Thursday, November 10, 11 Muito usado para a criação de ARGs. Você cria um boato, uma fato de fácil aceitação e difícil comprovação. A hoax is a deliberately fabricated falsehood made to masquerade as truth.[1] It is distinguishable from errors in observation or judgment,[1] or rumors, urban legends, pseudosciences or April Fools' Day events that are passed along in good faith by believers or as jokes.[2] The British philologist Robert Nares (1753–1829) says that the word hoax was coined in the late 18th century as a contraction of the verb hocus, which means "to cheat",[4] "to impose upon"[4] or "to befuddle often with drugged liquor".[5] Hocus is a shortening of the magic incantation hocus pocus,[5] which in turn is a contraction of the phrase Hocus pocus, tontus talontus, vade celeriter jubeo, mentioned in Thomas Ady's 1656 book A candle in the dark. O interessante é que a gente na maioria das vezes não consegue detectar a origem dessas boatos e lendas urbanas. Mas na década de 60, teve uma dessas ações que parou o país.
  19. 19. Thursday, November 10, 11 Tudo começou com um boato no meio artístico. Rumores sobre o segredo do sucesso das grandes estrelas da época. Afinal, todos nós adoramos especular sobre a vida, descobrir segredos dos artistas de sucesso.
  20. 20. Thursday, November 10, 11 E assim como a origem do termo hoax vir de hocus pocus, as palavras mágicas para encantamento, esse Mug tinha um manual sobre seus poderes.
  21. 21. Thursday, November 10, 11 E aqui temos esse amuleto da sorte, que cuja a lenda diz que está dentro da mão da Figa. Tinha tudo pra dar certo, porque além de curiosos sobre a vida dos famosos, nós somos supersticiosos com a nossa própria vida. A coisa tomou proporções inimagináveis. Celebridades de vários meio, várias gerações e movimentos artísticos diferentes revelavam sua relação agora não mais secreta com o Mug.
  22. 22. Thursday, November 10, 11 Artista de diversas gerações e expressões aderiram ao Mug.
  23. 23. Thursday, November 10, 11
  24. 24. Thursday, November 10, 11 Inclusive uma jovem estrela ascendente.
  25. 25. Thursday, November 10, 11
  26. 26. Thursday, November 10, 11
  27. 27. Thursday, November 10, 11 Amigo de todas as horas. Eu quero o meu de volta.
  28. 28. Thursday, November 10, 11 Daí pra virar ícone cultural foi um pulo. Fazer parte do dia a dia das pessoas, ser tão familiar que parece que sempre existiu, sempre esteve lá.
  29. 29. Thursday, November 10, 11 Uma das métricas usadas hoje para medir a eficiência do investimento em ações de storytelling é calcular o dinheiro que você não investiu, ou seja a geração de mídia espontânea. Nós hoje não temos condições de calcular o retorno dessa ação. Notas das colunas mais lidas, tira de jornal do Mauricio de Souza. Capa de uma das revistas de maior circulação, com um dos maiores ídolos do país na época E até hoje. Mas vamos falar de um ídolo da época que acabou se tornando um embaixador do Mug.
  30. 30. Thursday, November 10, 11 Meu Limão Meu Limoeiro.
  31. 31. Thursday, November 10, 11 Lobo Mau. Além de ser um excelente cantor, carismático, ele era um humorista nato, um homem de palco. E conquistava fãs por todo Brasil. Poica tv, abertas, sem controle remoto, a predisposição de troca de canais era outra.
  32. 32. Thursday, November 10, 11 Simonal não tinha apenas fãs no Brasil inteiro, Ele conquistava fãs no mundo, na verdade ele transformava ídolos, ícones, em seus fãs.
  33. 33. Thursday, November 10, 11 E aqui a gente vê o poder do Mug. Porque ninguém me tira da cabeça que o Mug também era o boneco da sorte da Sara Vaughan. Porque ela disse um código: Vou deixar cair.
  34. 34. Thursday, November 10, 11
  35. 35. Thursday, November 10, 11 O Mug não era só um amuleto dá sorte. Era alguém com personalidade de influência e opinião. Olha só com que autoridade e conhecimento de causa com que ele faz a resenha de um disco do Simonal.
  36. 36. Transmedia Storytelling Thursday, November 10, 11 Vamos pegar uma exemplo aqui de uma plataforma transmídia de um dos segmetos mais competitivos e que dependem de storytelling como poucas categorias: moda. A Rhoda vazia desfiles show, que era uma plataforma
  37. 37. Thursday, November 10, 11 Nhô Look interpretava o papel de uma garota caipira, Ritinha Malazarte, acompanhada por uma bandinha interiorana com 14 músicos. A coleção exibida por Rita e as manequins do elenco (entre elas Mila Moreira, que depois veio a se tornar atriz) adaptavam para o contexto brasileiro a moda paysan, inspirada no vestuário das camponesas européias.
  38. 38. Thursday, November 10, 11 Produzido por Roberto Palmari, com direção musical de Rogério Duprat e Diogo Pacheco, o show mostrava, com boas doses de meta- linguagem, os bastidores do mundo da comunicação de massa e da propaganda. O cenário reproduzia as instalações de uma agência de publicidade, cujos clientes era, na verdade, os 14 patrocinadores do esptáculo, caso dos postos de gasolina Esso, do cigarro Hollywood, do rum Bacardi, do uíque Old Eight, da bicicleta Caloi, ou da revendedora de automóveis Bino-Ford, entre outros
  39. 39. Thursday, November 10, 11
  40. 40. Thursday, November 10, 11
  41. 41. Thursday, November 10, 11
  42. 42. Thursday, November 10, 11 participaram o ator Paulo José (como o diretor artístico da imaginária agência), os cantores Jorge Ben, Juca Chaves, Tim Maia, Marisa (vocalista do Bando) e os conjuntos Trio Mocotó, Lanny's Quartet, Coral Crioulo, Os Ephemeros e Os Diagonais. No palco, havia também um sofisticadíssimo sistema audiovisual, controlado por um computador eletrônico, que utilizava seis telas - em quatro delas eram exibidas centenas de slides; em duas outras, um documentário colorido em 16mm.
  43. 43. Social Transforming Storytelling Thursday, November 10, 11 Jovem no centro. Orientado para o social. Exportando referências. Formando um cultura própria de transformação. Em 2008, com a enchente em Santa Catarina, um grupo de jovens arquitetos, implementou um jogo social que ajudar a fazer a transformação de realidades daquele região.
  44. 44. Thursday, November 10, 11 Criaram um jogo social em que através de uma plataforma digital reuniu que atraiu jovens do país inteiro, cada um chamando para si a responsabilidade de uma tarefa de transformação, de acordo com a sua vocação.
  45. 45. Thursday, November 10, 11 Através de metodologias incríveis de storytelling, colocam essa equipe para trabalhar juntos e ao mesmo tempo competir positivamente entre si, para implementar mudanças que levavam de dois a cinco dias. Sem envolvimento financeiro, usando os talentos e as riquezas do cenário.
  46. 46. Thursday, November 10, 11 Convidar um amigo para uma causa para trabalhar não é muito elegante.
  47. 47. Thursday, November 10, 11 Descobrir o sonho comum é mais importante do que descobrir o problemas. O sonho em comum eleva o espírito humano acima das diferenças, e coloca o sarrafo lá em cima na hora de achar as soluções.
  48. 48. Thursday, November 10, 11 Uma ponte em 4 horas.
  49. 49. Thursday, November 10, 11 Convidar um amigo para uma causa para trabalhar não é muito elegante.
  50. 50. Storytelling Eavesdropping Thursday, November 10, 11 Perder tempo é ganhar tempo. Ouça as conversas. Não vá atrás da informação, mas das histórias.
  51. 51. Storytellers 50anos movendo marcase opaís Thursday, November 10, 11

×