Palestra sobre Culpa

5.901 visualizações

Publicada em

Palestra sobre a Culpa, realizada no dia 07.10.12 no Centro Espírita Mensageiros da Paz, em Curitiba/PR - pelo psicólogo Marlon Reikdal

1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • simplismente m a v i l h o s o
    obrigado pela simplicidade Marlon
    Que a Vida abra todas portas prá tua chegado aos mundo felizes em resposta a alegria, confiança e paz que tu transmites na companhia da Joana
    beijos gigante
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.901
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
289
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra sobre Culpa

  1. 1. Centro Espírita Mensageiros da Paz CULPA Marlon Reikdal
  2. 2. Depressão Problemas sexuais Suicídio AnsiedadeEsquizofrenia CULPA Álcool Complicador Drogas do abuso sexual
  3. 3. DefiniçãoDicionário Houaiss da Língua Portuguesa 1) Responsabilidade por dano, mal, desastrecausado a outrem; 2) Consciência penosa de ter descumpridouma norma social e/ou um compromisso(afetivo, moral, institucional) assumidolivremente;
  4. 4. Identificação“Todos os seres humanos, de uma ou de outraforma, carregam algumas culpas, inclusiveaquelas que lhe foram impostas pelastradições religiosas absurdas.”“A aceitação honesta da culpa constituiexcelente aquisição emocional para a diluiçãodos fatores que a geraram.” (Joanna de Ângelis – Vitória Sobre a Depressão, p. 88)
  5. 5. SINTOMAS“Reprimir a culpa, tentar ignorá-la é tão negativo quanto aceitá-la. A medida que é introjetada, a culpa assenhoreia- se da emoção e torna-se punitiva, castradora e perversa.” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 79)
  6. 6. AUTOCOMISERAÇÃO “Como forma de esconder o conflito,surge a autocomiseração, a autocom-paixão... (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 79)
  7. 7. SINTOMAS FÍSICOS “Quando esses sentimentos [culpa evergonha] não se manifestam com clareza, araiva e a tristeza produzem distúrbios não sópsicológicos como igualmente de naturezafísica, em forma de tensão muscular emmuitas partes do corpo, dores generalizadase angústia que se acentuam à medida que opaciente os nega ou tende a ignorá-los” (Joanna de Ângelis – Despertar do Espírito, p. 159)
  8. 8. IRONIA OU PERVERSÃO “Aqueles que se não conscientizam doerro e preferem ignorá-lo, soterram-no noinconsciente, que o devolve de maneirainamistosa, irônica, quase perversa contratudo e contra todos.” (Joanna de Ângelis – Despertar do Espírito, p. 45)
  9. 9. AUTOPUNIÇÃO “Quando se foge a esse compromisso deavaliação do erro o inconsciente elaborainstrumentos punitivos que estabelecem osmeios cruéis para a regularização, arecomposição do quadro alterado pelosdanos que lhe foram impostos.” (Joanna de Ângelis – Despertar do Espírito, p. 45)
  10. 10. INSEGURANÇA “Tormentosa é a existência de quem senutre de culpa, sustentando-o com a suainsegurança. Tudo quanto lhe acontece denegativo, mesmo as ocorrências banais, éabsorvido como sentimento necessário àreparação.” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 78)
  11. 11. DEPRESSÃO “Acabrunha e desarticula os mecanismosda fraternidade, tornando o paciente arredioe triste, quando não infeliz e desmotivado.” “As suas ações tornam-se policiadas pelomedo de cometer novos desatinos e quasesempre é empurrado para a depressão.” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 79)
  12. 12. DIFICULDADE DE RELACIONAMENTOS “Acoimado pela culpa, foge dosrelacionamentos de qualquernatureza, cultiva o mau humor, processaerradamente o que ouve, sempreconsiderando que todas as queixas ereprimendas, advertências e observaçõesque o alcançam têm por meta censurá-lo, humilhá-lo, estigmatizá-lo...” (Joanna de Ângelis – Despertar do Espírito, p. 156 )
  13. 13. CAUSAS “Duas são as causas psicológicas da culpa: a que procede da sombra escusa do passado, da consciência que se senteresponsável por males que haja praticado em relação a outrem e a que tem sua origem na infância, como decorrência da educação que é ministrada.” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 73)
  14. 14. “Normalmente exige-se que o educando sejaparcial e adulador, concordando com as ideias dos adultos – pais e educadores – que estabelecem os parâmetros da sua conduta, sem terem em vista a sua espontaneidade, asua liberdade de pensamento, a sua visão de existência humana em desenvolvimento e formação.” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais, p. 74)
  15. 15. “Precipita-lhe a fase do desenvolvimento adultocom expressões pieguistas, nas quais se afirma:‘já é uma mocinha’, ‘trata-se de umrapazinho’, inculcando-lhes condutasextravagantes, sem que deixem de serrealmente crianças.”(Joanna de ÂngelisConflitos Existenciais, p. 74)
  16. 16. FuncionamentoAto equivocado “O remorso gerou o fenômeno de identificaçãodo erro, mas não se fez acompanhar dacoragem para a conveniente reparação,transferindo para os arquivos do espírito oconflito em forma de culpa.” (Joanna de Ângelis - Conflitos Existenciais , p. 74 )
  17. 17. Funcionamento“A culpa é resultado da raiva que alguémsente contra si mesmo, voltada paradentro, em forma de sensação de algo que foifeito erradamente.” (Joanna de Ângelis - Conflitos Existenciais , p. 73) RAIVA = EGO FERIDO
  18. 18. Definição3) “Compreensão de que se violou um princípio ético ou moral,combinada com um sentimento dedesclassificação pessoal resultante dessa violação.”
  19. 19. Definição 4) Emoção penosa (de auto-rejeição e desajuste social) resultante de um conflito(entre impulso, desejo ou fantasia e as normas sociais e individuais) dominado pela função inconsciente de controle desempenhada pelo superego.
  20. 20. - CULPA TERAPÊUTICA - “A culpa terapêutica evita que o paciente se lhe agarre transformando-a em necessidade dereparação do delito, assim derrapando em situaçãopatológica. Trata-se apenas de uma conscientização de conduta, com vistas à vigilância emocional e racional para os futuros cometimentos.” (Joanna de Ângelis Despertar do Espírito, p. 44)
  21. 21. “A racionalização do ato abre campo para o entendimento do fato menos feliz, sem punição, nem justificativa doentia, mas, simplesmente, diges tão psicológica do mesmo.” “Após o autoperdão, surgem os valores da reabilitação, que facultam o enfrentamento das consequências desencadeadas pelo ato praticado.” (Joanna de Ângelis - Despertar do Espírito, p. 44)
  22. 22. “A intolerância para com as atitudes tidas como imorais ou sujas é sempre resultado de conflito naquele que assume a postura de vigilante das virtudes e preservador dos denominados bonscostumes ou convenientes condutas que servem a determinados interesses, nem sempre estruturados na dignidade e no bem comum.” (Joanna de Ângelis Despertar do Espírito, p. 159)
  23. 23. “O hábito saudável de aceitar-se como se encontra libera da autocrítica recriminatória, portanto, punitiva.”(Joanna de Ângelis - Despertar do Espírito, p. 159)
  24. 24. Palestra realizada em (07/10/2012)Centro Espírita Mensageiros da Paz CULPACoordenação: Psic. Marlon Reikdal marlonreikdal@gmail.com www.marlonreikdal.blogspot.com

×