UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO
CAMPUS CARAÚBAS/RN
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL
Relatório: Fontes poluidoras no muni...
3. Objeto de estudo
Caraúbas fica localizada no estado do Rio Grande do Norte e situa-se
no médio oeste potiguar. Segundo ...
A pedreira pode ser classificada como fonte de poluição dispersivel, ela
fica aproximadamente a 1,4 km da comunidade. Segu...
3.2 Lixão
O lixão do município encontra-se na RN-117 que liga a cidade de
Mossoró/RN. Aproximadamente 1,9 km da entrada da...
No local ainda foi visualizada a queima de lixo. Tipo de atividade esta
que influencia no processo de poluição do ar pela ...
3.3 Matadouro Público
O matadouro do município situa-se na RN-117 que liga a cidade de
Olho d’Água dos Borges/RN. Ele se e...
Imagem 5 – Esgotamento sanitário e dejetos são jogados ao ar livre
Foto: Autor
Imagem 6 - Esgotamento sanitário e dejetos ...
As possíveis consequências de o esgoto ser jogado ao ar livre são:
Proliferação de vetores, contaminação do lençol freátic...
Imagem 7 – Esgotamento irregular no bairro Leandro Bezerra
Foto: Autor
O acumulo do esgoto além de gerar problemas com o c...
Imagem 8 – Esgotamento irregular no Centro de Caraúbas/RN
Foto: Autor
Não foi visto um sistema adequado de esgotamento san...
Imagem 9 – Esgotamento irregular no bairro Alto da Liberdade
Foto: Autor
Para se controlar a erosão causada pelos despejos...
4. Conclusão
Com a implantação de um sistema de gestão ambiental os ganhos são
bastante consideráveis para a população, em...
5. Referências Bibliográficas
BACCI, Denise de La Corte; LANDIM, Paulo Milton Barbosa; ESTON, Sérgio
Médici de. Aspectos e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório: Fontes poluidoras no município de Caraúbas/RN

199 visualizações

Publicada em

Relatório: Fontes poluidoras no município de Caraúbas/RN

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
199
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório: Fontes poluidoras no município de Caraúbas/RN

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAMPUS CARAÚBAS/RN CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Relatório: Fontes poluidoras no município de Caraúbas/RN Disciplina: Saneamento Docente: Profª Cibele Gouveia Discentes: Daniel Douglas Estevão Henrique Manoel Firmino Paulo Victor 1. Introdução A poluição pode ser entendida como a contaminação do meio ambiente de forma a degradar a sua composição natural, seja ela pela ocorrência de fenômenos naturais ou de atividades humanas. A poluição pode ocorrer tanto de forma direta, pela disposição de resíduos no solo, como de forma indireta pela deposição de material particulado e poluentes químicos transportados pelo ar. São várias as fontes de poluição, dentre elas estão: Liberação de lixo orgânico, industrial, gases poluentes, objetos materiais, elementos químicos, material particulado, entre tantos outros que afetam a atmosfera, as águas e também o solo. Com a Revolução Industrial ficou aparente o problema da poluição, que com o passar do tempo no processo de urbanização e industrialização, fez com que à exploração e destruição de recursos naturais fossem maiores. De acordo com que a urbanização crescia, também era notório o uso da exploração e destruição do meio natural. 2. Objetivo Verificar no município de Caraúbas/RN quais as fontes poluidoras que afetam os recursos naturais e a população.
  2. 2. 3. Objeto de estudo Caraúbas fica localizada no estado do Rio Grande do Norte e situa-se no médio oeste potiguar. Segundo o IBGE, a cidade conta com uma população de 20.564 habitantes. O bioma característico desta região é a caatinga. Fomos à busca de locais pela cidade em que fosse possível verificar fontes poluidoras para serem analisadas as suas causas, consequências e formas de tratamento. 3.1 Pedreira O município conta com uma pedreira que fica as margens da RN-233 ligando ao município de Campo Grande/RN. Em fotos áreas tiradas pelo drone, foi possível verificar a dimensão da exploração dos recursos naturais daquela região. Imagem 1 – Pedreira Potiguar Foto: Autor
  3. 3. A pedreira pode ser classificada como fonte de poluição dispersivel, ela fica aproximadamente a 1,4 km da comunidade. Segundo Bacci, Landim e Eston (2006), a proximidade se deve em decorrência da influência do custo dos transportes do produto final. Por outro lado, com o crescimento desordenado e falta de planejamento urbano, facilitou-se a ocupação de regiões situadas nos arredores da pedreira. Foi relatado nas proximidades da pedreira o descontentamento da população. Motivo pelo qual a cada explosão das dinamites se refletiam nas estruturas de suas residências através da vibração das paredes, janelas e objetos. Além de danos por vibrações e ruídos, há outros efeitos ambientais associados, como à retirada da vegetação, escavações, movimentação de terra e modificação da paisagem local. Há também o uso de explosivos no desmonte de rocha, gases, material particulado, afetando os meios como água, solo e ar, além da população local. Algumas medidas que podem ser incorporadas para amenizar os danos causados pela pedreira:  Monitoramento e minimização das vibrações, já que estes impactos que mais afetam a comunidade local;  Controle sobre o uso dos explosivos (evitando excessos);  Uso de equipamentos nas operações de modo a minimizar os impactos ambientais. Por exemplo: Pela atmosfera na forma de ruído e poeiras.
  4. 4. 3.2 Lixão O lixão do município encontra-se na RN-117 que liga a cidade de Mossoró/RN. Aproximadamente 1,9 km da entrada da cidade, o lixão é abastecido todos os dias pelos caminhões que fazem a coleta. Imagem 2 – Lixão municipal Foto: Autor Com o depósito de lixo no local, temos a degradação física do solo. Não há um tratamento via aterro sanitário para o lixo. Assim, o local conta com um solo bastante deteriorado e o que ocorre com o solo repercute nas águas subterrâneas contaminadas pelas alterações de sua qualidade já que não há coleta de chorume. Desta forma, a migração dos poluentes através do solo, para as águas superficiais e subterrâneas, constitui uma ameaça para a qualidade dos recursos hídricos utilizados em abastecimento público, industrial, agrícola, comercial, lazer e serviços.
  5. 5. No local ainda foi visualizada a queima de lixo. Tipo de atividade esta que influencia no processo de poluição do ar pela emissão de CO2. Quando o lixo doméstico é depositado de forma inadequada, a poluição do solo pode resultar ainda em: Aspecto estético desagradável; maus odores resultantes da decomposição; proliferação de vetores transmissores de doenças e erosões. Imagem 3 – Queima de lixo Foto: Autor Algumas medidas que podem ser incorporadas para amenizar os danos causados pelo lixão:  Criação de um aterro sanitário;  Evitar moradias próximas ao local;  Evitar as queimadas;  Realizar a coleta seletiva.
  6. 6. 3.3 Matadouro Público O matadouro do município situa-se na RN-117 que liga a cidade de Olho d’Água dos Borges/RN. Ele se encontra a menos de 1 km da cidade e abastece o açougue municipal juntamente com os mercadinhos. Imagem 4 – Matadouro Francisco Simião da Silva Foto: Autor O matadouro não conta com esgotamento sanitário adequado, desta forma, o lançamento de esgoto e dejetos é jogado ao ar livre formando uma espécie de córrego. Há uma carência de competência e consciência da administração para este tipo de empreendimento.
  7. 7. Imagem 5 – Esgotamento sanitário e dejetos são jogados ao ar livre Foto: Autor Imagem 6 - Esgotamento sanitário e dejetos são jogados ao ar livre Foto: Autor
  8. 8. As possíveis consequências de o esgoto ser jogado ao ar livre são: Proliferação de vetores, contaminação do lençol freático, odor muito forte, modificação da paisagem em função dos dejetos, redução da área de vegetação, entre outros fatores. Os esgotos a céu aberto podem e devem ser evitados. Algumas medidas que podem ser incorporadas para amenizar os danos causados pelo matadouro:  Fiscalização por parte do poder público;  Inserção de esgotamento sanitário;  Higienização nas operações; 3.4 Esgoto doméstico As atividades domésticas constituem importantes fontes de poluição das águas, em especial nas áreas de forte concentração urbana. Carregadas com grandes quantidades de matéria orgânica, nutrientes e microrganismos. Foram vistos muitos casos de fontes pontuais de poluição para o esgoto doméstico. São esgotos irregulares, onde os dejetos estavam sendo liberados para a via pública.
  9. 9. Imagem 7 – Esgotamento irregular no bairro Leandro Bezerra Foto: Autor O acumulo do esgoto além de gerar problemas com o cheiro e estética, há também a dificuldade de locomoção no terreno poluído por parte da população. O curso da água faz com que o solo sofra erosão, assim acidentando ainda mais o terreno. Com o acumulo da água há também o risco de contaminação do lençol freático e a aparição dos vetores causadores de doenças.
  10. 10. Imagem 8 – Esgotamento irregular no Centro de Caraúbas/RN Foto: Autor Não foi visto um sistema adequado de esgotamento sanitário próximo a estes locais, o que favorece a pratica incorreta de dispor os dejetos humanos ou resíduos industriais diretamente sobre o solo.
  11. 11. Imagem 9 – Esgotamento irregular no bairro Alto da Liberdade Foto: Autor Para se controlar a erosão causada pelos despejos domésticos, é necessário, planejar o uso e a ocupação do solo, considerando as características do solo, como declividade, drenagem e vegetação do local. Algumas medidas que podem ser incorporadas para amenizar os danos causados pelo esgoto irregular:  Investimento em infraestrutura;  Politicas públicas para o esgotamento.
  12. 12. 4. Conclusão Com a implantação de um sistema de gestão ambiental os ganhos são bastante consideráveis para a população, empresas, órgãos e principalmente para a natureza. Para minimizar os impactos adversos sugere-se conscientizar todos os envolvidos, mostrando as vantagens de se viver num planeta sustentável.
  13. 13. 5. Referências Bibliográficas BACCI, Denise de La Corte; LANDIM, Paulo Milton Barbosa; ESTON, Sérgio Médici de. Aspectos e impactos ambientais de pedreira em área urbana. Rem: Revista Escola de Minas, [s.l.], v. 59, n. 1, p.1-10, mar. 2006. FapUNIFESP (SciELO). DOI: 10.1590/s0370-44672006000100007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0370- 44672006000100007>. Acesso em: 16 nov. 2015.

×