HORMÔNIOS
VEGETAIS
PROFESSOR VASCO
O crescimento e o desenvolvimento dos vegetais são
controlados por fatores ambientais externos (por exemplo, luz,
água e t...
Auxinas (AIA ou Ácido Indolacético)
a) Local de síntese: meristema apical, meristema caulinar, primórdios foliares,
folhas...
Citocininas
a) Local de síntese: principalmente no ápice da raiz.
b) Efeitos: promovem a divisão celular (o nome vem de ci...
Ácido abscísico
a) Local de síntese: principalmente em folhas maduras submetidas ao estresse
hídrico e nas sementes.
b) Ef...
FOTROPISMO
As auxinas são hormônios vegetais que controlam os movimentos das plantas
em resposta à luz (fototropismo). Qua...
GRAVITROPISMO ou GEOTROPISMO

Tipo de tropismo em que a fonte do movimento vegetal é a
força da gravidade, de acordo com ...
 EXPERIMENTO DE WENT
 O alongamento das coleóptilos de gramíneas é controlado por
hormônio de crescimento produzido na e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula: Hormônios vegetais (Power Point)

27.556 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
27.556
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8.254
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
624
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula: Hormônios vegetais (Power Point)

  1. 1. HORMÔNIOS VEGETAIS PROFESSOR VASCO
  2. 2. O crescimento e o desenvolvimento dos vegetais são controlados por fatores ambientais externos (por exemplo, luz, água e temperatura) e internos. Os principais fatores internos são os hormônios que, através de sinais químicos, controlam o metabolismo do vegetal. Eles são produzidos em diferentes partes do corpo do vegetal e não em glândulas específicas, como ocorre nos animais. Os hormônios vegetais são também chamados de fitormônios. Em geral, atuam em conjunto na regulação do metabolismo vegetal. A seguir veremos os cinco tipos principais: auxinas, citocininas, etileno, ácido abscísico e giberilinas.
  3. 3. Auxinas (AIA ou Ácido Indolacético) a) Local de síntese: meristema apical, meristema caulinar, primórdios foliares, folhas jovens e sementes em desenvolvimento. b) Efeitos: • Dominância apical: o ápice caulinar produz uma quantidade de auxina que inibe o crescimento das gemas laterais. Quando este é podado, as gema laterais se desenvolvem formando novos ramos. • Desenvolvimento de raízes: a auxina estimula o desenvolvimento de raízes adventícias em caules. • Desenvolvimento de frutos: a auxina permite, em algumas espécies, a formação de frutos partenocárpicos (produzidos sem fecundação). Atua também na transformação do ovário em fruto após a fecundação. • Desenvolvimento do sistema vascular: a auxina estimula a formação de tecidos vasculares (xilema e floema). c) Transporte: polar, ou seja, do local de produção (ápice da plantas) para o local de ação (base da planta).
  4. 4. Citocininas a) Local de síntese: principalmente no ápice da raiz. b) Efeitos: promovem a divisão celular (o nome vem de citocinese, fase final da divisão celular na qual o citoplasma se divide). Atrasam o envelhecimento das folhas e podem causar a quebra da dominância apical. c) Transporte: ocorre da raiz para o caule, através dos vasos de xilema. Etileno a) Local de síntese: produzido praticamente em todos os tecidos, principalmente naqueles que sofrem algum estresse ou naqueles que estão amadurecendo. b) Efeitos: promove o amadurecimento dos frutos e atua na queda das folhas e flores velhas. c) Transporte: é um hormônio gasoso transportado por difusão do local de síntese para o local de ação.
  5. 5. Ácido abscísico a) Local de síntese: principalmente em folhas maduras submetidas ao estresse hídrico e nas sementes. b) Efeitos: fechamento dos estômatos em resposta à falta de água e manutenção da dormência das sementes. c) Transporte: apolar, ocorre das folhas para o resto da planta, através do floema, e da raiz para os demais órgãos através do xilema. Giberelinas a) Local de síntese: tecido caulinar e sementes em desenvolvimento. b) Efeitos: estimula o crescimento de variedades de plantas anãs através do alongamento do caule. Quebra da dormência e germinação das sementes. Estimulação da produção de flores e frutos. c) Transporte: transporte apolar, ou seja, ocorre do ápice para a base e também ao contrário, principalmente através do floema.
  6. 6. FOTROPISMO As auxinas são hormônios vegetais que controlam os movimentos das plantas em resposta à luz (fototropismo). Quando uma planta é iluminada de um único lado, as auxinas migram para a região menos iluminada, causando um alongamento celular que tem como consequência a planta se curvando em direção à fonte de luz. Caule: o excesso de auxinas estimula o alongamento celular ( fototropismo positivo ) Raíz: o execsso de auxinas inibe o alongamento celular ( fototropismo negativo )
  7. 7. GRAVITROPISMO ou GEOTROPISMO  Tipo de tropismo em que a fonte do movimento vegetal é a força da gravidade, de acordo com a concentração de auxinas.  Caule: gravitropismo negativo (movimento oposto à gravidade)  Raiz: gravitropismo positivo (movimento no sentido da gravidade) GRAVITROPISMO NEGATIVO DO CAULE GRAVITROPISMO POSITIVO DA RAIZ
  8. 8.  EXPERIMENTO DE WENT  O alongamento das coleóptilos de gramíneas é controlado por hormônio de crescimento produzido na extremidade da coleóptile. Se o ápice é removido, o crescimento se reduz, devido à deficiência desse hormônio. Se o ápice é recolocado, o crescimento recomeça. As propriedades promotoras de crescimento do ápice podem ser substituídas por um bloco de ágar que recebeu o hormônio. O crescimento se dá no lado em que o bloco de ágar foi colocado devido à presença do hormônio auxina no bloco, promovendo o alongamento celular nessa região

×