Aulão de redação -Resumo de redação

81.927 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo
4 comentários
53 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
81.927
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.445
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4.786
Comentários
4
Gostaram
53
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aulão de redação -Resumo de redação

  1. 1. TÉCNICAS DE REDAÇÃO
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>Regras da Gramática </li></ul><ul><li>Consultar dicionários </li></ul><ul><li>Cuidado com palavras ambíguas </li></ul><ul><li>Linguagem adequada </li></ul><ul><li>Clareza, objetividade e precisão </li></ul><ul><li>Reler e reescrever o texto </li></ul>
  3. 3. ESTILO <ul><li>Palavra como instrumento do pensamento </li></ul><ul><li>Frase bem construída </li></ul><ul><li>Abreviaturas </li></ul><ul><li>Palavras estrangeiras </li></ul>
  4. 4. ESTRUTURA <ul><li>Descritiva </li></ul><ul><li>Dissertativa </li></ul><ul><ul><ul><li>Expositiva </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Argumentativa </li></ul></ul></ul>
  5. 5. CONCLUSÃO <ul><li>Arremate de idéias </li></ul><ul><li>Não é resumo!!!!! </li></ul>
  6. 6. REDAÇÃO Requisitos básicos para produção de um texto: - ter domínio do idioma; - conhecer o assunto a ser tratado; - conhecer as técnicas.
  7. 7. - seleção das informações; - organização das informações. PRODUÇÃO DAS IDÉIAS
  8. 8. TIPOLOGIA TEXTUAL DESCRIÇÃO É a forma mais primária de produção de textos. Alicerces da descrição: nossa imaginação e os nossos cinco sentidos. Descrever é caracterizar uma cena, um estado, um momento vivido ou sonhado por meio da nossa percepção sensorial e de nossa imaginação criadora.
  9. 9. NARRAÇÃO Narrar é contar um ou mais fatos que ocorrem com determinados personagens, em local e tempo definidos.
  10. 10. DISSERTAÇÃO É a exposição de opiniões a respeito de um determinado assunto. Dissertar é discutir idéias, analisá-las e apresentar provas que justifiquem e convençam o leitor da validade do ponto de vista de quem as defende.
  11. 11. Dissertar é, pois, analisar de maneira crítica situações diversas, questionando a realidade e apresentando nosso posicionamento diante dela.
  12. 12. A dissertação, por isso, pressupõe: - exame crítico do assunto sobre o qual se vai escrever; - raciocínio lógico; - clareza, coerência e objetividade na exposição.
  13. 13. ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO INTRODUÇÃO - DESENVOLVIMENTO - CONCLUSÃO INTRODUÇÃO É a apresentação do assunto. O parágrafo introdutório caracteriza-se por apresentar uma idéia-núcleo por meio de uma afirmação, interrogação, definição, citação, etc., combinados ou não entre si.
  14. 14. DESENVOLVIMENTO É a análise crítica da idéia central. Pode ocupar vários parágrafos em que se expõem juízos, raciocínios, provas, exemplos, testemunhos históricos e justificativas que argumentem a idéia central proposta no primeiro parágrafo.
  15. 15. Para desenvolver o assunto de uma dissertação, podemos utilizar os seguintes recursos: a) citações b) dados estatísticos c) justificativas d) exemplos e) comparações
  16. 16. CONCLUSÃO É o ponto de chegada da discussão, a parte final do texto em que se condensa o conteúdo desenvolvido, reafirma-se o posicionamento exposto na tese ou lança-se perspectiva sobre o assunto. Um meio adequado de bem concluir é aquele em que sintetizamos o assunto nos termos em que foi proposto ou questionado na etapa introdutória.
  17. 17. Características de um boa dissertação: Um texto não é um mero aglomerado de frases ou parágrafos avulsos. Um bom texto constitui-se de uma seqüência de idéias argumentadas e harmonizadas entre si destinadas a um interlocutor real ou virtual.
  18. 18. Para se redigir um texto dissertativo, são indispensáveis: O texto deve desenvolver-se em torno de um assunto. As idéias que lhe são pertinentes devem suceder-se em ordem seqüente e lógica, completando e enriquecendo a idéia-núcleo expressa na tese. Não deve haver redundância nem pormenores desnecessários. UNIDADE:
  19. 19. Deve haver associação e correlação das idéias na construção dos períodos e na passagem de um parágrafo a outro. Os elementos de ligação são indispensáveis para entrosar orações, períodos e parágrafos. COERÊNCIA :
  20. 20. Vocabulário preciso e coerente às idéias expostas. O aprimoramento da linguagem e a diversidade são fundamentais para adequar idéias e palavras. É obrigatório o uso da língua padrão culta. CLAREZA DE IDÉIAS :
  21. 21. Exame e discussão crítica do assunto, por meio de argumentos convincentes, gerados pelo acervo de conhecimento pessoais. É um processo de análise e síntese. CRITICIDADE :
  22. 22. Distribuição organizada do conteúdo pelos parágrafos e uma clara articulação entre as partes por meio do uso apropriado de recursos coesivos como a pronominalização, a elipse, a sinonímia, os conectivos. COESÃO :
  23. 23. Consiste em apresentar os aspectos, fatos ou opiniões de modo pessoal, sem imitação de processos ou particularidades alheios. Na originalidade, está a criatividade . Pode revelar-se tanto nas idéias como nas expressões. Idéias originais são idéias próprias. ORIGINALIDADE :
  24. 24. TÍTULO A redação só deve ser intitulada depois de concluída. Não há necessidade de sublinhar o título ou de colocá-lo entre aspas. Só coloque pontuação, se houver verbo.
  25. 25. TÉCNICAS PARA ELABORAR UMA DISSERTAÇÃO Esquema básico da dissertação Tema: No verão, os habitantes de Florianópolis passam por diversos problemas . POR QUÊ? 1. O trânsito para as praias fica congestionado. 2. Há constante falta d’água. 3. Muitos turistas comportam-se de maneira inadequada.
  26. 26. As relações de Causa e Conseqüência Tema: Constatamos que, no município de Florianópolis, existe um grande movimento migratório que se desloca de diversos locais do Brasil. POR QUÊ? Causa: Muitas cidades não oferecem mais qualidade de vida para seus moradores, dificultando, desse modo o sua permanência nelas.
  27. 27. O QUE ACONTECE EM RAZÃO DISSO? Conseqüência: Florianópolis encontra-se despreparada para absorver esses migrantes e oferecer-lhes condições de vida esperada por eles.
  28. 28. A abordagem de temas polêmicos Tema: Existem discussões que divergem com relação à legalização dos cassinos no país. Aspecto favorável: Com a legalização haverá pagamento de impostos. Aspecto contrário: O jogo é uma ameaça à estrutura familiar.
  29. 29. A retrospectiva histórica Tema: Vivemos atualmente a era da comunicação e recebemos todos os dias informações sobre os mais diferentes pontos da Terra, que nos chegam com a rapidez e eficiência dos veículos eletrônicos do mundo contemporâneo. Retrospectiva : Época mais distante. Época mais próxima. Época atual.
  30. 30. A localização espacial Tema: Não raro tomamos conhecimento, pelos meios de comunicação, do desejo de promover o diálogo Norte-Sul, para tentar buscar uma nova ordem nas relações econômicas entre os países desses dois hemisférios. REGIÃO GEOGRÁFICA 1 REGIÃO GEOGRÁFICA 2
  31. 31. A dissertação com predominância crítica Tema: O ser humano, no decorrer de milênios de sua História, tem provado possuir uma natureza destrutiva que persiste independentemente do desenvolvimento científico e cultural da humanidade.
  32. 32. Introdução: A perplexidade diante da situação. Desenvolvimento: <ul><li>Referência a fatos de conhecimento público. </li></ul>2. Comentários críticos ( crítica dos fatos, idéias ou circunstâncias). Conclusão: Observação crítica seguida de uma expectativa.
  33. 33. EXERCÍCIO Observe os temas a seguir e aponte o esquema mais adequado para desenvolvê-los: a) Nos últimos tempos, vêm ocorrendo intensas discussões a propósito dos meios de combater a violência praticada por menores, nas grandes cidades. b) Cogita-se, com muita freqüência, da implantação da pena de morte no Brasil. c) Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver graves problemas que preocupam a todos.
  34. 34. d) Em nossa sociedade, a mulher tem conseguido um grande avanço na luta pela sua emancipação. e) A maior parte da classe política brasileira não goza de muito prestígio e confiabilidade por parte da população. f) A melhor maneira de melhorar o padrão de vida está em melhorar o padrão de pensamento. g) A felicidade não consiste em alcançar aquilo que se deseja, mas em gostar do que se tem.
  35. 35. ARGUMENTOS DISSERTATIVOS Argumentar é convencer ou tentar convencer alguém a respeito da veracidade das idéias que estamos veiculando. É o procedimento usado para convencer o leitor de que nossa posição é a correta e para levá-lo a dar sua adesão às teses defendidas pelo texto.
  36. 36. Como se faz uma boa argumentação? 1 o – é preciso ter bem claro o que queremos dizer – delimitar bem o assunto; 2 o – formular idéias – também claras – sobre o assunto delimitado; 3 o – estruturar essas idéias com frases bem formuladas; 4 o – tentar provar cada idéia – argumento – por meio da evidência do raciocínio e das provas.
  37. 37. RECURSOS LINGÜÍSTICOS USADOS PARA CONFIRMAR A VALIDADE DAS IDÉIAS: <ul><li>Argumentos de autoridade : citar autores renomados dá credibilidade sobre um ponto de vista. </li></ul><ul><li>Argumentos baseados no consenso : citar proposições aceitas como verdadeiras, numa certa época. </li></ul>
  38. 38. <ul><li>Argumentos baseados em provas concretas : apoiar as posições pessoais em fatos. Comprová-las por dados pertinentes e adequados. </li></ul><ul><li>Argumentos com base nas relações de causa e conseqüência. </li></ul><ul><li>Argumentos baseados em exemplos. </li></ul><ul><li>Argumentos baseados em oposição: apontar oposições entre idéias e fatos. </li></ul><ul><li>Argumentos baseados em semelhanças ; aproximar dois elementos com base na semelhança entre eles. </li></ul>
  39. 39. LEMBRETES QUE PODEM MELHORAR SEU TEXTO 1. antes de começar a escrever, faça um esquema de seu texto, dividindo em parágrafos as idéias que pretende expor. Isso evita repetição ou esquecimento de alguma idéia; 2. Cheque se os pontos de vista que você vai defender não são contraditórios em relação à tese. Elabore as relações de causa e conseqüência ou os pólos positivos e negativos do tema;
  40. 40. 3. Não tenha preguiça de refazer seu texto várias vezes. É a melhor maneira de se chegar a um bom resultado. Procure redigir em aproximadamente uma hora; 4. Enquanto escreve em casa, tenha sempre à mão um dicionário para checar a grafia das palavras e descobrir sinônimos que evitem a repetição; 5. Não fuja do tema proposto;
  41. 41. 6. Escreva o que você pensa sobre o tema dado e não o que você acredita que o corretor do texto gostaria que fosse escrito. Jamais analise os temas propostos movido por emoções exageradas; 7. Não escreva sobre o que você não conhece, nem utilize sua redação para fins doutrinários; 8. Use a linguagem padrão em seu nível culto;
  42. 42. 9. Empregue a linguagem denotativa; 10. Não empregue palavras cujo significado seja desconhecido para você; 11. Evite lugar-comum: frases feitas e expressões cristalizadas, como a pureza das crianças , a sabedoria dos velhos , etc. evite também gírias e a palavra coisa (procure o vocábulo adequado a cada idéia); não use etc .; não abrevie palavras;
  43. 43. 12. Evite repetir palavras, use sinônimos. Há repetições que enfatizam. Mas, fora o caso intencional da ênfase, repetir revela pobreza de vocabulário ou desleixo ; 13. Evite expressões do tipo belo, bom, mau, incrível, péssimo, triste, pobre, - são juízos de valor sem carga informativa, imprecisos e subjetivos;
  44. 44. 14. Não “encha lingüiça”! Cada palavra deve ser fundamental e informativa na redação. À falta de idéias, não fique repetindo a mesma coisa com palavras diferentes. Isso é redundância, é prolixidade, é terrível defeito! É preferível poucas linhas bem redigidas a muito mal escritas. Faça um trabalho honesto; 15. Não aumento o tamanho da letra para dar a impressão de que escreveu bastante. Isso indispõe o avaliador;
  45. 45. 16. Letra estilo “bicho-de-pé”, não pode (só se vê a linha de tão pequena). ( avaliador não vai colocar lente de aumento só para corrigir a sua redação; 17. Não repita idéias, tentando explicá-las. Se você escrever com clareza, uma só vez basta; 18. Não se desculpe dizendo que não escreveu mais porque o tempo foi pouco;
  46. 46. 19. Cuidado com o uso inadequado das conjunções. Elas podem estabelecer relações que não existem entre as frases e tornar o texto sem nexo; 20. Se usar uma pergunta na tese, responda-a ao longo do texto. Evite interrogações na argumentação e na conclusão. Para aprofundar seus argumentos, suas afirmações, use exemplos: fatos notórios ou históricos, conhecimentos geográficos, cifras aproximadas e informações adquiridas por meio de leitura, estudo e aquisições culturais (bagagem cultural);
  47. 47. 21. Pensamento novo, período novo. É comum, entre os que iniciam, misturar no mesmo período idéias que não se completam; 22. Tome cuidado com os períodos muito longos: resultam confusos e são propícios a períodos incompletos; 23. Não empregue a primeira pessoa do singular; 24. Atenção à falta de paralelismo;
  48. 48. 26. Faça parágrafos a, mais ou menos, três centímetros da margem; 27. Atinja a margem direita e esquerda sem ultrapassá-las; 28. Faça letra legível; se escrever em letra de forma, procure distinguir as maiúsculas das minúsculas; 25. Centralize o título (só use aspas se for citação);
  49. 49. 30. Rascunhe suas idéias antes de passá-las para a folha definitiva; 31. Não exceda o limite máximo de linhas; nem fique aquém do limite mínimo; 29. Não borre, não rabisque, nem rasure o texto definitivo;
  50. 50. f) coerência com o tema proposto. e) tese, argumentação e conclusão; d) uso da terceira pessoa do singular, mais partícula se ; ou, primeira pessoa do plural; c) domínio do léxico e da estrutura da língua; b) elaboração crítica, coerência e clareza; a) concatenação de idéias (parágrafos e frases interligados coerentemente); 32. Com os temas dissertativos, o texto deve apresentar:
  51. 51. 33. Texto dissertativo não deve apresentar: a) interrogações na argumentação ou na conclusão (só o título e a introdução podem apresentar interrogação); b) uso da primeira pessoa do singular, salvo exigências feitas pela banca; c) conversa com o leitor; d) fuga ao tema ou à modalidade (dissertação) solicitada;
  52. 52. e) título inadequado; f) uso indevido de clichês, frases prontas e chavões, palavrões, gírias; g) abordagem subjetiva e emocional do tema; h) superficialidade, julgamentos gratuitos e infundados; i) linguagem inadequada (coloquial); j) diálogo, nem personagens.
  53. 53. 34. Na conclusão é possível: a) retomar a tese, reafirmando-a; b) retomar a tese, oferecendo soluções viáveis para os problemas abordados na argumentação.

×