1º ano: Apostila 01 / Aula 02
Professor Claudio Henrique Ramos Sales
SOCIOLOGIA
• Isso significa que estamos sempre sujeitos a
coerções sociais, isto é, a aceitar valores que podem
não ser compatíveis c...
• Quando nascemos já encontramos um mundo
pronto, com suas leis, suas regras de
funcionamento os padrões de comportamento
...
• Muitas vezes, por influência da família, da
religião, da escola, dos hábitos de nossos
amigos, acabamos vestindo “máscar...
Na obra As regras do método sociológico,
Durkheim definiu o que entendia por fatos sociais.
- Fatos Sociais: São os modos ...
- Os fatos sociais não se apresentam como fatos
isolados.
- Envolvem muitos indivíduos e muitos grupos ao longo
do tempo, ...
- Ao nascer, já encontramos regras sociais,
costumes e leis que somos coagidos a
aceitar por meio de mecanismos de coerção...
- O fato social não é estabelecido pelo
individuo. Quando entramos em um grupo
social, tal norma já existia e, quando sair...
- Os fatos sociais distinguem-se dos fatos
orgânicos ou psicológicos por se imporem ao
individuo como uma poderosa força c...
- Os fatos sociais, segundo Durkhein, são
maneiras de “agir ou de pensar”. Eles possuem
existência própria e são capazes d...
- Quer a pessoa queira ou não, ela é obrigada a
seguir o costume geral.
- Porém, se não seguir, sofrerá uma punição
(ridic...
- Multas de transito, por exemplo, fazem parte
das coerções legais, pois estão previstas e
organizadas pela legislação que...
"[...] a coerção é menos violenta; mas não deixa de existir. Se não me
submeto às convenções mundanas; se, ao me vestir, n...
- O comportamento desviante em um grupo social pode não
ter penalidade prevista por lei, mas o infrator pode ser
espontane...
FATO SOCIAL
(características)seria
realidade
do
individuo
composta de
regras, leis,
costumes, rituais
caracteriza-se
por
G...
 São fatos sociais: Modos de vestir, a língua,
o sistema monetário, a religião, as leis, etc.
 Exemplo 01: Imagine um pr...
Sala de aula
não é lugar
para vestir
sunga.
Mas na praia, está tudo bem!
 Exemplo 02: Imagine o seu professor se
comportando na sala de aula como se
estivesse em um estádio, berrando feito um
do...
Sala de aula
não é lugar
para
comportament
os
escandalosos.
Curitiba-PR (Final da Copa do Brasil de 2008)
Professor Henry
ensandecido
Mas no estádio, está
tudo bem!
 Exemplo 03: Imagine que você está na
recepção de uma delegacia de polícia,
pronto para prestar uma queixa, e do nada,
te...
Delegacia não
é espaço para
festa ou para
qualquer outra
forma de
entretenimento
.
 O conceito de fato social pode passar a
impressão de que os indivíduos estão sempre
obrigados a respeitar um padrão de
c...
ALIENAÇÃO
 Ocorre toda vez que os indivíduos seguem
as determinações da sociedade de
maneira inconsciente, sem que haja
n...
TRANSGRESSÃO
 Ocorre toda vez que os indivíduos se negam
a respeitar as coerções sociais.
 Os indivíduos em uma sociedad...
http://www.consciencia.org/durkheim-e-a-
sociologia
http://www.airtonjo.com/socio_antropologic
o02.htm
http://www.infoesco...
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)

4.980 visualizações

Publicada em

Émile Durkheim foi herdeiro do positivismo de Auguste Comte.
Ele dedicou-se a constituir o objeto da Sociologia e as regras para desvendá-lo.
A obra mais importante nesse sentido foi As regras do método sociológico.
Nessa obra o autor procurou instituir a fronteira entre a Sociologia e as demais ciências, dando-lhe autonomia e objetividade.
Nesse trabalho, definiu o que entendia por fatos sociais.
Foi com ele que a sociologia passou a ser considerada uma ciência.
Fatos Sociais: São os modos de pensar, sentir e agir de um grupo social.
Durkheim via o fato social como “coisa”, ou seja, algo objetivo, capaz de ser estudado, analisado, compreendido e explicado racionalmente.
Pretendia fazer da sociologia uma ciência tão racional e objetiva quanto a física ou a biologia.
Mas como fazer isso se a sociologia lida com seres humanos que mudam a todo o momento, que tem sentimentos, emoções, ideias, vontades própria?
Então os fatos sociais deveriam ser estudados com métodos diferentes dos empregados pelas Ciências Naturais.
Os fatos sociais têm a seguinte característica:

1 – Generalidade (é comum a todos os membros de um grupo ou sua maioria)
Os fatos sociais não se apresentam como fatos isolados.
Envolvem muitos indivíduos e muitos grupos ao longo do tempo, repetem-se e difundem-se.
O fato social é comum a todas as pessoas do grupo, está presente em boa parte da sociedade ou dentro do processo histórico; como por exemplo, o desemprego.
A assiduidade com que determinados fatos ocorrem na sociedade indica a sua importância e a necessidade de estudá-los.
Isso torna a estatística uma das ferramentas que garante ao sociólogo a objetividade do controle.
É pela generalidade que os fatos sociais exibem a sua natureza coletiva, sejam eles fatos observáveis, como o modelo da habitação de um grupo, sejam fatos morais como valores e crenças.

2 – Exterioridade (é externo ao individuo, existe independente de sua vontade)
Ao nascer, já encontramos regras sociais, costumes e leis que somos coagidos a aceitar por meio de mecanismos de coerção social, como a educação.
Não nos é dada a possibilidade de opinar ou escolher, sendo, assim, independente de nós, de nossos desejos e vontades
O Fato social existe independente da vontade das pessoas, por isso ele é exterior ao indivíduo; como, por exemplo, a educação e a escola.
Os fatos sociais são coisas externas e objetivas, que não dependem da consciência individual das pessoas para existir
O fato social não é estabelecido pelo individuo. Quando entramos em um grupo social, tal norma já existia e, quando sairmos dele, provavelmente ela continuara existindo.
Podemos experimentar a exterioridade dos fatos sociais nas formas de agir e pensar que não adotaríamos de modo espontâneo ou como resultado apenas de nossa vontade.
Por exemplo, ao nos sentirmos pressionados a obedecer nosso lugar na numa fila quando nosso desejo nos impede a passar o

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.980
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durkheim e os Fatos Sociais)

  1. 1. 1º ano: Apostila 01 / Aula 02 Professor Claudio Henrique Ramos Sales SOCIOLOGIA
  2. 2. • Isso significa que estamos sempre sujeitos a coerções sociais, isto é, a aceitar valores que podem não ser compatíveis com nossas opiniões e crenças pessoais. • Valores que, em última instância, poderiam ser bem diferentes, se cada um pudesse escolhê-los de acordo com sua vontade. • A noção de coerção social é a base para entendermos um dos conceitos mais relevantes da Sociologia moderna: o de FATO SOCIAL, proposto por Émile Durkheim em sua obra As regras do método sociológico.
  3. 3. • Quando nascemos já encontramos um mundo pronto, com suas leis, suas regras de funcionamento os padrões de comportamento institucionalizados e as normas de conduta a serem seguidas. • Querendo ou não, de modo inconsciente ou não, acabamos pautando nosso modo de agir por essas regras  Seja para referendá-las;  seja para discordar delas.
  4. 4. • Muitas vezes, por influência da família, da religião, da escola, dos hábitos de nossos amigos, acabamos vestindo “máscaras” sociais; • Agimos assim pois sabemos que nossas atitudes estão sempre sendo julgadas; • Por isso, podemos sentir necessidade de adequar nosso comportamento e nosso pensamento aos valores estabelecidos.
  5. 5. Na obra As regras do método sociológico, Durkheim definiu o que entendia por fatos sociais. - Fatos Sociais: São os modos de pensar, sentir e agir de um grupo social. - Durkheim via o fato social como “coisa”, ou seja, algo objetivo, capaz de ser estudado, analisado, compreendido e explicado racionalmente. - Os fatos sociais têm a seguinte característica: • GENERALIDADE; • EXTERIORIDADE; • COERÇÃO SOCIAL.
  6. 6. - Os fatos sociais não se apresentam como fatos isolados. - Envolvem muitos indivíduos e muitos grupos ao longo do tempo, repetem-se e difundem-se. - O fato social é comum a todas as pessoas do grupo, está presente em boa parte da sociedade ou dentro do processo histórico; como por exemplo, o desemprego. - A assiduidade com que determinados fatos ocorrem na sociedade indica a sua importância e a necessidade de estudá-los. - Isso torna a estatística uma das ferramentas que garante ao sociólogo a objetividade do controle. - É pela generalidade que os fatos sociais exibem a sua natureza coletiva, sejam eles fatos observáveis, como o modelo da habitação de um grupo, sejam fatos morais como valores e crenças.
  7. 7. - Ao nascer, já encontramos regras sociais, costumes e leis que somos coagidos a aceitar por meio de mecanismos de coerção social, como a educação. - Não nos é dada a possibilidade de opinar ou escolher, sendo, assim, independente de nós, de nossos desejos e vontades - O Fato social existe independente da vontade das pessoas, por isso ele é exterior ao indivíduo; como, por exemplo, a educação e a escola. - Os fatos sociais são coisas externas e objetivas, que não dependem da consciência individual das pessoas para existir
  8. 8. - O fato social não é estabelecido pelo individuo. Quando entramos em um grupo social, tal norma já existia e, quando sairmos dele, provavelmente ela continuara existindo. - Podemos experimentar a exterioridade dos fatos sociais nas formas de agir e pensar que não adotaríamos de modo espontâneo ou como resultado apenas de nossa vontade. - Por exemplo, ao nos sentirmos pressionados a obedecer nosso lugar na numa fila quando nosso desejo nos impede a passar os outros para trás.
  9. 9. - Os fatos sociais distinguem-se dos fatos orgânicos ou psicológicos por se imporem ao individuo como uma poderosa força coerciva à qual ele deve, obrigatoriamente, se submeter. - A adoção de um idioma, a organização familiar e o sentimento de pertencer a uma nação são manifestações co comportamento humano dotadas dessa força impositiva sobre o individuo. - Essa força que Durkheim denominou coerção social. - Há um comportamento determinado que as pessoas são obrigadas a seguir independente de sua vontade.
  10. 10. - Os fatos sociais, segundo Durkhein, são maneiras de “agir ou de pensar”. Eles possuem existência própria e são capazes de obrigar (“influência coerciva”) a se comportarem dessa ou daquela maneira - Muitas vezes nos comportamos como achamos que devemos nos comportar, mas, por traz dessa aparente liberdade irrestrita existem hábitos, costumes coletivos, ou mesmo regras, que nós aceitamos como validas e nos induzem a assumir certas atitudes
  11. 11. - Quer a pessoa queira ou não, ela é obrigada a seguir o costume geral. - Porém, se não seguir, sofrerá uma punição (ridicularização, isolamento ou até sansão penal). - A força coerciva dos fatos sociais se manifesta pelas "sanções legais" ou "espontâneas" a que o individuo está sujeito quando o sujeito tenta rebelar-se contra ela. - "Legais" são as sanções prescritas pela sociedade, sob a forma de leis, nas quais se define a infração e se estabelece a penalidade correspondente. - "Espontânea" são as que afloram como resposta a uma conduta considerada inadequada por um determinado grupo ou uma
  12. 12. - Multas de transito, por exemplo, fazem parte das coerções legais, pois estão previstas e organizadas pela legislação que regulamenta o tráfego de veículos e pessoas pelas vias publicas. - Já os olhares de reprovação de que somos alvo quando comparecemos a um local com a roupa inadequada constituem sanções espontâneas. Embora não codificados em lei, esses olhares têm o poder de conduzir o infrator para o comportamento esperado
  13. 13. "[...] a coerção é menos violenta; mas não deixa de existir. Se não me submeto às convenções mundanas; se, ao me vestir, não levo em consideração os usos seguidos em meu país e na minha classe, o risco que provoco, o afastamento em que os outros me conservam, produzem, embora de maneira mais atenuada, os mesmos efeitos que uma pena propriamente dita." RODRIGUES, José Albertino (Org.). Durkheim. São Paulo: Ática, 1981. p. 47.
  14. 14. - O comportamento desviante em um grupo social pode não ter penalidade prevista por lei, mas o infrator pode ser espontaneamente punido pelo grupo na medida em que suas ações ferem determinados valores e princípios. - A reação negativa da sociedade a certas atitudes ou comportamentos é, muitas vezes, mais intimidadora do que a lei. - A "educação" - entendida de forma geral, ou seja, a educação formal e informal - desempenha, segundo Durkheim, uma importante tarefa nessa adequação dos indivíduos à sociedade em que vivem, a ponto de, após algum tempo, as regras estarem internalizadas nos membros do grupo e transformadas em habito. - O uso de uma determinada língua ou o gosto por determinada comida são internalizados no indivíduo, que passa a considerar tais hábitos como pessoais.
  15. 15. FATO SOCIAL (características)seria realidade do individuo composta de regras, leis, costumes, rituais caracteriza-se por GENERALIDADE ou seja tudo aquilo que é repetido por todos os indivíduos EXTERIORIDADE ou seja é exterior ao individuo assim como regras e leis sociais COERÇÃO SOCIAL manifestando-se quando adotamos um idioma ou uma forma apresenta-se sob forma de SANÇÕES como força que os fatos exercem sobre os indivíduos
  16. 16.  São fatos sociais: Modos de vestir, a língua, o sistema monetário, a religião, as leis, etc.  Exemplo 01: Imagine um professor nesse exato momento entrando na sala de aula vestindo somente uma sunga...
  17. 17. Sala de aula não é lugar para vestir sunga.
  18. 18. Mas na praia, está tudo bem!
  19. 19.  Exemplo 02: Imagine o seu professor se comportando na sala de aula como se estivesse em um estádio, berrando feito um doido, xingando, cantando roucamente, chorando, provocando.
  20. 20. Sala de aula não é lugar para comportament os escandalosos.
  21. 21. Curitiba-PR (Final da Copa do Brasil de 2008) Professor Henry ensandecido Mas no estádio, está tudo bem!
  22. 22.  Exemplo 03: Imagine que você está na recepção de uma delegacia de polícia, pronto para prestar uma queixa, e do nada, tem início uma balada com efeito de luzes e fumaça, acompanhado de musica eletrônica, e o delegado começa a dançar sensualmente junto com a investigadora de plantão.
  23. 23. Delegacia não é espaço para festa ou para qualquer outra forma de entretenimento .
  24. 24.  O conceito de fato social pode passar a impressão de que os indivíduos estão sempre obrigados a respeitar um padrão de comportamento, uma norma de conduta, uma lei, uma ideologia, que lhes são impostos, sem que haja a possibilidade de discordar da força coercitiva dos fatos sociais. Isso não é verdade.  Em relação ao comportamento dos indivíduos diante da coerção social, pode-se destacar duas posturas: ALIENAÇÃO e TRANSGRESSÃO
  25. 25. ALIENAÇÃO  Ocorre toda vez que os indivíduos seguem as determinações da sociedade de maneira inconsciente, sem que haja nenhum tipo de questionamento a essas determinações.
  26. 26. TRANSGRESSÃO  Ocorre toda vez que os indivíduos se negam a respeitar as coerções sociais.  Os indivíduos em uma sociedade democrática, podem cometer essas transgressões.  PORÉM...  Toda transgressão resulta em uma punição.  As punições variam de acordo com a transgressão cometida, indo de práticas preconceituosas até a pena de morte, dependendo da sociedade.
  27. 27. http://www.consciencia.org/durkheim-e-a- sociologia http://www.airtonjo.com/socio_antropologic o02.htm http://www.infoescola.com/sociologia/emile- durkheim/ Dicas De Sites para pesquisa: Émile Durkheim (1858 – 1917) é considerado um dos pais da sociologia moderna. Fundador da escola francesa de sociologia, que combinava a pesquisa empírica com a teoria sociológica, é reconhecido como um dos melhores teóricos do conceito de coerção social. Suas principais obras são: Da divisão social do trabalho (1893), Regras do método sociológico (1895), O suicídio (1897) e As formas elementares de vida religiosa (1912). http://blogdoprofessorhenry.blogspot.com.b r/search/label/Emile%20Durkheim

×