Memorial concurso docente ufba

7.463 visualizações

Publicada em

Memorial Descritivo - Rafael de Barros Marinho

Publicada em: Educação
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.463
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
293
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Memorial concurso docente ufba

  1. 1. Memorial Descritivo rafaelmarinho
  2. 2. De acordo com Boaventura (1995) “memorial é não somente crítico, como autocrítico do desempenho acadêmico do candidato. Crítica que conduz forçosamente à avaliação dos resultados obtidos na trajetória da carreia acadêmica." O memorial
  3. 3. O presente memorial tem por objetivo descrever minha trajetória acadêmica, destacando as atividades que desenvolvi e as que desenvolvo atualmente, bem como as minhas perspectivas de estudo e pesquisa. O mesmo visa também resgatar fragmentos das transformações adquiridas nessa trajetória. Introdução
  4. 4. SISTEMAS PARA INTERNET BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃOANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GRADUAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO ATUAÇÃO PROFISSIONAL
  5. 5. BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO SISTEMAS PARA INTERNET ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GRADUAÇÃO
  6. 6. Graduação em Biblioteconomia
  7. 7. Em março de 2005 ingressei no curso de Biblioteconomia e Documentação da Universidade Federal da Bahia, em Salvador. O meu interesse pelos temas abordados nas diferentes disciplinas do curso levou-me a participar de vários debates e discussões acerca da tecnologia da informação, redes e sistemas de informação, e profissão docente. Graduação em Biblioteconomia
  8. 8. O papel desempenhado pelos professores nas diferentes disciplinas de minha graduação foi fundamental para o meu envolvimento com as questões da didática e da pesquisa. Comecei a ampliar o meu repertório com leituras direcionadas à tecnologia da informação, recuperação da informação e a arquitetura de informação, até então as leituras sobre o fazer pedagógico eram apenas por curiosidade. Graduação em Biblioteconomia
  9. 9. No final de 2006 fiz Iniciação Científica pelo Grupo Interisntitucional em Processos Semióticos e de Design (GIPSD-UFBA) como voluntário na primeira etapa da pesquisa e apresentando em junho de 2007 durante o VII CINFORM o trabalho: Uso e necessidade de informação no setor industrial. No ano seguinte fui voluntário PIBIC no mesmo grupo de pesquisa, cumprindo todos os requisitos e atividades de um bolsista, apresentei durante o XXVII Seminário Estudantil de Pesquisa o trabalho: Tipos de Serviços de Informação na e para a indústria do setor químico e petroquímico, como resultado do meu plano de trabalho. Graduação em Biblioteconomia
  10. 10. Fui representante estudantil no Centro Acadêmico do curso de Biblioteconomia e Documentação na gestão Superação (2006-2007) no qual fiquei responsável pela coordenação de comunicação e informação fazendo a ponte entre o C.A e os estudantes. Graduação em Biblioteconomia
  11. 11. Em março de 2006 realizei estágio extracurricular em caráter voluntário na Escola de Nutrição de Universidade Federal da Bahia, totalizando 188 horas de atividades que incluíram atendimento ao usuário, processamento técnico (classificação, catalogação, indexação) na base Pergamum e demais atividades inerentes a Biblioteconomia e Documentação. Graduação em Biblioteconomia
  12. 12. Em março de 2006 realizei estágio extracurricular em caráter voluntário na Escola de Nutrição de Universidade Federal da Bahia, totalizando 188 horas de atividades que incluíram atendimento ao usuário, processamento técnico (classificação, catalogação, indexação) na base Pergamum e demais atividades inerentes a Biblioteconomia e Documentação. Graduação em Biblioteconomia
  13. 13. Entre 2006 e 2007 fui líder da Pastoral da Criança atuando em ações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, sendo responsável pela orientação dos membros de apoio, e pela elaboração da documentação da pesquisa e dos relatórios acompanhamento das famílias. Graduação em Biblioteconomia
  14. 14. No mesmo período realizei estágio extracurricular na Universidade Petrobras, onde tive contato com as práticas de uma universidade coorporativa e as necessidades específicas desse tipo de instituição, o contato com os professores e a atuação dos profissionais de biblioteconomia foi muito importante para mim devido a dinâmica e os aprendizados, realizávamos digitalização de documentos, disseminação seletiva da informação, programas de incentivo à leitura, normalização e vivência na gestão da unidade de informação, foi uma experiência riquíssima. Graduação em Biblioteconomia
  15. 15. Nesse mesmo período fui aprovado em quinto lugar no concurso para Bibliotecário na Universidade Federal da Bahia, mas não pude assumir devido ao fato de não ter concluído a graduação no momento da posse (estava ainda no sexto semestre de curso), mas foi bastante válido a título de experiência e auto-avaliação. Graduação em Biblioteconomia
  16. 16. Em março de 2008 participei da organização do I Fórum Baiano de Ciência da Informação realizado durante as comemorações dos dez anos do Instituto de Ciência da Informação. Durante minha graduação (2005-2008) procurei abrir o leque da Biblioteconomia e da Ciência da Informação e passear por diversos temas antes de procurar me especializar em arquitetura de informação e experiência do usuário, e aproveitar ao máximo o que a universidade pode proporcionar. Graduação em Biblioteconomia
  17. 17. Deste processo resultou a monografia intitulada: Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma modelagem de arquitetura de informação centrada no cliente/ usuário. Trabalho que foi orientado pelo professor Sérgio Franklin Silva no qual obtive a nota dez. Graduação em Biblioteconomia
  18. 18. Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  19. 19. Em 2010 ingressei no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE) em Salvador. Meu interesse por tecnologia me levou a querer adquirir fundamentos mais sólidos e técnicos da área, o que não seria possível em cursos de curta duração. Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  20. 20. Fiz o primeiro ano de curso, mas precisei deixar o curso devido às outras atividades em que vinha me dedicando em especial ao mestrado e ao trabalho. Mas foi um período de grande aprendizado sobre tudo das dificuldades enfrentadas na Bahia em se tratando de tecnologia da informação e comunicação, fiz colegas e parceiros mas acabei seguindo por outro caminho, alguns conceitos, bibliografias e aprendizados muito contribuíram para a dissertação. Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  21. 21. Fiz o primeiro ano de curso, mas precisei deixar o curso devido às outras atividades em que vinha me dedicando em especial ao mestrado e ao trabalho. Mas foi um período de grande aprendizado sobre tudo das dificuldades enfrentadas na Bahia em se tratando de tecnologia da informação e comunicação, fiz colegas e parceiros mas acabei seguindo por outro caminho, alguns conceitos, bibliografias e aprendizados muito contribuíram para a dissertação. Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  22. 22. Graduação em Sistemas para Internet
  23. 23. Em 2013 iniciei uma nova graduação tecnológica agora em Sistemas para Internet, na Universidade Salvador - Unifacs pois no meu entender a internet é a mais poderosa ferramenta de busca e recuperação da informação mas pouco tem sido discutida sobre isso em uma abordagem mais técnica e aprofundada, iniciei também esta graduação para entender melhor como criar e manter mecanismos de preservação de arquivos digitais, garantindo a integridade e autenticidade das informações nos processos de gestão da informação Graduação em Sistemas para Internet
  24. 24. Banco de dados, Segurança da informação e Criptografia, e Gerência de sistemas de informação. Tenho participado de cursos e ciclos de palestras promovidas pela instituição. E esses fundamentos serão importantes uma vez que pretendo iniciar o doutorado em breve. Graduação em Sistemas para Internet
  25. 25. SISTEMAS PARA INTERNET BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃOANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS GRADUAÇÃO PÓS- GRADUAÇÃO ATUAÇÃO PROFISSIONAL
  26. 26. Mestrado em Ciência da Informação PÓS- GRADUAÇÃO Doutorado em Ciência da Informação
  27. 27. Mestrado em Ciência da Informação
  28. 28. Banco de dados, Segurança da informação e Criptografia, e Gerência de sistemas de informação. Tenho participado de cursos e ciclos de palestras promovidas pela instituição. E esses fundamentos serão importantes uma vez que pretendo iniciar o doutorado em breve. Mestrado em Ciência da Informação
  29. 29. Em março de 2010, ingressei no Mestrado em Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia e fui bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES no triênio 2010-2012. Nesse período passei a ter um maior contatos com uma excelente equipe de professores-pesquisadores que me incentivou e permitiu aprofundar meus conhecimentos sobre Arquitetura de Informação à luz da ciência e do rigor que academia exige. Mestrado em Ciência da Informação
  30. 30. Dessa interação resultou a dissertação intitulada “Arquitetura de Informação para Web: projetando a experiência do usuário no Portal de Periódicos CAPES” e artigos apresentados em eventos da área da Ciência da Informação. A dissertação foi defendida e aprovada em 31 de agosto de 2012 Mestrado em Ciência da Informação
  31. 31. Nesta dissertação trabalhamos os conceitos de arquitetura de informação, usabilidade e experiência do usuário, e analisamos o comportamento do Portal de Periódicos CAPES diante de indicadores que foram levantados. Com base na discussão teórica e na análise do corpus, concluiu-se que o Portal apresenta muitas potencialidades mas ainda esbarra em muitos equívocos que dificultam e desencorajam a experiência do usuário, uma vez que o Portal CAPES é concebido em um modelo que demanda treinamentos constantes para que o usuário aprenda a utilizá-lo de forma eficiente. Mestrado em Ciência da Informação
  32. 32. Durante este período do Mestrado participei de uma série de eventos voltados para tecnologia da informação, experiência do usuário, design, marketing, e gestão da informação. Realizei o atividade de Tirocínio Docente Orientado na disciplina Gerência da Informação ministrada pelo professor Sérgio Franklin, uma vez que a mesma aborda aspectos teórico-práticos da gestão da informação e atuação dos sistemas de informação Mestrado em Ciência da Informação
  33. 33. O objetivo desta disciplina é demonstrar o papel da informação no desempenho das organizações e apresentar os tipos e sistemas de organização, suportes tecnológicos, processos de gerenciamento e difusão da informação. Mestrado em Ciência da Informação
  34. 34. Eu, Flávia Catarino e Raquel do Rosário juntamente com a professora Lídia Toutain produzimos o artigo “Semiótica e produção de sentidos” nos periódico Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e na Datagramazero, que teve por objetivo traçar a importância dos ícones, símbolos e imagens, na produção de sentidos e abordar também a interseção entre a Semiótica e a informação no website do Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal da Bahia. Mestrado em Ciência da Informação
  35. 35. Esse conjunto de atividades de ensino, pesquisa orientada e artigos produzidos nas disciplinas do Mestrado foram muito importantes para o meu crescimento acadêmico e profissional, obtive total suporte dos professores e da minha orientadora Professora Ana Paula Villalobos, nesse processo, tornando-o menos árido, os feedbacks constantes, o burilamento do projeto de pesquisa e das apresentações me deram uma maior segurança de estar seguindo no caminho certo. Mestrado em Ciência da Informação
  36. 36. Aluno Especial noDoutorado em Ciência da Informação
  37. 37. Em 2014 Iniciei no PPGCI a Disciplina Mapeamento Informacional para Redes e Sistemas de Informação ministrada pela professora Ana Paula Villalobos, a interação com a professora e com os colegas tem sido muito boa. Estamos trabalhando na produção de artigos para uma possível publicação posterior. No momento estou desenvolvendo meu projeto de pesquisa para ingressar no PPGCI como aluno regular no Doutorado em Ciência da Informação Aluno Especial no Doutorado em Ciência da Informação
  38. 38. O projeto em desenvolvimento pretende abordar aspectos mais conceituais a cercar da recuperação da informação em bases de dados sob o prisma da arquitetura de informação e usabilidade. Trata-se de uma ampliação do tema desenvolvido no mestrado. Aluno Especial no Doutorado em Ciência da Informação
  39. 39. O projeto em desenvolvimento pretende abordar aspectos mais conceituais a cercar da recuperação da informação em bases de dados sob o prisma da arquitetura de informação e usabilidade. Trata-se de uma ampliação do tema desenvolvido no mestrado. Aluno Especial no Doutorado em Ciência da Informação
  40. 40. ATUAÇÃO PROFISSIONAL Atuação Docente Arquiteto de Informação Colunista Co-fundador do IxDA
  41. 41. Em novembro de 2012, fui aprovado na seleção para professor substituto da Universidade Federal da Bahia, para ministrar as aulas de Tecnologia da Informação Arquivística e Redes e Sistemas de Informação, para os cursos de Arquivologia e Biblioteconomia, respectivamente. Pelo Departamento de Fundamentos e Processos Informacionais (DFPI) Atuação Docente
  42. 42. Foi uma das melhores experiência que já tive, poder interagir com os alunos e enxergar a ensino pelo ponto de vista do professor e como primeira experiência pude perceber a responsabilidade e um pouco as dificuldades que professor enfrenta. Atuação Docente
  43. 43. Percebi também que além de ensinar, o professor também é um pesquisador na essência (nunca deixa de estudar, se aprimorar, conhecer mais sobre a sua área). Ser professor não é simplesmente um emprego, pois além de boa formação, o profissional deve ter vocação. Atuação Docente
  44. 44. Paulo Freire: “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina, aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender.” É como essa visão que descobri a minha vocação para o ensino, compartilhar o que venho aprendendo ao longo desses anos e aprender com as dúvidas e questionamentos dos alunos. Atuação Docente
  45. 45. Em março de 2013 durante o XVI Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia e Documentação ministrei a oficina “Como gerenciar informações pessoais na era mobile” evidenciando o papel das tecnologias móveis no gerenciamento das informações pessoais, metodologias e conceitos. Atuação Docente
  46. 46. Nesse período fui convidado a participar de cinco bancas de TCC. Na de Manoela Ribeiro intitulada “O Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia como agente democratizador do acesso a informação científica e sua usabilidade.”. Na de Ícaro Santos intitulada “Arquitetura da Informação: uma ferramenta estratégica para representação visando à busca de informação na Web”. Na de Marcos Santana intitulada “Evolução dos e-Books”. Na de Karina Barbosa “Os periódicos no Qualis da Ciência da Informação: um estudo a partir das citações nas dissertações” Atuação Docente
  47. 47. Em maio de 2013 fui aprovado novamente na seleção para professor substituto da Universidade Federal da Bahia, para ministrar as aulas de Fundamentos da Informação, e Conservação e Restauração de Documentos para os cursos de Arquivologia e Biblioteconomia respectivamente, pelo Departamento de Documentação e Informação (DDI) Atuação Docente
  48. 48. As aulas foram iniciadas mas por questões contratuais não foi possível a renovação deste contrato e a conclusão das aulas, devido ao término do contrato anterior. Mas como voluntário estou orientando a aluna de graduação Solange Farias com a monografia intitulada (provisoriamente) “Recuperação da Informação com o uso de taxonomias e ontologias: dificuldades e práticas” a ser defendida em 2014.1 Atuação Docente
  49. 49. Também estou orientando a aluna de graduação Andrea Moraes com a monografia intitulada (provisoriamente) “Plágio e direito autoral impactos na Biblioteconomia. Atuação Docente
  50. 50. Em setembro de 2013 ministrei o minicurso de Arquitetura de Informação na UNIFACS Salvador durante o Circuito Unifacs. E em setembro na mesma instituição o minicurso foi ministrado durante a Semana da Sociedade Brasileira de Computação (SBC). Atuação Docente
  51. 51. Em setembro de 2013 ministrei o minicurso de Arquitetura de Informação na UNIFACS Salvador durante o Circuito Unifacs. E em setembro na mesma instituição o minicurso foi ministrado durante a Semana da Sociedade Brasileira de Computação (SBC). Atuação Docente
  52. 52. Arquiteto de Informação
  53. 53. Em dezembro de 2008 comecei a trabalhar como Arquiteto de Informação jr. na Avansys Tecnologia (CMMI 2, ISO 9001) nas contas da CAIXA Econômica Federal e Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC). Produzi a arquitetura de informação do portal e da versão mobile da CAIXA em especial o Internet Banking Arquiteto de Informação
  54. 54. Em dezembro de 2008 comecei a trabalhar como Arquiteto de Informação jr. na Avansys Tecnologia (CMMI 2, ISO 9001) nas contas da CAIXA Econômica Federal e Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC). Produzi a arquitetura de informação do portal e da versão mobile da CAIXA em especial o Internet Banking Arquiteto de Informação
  55. 55. Realizei entrevistas com usuários, funcionários e gestores; fiz inventário de conteúdo no portal; card sorting; taxonomia e tesauros; análise heurística; fluxo de navegação; wireframes e protótipos. Arquiteto de Informação
  56. 56. O trabalho é bastante dinâmico e acabei interagindo com profissionais de várias áreas: gestores, bancários, educadores, líderes comunitários, analistas de sistemas, jornalistas, designers etc. E isso foi muito importante para o meu crescimento profissional, o arquiteto de informação é responsável por gerenciar as informações do portal e pensar na navegação e na usabilidade para que a informação chegue ao usuário. Arquiteto de Informação
  57. 57. Em 2009 fui convidado a proferir a palestra Arquitetura de Informação orientada ao usuário da biblioteca no seminário da disciplina ICI200 - Estágio Supervisionado, para os alunos concluintes do curso de Biblioteconomia e Documentação. Arquiteto de Informação
  58. 58. Em novembro de 2010 fui contratado como Arquiteto de Informação pleno na Avansys Tecnologia (CMMI 2, ISO 9001) nas contas do Supremo Tribunal Federal - STF, Conselho Nacional do Ministério Público - CNMP, Bahia Notícias, Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb). Fiz benchmark; planejamento para aplicativos e sites mobile; pesquisa de perfil de usuário e entrevistas com usuários, funcionários e gestores em diversos projetos além de produzir wireframes e protótipos para testar. Arquiteto de Informação
  59. 59. Muitos dos conhecimentos da Arquitetura de Informação possuem base na Biblioteconomia e na Ciência da Informação (uma vez que os pais da Arquitetura de Informação são bibliotecários) o que tornou meu trabalho mais fácil por já possuir tais fundamentos. A cada novo projeto de arquitetura o aprendizado é enorme já que lidamos com muitas pessoas de áreas e conhecimentos distintos, como juízes, advogados, analistas de sistemas, gerentes de projeto, gestores etc. Arquiteto de Informação
  60. 60. Cada um contribuindo com a sua experiência e visão. Dessa multidisciplinaridade é feito o trabalho do arquiteto de informação, sempre pensando no impacto sobre o usuário. Permaneci na empresa até fevereiro de 2012. Quando passei a prestar serviço como consultor de user experience (UX) ou experiência do usuário, atualmente estou produzindo a arquitetura de informação do Portal do Serviço Social da Indústria SESI-BA Arquiteto de Informação
  61. 61. Cada um contribuindo com a sua experiência e visão. Dessa multidisciplinaridade é feito o trabalho do arquiteto de informação, sempre pensando no impacto sobre o usuário. Permaneci na empresa até fevereiro de 2012. Quando passei a prestar serviço como consultor de user experience (UX) ou experiência do usuário, atualmente estou produzindo a arquitetura de informação do Portal do Serviço Social da Indústria SESI-BA Arquiteto de Informação
  62. 62. Co-fundador do IxDA Salvador
  63. 63. Iniciamos nossas atividades em fevereiro de 2010 e fui um dos membros- fundadores do Capítulo do Interaction Design Association (IxDA) em Salvador, uma organização internacional sem fins lucrativos criado para fomentar o Design de Interação e a Experiência do Usuário, em nossa diversas cidades do Brasil. Anualmente temos a edição do Interaction South America evento patrocinado pela CAPES e pelo CNPQ, que já está em sua décima terceira edição e apoiamos o Encontro Brasileiro de Arquitetura de Informação (EBAI). Co-fundador do IxDA
  64. 64. No IxDA Salvador promovemos encontros, palestras e um clube de leitura o UX Book Club para integrar professores, pesquisadores, estudantes e demais interessando em discutir e aprender mais sobre Design de Interação, Arquitetura de Informação, Experiência do Usuário e Usabilidade. Co-fundador do IxDA
  65. 65. No IxDA Salvador promovemos encontros, palestras e um clube de leitura o UX Book Club para integrar professores, pesquisadores, estudantes e demais interessando em discutir e aprender mais sobre Design de Interação, Arquitetura de Informação, Experiência do Usuário e Usabilidade. Co-fundador do IxDA
  66. 66. Colunista do UOL (Webinsider)
  67. 67. Webinsider (UOL) é uma publicação da Z Editores, é um dos principais sites de artigos e conteúdo analítico sobre marketing, negócios, criação e conteúdo no ambiente online. De 2008 a 2009 fui colunista das áreas de arquitetura de informação, user experience e usabilidade, onde publiquei os artigos: GED, taxonomia e ontologia nas empresas; Tesauros, folksonomia e uma ajudinha da usabilidade; O arquiteto da informação está a serviço da clareza; Bibliotecas corporativas: momento de reengenharia. Colunista do UOL (Webinsider)
  68. 68. Webinsider (UOL) é uma publicação da Z Editores, é um dos principais sites de artigos e conteúdo analítico sobre marketing, negócios, criação e conteúdo no ambiente online. De 2008 a 2009 fui colunista das áreas de arquitetura de informação, user experience e usabilidade, onde publiquei os artigos: GED, taxonomia e ontologia nas empresas; Tesauros, folksonomia e uma ajudinha da usabilidade; O arquiteto da informação está a serviço da clareza; Bibliotecas corporativas: momento de reengenharia. Colunista do UOL (Webinsider)
  69. 69. Considerações
  70. 70. Enquanto termino essa narrativa, penso no quanto minhas escolhas me impulsionaram para essa profissão, pelo desejo de ser professor, de trabalhar com o conhecimento. ! Penso que nenhuma profissão é mais sublime que a do professor, por cujas mãos passam todos os demais profissionais e através de quem todo ser humano se torna cidadão, ao aprender a ler e escrever e construir os próprios passos em direção ao conhecimento. Espero viver para testemunhar a valorização e o respeito por parte de todos a essa profissão. Considerações
  71. 71. Cada sonho que você deixa para trás é um pedaço do seu futuro que deixa de existir. ! (Steve Jobs) “ ”

×