Artigo de Opinião

4.911 visualizações

Publicada em

Slide utilizado em oficina preparatória para a Olimpíada de Língua Portuguesa.

Publicada em: Educação
3 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.001
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
3
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo de Opinião

  1. 1. Gênero Textual: Prof. Kleber Brito
  2. 2. Artigo de opiniãoTexto argumentativo que visaexpressar o ponto de vista ouopinião do autor sobredeterminado assunto econvencer o leitor dapertinência dessa opinião.
  3. 3. Estrutura Básica CONTEXTUALIZAÇÃO INTRODUÇÃO PROBLEMATIZAÇÃO TESE ArgumentosTÍTULO DESENVOLVIMENTO Justificativas Fechar o raciocínio argumentativo. CONCLUSÃO Fechar o texto (com frase de efeito, citação, provérbio, sol ução etc.
  4. 4. TIPOS DE ARGUMENTOS ARGUMENTO POR ARGUMENTO DE ARGUMENTO POR COMPARAÇÃO AUTORIDADE EVIDÊNCIA (ANALOGIA)• O leitor é levado a • O leitor é • O argumentador aceitar a validade persuadido a pretende levar o da tese admitir que a tese leitor a aderir à defendida, pela é válida por tese com base em credibilidade intermédio das fatores de atribuída à palavra evidências. semelhança ou de alguém analogia publicamente mostrados pelos considerado dados autoridade na apresentados. área.
  5. 5. ARGUMENTO PORARGUMENTO POR ARGUMENTO DE CAUSA EEXEMPLIFICAÇÃO PRINCÍPIO CONSEQUÊNCIA• A base desse tipo • Uma crença • A tese é aceita de argumento são pessoal baseada justamente por ser os exemplos numa constatação uma causa ou representativos, qu (lógica, científica, é consequência dos e, por si sós, já tica, estética etc.) dados. são suficientes aceita como para justificar a verdade. tese. DOWNLOAD DE ARTIGOS
  6. 6. OBSERVAÇÕES:Na elaboração do texto argumentativo, a ordemdos elementos altera o produto, porém não eliminaa argumentação; apenas produz efeitos diferentessobre o leitor.Nem sempre os componentes de um argumentoaparecem escritos “com todas as letras”, podemestar subentendidos. É interessante o articulistaomitir determinados componentes, sugerindo que oleitor acrescente de sua própria experiência. Mascuidado ao fazê-lo, para não suprimir umainformação relevante.
  7. 7. Estratégias argumentativas Recursos de que o autor dispõe para construir a credibilidade, a aceitabilidade e a identificação com o leitor do texto. • Literatura, história, medicina, tecnologia, g CONHECIMENTOS eografia, filosofia, psicologia, jornalismo, p olítica, sociologia etc. ARTICULAÇÃO DE • Apresentação de conceitos de diferentes CONCEITOS áreas. TÉCNICAS • Silogismo, citações, oposições, refutação ARGUMENTATIVAS de ponto de vista adversário etc.
  8. 8. Sou contra a redução da maioridade penal Renato Roseno Renato Roseno é advogado, coordenador do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca — Ceará) e da Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente (Anced)
  9. 9. CONTEXTUALIZAÇÃO A brutalidade cometida contra dois jovens em São Paulo reacendeu a fogueiraINTRODUÇÃO da redução da idade penal. A violência seria resultado das penas que temos previstas em lei ou do sistema de aplicação das leis? É necessário também pensar nos porquês da violência, já que não há um único tipo de crime. PROBLEMATIZAÇÃO “Questão polêmica”
  10. 10. ARGUMENTO DE PRINCÍPIO De qualquer forma, um sistemasocioeconômico historicamente desigual eviolento só pode gerar mais violência.Então, medidas mais repressivas nos dão afalsa sensação de que algo está sendofeito, mas o problema só piora. Porisso, temos que fazer as opções maiseficientes e mais condizentes com os valores ARGUMENTOque defendemos. POR CAUSA E CONSEQUENCIA
  11. 11. ARGUMENTO ARGUMENTO DE PRINCÍPIO POR COMPARAÇÃO Defendo uma sociedade que cometamenos crimes e não que puna mais. Emnenhum lugar do mundo houve experiênciapositiva de adolescentes e adultos juntos nomesmo sistema penal. Fazer isso não diminuiráa violência e formará mais quadros para ocrime. Além disso, nosso sistema penal comoestá não melhora as pessoas, aocontrário, aumenta sua violência. ARGUMENTO POR CAUSA E CONSQUÊNCIA ARGUMENTO
  12. 12. ARGUMENTO POR EVIDÊNCIA O Brasil tem 500 mil trabalhadores na segurança pública e 1,5 milhão na segurança privada para uma população que supera 171 milhões de pessoas. OARGUMENTOS DE PRINCÍPIO problema não está só na lei, mas na capacidade para aplicá-la. Sou contra a redução da idade penal porque tenho certeza que ficaremos mais inseguros e mais violentos. Sou contra porque sei que se há possibilidade de sobrevivência e transformação destes adolescentes, está na correta aplicação do ECA. Lá estão previstas seis medidas diferentes para a responsabilização de adolescentes que violaram a lei. Agora não podemos esperar que adolescentes sejam capturados pelo crime para, então, querer fazer mau uso da lei. Para fazer o bom uso do ECA é necessário dinheiro, competência e vontade.
  13. 13. ARGUMENTO POR PRINCÍPIO Sou contra toda e qualquer forma deimpunidade. Quem fere a lei deve serresponsabilizado. Mas reduzir a idade penal,além de ineficiente para atacar o problema,desqualifica a discussão. Isso é muito comumquando acontecem crimes que chocam aopinião pública, o que não respeita a dor dasvítimas e não reflete o tema seriamente.
  14. 14. Problemas complexos não serão superados por abordagens simplórias e imediatistas. Precisamos de inteligência, orçamento SOLUÇÃO POSSÍVEL e, sobretudo, um projeto ético e político de sociedade que valorize a vida em todas asCONCLUSÃO suas formas. Nossos jovens não precisam ir FRASES para a cadeia. Precisam sair do caminho que DE os leva lá. A decisão agora é nossa: se EFEITO queremos construir um país com mais prisões ou com mais parques e escolas.

×