Espécies autóctones de portugal

23.559 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.559
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
368
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
284
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Espécies autóctones de portugal

  1. 1. Agrupamento de Escolas do Vale de São Torcato <br />-2436664026723117050402672<br />Espécies Autóctones de Portugal<br />Curso de Educação e Formação de Jardinagem<br />Ano Lectivo 2010/2011<br />Índice<br />EspéciePáginaAlnus glutinosa ……………………………………………. 3Quercus ilex ………………………………………………..4Quercus pyrenaica ………………………………………..5Quercus faginea …………………………………………..6Quercus robur ……………………………………………..7Castanea sativa …………………………………………...8Prunus avium ………………………………………………9Fraxinus excelsior………………………………………….10Laurus nobilis ……………………………………………...11Arbutus unedo L……………………………………………12Olea europaea L…………………………………………... 13Pinus pinaster ……………………………………………..14Acer pseudoplatanus L……………………………………15Quercus suber ………………………………………….....16<br /> 29718002628900-4203702628900-420370-3429002971800-342900 <br />Nome científico: Alnus glutinosa<br />Nome vulgar: Amieiro <br />Descrição: É uma árvore que pode atingir até 35 m  e uma longevidade até 120 anos. Possui folhas redondas/ovadas, com 4 a 10 cm de comprimento. Os frutos são uma espécie de pinha, com 1 a 2 cm de comprimento.<br />Distribuição geográfica: Característica de regiões de clima temperado húmido. Em Portugal, o Amieiro pode ser encontrado em quase todo o território com prevalência na região norte e centro. <br />Utilização: A madeira do amieiro é muito resistente à água e utilizada frequentemente na construção de corpos de guitarras sólidas, das suas características acústicas. <br />-3429002757805300863027171653008630-457200-396240-457200<br />Nome científico: Quercus ilex<br />Nome vulgar: Azinheira<br />Descrição: Árvore de folhas persistentes, com 15-20 metros de altura. O tronco tem uma casca acinzentada ou parda. As folhas com cor verde-escura, brilhantes nas faces superiores e esbranquiçadas nas inferiores. O fruto da azinheira é a bolota.<br />Distribuição geográfica: Sul da Europa, existe espontaneamente em Portugal, principalmente no interior alentejano, explorada em montados, habitualmente em consociação com uma cultura agrícola ou pastagem. Encontra-se também em povoamentos mistos com sobreiro.<br />Utilização: Usada, principalmente, para produção de fruto, que serve de alimento para porcos denominados de montanheira. É também utilizada para produzir carvão, madeira e lenha (madeira com elevado poder calorífico). <br />2971800-228600-228600-228600<br />2978150212090-283210212090<br />Nome científico: Quercus pyrenaica<br />Nome vulgar: Carvalho negral<br />Descrição: É uma árvore de folha caduca, que pode atingir 25 metros de altura. A copa é irregular arredondada, mais ou menos alongada. O tronco é cinzento-escuro baço e gretado em placas. Tem grande capacidade regenerativa a partir da raiz pelo que forma manchas arbustivas muito densas.<br />Distribuição geográfica: Em Portugal é frequente no Norte e Centro. Dominante em matas de clima mediterrânico, relativamente chuvoso mas continental.<br />Utilização: Usado para a produção de madeira. Pode também ser explorado em talhadia para produzir ramos e folhagem para alimentar o gado. <br />-3657602514600297180025146002971800-114300-342900-457200<br />Nome científico: Quercus faginea<br />Nome vulgar: Carvalho Português <br />Descrição: Árvore de folhas persistentes, com 15-20 metros de altura. O tronco tem uma casca acinzentada ou parda. As folhas com cor verde-escura, brilhantes nas faces superiores e esbranquiçadas nas inferiores. O fruto do carvalho é a bolota.<br />Distribuição geográfica: Sul da Europa. Existe espontaneamente em Portugal, principalmente no interior alentejano, explorada em montados, habitualmente em consociação com uma cultura agrícola ou pastagem. Encontra-se também em povoamentos mistos com sobreiro.<br />Utilização: Usada, principalmente, para produção de fruto, que serve de alimento para porcos denominados de montanheira. É também utilizada para produzir carvão, madeira e lenha (madeira com elevado poder calorífico). <br />-228600-3429003086100-342900<br />3086100128270-228600128270<br />Nome científico: Quercus robur<br />Nome vulgar: Carvalho Roble ou Carvalho Alvarinho <br />Descrição: É uma árvore de folha caduca, com um porte majestoso, podendo ultrapassar os 40 metros de altura. O tronco tem um porte recto e uma casca muito espessa. As folhas são grandes, simples e alternas, de cor verde intensa, com as nervuras bem salientes na página inferior. O fruto é uma bolota.Distribuição geográfica: O Carvalho-roble é comum em toda a Europa, Norte de África e Ásia Ocidental. Em Portugal é espontâneo, sobretudo no Norte litoral.Utilização: A madeira do carvalho roble é muito dura, de grão fino e com anéis de crescimento muito bem demarcados. É bastante pesada e muito resistente à putrefacção, sendo recomendada para usos que envolvam água, nomeadamente a construção naval. Tem sido também usada em mobiliário, carpintaria, marcenaria e tanoaria.<br />2976245-353695-455930-353695<br />2964180125095-479425172720<br />Nome científico: Castanea sativa<br />Nome vulgar: Castanheiro, Castanheiro-comum, Castanheiro-vulgar e Reboleiro<br />Descrição: É uma árvore folha caduca. O desenvolvimento dos frutos dá-se no interior de um invólucro espinhoso - ouriço. <br />Distribuição geográfica: O Castanheiro europeu ocorre por toda a Europa do Sul (de Portugal). Em Portugal existe nas regiões Norte e Centro, incluindo a região de Portalegre.<br />Utilização: Produção de madeira de elevada qualidade, tiras para a cestaria e de fruto (castanhas).<br />2971800-457200-457200-457200<br />-45720067945300863059690<br />Nome científico: Prunus avium<br />Nome vulgar: Cerejeira brava<br />Descrição: Espécie de folha caduca, considerada de meia-luz, tolerando alguma sombra enquanto jovem e durante alguns anos. Pode atingir 20-25 metros de altura e possui um tronco direito e negro, formando gretas na base nas árvores mais idosas.<br />Distribuição geográfica: Em Portugal, localiza-se no Norte e nas montanhas da Beira Interior, encontrando o seu óptimo nas zonas onde a influência atlântica domina a mediterrânica.<br />Utilização: Muito procurada pela sua madeira que é bastante dura, forte, flexível e elástica, com aptidão para o uso em mobiliário, marchetaria, torneados, instrumentos musicais, folheados (de alto valor).<br /> <br />28536902843530-4610102843530-457200-2266952857500-226695<br />Nome científico: Fraxinus excelsior<br />Nome vulgar: Freixo europeu<br />Descrição: O Freixo é uma árvore caducifólia que pode alcançar os 20 metros de altura. O tronco é espesso e a casca lisa, é cinzenta clara, escurecendo ao envelhecer. As folhas são verdes pouco escuras, em forma de lança e dentadas na margem com cerca de 3 a 9 cm de comprimento e 2 a 3 cm de largura. <br />Distribuição geográfica: Em Portugal, habita cursos de água e forma bosques em alguns locais por todo o país, excepto o Noroeste. <br />Utilização: O Freixo é utilizado pela sua madeira e alimentação animal.<br />-7048571755292036524130-127635284734029203652847340 <br />Nome científico: Laurus nobilis L.<br />Nome vulgar: Loureiro<br />Descrição: Árvore de folha persistente geralmente com menos de 10 m de altura.<br />Distribuição geográfica: A nível nacional ocorre sobretudo na parte Oeste do Norte e Centro, em solos húmidos de locais sombrios sem geadas prolongadas.<br />Utilização: As suas folhas têm uso culinário e medicinal.<br />28943302971800-42037029718002894330-228600-457200-228600 <br />Nome científico: Arbutus unedo L.<br />Nome vulgar: Medronheiro<br />Descrição: Arbusto ou pequena árvore de folha persistente, com casca fendilhada, que pode alcançar 4-5 (7) m de altura. O medronheiro floresce no Outono ou no princípio do Inverno. As flores são pequenas e surgem em cachos compostos. Os frutos maturam no Outono adquirindo uma cor vermelha. <br />Distribuição geográfica: O medronheiro surge um pouco por todo o país desde o nível do mar até aos 800 m de altitude, associado aos bosques mistos de sobreiro e azinheira e matos xerófilos.<br />Utilização: Esta é uma árvore frutífera e ornamental. O medronho é muito utilizado para aguardente e compotas.<br />2971800-34290029718002743200-3429002743200-342900-342900 <br />Nome científico: Olea europaea L. <br />Nome vulgar: Oliveira Brava ou Zambujeiro <br />Descrição: Apresenta-se como um arbusto ou pequena árvore que pode atingir até 2,5 metros de altura. A folhagem coriácea, de margens mais ou menos enroladas, sendo verde-cinzentadas na página superior e esbranquiçadas na inferior. <br />Distribuição geográfica: Trata-se de uma espécie endémica da ilha da Madeira, característica do Zambujal. <br />Utilização: Os frutos só podem ser consumidos depois de processados, na forma de conserva ou de azeite. A produção de azeite ou de conserva depende da variedade. Rica em vitaminas A, B1, D e E. <br />29718002286000228600<br />29718001574800157480<br />Nome científico: Pinus pinaster<br />Nome vulgar: Pinheiro Bravo<br />Descrição: É uma árvore de folhas perenes, que pode atingir os 30 - 40 metros de altura. O tronco tem uma casca espessa, de cor castanha avermelhada, profundamente fissurada. As folhas são agulhas, emparelhadas, de cor verde-escura, rígidas e grossas. As pinhas são cónicas ovóides, simétricas ou quase, castanhas claras e polidas.<br />Distribuição geográfica: Região Mediterrânica e costas atlânticas de Portugal, Espanha e França. Introduzido na Bélgica, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul.<br />Utilização: Produção de madeira (para mobiliário, construção, painéis de partículas, etc.) e produção de resina. podendo <br />1524061595296799062230152402691130<br />247650429260<br />Nome científico: Acer pseudoplatanus L.<br />Nome vulgar: Plátano-bastardo<br />Descrição: Árvore caducifólia até 30 m de altura.<br />Distribuição geográfica: Surge espontaneamente na zona Noroeste, montanhas do centro e Serra de Sintra e vegeta até 1.500 m de altitude. É uma espécie de sombra ou meia sombra que requer solos frescos e tolera alguma poluição atmosférica.<br />Utilização: Produz madeira de boa qualidade e folhada que melhora as características do solo. <br />2910840-385445-213360-404495<br />-2924175424815<br />29527595885<br />Nome científico: Quercus suber<br />Nome vulgar: Sobreiro<br />Descrição: Árvore de folhas persistentes, com 15-20 metros de altura. Pode atingir, em casos extremos, os 25 m de altura. O tronco tem uma casca espessa e suberosa, vulgarmente designada por cortiça. As folhas com cor verde-escura, são brilhantes nas faces superiores e acinzentadas nas inferiores. O fruto do sobreiro é a bolota.<br />Distribuição geográfica: Sul da Europa e Norte de África. Em Portugal encontra-se distribuído por todo o país. É principalmente explorado em montado, onde os sobreiros existem quase sempre em associação com uma cultura agrícola ou uma pastagem.<br />Utilização: A sua principal utilização é a produção de cortiça, o único produto do qual Portugal é o primeiro produtor mundial. Os frutos (bolotas) servem também de alimento para porcos denominados de montanheira.Em virtude do seu elevado poder calorífico, a madeira é muito utilizada para a produção de lenha.A cortiça proporciona ao Sobreiro uma protecção contra o fogo que lhe permite, frequentemente, sobreviver a incêndios.<br />

×