BRAZILIAN AUTOMOTIVE VEHICLE (CARRO BRASILEIRO) - V2

637 visualizações

Publicada em

Titulo: BRAZILIAN AUTOMOTIVE VEHICLE (CARRO BRASILEIRO) - V2
Alunos:CAYO OKINO,Edvaldo Dalla Vecchia,Gustavo de Oliveira Camatta,marco paulo cervantes chimello,
Cidade: Jundiaí
Disciplina: Aquisições
Turma: GP20
Data:31-12-2014
Hora:14:57
Comentarios:Professor,
Segue anexo o trabalho de
Marco, Gustavo, Edvaldo e Cayo ‐
Turma Proj20 ‐ Jundiaí
Rev 3

Publico até ápos a correção

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
637
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

BRAZILIAN AUTOMOTIVE VEHICLE (CARRO BRASILEIRO) - V2

  1. 1. TAP - Termo de Abertura do Projeto Projeto BRAZILIAN AUTOMOTIVE VEHICLE (CARRO BRASILEIRO) Descrição Desenvolver e lançar um veiculo Brasileiro Justificativa O Brasil ainda não possui uma montadora com marca própria, todos os Players são multinacionais sediadas em outros países Objetivo S.M.A.R.T. Lançar um veiculo de marca Brasileira em 2018, para competir na categoria de veículos de entrada, aprovado e testado em todos os órgãos competentes da América Latina, com o Investimentos estimados de R$ 1 bihão. Requisitos Possuir uma alta eficiência energética, baixo custo de manutenção podendo utilizar outras fontes de energia como alternativa a Gasolina Designação Gerente de Projeto - Cayo Okino Milestones 2014 - Iniciação 2015 - Planejamento 2016 - Desenvolvimento e Prototipagem 2017 - Controle / Melhoria de Processos e Produtos / Otimizações 2018 - Validação Final junto aos Órgãos e agenciais e Lançamento 2019 - Maturidade da produção Orçamento Orçamento estimado em 1 bilhão de Reais ILR$ 1,70 MTIR21% TIR39% i10% VPLR$ 1.696.724.290,22 Riscos SWOT S - Baixo custo de Veiculo / marca Brasileira / Incentivo fiscal local W - Primeiro projeto da marca / Primeira veiculo / Baixo know How O - New Brands T - Concorrentes Data, Assinatura do Sponsor 30/12/2014 - Aprovado
  2. 2. ISH - Registro de Stakeholder Online Cadastro Stakeholder Posição Papel no Projeto Email Telefone Celular CAYO OKINO Engenheiro de Produto e Desenvolvimento Gerente do Projeto CAYOOKINO@HOTMAIL.COM 5511-44967777 55-11-994099131 Cayo Terra Vice Program Manager cayo.okino@terra.com.br Edvaldo Vecchia Coordenador - Engenharia de Manutenção LJ I/II Sponsor do Projeto edvaldo.vecchia@deca.com.br (11) 4585-3478 55 11 996222832 Gilvan Teste Júnior 1 Tester teste.junior@otmma3.com.br Gustavo Camatta Supervisor de Produção Membro da Equipe de Projeto Gustavo.camatta@uol.com.br (11) 45348264 55 11 99623 2414 Marco Paulo Chimello Projects and Contracts Coordinator / Coordenador de Projetos e Contratos Membro da Equipe de Projeto marco.paulo@vulkan.com.br + 55 11 4894-8451 55 11 9 7116 1607 marco chimello Membro da Equipe de Projeto marcochimello@yahoo.com.br
  3. 3. ISH - Registro de Stakeholder Online Qualificação Requisitos Superficiais Plano de Ação do G.P. Classificação Outras Caracteristicas Requisitos Superficiais Estrátegia Gerenciar com atenção Prover informações integrantes do Projeto Gerenciar de perto o Trabalho Mínimo esforço Prover informações integrantes do Projeto na falta do GP Estar informado de todas as ações Manter satisfeito Poder de parar o Projeto a qualquer hora Boletim Informativo - Mensal (em atividades criticas - Semanal - a ser discutida com o mesmo) Manter informado Adicionado para Resolver o Problema de Gerenciamento do Softaware Anseio de Manter a comunicação e Sistema em pleno funcionamento Acionar somente em caso necessário Manter informado Responsável Técnico do Projeto Boletim Informativo - Semanal Gerenciar com atenção Responsável - Jurídico Financeiro do Projeto Boletim Informativo - Semanal Gerenciar com atenção Responsável Juridico Financeiro Boletim Informativo - Semanal
  4. 4. DPGP - Plano de Gerenciamento do Projeto
  5. 5. PGE - Plano de Gerenciamento do Escopo
  6. 6. Dreq - Declaração de Requisitos Requisitos do Projeto Matriz de Rastreabilidade Stakeholder Requisito Detalhado Classificação Prioridade Componente Relacionado Entrega onde se manifesta Rastreabilidade Edvaldo Vecchia O Projeto deve atender aos números financeiros, devendo ser revisados a cada inicio e fim de fase do projeto. TIR39% i10% VPLR$ 1.696.724.290,22 Manter satisfeito 5 S,M,,, 1.2.2 - Design > AVT (Analise de Viabilidade Técnica) > Viabilidade Financeira 1.3.3 - Design > Concepção e Conceito > Financeiro 2.1.2 - Prototipos > Validação de Conceito > Financeira 4.1.2 - Vendas > Marketing > Estrategias de Vendas 1.2.2 - Aguardando 1.3.3 - Aguardando 2.1.2 - Aguardando 4.1.2 - Aguardando Marco Paulo Chimello Devemos lançar o Veiculo em Abril de 2018 com a capacidade de produção conforme explicitado abaixo Ano / volume de veiculos vendidos (ano)/ produção dia 2014/0 2015/0 2016/0 2017/0 2018/0 2019/50.000 / 208 2020/90.000 / 375 2021/150.000 / 625 2022/180.000 / 750 2023/150.000 / 625 2024/130.000 / 542 2025/50.000 / 208 Gerenciar com atenção 4 S,M,A,,T
  7. 7. Dreq - Declaração de Requisitos Requisitos do Produto Matriz de Rastreabilidade Stakeholder Requisito Detalhado Classificação Prioridade Componente Relacionado Entrega onde se manifesta Rastreabilidade Gustavo Camatta Lançar um veiculo de marca Brasileira em 2018, para competir na categoria de veículos de entrada, aprovado e testado em todos os órgãos competentes da América Latina, Manter informado 3 S,M,A,R,T 1.2.1 - Design > AVT (Analise de Viabilidade Técnica) > Viabilidade Técnica 1.3.2 - Design > Concepção e Conceito > Técnico 1.4.1 - Design > Detalhamento > Desenhos e Especificações - Prototipo 1.4.2 - Design > Detalhamento > Desenhos e Especificações - Fabricação 2.1.1 - Prototipos > Validação de Conceito > Técnica 2.4.1 - Prototipos > Testes e Ensaios > Durabilidade 2.4.2 - Prototipos > Testes e Ensaios > Funcionais 2.4.3 - Prototipos > Testes e Ensaios > Homologação - CRASH 2.2.1 - Prototipos > Fornecedores > Desenvolvimento 3.2.2 - Manufatura > Adequação do quadro de M.O.D. > Treinamento 4.1.1 - Vendas > Marketing > Analise de Mercado 1.2.1 - Aguardando 1.3.2 - Aguardando 1.4.1 - Aguardando 1.4.2 - Aguardando 2.1.1 - Aguardando 2.4.1 - Aguardando 2.4.2 - Aguardando 2.4.3 - Aguardando 2.2.1 - Aguardando 3.2.2 - Aguardando 4.1.1 - Aguardando CAYO OKINO O Veiculo deve atender ao Crash Test Conforme Padrão Internacional ISO Gerenciar com atenção 3 S,M,A,R, 2.4.3 - Prototipos > Testes e Ensaios > Homologação - CRASH 2.4.3 - Aguardando
  8. 8. DE - Definir Escopo Escopo do Produto Um Veiculo para o mercado Brasileiro conforme as normas e legislações vigentes aplicáveis para o Mercado Latino Americano. Escopo do Projeto Lançamento até 2018, Uso de 90% em custo do veiculo de conteúdo local (Brasil preferencialmente) ou latino Americano. att Cayo Okino Entregas e critérios de aceitação Design - Detalhamentos e especificações Protótipos - Validado em Testes funcionais Manufatura - Aprovado junto ao Controle de qualidade (Qualidade e Produtividade) Vendas - Planos de Vendas Validado. Escopo não incluído no projeto Desenvolvimento de novas tecnologias em fornecedores. Premissas Orçamento de 200k Restrições Falta de fornecedores com tecnologia suficiente no mercado local.
  9. 9. WBS - Estrutura de Decomposição do Trabalho Descomposição C.C. Fase / Subfase / Pacote de Trabalho Análise M/B 1 Design 1.1 Analise de Benchmark 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional Make 1.1.2 Componentes - Manufatura Make 1.1.3 Componente - Funcional Make 1.2 AVT (Analise de Viabilidade Técnica) 1.2.1 Viabilidade Técnica Make 1.2.2 Viabilidade Financeira Make 1.3 Concepção e Conceito 1.3.1 Marketing Make 1.3.2 Técnico Make 1.3.3 Financeiro Make 1.4 Detalhamento 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo Make 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação Make 2 Prototipos 2.1 Validação de Conceito 2.1.1 Técnica Make 2.1.2 Financeira Make 2.1.3 Marketing Make 2.2 Fornecedores 2.2.1 Desenvolvimento Make 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes Make 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Buy 2.3 Criação de Prototipos 2.3.1 Material Buy 2.3.2 Confecção dos Prototipos Make 2.4 Testes e Ensaios 2.4.1 Durabilidade Make 2.4.2 Funcionais Make 2.4.3 Homologação - CRASH Buy 3 Manufatura 3.1 Meios de Produção 3.1.1 Maquinas Buy 3.1.2 Equipamento Buy 3.2 Adequação do quadro de M.O.D. 3.2.1 Contratação Make 3.2.2 Treinamento Make 3.3 Logística 3.3.1 Log. Interna Make 3.3.2 Log. Externa Make 3.4 Compras de Materiais 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) Make 3.4.2 Compras materias - - Indiretos Make 3.5 Controle de Qualidade 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) Make 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) Make 4 Vendas 4.1 Marketing
  10. 10. 4.1.1 Analise de Mercado Make 4.1.2 Estrategias de Vendas Make 4.2 Materiais Promocionais 4.2.1 Promocionais Elaboração Make 4.2.2 Promocionais Confecção Make 4.3 Concessionãrios 4.3.1 Concessionarios - Implantação Make 4.3.2 Concessionarios - Treinamento Make 4.4 Logistica de Distruibuição 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD Make 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição Make 4.5 Campanhas Publicitárias da Marca Própria 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo Make 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Make
  11. 11. D-WBS - Dicionário WBS Fase : Design C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Aceitação OK 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional Analisar o Desempenho Funcional do Veiculo como um todo em relação a outros 3 veiculos Benchmarking Funcional Relatório de Benchmarking Funcional -Conforme Aceitou 1.1.2 Componentes - Manufatura Analise de Benchmarking de componentes de Manufatura Benchmarking Manufatura / Fabricação Relatório de Benchmarking de comp de Manufatura conf. Modelo Aceitou 1.1.3 Componente - Funcional Analisar Funcional de componente com de outros 3 concorrentes Benchmarking Funcional do componentes Relatório de Benchmarking Funcional de componente conf. Mode Aceitou 1.2.1 Viabilidade Técnica Viabilidade Técnica funcional (feasibilidade) Assinatura do Feasible assesment Estar de acordo com as premissas técnicas de durabilidade de Aceitou 1.2.2 Viabilidade Financeira Viabilidade Financeira Assinatura do Financial assesment Estar de acordo com as premissas financeiras Aceitou 1.3.1 Marketing Checagem Marketing concept Assinatura do Concept Assesment Acordo com o Plano de Marketing definido Aceitou 1.3.2 Técnico Conceito deve estar de acordo com os requisitos técnicos Assinatura do Concept Assesment Assinatura do Concept Assesment Aceitou 1.3.3 Financeiro Os custos / Investimentos devem estar de acordo com o prédefinido Assinatura do Concept Assesment Assinatura do Concept Assesment Aceitou 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo Elaborar todos os desenhos e especificações para execução de protótipo Liberação de Desenhos e Especificações - Protótipo Revisão com dpto Tecnico e fornecedores Aceitou 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação Elaborar todos os desenhos e especificações para Fabricação Liberar todos os desenhos e especificações para Fabricação Revisão com dpto Tecnico e fornecedores Aceitou
  12. 12. D-WBS - Dicionário WBS Fase : Prototipos C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Aceitação OK 2.1.1 Técnica Avaliar o protótipo tecnicamente Validação do Conceito Técnico do Prototipo Estar de acordo com os desenho e especificações técnicas Aceitou 2.1.2 Financeira Checagem e avaliação dos custos de Investimentos e Fabricação do Veiculo. Validação do Conceito Técnico do Prototipo - Financeiro Atualizar o Budget do Projeto Aceitou 2.1.3 Marketing Checagem do modelo de acordo com o Marketing proposto para o veiculo Validação do Conceito Técnico do Prototipo - Marketing Validação Conceitual de Marketing Aceitou 2.2.1 Desenvolvimento Desenvolvimento de Fornecedores aptos em Know How, produção e protótipo Fornecedores aptos para entrega de peças Auditoria in loco Aceitou 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes Desenvolver e Aprovar componentes Comprados Desenvolvimento e Aprovação de componentes Comprados Procedimento PPAP Aceitou 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Coordenar a compra manufatura de componentes comprados no fornecedor Recebimento dos componentes / Subcomponentes comprados Entrega de peças Certificado de qualidade Aceitou 2.3.1 Material Materias, certificados e testados Materiais para construção de protótipos Recebimento com os devidos certificados e laudos Aceitou 2.3.2 Confecção dos Prototipos Construção dos protótipos em meios representativos Prototipos Feitos Entrega dos protótipos com os laudos dimensionais e testes n Aceitou 2.4.1 Durabilidade Realizar e certificar a durabilidade do protótipo Testes de Durabilidade feitos Recebimento com os devidos certificados e laudos Aceitou 2.4.2 Funcionais Realizar os testes funcionais de acordo com as especificações Testes de funcionais feitos Entrega dos protótipos com os laudos dos testes funcionais Aceitou 2.4.3 Homologação - CRASH Realização dos testes de homologação de Crash conforme norma internacional ISO 16949 Testes de Segurança Crash - feitos Entrega dos protótipos com os laudos dos testes conforme nor Aceitou
  13. 13. D-WBS - Dicionário WBS Fase : Manufatura C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Aceitação OK 3.1.1 Maquinas Pesquisa, quotação, compra, transporte, instalação e teste do maquinário para produção Maquinas Instaladas Teste de produção para atender a demanda de 750 veículos dia Aceitou 3.1.2 Equipamento Pesquisa, quotação, compra, transporte, instalação e teste dos equipamentos para produção Equipamentos Instalados Teste de produção para atender a demanda de 750 veículos dia Aceitou 3.2.1 Contratação Contratar a Mão de Obra para atender as fases de produção do veiculo Mão de Obra Contratada Contratação do numero de pessoas de acordo com o solicitado Aceitou 3.2.2 Treinamento Treinar a mão de Obra para que possam operar a Fabrica atendendo aos requisitos de qualidade da empresa com nivel de eficiencia aceitavel (OEE 65%) Mão de Obra Treinada Mão de Obra Treinada com certificado Aceitou 3.3.1 Log. Interna Elaborar o Fluxo interno da produção de acordo com as praticas da filosofia Lean Manufacture Projeto de Logistica Interno feito Aprovação da Gerencia de produção Aceitou 3.3.2 Log. Externa Elaborar o Fluxo externo da produção de acordo com as praticas da filosofia Lean Manufacture Projeto de Logistica externa feito Aprovação da Gerencia de supply chain e Gerencia de produção Aceitou 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) Prover os materiais necessários para produção Materiais de produção entregues Recebimento com os devidos certificados e laudos Aceitou 3.4.2 Compras materias - - Indiretos Prover os insumos necessários para produção Materiais de produção (insumos) entregues Recebimento com os devidos certificados e laudos Aceitou 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) Elaborar o plano de qualidade de acordo os padrão da empresa atendendo aos requisitos internacionais de qualidade Plano da Qualidade Elaborado Plano de Qualidade Aprovado pela Diretoria Aceitou 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) Elaborar o Plano de qualidade para os fornecedores com as metas de qualidade definidas e seus planos de contigencia Plano da Qualidade Elaborado Plano de Qualidade Aprovado pela Diretoria e Gerencia de Pro Aceitou
  14. 14. D-WBS - Dicionário WBS Fase : Vendas C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Aceitação OK 4.1.1 Analise de Mercado Elaborar a Analise de Mercado Analise de Mercado Feita Recebimento da Analise de Mercado Aceitou 4.1.2 Estrategias de Vendas Elaborar de acordo com a Analise de Mercado realizada previamente Elaborar a Estratégia de Vendas Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas e Produção Aceitou 4.2.1 Promocionais Elaboração Elaborar o material Promocional de Vendas Elaborar o material Promocional de Vendas Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.2.2 Promocionais Confecção Confeccionar o Material Promocional Material Promocional Feito Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.3.1 Concessionarios - Implantação Definir os locais estratégicos das concessionárias Implantação das concessionárias Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.3.2 Concessionarios - Treinamento Treinamento para Vendas / Manutenção / Garantia nos colaboradores da rede de concessionária Rede de Concessionárias Treinada Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD Definição estratégica dos CD Definição dos locais CD Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição Definição dos parâmetros logísticos definidos afim de minimizar os custos de transportes Parâmetros logisticos definidos Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas e Produção Aceitou 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo Definir as campanhas e os meios que serão veiculadas - TV , Radio, Panfletos Campanhas e Veiculos comunicação definidos Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Definir as formas de financiamentos e condições que serão ofertadas aos clientes Forma de Financiamentos Feitas Aprovação da Diretoria e Gerencia de Vendas Aceitou
  15. 15. PGCrono - Plano de Gerenciamento do Cronograma O PGCrono é um componente do PGP - Plano de Gerenciamento do Projeto que estabelece os critérios e as atividades para o desenvolvimento, monitoramento e controle do cronograma. O PGCrono pode ser formal ou informal, altamente detalhado ou generalizado, baseado nas necessidades do projeto e inclui os limites de controle apropriados. Um PGCrono pode incluir: O desenvolvimento do modelo do cronograma do projeto. A metodologia e a ferramenta de cronograma a serem usadas no desenvolvimento do modelo do cronograma do projeto são especificas; Nível de exatidão. A faixa aceitável usada na determinação das estimativas realistas de duração das atividades é especifica e pode incluir uma quantia para contingência; Unidades de medida. Cada unidade usada em medições (como horas e dias de pessoal ou semanas para medidas de tempo, ou metros, litros, toneladas, quilômetros ou jardas cúbicas para medidas de quantidade), é definida para cada um dos recursos; Associações com procedimentos organizacionais. A WBS fornece a estrutura para o PGCrono, considerando a consistência com as estimativas e os cronogramas resultantes; Manutenção do modelo do cronograma do projeto. O processo usado para atualizar o progresso no andamento e registro do projeto no modelo do cronograma durante a execução do projeto é definido; Limites de controle. Limites de variação para monitoramento do desempenho do cronograma podem ser especificados para indicar uma quantidade de variação combinada a ser permitida antes que alguma ação seja necessária. Os limites são tipicamente expressos como percentagem de desvio dos parâmetros estabelecidos no plano da linha de base. Regras para medição do desempenho. As regras para medição do desempenho do gerenciamento do valor agregado ou outras regras de medição física do desempenho são estabelecidas. O PGCrono pode especificar: Regras para estabelecer o percentual completo, Contas de controle em que o gerenciamento do progresso e cronograma serão medidos, Técnicas de medição do valor agregado (por exemplo, linhas de base, fórmula fixa, percentual completo etc. ), a serem empregadas; Medições do desempenho do cronograma tais como a variação de prazos (SV) e o índice de desempenho de prazos (SPI) usadas para avaliar a magnitude de variação à linha de base do cronograma original. Formatos de relatórios. Os formatos e frequências para vários relatórios de prazos são definidos; Descrições dos processos. Descrições de cada um dos processos de gerenciamento dos prazos são documentadas. PROJ 20
  16. 16. DC - Desenvolver Cronograma C.C. WBS Ínicio Fim Dias Dep M/B Recursos Nome do projeto 17/11/2014 01/05/2019 0 1 Design 31/12/2014 31/12/2014 0 1.1 Analise de Benchmark 31/12/2014 31/12/2014 0 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional 31/12/2014 31/12/2014 0 1.1.2 Componentes - Manufatura 31/12/2014 31/12/2014 0 1.1.3 Componente - Funcional 31/12/2014 31/12/2014 0 1.2 AVT (Analise de Viabilidade Técnica) 31/12/2014 31/12/2014 0 1.2.1 Viabilidade Técnica 31/12/2014 31/12/2014 0 1.2.2 Viabilidade Financeira 31/12/2014 31/12/2014 0 1.3 Concepção e Conceito 31/12/2014 31/12/2014 0 1.3.1 Marketing 31/12/2014 31/12/2014 0 1.3.2 Técnico 31/12/2014 31/12/2014 0 1.3.3 Financeiro 31/12/2014 31/12/2014 0 1.4 Detalhamento 31/12/2014 31/12/2014 0 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo 31/12/2014 31/12/2014 0 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação 31/12/2014 31/12/2014 0 2 Prototipos 31/12/2014 31/12/2014 0 2.1 Validação de Conceito 31/12/2014 31/12/2014 0 2.1.1 Técnica 31/12/2014 31/12/2014 0 2.1.2 Financeira 31/12/2014 31/12/2014 0 2.1.3 Marketing 31/12/2014 31/12/2014 0 2.2 Fornecedores 31/12/2014 31/12/2014 0 2.2.1 Desenvolvimento 31/12/2014 31/12/2014 0 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes 31/12/2014 31/12/2014 0 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas 31/12/2014 31/12/2014 0 2.3 Criação de Prototipos 31/12/2014 31/12/2014 0 2.3.1 Material 31/12/2014 31/12/2014 0 2.3.2 Confecção dos Prototipos 31/12/2014 31/12/2014 0 2.4 Testes e Ensaios 31/12/2014 31/12/2014 0 2.4.1 Durabilidade 31/12/2014 31/12/2014 0 2.4.2 Funcionais 31/12/2014 31/12/2014 0 2.4.3 Homologação - CRASH 31/12/2014 31/12/2014 0 3 Manufatura 31/12/2014 31/12/2014 0 3.1 Meios de Produção 31/12/2014 31/12/2014 0 3.1.1 Maquinas 31/12/2014 31/12/2014 0
  17. 17. 3.1.2 Equipamento 31/12/2014 31/12/2014 0 3.2 Adequação do quadro de M.O.D. 31/12/2014 31/12/2014 0 3.2.1 Contratação 31/12/2014 31/12/2014 0 3.2.2 Treinamento 31/12/2014 31/12/2014 0 3.3 Logística 31/12/2014 31/12/2014 0 3.3.1 Log. Interna 31/12/2014 31/12/2014 0 3.3.2 Log. Externa 31/12/2014 31/12/2014 0 3.4 Compras de Materiais 31/12/2014 31/12/2014 0 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) 31/12/2014 31/12/2014 0 3.4.2 Compras materias - - Indiretos 31/12/2014 31/12/2014 0 3.5 Controle de Qualidade 31/12/2014 31/12/2014 0 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) 31/12/2014 31/12/2014 0 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) 31/12/2014 31/12/2014 0 4 Vendas 31/12/2014 31/12/2014 0 4.1 Marketing 31/12/2014 31/12/2014 0 4.1.1 Analise de Mercado 31/12/2014 31/12/2014 0 4.1.2 Estrategias de Vendas 31/12/2014 31/12/2014 0 4.2 Materiais Promocionais 31/12/2014 31/12/2014 0 4.2.1 Promocionais Elaboração 31/12/2014 31/12/2014 0 4.2.2 Promocionais Confecção 31/12/2014 31/12/2014 0 4.3 Concessionãrios 31/12/2014 31/12/2014 0 4.3.1 Concessionarios - Implantação 31/12/2014 31/12/2014 0 4.3.2 Concessionarios - Treinamento 31/12/2014 31/12/2014 0 4.4 Logistica de Distruibuição 31/12/2014 31/12/2014 0 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD 31/12/2014 31/12/2014 0 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição 31/12/2014 31/12/2014 0 4.5 Campanhas Publicitárias da Marca Própria 31/12/2014 31/12/2014 0 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo 31/12/2014 31/12/2014 0 4.5.2 Campanhas - Financiamentos 31/12/2014 31/12/2014 0
  18. 18. PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos O PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos é um componente do PGP - Plano de Gerenciamento do Projeto e descreve como os custos do projeto serão planejados, estruturados, e controlados. Os processos de gerenciamento dos custos do projeto e suas ferramentas e técnicas associadas são documentados aqui no PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos. O PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos pode conter: Unidades de medida. Cada unidade usada em medições (como horas e dias de pessoal ou semanas para medidas de tempo, ou metros, litros, toneladas, quilômetros ou jardas cúbicas para medidas de quantidade, ou importância global em forma de moeda) é definida para cada um dos recursos; Nível de precisão. O grau em que as estimativas dos custos das atividades serão arredondadas para cima ou para baixo, com base no escopo das atividades e magnitude do projeto; Nível de exatidão. A faixa aceitável usada na determinação das estimativas realísticas de duração das atividades é especificada e pode incluir uma quantidade para contingências; Associações com procedimentos organizacionais. A WBS fornece a estrutura para o PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos, permitindo a consistência nas estimativas, orçamentos e controle de custos. O componente da WBS usado para a contabilidade de custos do projeto é chamado de conta de controle. Cada conta de controle recebe um código único ou número(s) de conta que se conecta(m) diretamente ao sistema de contabilidade da organização executora; Limites de controle. Limites de variação para monitoramento do desempenho de custo podem ser especificados para indicar uma quantidade de variação combinada a ser permitida antes que alguma ação seja necessária. Normalmente os limites são expressos como percentagem de desvio da linha de base do plano; Regras para medição do desempenho. As regras para medição do desempenho do gerenciamento do valor agregado são estabelecidas. Por exemplo, o PGC - Plano de Gerenciamento dos Custos pode: Definir os pontos na WBS onde as medidas das contas de controle serão feitas; Estabelecer as técnicas de medição do valor agregado a serem empregadas; Especificar as metodologias de acompanhamento e as equações computacionais de gerenciamento do valor agregado para o cálculo do gerenciamento do valor agregado para determinar as previsões projetadas da estimativa no término (EAC) para fornecer uma verificação de validade da estimativa .bottom-up de cálculo da EAC. Formatos de relatórios. Os formatos e frequências para vários relatórios de custos são definidos; Descrições dos processos. As descrições de cada um dos outros processos de gerenciamento dos custos são documentadas; Detalhes adicionais. Os detalhes adicionais sobre as atividades de gerenciamento dos custos incluem, mas não estão limitados, a:
  19. 19. Descrição de escolhas de financiamento estratégicas, Procedimento para considerar flutuações nas taxas de câmbio, e Procedimento para registro dos custos do projeto. BY PROJ 20
  20. 20. Orç - Orçamento do Projeto C.C. WBS PV - Planned Value 1 Design 0,00 1.1 Analise de Benchmark 0,00 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional 0,00 1.1.2 Componentes - Manufatura 0,00 1.1.3 Componente - Funcional 0,00 1.2 AVT (Analise de Viabilidade Técnica) 0,00 1.2.1 Viabilidade Técnica 0,00 1.2.2 Viabilidade Financeira 0,00 1.3 Concepção e Conceito 0,00 1.3.1 Marketing 0,00 1.3.2 Técnico 0,00 1.3.3 Financeiro 0,00 1.4 Detalhamento 0,00 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo 0,00 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação 0,00 2 Prototipos 520.000,10 2.1 Validação de Conceito 0,00 2.1.1 Técnica 0,00 2.1.2 Financeira 0,00 2.1.3 Marketing 0,00 2.2 Fornecedores 70.000,00 2.2.1 Desenvolvimento 0,00 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes 0,00 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas 70.000,00 2.3 Criação de Prototipos 200.000,00 2.3.1 Material 200.000,00 2.3.2 Confecção dos Prototipos 0,00 2.4 Testes e Ensaios 250.000,10 2.4.1 Durabilidade 0,10 2.4.2 Funcionais 0,00 2.4.3 Homologação - CRASH 250.000,00 3 Manufatura 35.000.000,00 3.1 Meios de Produção 35.000.000,00 3.1.1 Maquinas 20.000.000,00 3.1.2 Equipamento 15.000.000,00 3.2 Adequação do quadro de M.O.D. 0,00 3.2.1 Contratação 0,00 3.2.2 Treinamento 0,00 3.3 Logística 0,00 3.3.1 Log. Interna 0,00 3.3.2 Log. Externa 0,00 3.4 Compras de Materiais 0,00 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) 0,00 3.4.2 Compras materias - - Indiretos 0,00 3.5 Controle de Qualidade 0,00 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) 0,00 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) 0,00 4 Vendas 0,00 4.1 Marketing 0,00 4.1.1 Analise de Mercado 0,00
  21. 21. 4.1.2 Estrategias de Vendas 0,00 4.2 Materiais Promocionais 0,00 4.2.1 Promocionais Elaboração 0,00 4.2.2 Promocionais Confecção 0,00 4.3 Concessionãrios 0,00 4.3.1 Concessionarios - Implantação 0,00 4.3.2 Concessionarios - Treinamento 0,00 4.4 Logistica de Distruibuição 0,00 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD 0,00 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição 0,00 4.5 Campanhas Publicitárias da Marca Própria 0,00 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo 0,00 4.5.2 Campanhas - Financiamentos 0,00 TOTAL DAS FASES 35.520.000,10 RESERVA DE CONTINGÊNCIA 0,00 LINHA DE BASE 35.520.000,10 RESERVA GERENCIAL 0,00 TOTAL DO ORÇAMENTO 35.520.000,10
  22. 22. PGQ - Plano de Gerenciamento da Qualidade
  23. 23. LVQ - Lista de Verifiação da Qualidade Fase : Design C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Validação OK 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional Analisar o Desempenho Funcional do Veiculo como um todo em relação a outros 3 veiculos Benchmarking Funcional Aceitou 1.1.2 Componentes - Manufatura Analise de Benchmarking de componentes de Manufatura Benchmarking Manufatura / Fabricação Aceitou 1.1.3 Componente - Funcional Analisar Funcional de componente com de outros 3 concorrentes Benchmarking Funcional do componentes Aceitou 1.2.1 Viabilidade Técnica Viabilidade Técnica funcional (feasibilidade) Assinatura do Feasible assesment Aceitou 1.2.2 Viabilidade Financeira Viabilidade Financeira Assinatura do Financial assesment Aceitou 1.3.1 Marketing Checagem Marketing concept Assinatura do Concept Assesment Aceitou 1.3.2 Técnico Conceito deve estar de acordo com os requisitos técnicos Assinatura do Concept Assesment Aceitou 1.3.3 Financeiro Os custos / Investimentos devem estar de acordo com o prédefinido Assinatura do Concept Assesment Aceitou 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo Elaborar todos os desenhos e especificações para execução de protótipo Liberação de Desenhos e Especificações - Protótipo Aceitou 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação Elaborar todos os desenhos e especificações para Fabricação Liberar todos os desenhos e especificações para Fabricação Aceitou
  24. 24. LVQ - Lista de Verifiação da Qualidade Fase : Prototipos C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Validação OK 2.1.1 Técnica Avaliar o protótipo tecnicamente Validação do Conceito Técnico do Prototipo Aceitou 2.1.2 Financeira Checagem e avaliação dos custos de Investimentos e Fabricação do Veiculo. Validação do Conceito Técnico do Prototipo - Financeiro Aceitou 2.1.3 Marketing Checagem do modelo de acordo com o Marketing proposto para o veiculo Validação do Conceito Técnico do Prototipo - Marketing Aceitou 2.2.1 Desenvolvimento Desenvolvimento de Fornecedores aptos em Know How, produção e protótipo Fornecedores aptos para entrega de peças Aceitou 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes Desenvolver e Aprovar componentes Comprados Desenvolvimento e Aprovação de componentes Comprados Aceitou 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Coordenar a compra manufatura de componentes comprados no fornecedor Recebimento dos componentes / Subcomponentes comprados Aceitou 2.3.1 Material Materias, certificados e testados Materiais para construção de protótipos Aceitou 2.3.2 Confecção dos Prototipos Construção dos protótipos em meios representativos Prototipos Feitos Aceitou 2.4.1 Durabilidade Realizar e certificar a durabilidade do protótipo Testes de Durabilidade feitos Aceitou 2.4.2 Funcionais Realizar os testes funcionais de acordo com as especificações Testes de funcionais feitos Aceitou 2.4.3 Homologação - CRASH Realização dos testes de homologação de Crash conforme norma internacional ISO 16949 Testes de Segurança Crash - feitos Não aceitou
  25. 25. LVQ - Lista de Verifiação da Qualidade Fase : Manufatura C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Validação OK 3.1.1 Maquinas Pesquisa, quotação, compra, transporte, instalação e teste do maquinário para produção Maquinas Instaladas Aceitou 3.1.2 Equipamento Pesquisa, quotação, compra, transporte, instalação e teste dos equipamentos para produção Equipamentos Instalados Aceitou 3.2.1 Contratação Contratar a Mão de Obra para atender as fases de produção do veiculo Mão de Obra Contratada Aceitou 3.2.2 Treinamento Treinar a mão de Obra para que possam operar a Fabrica atendendo aos requisitos de qualidade da empresa com nivel de eficiencia aceitavel (OEE 65%) Mão de Obra Treinada Aceitou 3.3.1 Log. Interna Elaborar o Fluxo interno da produção de acordo com as praticas da filosofia Lean Manufacture Projeto de Logistica Interno feito Aceitou 3.3.2 Log. Externa Elaborar o Fluxo externo da produção de acordo com as praticas da filosofia Lean Manufacture Projeto de Logistica externa feito Aceitou 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) Prover os materiais necessários para produção Materiais de produção entregues Aceitou 3.4.2 Compras materias - - Indiretos Prover os insumos necessários para produção Materiais de produção (insumos) entregues Aceitou 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) Elaborar o plano de qualidade de acordo os padrão da empresa atendendo aos requisitos internacionais de qualidade Plano da Qualidade Elaborado Aceitou 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) Elaborar o Plano de qualidade para os fornecedores com as metas de qualidade definidas e seus planos de contigencia Plano da Qualidade Elaborado Aceitou
  26. 26. LVQ - Lista de Verifiação da Qualidade Fase : Vendas C.C. Pacote de Trabalho Descrição Entrega do PT Critério de Validação OK 4.1.1 Analise de Mercado Elaborar a Analise de Mercado Analise de Mercado Feita Aceitou 4.1.2 Estrategias de Vendas Elaborar de acordo com a Analise de Mercado realizada previamente Elaborar a Estratégia de Vendas Aceitou 4.2.1 Promocionais Elaboração Elaborar o material Promocional de Vendas Elaborar o material Promocional de Vendas Aceitou 4.2.2 Promocionais Confecção Confeccionar o Material Promocional Material Promocional Feito Aceitou 4.3.1 Concessionarios - Implantação Definir os locais estratégicos das concessionárias Implantação das concessionárias Aceitou 4.3.2 Concessionarios - Treinamento Treinamento para Vendas / Manutenção / Garantia nos colaboradores da rede de concessionária Rede de Concessionárias Treinada Aceitou 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD Definição estratégica dos CD Definição dos locais CD Aceitou 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição Definição dos parâmetros logísticos definidos afim de minimizar os custos de transportes Parâmetros logisticos definidos Aceitou 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo Definir as campanhas e os meios que serão veiculadas - TV , Radio, Panfletos Campanhas e Veiculos comunicação definidos Aceitou 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Definir as formas de financiamentos e condições que serão ofertadas aos clientes Forma de Financiamentos Feitas Aceitou
  27. 27. PGRH - Plano de Gerenciamento dos Recursos Humanos
  28. 28. MCR - Matriz de Competência e Responsabilidade C.C. Pacote Executa Responsável Confere Aprova 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional 1.1.2 Componentes - Manufatura 1.1.3 Componente - Funcional 1.2.1 Viabilidade Técnica 1.2.2 Viabilidade Financeira 1.3.1 Marketing 1.3.2 Técnico 1.3.3 Financeiro 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação 2.1.1 Técnica 2.1.2 Financeira 2.1.3 Marketing 2.2.1 Desenvolvimento 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes 2.3.2 Confecção dos Prototipos 2.4.1 Durabilidade 2.4.2 Funcionais 3.2.1 Contratação 3.2.2 Treinamento 3.3.1 Log. Interna 3.3.2 Log. Externa
  29. 29. 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) 3.4.2 Compras materias - - Indiretos 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) 4.1.1 Analise de Mercado 4.1.2 Estrategias de Vendas 4.2.1 Promocionais Elaboração 4.2.2 Promocionais Confecção 4.3.1 Concessionarios - Implantação 4.3.2 Concessionarios - Treinamento 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Qualificação para atividade 1 Nenhum conhecimento 2 Participou de treinamento 3 Dominio básico 4 Experiência prática 5 Especialista
  30. 30. PA - Plano de Ação Id Recurso analisado Quem O que fazer? Quando Analise de Desempenho
  31. 31. PGCo - Plano de Gerenciamento das Comunicações
  32. 32. MC - Mapa das Comunicações Data de publicação Stakeholder Emitente Assunto da informação Documentos relacionados Ação a ser tomada Stakeholder Destinatário Até quando Concluído
  33. 33. PGR - Plano de Gerenciamento dos Riscos O PGR - Plano de Gerenciamento dos Riscos é um componente do PGP - Plano de Gerenciamento do Projeto, e descreve como as atividades de gerenciamento dos riscos serão estruturadas e executadas. Um PGR - Plano de Gerenciamento dos Riscos normalmente contém: Metodologia. Define as abordagens, ferramentas e fontes de dados que podem ser usadas para realizar o gerenciamento dos riscos no projeto. Papéis e responsabilidades. Define o líder, o apoio e os membros da equipe de gerenciamento dos riscos para cada tipo de atividade do PGR, e explica suas responsabilidades. Orçamento. Estima os fundos com base nos recursos designados, para inclusão na linha de base de custos, e estabelece os protocolos para aplicação das reservas de contingência e gerenciamento. Prazos. Define quando e com que frequência os processos de gerenciamento dos riscos serão realizados durante o ciclo de vida do projeto, estabelece os protocolos para aplicação das reservas de contingências do cronograma e estabelece as atividades de gerenciamento dos riscos a serem incluídas no cronograma do projeto. Categorias de riscos. Fornece um meio de agrupar possíveis causas de riscos. Podem ser usadas várias abordagens como, por exemplo, uma estrutura baseada nos objetivos do projeto por categoria. Uma RBS - Estrutura de Decomposição dos Riscos ajuda a equipe de projeto a considerar muitas fontes a partir das quais os riscos podem surgir em um exercício de identificação de riscos. Diferentes estruturas de RBS serão apropriadas para diferentes tipos de projetos. Uma organização pode usar uma estrutura de categorização previamente preparada, que pode ter a forma de uma simples lista de categorias ou ser estruturada em uma RBS. Ela é uma representação hierárquica dos riscos, de acordo com suas categorias de riscos. Definições de probabilidade e impacto dos riscos. A qualidade e a credibilidade da análise dos riscos requerem a definição de diferentes níveis de probabilidade e impacto dos riscos que são específicos ao contexto do projeto. As definições gerais dos níveis de probabilidade e impacto são adaptadas a cada projeto durante o processo Planejar o gerenciamento dos Riscos, para serem usadas nos processos subsequentes. Matriz de probabilidade e impacto. Matriz de probabilidade e impacto é uma rede para o mapeamento de probabilidade de ocorrência de cada risco e o seu impacto nos objetivos do projeto caso tal risco ocorra. Os riscos são priorizados de acordo com suas implicações potenciais de afetar os objetivos do projeto. Uma abordagem típica de priorização dos riscos é usar uma tabela de referência ou uma matriz de probabilidade e impacto. Tolerâncias revisadas das stakeholders. As tolerâncias das stakeholders, conforme se aplicam ao projeto específico, podem ser revisadas no processo Planejar o gerenciamento dos riscos. Formatos de relatórios. Os formatos de relatórios definem como os resultados do processo de gerenciamento dos riscos serão documentados, analisados e comunicados. Eles descrevem o conteúdo e o formato do registro dos riscos, assim como quaisquer outros relatórios de riscos necessários. Acompanhamento. O acompanhamento documenta como as atividades de risco serão registradas para benefício do projeto atual, e como os processos de gerenciamento dos riscos serão auditorados. PROJ 20
  34. 34. PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições O PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições é um componente do PGP - Plano de Gerenciamento do Projeto que descreve como a equipe do projeto adquirirá produtos e serviços fora da organização executora. Ele descreve como os processos de aquisição serão gerenciados, do desenvolvimento dos documentos de aquisições ao fechamento do contrato. Um PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições deveria conter: Tipos de contratos a serem usados; Questões de gerenciamento dos riscos; Se serão usadas estimativas independentes e se elas são necessárias como critérios de avaliação; As ações que a equipe de gerenciamento de projetos pode adotar unilateralmente, caso a organização executora tenha um departamento estabelecido de aquisições, contratos ou compras; Documentos padronizados de aquisição, caso necessários; Gerenciar vários fornecedores; Coordenar as aquisições com outros aspectos do projeto, como cronogramas e relatórios de desempenho; Quaisquer restrições e premissas que poderiam afetar as aquisições planejadas; Lidar com o longo tempo de espera necessário para comprar alguns itens dos fornecedores e coordenar o tempo extra necessário para adquirir esses itens, com o desenvolvimento do cronograma do projeto; Lidar com as decisões de fazer ou comprar e vinculá-las aos processos Estimar os recursos das atividades e Desenvolver o cronograma; Definir as datas agendadas em cada contrato para os resultados e coordená-las com os processos de desenvolvimento e controle do cronograma; Identificar os requisitos de obrigações de realização ou contratos de seguros para mitigar algumas formas de riscos do projeto; Estabelecer a orientação a ser fornecida aos fornecedores para desenvolvimento e manutenção de uma WBS; Estabelecer a forma e o formato a serem usados para as especificações do trabalho de aquisições/contratos; Identificar fornecedores pré qualificados para sem usados; Métricas de aquisições a serem usadas para gerenciar contratos e avaliar fornecedores. O PGA - Plano de Gerenciamento das Aquisições pode ser formal ou informal, altamente detalhado ou amplamente estruturado, e é baseado nas necessidades de cada projeto.
  35. 35. MA - Mapa de Aquisições Concorrência Item(s) a ser contratado Ref.WBS Fornecedores Orçamento Prazo Critérios MAKE OR BUY ultilizados Tipo de contrato 875 Prototipos > Fornecedores > Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas 2.2.3 Total Supplier Brazillian Supplier Association Brazillian Automotive Supplier Asiatics Supplier Association 70.000,00 01/02/2015 Capacidade (quantidade e qualidade) da equipe Existência de fornecedores confiáveis. O core business da empresa Problemas legais ou de segurança da informação Restrições de prazo Restrições de subcontratação Preço Fixo 876 Prototipos > Criação de Prototipos > Material 2.3.1 TOTAL Material Brazillian Supplier Association Asiatics Supplier Material 200.000,00 01/06/2015 Compartilhamentos de riscos Existência de fornecedores confiáveis. Necessidade de absorção da tecnologia Tempo e Material 878 Manufatura > Meios de Produção > Equipamento 3.1.2 Total Supplier Brazillian Machine Brazillian Equipment Asiatics Supplier Association 15.000.000,0 0 01/06/2016 Necessidade de fornecimento especializado O core business da empresa Problemas legais ou de segurança da informação Restrições de custo Restrições de prazo Restrições de subcontratação Preço Fixo 935 Prototipos > Testes e Ensaios > Homologação - CRASH 2.4.3 Crash - USA Latin - NCAP Euro NCAP - EURO 250.000,00 01/08/2016 Existência de fornecedores confiáveis. Necessidade de fornecimento especializado Problemas legais ou de segurança da informação Preço Fixo 940 Manufatura > Meios de Produção > Maquinas 3.1.1 Brazillian Machine Brazillian Equipment 20.000.000,0 0 01/10/2016 Existência de fornecedores confiáveis. Necessidade de absorção da tecnologia Necessidade de fornecimento especializado O core business da empresa Problemas legais ou de segurança da informação Restrições de custo Restrições de prazo Preço Fixo
  36. 36. MA - Mapa de Aquisições RFP - 875 2.2.3 Prototipos > Fornecedores > Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas
  37. 37. DT - Declaração de Trabalho Especificação Quantidade Unidade Norma ISO 19000 1 PC Prazos 01/02/2015 Qualidade Requirida De acordo com as especificações e normas requeridas, com os ceritificados de materiais e desempenho testados e aprovados, caso não aprovados favor indicar o que esta fora juntamente com o plano de melhoria para isto Suporte Técnico Engenharia Treinamento Desejado Treinamento aos operadores Nivel Serviço Não Aplicados Garantia Garantia de 5 anos Local Entrega em nossa Fabrica
  38. 38. DT - WBS do Contrato C.C. Fase / Pacote de Trabalho Unidade Quantidade Planejada Orçamento 1 Aprovação do design 20.000,00 1.1 Conceito folha 100 10.000,00 1.2 Aprovação folha 1 10.000,00 2 Amostra inicial 20.000,00 2.1 Protitpagem UN 10 10.000,00 2.2 Dimensional folha 1 10.000,00 3 Amostra Final 30.000,00 3.1 Protitpagem UN 10 10.000,00 3.2 Dimensional folha 1 20.000,00
  39. 39. Equalização Total Supplier Brazillian Supplier Association Brazillian Automotive Supplier Asiatics Supplier Associa Especificação Técnica Quant Unid Valor Unit Valor Total Quant Unid Valor Unit Valor Total Quant Unid Valor Unit Valor Total Quant Unid Valor Unit V T Norma ISO 19000 5 un 10,00 50,00 5 un 10,00 50,00 5 un 10,00 50,00 5 un 10,00 5
  40. 40. SP - Sistema de Pontuação Id Critério Classificatório Comercial Peso Total Supplier Brazillian Supplier Association Brazillian Automotive Supplier Asiatics Supplier Association Nota Média Nota Média Nota Média Nota Média 933 Tempo de mercado da empresa 4 10 40 8.4 33.6 8.5 34 10 40 939 Histórico de relacionamento com o cliente 5 7.25 36.25 7.5 37.5 7 35 5 25 940 Custo CIF 5 7.25 36.25 8 40 6.5 32.5 3 15 Id Critério Classificatório Técnico Peso Total Supplier Brazillian Supplier Association Brazillian Automotive Supplier Asiatics Supplier Association Nota Média Nota Média Nota Média Nota Média 932 Alinhamento com DT 5 10 50 10 50 10 50 10 50
  41. 41. BM - Boletim de Medição Item Descrição Unidade Orçamento da Fase Peso[%] Quant Planejada Quant Realizada Critério [%] Avanço Físico Planejado Avanço Físico Realizado [%] 1 Aprovação do design - 20.000,00 28.57 - - - - - - 1.1 Conceito folha - - 100 100 50 10.000,00 10.000,00 100 1.2 Aprovação folha - - 1 1 50 10.000,00 10.000,00 100 2 Amostra inicial - 20.000,00 28.57 - - - - - - 2.1 Protitpagem UN - - 10 10 50 10.000,00 10.000,00 100 2.2 Dimensional folha - - 1 1 50 10.000,00 10.000,00 100 3 Amostra Final - 30.000,00 42.86 - - - - - - 3.1 Protitpagem UN - - 10 10 33.33 10.000,00 10.000,00 100 3.2 Dimensional folha - - 1 1 66.67 20.000,00 20.000,00 100 TOTAL - - - 7,000,00 0 70.000,00 70.000,00 100
  42. 42. TEC - Termo de Encerramento do Contrato Item Contratado Prototipos > Fornecedores > Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Produtos Entregues Pecas funcionais, aprovadas. Documentos relacionados ao ACEITE Relatório dimensional, relatório de material, PPAP, Ordem de compra. Classificação do ACEITE Produto/serviço considerado conforme Considerações Finais O aceite das pecas para esta fase de protótipo deve ter avaliação do responsável da engenharia da fabrica e qualidade
  43. 43. MA - Mapa de Aquisições RFP - 876 2.3.1 Prototipos > Criação de Prototipos > Material
  44. 44. DT - WBS do Contrato C.C. Fase / Pacote de Trabalho Unidade Quantidade Planejada Orçamento 1 Fornecimento de Amostra 40.000,00 1.1 Envio kg 1000 20.000,00 1.2 Recebimento kg 1000 20.000,00 2 Aprovação 160.000,00 2.1 Teste kg 1000 80.000,00 2.2 Homologação kg 1000 80.000,00
  45. 45. BM - Boletim de Medição Item Descrição Unidade Orçamento da Fase Peso[%] Quant Planejada Quant Realizada Critério [%] Avanço Físico Planejado Avanço Físico Realizado [%] 1 Fornecimento de Amostra - 40.000,00 20 - - - - - - 1.1 Envio kg - - 1000 1000 50 20.000,00 20.000,00 100 1.2 Recebimento kg - - 1000 1000 50 20.000,00 20.000,00 100 2 Aprovação - 160.000,00 80 - - - - - - 2.1 Teste kg - - 1000 1000 50 80.000,00 80.000,00 100 2.2 Homologação kg - - 1000 1000 50 80.000,00 80.000,00 100 TOTAL - - - 20,000,0 00 200.000,00 270.000,00 250
  46. 46. TEC - Termo de Encerramento do Contrato Item Contratado Prototipos > Criação de Prototipos > Material Produtos Entregues Materiais conforme especificado devidamente aprovadas pelo dito de qualidade Documentos relacionados ao ACEITE Certificado de qualidade, ordem de compra. PPAP Classificação do ACEITE Produto/serviço considerado conforme Considerações Finais Acompanhamento pelo departamento de qualidade e engenharia de material
  47. 47. MA - Mapa de Aquisições RFP - 878 3.1.2 Manufatura > Meios de Produção > Equipamento
  48. 48. DT - WBS do Contrato C.C. Fase / Pacote de Trabalho Unidade Quantidade Planejada Orçamento 1 Cotação de equipamentos 750.000,00 1.1 Avaliação de propostas un 5 500.000,00 1.2 Definição de proposta un 1 250.000,00 2 Avaliação de equipamento 190.000,00 2.1 Visita in loco un 1 100.000,00 2.2 Visita em fabrica com máquinas instaladas un 1 90.000,00 3 Transporte 50.000,00 3.1 Envio dos equipamento un 1 50.000,00 4 Aprovação 10.010.000,00 4.1 Aprovação técnica un 1 5.000,00 4.2 Aprovação financeira un 1 5.000,00 4.3 Aquisição de equipamentos un 1 10.000.000,00 5 Instalação 4.000.000,00 5.1 Instalação de equipamentos un 1 4.000.000,00
  49. 49. BM - Boletim de Medição Item Descrição Unidade Orçamento da Fase Peso[%] Quant Planejada Quant Realizada Critério [%] Avanço Físico Planejado Avanço Físico Realizado [%] 1 Cotação de equipamentos - 750.000,00 5 - - - - - - 1.1 Avaliação de propostas un - - 5 5 66.67 500.000,00 500.000,00 100 1.2 Definição de proposta un - - 1 1 33.33 250.000,00 250.000,00 100 2 Avaliação de equipamento - 190.000,00 1.27 - - - - - - 2.1 Visita in loco un - - 1 1 52.63 100.000,00 100.000,00 100 2.2 Visita em fabrica com máquinas instaladas un - - 1 1 47.37 90.000,00 90.000,00 100 3 Transporte - 50.000,00 0.33 - - - - - - 3.1 Envio dos equipamento un - - 1 1 100 50.000,00 50.000,00 100 4 Aprovação - 10.010.000,00 66.73 - - - - - - 4.1 Aprovação técnica un - - 1 1 0.05 5.000,00 5.000,00 100 4.2 Aprovação financeira un - - 1 1 0.05 5.000,00 5.000,00 100 4.3 Aquisição de equipamentos un - - 1 1 99.90 10.000.000,00 10.000.000,00 100 5 Instalação - 4.000.000,00 26.67 - - - - - - 5.1 Instalação de equipamentos un - - 1 1 100 4.000.000,00 4.000.000,00 100 TOTAL - - - 1,500,00 0,000 15.000.000,00 15.270.000,00 211.11
  50. 50. MA - Mapa de Aquisições RFP - 935 2.4.3 Prototipos > Testes e Ensaios > Homologação - CRASH
  51. 51. DT - WBS do Contrato C.C. Fase / Pacote de Trabalho Unidade Quantidade Planejada Orçamento 1 Transporte Veiculo para o Fornecedor 10.000,00 1.1 Checagem antes do Transporte un 1 2.000,00 1.2 Seguro un 1 1.000,00 1.3 Frete un 1 7.000,00 2 Preparação 40.000,00 2.1 Reserva de Pista un 1 5.000,00 2.2 Instrumentação e Sensoriação do Veículo un 1 15.000,00 2.3 Preparação - Sensorização un 1 20.000,00 3 Execução 150.000,00 3.1 Realização do Teste em Ambiente Controlado un 1 150.000,00 4 Relatórios - Homologação Internacional 40.000,00 4.1 Analise Fisica - Deformações e tendencias un 1 10.000,00 4.2 Analise da gravação do Vídeo do Teste un 1 10.000,00 4.3 Elaboração Relatório - Padrão Internacional un 1 10.000,00 4.4 Aprovação e Homologação de Relatórios u 1 10.000,00 5 Tranporte Veiculo - Retorno 10.000,00 5.1 Frete un 1 7.000,00 5.2 Seguro un 1 1.000,00 5.3 Recebimento e Checagem un 1 2.000,00
  52. 52. SP - Sistema de Pontuação Id Critério Classificatório Comercial Peso Crash - USA Latin - NCAP Euro NCAP - EURO Nota Média Nota Média Nota Média 992 Experiencia com Acreditações Internacionais 5 10 50 8.5 42.5 10 50 993 Localização do Fornecedor 5 5 25 8.75 43.75 4 20 Id Critério Classificatório Técnico Peso Crash - USA Latin - NCAP Euro NCAP - EURO Nota Média Nota Média Nota Média 994 Experiencia com Acreditações Internacionais 5 10 50 8 40 9.5 47.5 995 Atestado de capacidade técnica 5 10 50 9 45 10 50
  53. 53. BM - Boletim de Medição Item Descrição Unidade Orçamento da Fase Peso[%] Quant Planejada Quant Realizada Critério [%] Avanço Físico Planejado Avanço Físico Realizado [%] 1 Transporte Veiculo para o Fornecedor - 10.000,00 4 - - - - - - 1.1 Checagem antes do Transporte un - - 1 1 20 2.000,00 2.000,00 100 1.2 Seguro un - - 1 1 10 1.000,00 1.000,00 100 1.3 Frete un - - 1 1 70 7.000,00 7.000,00 100 2 Preparação - 40.000,00 16 - - - - - - 2.1 Reserva de Pista un - - 1 1 12.50 5.000,00 5.000,00 100 2.2 Instrumentação e Sensoriação do Veículo un - - 1 1 37.50 15.000,00 15.000,00 100 2.3 Preparação - Sensorização un - - 1 1 50 20.000,00 20.000,00 100 3 Execução - 150.000,00 60 - - - - - - 3.1 Realização do Teste em Ambiente Controlado un - - 1 1 100 150.000,00 150.000,00 100 4 Relatórios - Homologação Internacional - 40.000,00 16 - - - - - - 4.1 Analise Fisica - Deformações e tendencias un - - 1 1 25 10.000,00 10.000,00 100 4.2 Analise da gravação do Vídeo do Teste un - - 1 1 25 10.000,00 10.000,00 100 4.3 Elaboração Relatório - Padrão Internacional un - - 1 1 25 10.000,00 10.000,00 100 4.4 Aprovação e Homologação de Relatórios u - - 1 1 25 10.000,00 10.000,00 100 5 Tranporte Veiculo - Retorno - 10.000,00 4 - - - - - - 5.1 Frete un - - 1 0 70 7.000,00 0,00 0 5.2 Seguro un - - 1 0 10 1.000,00 0,00 0 5.3 Recebimento e Checagem un - - 1 0 20 2.000,00 0,00 0 TOTAL - - - 25,000,0 00 250.000,00 15.510.000,00 214.29
  54. 54. TEC - Termo de Encerramento do Contrato Item Contratado Prototipos > Testes e Ensaios > Homologação - CRASH Produtos Entregues Relatório de Crash - Homologado e acreditado Internacionalmente Documentos relacionados ao ACEITE Relatórios, Laudos, videos, Analises conforme Norma internacional Classificação do ACEITE Produto/serviço considerado conforme Considerações Finais Aprovação Indispensável para o Projeto devido a sua criticidade para com a segurança do produto e atendimento aos padrões de qualidade para o lançamento do primeiro veiculo da Marca
  55. 55. MA - Mapa de Aquisições RFP - 940 3.1.1 Manufatura > Meios de Produção > Maquinas
  56. 56. DT - WBS do Contrato C.C. Fase / Pacote de Trabalho Unidade Quantidade Planejada Orçamento 1 Projeto 3.000.000,00 1.1 BenchMarking un 1 500.000,00 1.2 Projeto Realizado un 1 1.500.000,00 1.3 Projeto Aprovado un 1 1.000.000,00 2 Fabricação 32.000.000,00 2.1 0 16.000.000,00 2.1 Material un 1 6.000.000,00 2.2 Fabricação un 100 10.000.000,00 3 Entrega 1.000.000,00 3.1 Seguro un 1 500.000,00 3.2 Transporte un 1 500.000,00
  57. 57. SP - Sistema de Pontuação Id Critério Classificatório Comercial Peso Brazillian Machine Brazillian Equipment Nota Média Nota Média 998 Tempo de resposta a um atendimento 5 8.5 42.5 8 40 999 Histórico de relacionamento com o cliente 5 7.25 36.25 8 40 1000 Tempo de mercado da empresa 5 8 40 7 35 1001 Estrutura comprovada para reposição de peças 5 7.75 38.75 10 50 Id Critério Classificatório Técnico Peso Brazillian Machine Brazillian Equipment Nota Média Nota Média 1002 Alinhamento com DT 5 9 45 10 50 1003 Histórico de relacionamento com o cliente 5 9 45 5 25
  58. 58. BM - Boletim de Medição Item Descrição Unidade Orçamento da Fase Peso[%] Quant Planejada Quant Realizada Critério [%] Avanço Físico Planejado Avanço Físico Realizado [%] 1 Projeto - 3.000.000,00 8.33 - - - - - - 1.1 BenchMarking un - - 1 1 16.67 500.000,00 500.000,00 100 1.2 Projeto Realizado un - - 1 1 50 1.500.000,00 1.500.000,00 100 1.3 Projeto Aprovado un - - 1 1 33.33 1.000.000,00 1.000.000,00 100 2 Fabricação - 32.000.000,00 88.89 - - - - - - 2.1 - - 0 0 50 16.000.000,00 0,00 0 2.1 Material un - - 1 1 18.75 6.000.000,00 6.000.000,00 100 2.2 Fabricação un - - 100 100 31.25 10.000.000,00 10.000.000,00 100 3 Entrega - 1.000.000,00 2.78 - - - - - - 3.1 Seguro un - - 1 1 50 500.000,00 500.000,00 100 3.2 Transporte un - - 1 1 50 500.000,00 500.000,00 100 TOTAL - - - 3,600,00 0,000 36.000.000,00 35.510.000,00 462.50
  59. 59. TEC - Termo de Encerramento do Contrato Item Contratado Manufatura > Meios de Produção > Maquinas Produtos Entregues Maquinas dentro das especificações, atendendo aos requisitos de produtividade e manutenção Documentos relacionados ao ACEITE laudos Classificação do ACEITE Produto/serviço considerado conforme com restrição Considerações Finais A maquina deve ser instalada com o suporte do Fabricante
  60. 60. AT - Autorização de Trabalho Pacotes Make C.C. Pacote de Trabalho Recursos Autorizado em Validado em Aceito em 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.1.2 Componentes - Manufatura Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.1.3 Componente - Funcional Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.2.1 Viabilidade Técnica Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.2.2 Viabilidade Financeira Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.3.1 Marketing Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.3.2 Técnico Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.3.3 Financeiro Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.1.1 Técnica Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.1.2 Financeira Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.1.3 Marketing Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.2.1 Desenvolvimento Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.3.2 Confecção dos Prototipos Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.4.1 Durabilidade Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.4.2 Funcionais Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.2.1 Contratação Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.2.2 Treinamento Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.3.1 Log. Interna Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.3.2 Log. Externa Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.4.2 Compras materias - - Indiretos Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.1.1 Analise de Mercado Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.1.2 Estrategias de Vendas Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014
  61. 61. 4.2.1 Promocionais Elaboração Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.2.2 Promocionais Confecção Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.3.1 Concessionarios - Implantação Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.3.2 Concessionarios - Treinamento Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014
  62. 62. AT - Autorização de Trabalho Pacotes Buy C.C. Pacote de Trabalho Player Vencedor Autorizado em Validado em Aceito em 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.3.1 Material Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 2.4.3 Homologação - CRASH Não Autorizado 31/12/2014 31/12/2014 3.1.1 Maquinas Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014 3.1.2 Equipamento Não Autorizado 30/12/2014 30/12/2014
  63. 63. RD - Relatório de Desempenho Não iniciada(0) C.C. Pacote Início Término Validado(0) C.C. Pacote Início Término Autorizado(0) C.C. Pacote Início Término Aceito(0) C.C. Pacote Início Término Pendente(41) C.C. Pacote Devido Início Término 1.1.1 Veiculo - Conjunto Funcional Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.1.2 Componentes - Manufatura Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.1.3 Componente - Funcional Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.2.1 Viabilidade Técnica Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.2.2 Viabilidade Financeira Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.3.1 Marketing Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.3.2 Técnico Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.3.3 Financeiro Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.4.1 Desenhos e Especificações - Prototipo Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 1.4.2 Desenhos e Especificações - Fabricação Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.1.1 Técnica Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.1.2 Financeira Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.1.3 Marketing Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.2.1 Desenvolvimento Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.2.2 Aprovação e Homologação de Componentes Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.2.3 Fornecimento de Componentes / Sistemas e Subsistemas Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.3.1 Material Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.3.2 Confecção dos Prototipos Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.4.1 Durabilidade Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.4.2 Funcionais Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 2.4.3 Homologação - CRASH Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.1.1 Maquinas Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.1.2 Equipamento Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.2.1 Contratação Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.2.2 Treinamento Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.3.1 Log. Interna Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.3.2 Log. Externa Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.4.1 Compras materias - Diretos (ligados à produção diretamente) Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.4.2 Compras materias - - Indiretos Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.5.1 CQ - Interna (qualidade interna) Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 3.5.2 CQ - Externa (Qualidade dos fornecedores) Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.1.1 Analise de Mercado Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.1.2 Estrategias de Vendas Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.2.1 Promocionais Elaboração Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.2.2 Promocionais Confecção Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo
  64. 64. 4.3.1 Concessionarios - Implantação Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.3.2 Concessionarios - Treinamento Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.4.1 Logistica e Distriuição - Definição locais CD Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.4.2 Logistica e Distriuição - Regras de distriuição Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.5.1 Campanhas - Propagandas em veiculo Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo 4.5.2 Campanhas - Financiamentos Inicio atrasado Sem prazo Sem prazo
  65. 65. PGSH - Plano de Gerenciamento dos Stakeholders
  66. 66. GESH - Gerenciar o Engajamento das Partes Interessadas Id Data Entrada Por Categoria Descrição Prioridade Ação Requerida Solução Até CESH
  67. 67. EVA - Análise do Valor Agregado C.C. WBS PV Total . q ã 0 0 Total acumulado
  68. 68. TEP - Termo de Encerramento do Projeto Projeto BRAZILIAN AUTOMOTIVE VEHICLE (CARRO BRASILEIRO) Descrição Desenvolver e lançar um veiculo Brasileiro Produtos Entregues Documentos relacionados ao ACEITE Classificação do ACEITE Não selecionado Considerações Finais
  69. 69. LA - Lições Aprendidas Aspecto Sim Não Comentários As Entregas Validadas e Aceitas corresponderam ao planejado? Não Foi elaborado um relatório de auditoria final dos resultados? Não Houve desvios entre os prazos realizados e programados (baseline)? Não Houve desvios entre os custos efetivos e os orçados (baseline)? Não Os desvios poderiam ter sido evitados? Não Ocorreram riscos não previstos? Não Os clientes/usuários estão satisfeitos? Não A equipe ficou satisfeita com o apoio do Sponsor? Não Houve cooperação e comprometimento das pessoas? Não O projeto foi bem administrado? Não Houve problemas de comunicação? Não O projeto foi bem documentado? Não Os fornecedores entregaram seus produtos em conformidade com as Declarações de Trabalho? Não O que faríamos da mesma forma? O que faríamos de maneira diferente? O que sabemos hoje, e que não sabíamos antes do projeto? Que recomendações devemos incluir para melhorar os próximos projetos?
  70. 70. Fluxograma de Execução

×