A Mesopotâmia
INTRODUÇÃO <ul><ul><li>“ Terra entre rios” </li></ul></ul><ul><ul><li>Norte: Assíria (árida) e Sul:Caldéia (fértil) </li><...
SUMÉRIOS <ul><li>3500 a.C.: sumérios fixam-se na Caldéia </li></ul><ul><li>As origens civilizatórias da Mesopotâmia </li><...
 
 
ACÁDIOS <ul><li>Sargão I, senhor de Acad, domina os sumérios </li></ul><ul><li>Invasão dos gutos (2180 a.C.): destruição d...
AMORITAS <ul><li>1º  Império Babilônico </li></ul><ul><li>Hamurábi e seu código de leis (1750 a.C.): “Olho por olho, dente...
ASSÍRIOS <ul><li>Exército poderoso e cruel </li></ul><ul><li>Tiglatfalasar: dominam a babilônia </li></ul><ul><li>Senaquer...
CALDEUS <ul><li>2º Império Babilônico </li></ul><ul><li>Nabucodonosor: “Jardins Suspensos” e escravização dos hebreus (“ca...
ECONOMIA <ul><li>Modo de produção asiático: </li></ul><ul><li>Obras hidráulicas </li></ul><ul><li>Governo teocrático </li>...
POLÍTICA E SOCIEDADE
CULTURA <ul><li>Politeísmo: Marduck - comércio (babilônios), Samash – Sol, Anu – Céu, Enlil – Ar, Ea – Água, Assur (assíri...
 
 
 
 
 
Código de Hamurábi <ul><li>Sobre o falso testemunho </li></ul><ul><li>Art. 1º - Se alguém acusa um outro, lhe imputa um so...
<ul><li>Sobre a separação dos casais </li></ul><ul><li>Art. 138 – Se alguém repudia a mulher e não lhe deu filhos, deverá ...
<ul><li>Sobre o exercício da Medicina </li></ul><ul><li>Art. 215 – Se um médico trata alguém de uma grave ferida com a lan...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mesopotâmia

1.786 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.786
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
97
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mesopotâmia

  1. 1. A Mesopotâmia
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><ul><li>“ Terra entre rios” </li></ul></ul><ul><ul><li>Norte: Assíria (árida) e Sul:Caldéia (fértil) </li></ul></ul><ul><ul><li>Berço das primeiras civilizações </li></ul></ul><ul><ul><li>Economia menos intervencionista do que a egípcia </li></ul></ul><ul><ul><li>Modo de produção asiático </li></ul></ul><ul><ul><li>Sumérios  acádios  amoritas (babilônios)  assírios  caldeus </li></ul></ul>
  3. 3. SUMÉRIOS <ul><li>3500 a.C.: sumérios fixam-se na Caldéia </li></ul><ul><li>As origens civilizatórias da Mesopotâmia </li></ul><ul><li>Ur, Uruk, Nippur, Eriddu e Lagash </li></ul><ul><li>Escrita cuneiforme </li></ul><ul><li>Invenção da roda </li></ul>
  4. 6. ACÁDIOS <ul><li>Sargão I, senhor de Acad, domina os sumérios </li></ul><ul><li>Invasão dos gutos (2180 a.C.): destruição do império acadiano </li></ul><ul><li>A invasão dos amoritas: 1º Império Babilônico </li></ul>
  5. 7. AMORITAS <ul><li>1º Império Babilônico </li></ul><ul><li>Hamurábi e seu código de leis (1750 a.C.): “Olho por olho, dente por dente” </li></ul><ul><li>Dominados pelos hititas e em 750 a.C., pelos cassitas da Ásia Menor </li></ul>
  6. 8. ASSÍRIOS <ul><li>Exército poderoso e cruel </li></ul><ul><li>Tiglatfalasar: dominam a babilônia </li></ul><ul><li>Senaqueribe: Nínive nova capital </li></ul><ul><li>Assurbanipal: biblioteca de Nínive e domina o Egito </li></ul><ul><li>Medos e caldeus (Nabupolasar) invadem a Assíria  2° Império Babilônico </li></ul>
  7. 9. CALDEUS <ul><li>2º Império Babilônico </li></ul><ul><li>Nabucodonosor: “Jardins Suspensos” e escravização dos hebreus (“cativeiro da Babilônia”), zigurates </li></ul><ul><li>Em 539 a.C.: caíram sob o domínio persa (Ciro I). Posteriormente, foram conquistados por macedônios e romanos. </li></ul>
  8. 10. ECONOMIA <ul><li>Modo de produção asiático: </li></ul><ul><li>Obras hidráulicas </li></ul><ul><li>Governo teocrático </li></ul><ul><li>Servidão coletiva) </li></ul>
  9. 11. POLÍTICA E SOCIEDADE
  10. 12. CULTURA <ul><li>Politeísmo: Marduck - comércio (babilônios), Samash – Sol, Anu – Céu, Enlil – Ar, Ea – Água, Assur (assírios) e Ishtar – amor e guerra (cultuada por todos), Tamus – vegetação </li></ul><ul><li>Epopéia de Gilgamesh: a lenda do dilúvio </li></ul><ul><li>A escrita cuneiforme </li></ul><ul><li>Magia, a adivinhação e a astrologia (12 signos do zodíaco) </li></ul><ul><li>Arquitetura: templos (zigurates) e palácios </li></ul><ul><li>Matemática, Medicina, Geometria aplicada e Astronomia (Mapas estelares, o ângulo de 360 graus, o calendário de sete dias). Sistema numérico sexagesimal </li></ul><ul><li>A divisão social em camadas e a busca pela organização de um Estado (Primeiro Império Babilônico) </li></ul><ul><li>Código de Hamurábi  pena de Talião: “olho por olho, dente por dente” </li></ul>
  11. 18. Código de Hamurábi <ul><li>Sobre o falso testemunho </li></ul><ul><li>Art. 1º - Se alguém acusa um outro, lhe imputa um sortilégio, mas não pode dar prova disso, aquele que acusou deverá ser morto. </li></ul><ul><li>Art. 3º - Se alguém em um processo se apresenta como testemunha de acusação e não prova o que disse, se o processo importa perda de vida, ele deverá ser morto. </li></ul><ul><li>Sobre os bens da família </li></ul><ul><li>Art. 36 – O campo, o horto e a casa de um oficial, gregário ou vassalo, não podem ser vendidos. </li></ul><ul><li>Art. 37 – Se alguém compra o campo, o horto e a casa de um oficial, de um gregário, de um vassalo, a sua tábua do contrato de venda é quebrada e ele perde o seu dinheiro; o campo, o horto e a casa voltam ao dono. </li></ul><ul><li>Art. 38 – Um oficial, gregário ou vassalo não pode obrigar por escrito nem dar em pagamento de obrigação à própria mulher ou à filha o campo, o horto e a casa do seu benefício. </li></ul><ul><li>Sobre o casamento </li></ul><ul><li>Art. 128 - Se alguém toma uma mulher, mas não conclui contrato com ela, essa mulher não é esposa. </li></ul><ul><li>Sobre o adultério </li></ul><ul><li>Art. 129 – Se a esposa de alguém é encontrada em contato sexual com um outro, deve-se </li></ul><ul><li>amarrá-los e lançá-los n'água, salvo se o marido perdoar à sua mulher e o rei a seu escravo. </li></ul><ul><li>Sobre o estupro </li></ul><ul><li>Art. 130 – Se alguém viola a mulher que ainda não conheceu homem e vive na casa paterna e tem contato com ela e é surpreendido, este homem deverá ser morto e a mulher irá livre. </li></ul><ul><li>Sobre a falsa acusação de adultério </li></ul><ul><li>Art. 131 – Se a mulher de um homem livre é acusada pelo próprio marido, mas não surpreendida em contato com outro, ela deverá jurar em nome de Deus e voltar à sua casa. </li></ul>
  12. 19. <ul><li>Sobre a separação dos casais </li></ul><ul><li>Art. 138 – Se alguém repudia a mulher e não lhe deu filhos, deverá dar-lhe a importância do presente nupcial e restituir-lhe o donativo que ela trouxe consigo da casa de seu pai e assim mandá-la embora. </li></ul><ul><li>Art. 139 – Se não houve presente nupcial, ele deverá dar-lhe uma mina , como donativo de repúdio. </li></ul><ul><li>Art. 149 – Se alguém toma uma mulher e esta é colhida pela moléstia, se ele então pensa em tomar uma segunda, não deverá repudiar a mulher que foi presa de moléstia, mas deverá conservá-la na casa que ele construiu e sustentá-la enquanto viver. </li></ul><ul><li>Sobre os direitos dos menores </li></ul><ul><li>Art. 175 – Se um escravo da Côrte ou escravo de um liberto, desposa em uma outra casa, ela não deverá entrar sem ciência do juiz. Se ela entra em uma outra casa, o juiz deverá verificar a herança da casa do seu precedente marido. Depois se deverá confiar a casa de seu precedente marido ao segundo marido e à mulher mesma, em administração, e fazer lavrar um ato sobre isso. Eles deverão ter a casa em ordem e criar os filhos e não vender os utensílios domésticos. O comprador que compra os utensílios domésticos dos filhos da viúva, perde seu dinheiro e os bens voltam de novo ao seu proprietário. </li></ul><ul><li>Sobre delitos e penas </li></ul><ul><li>Art. 198 – Se alguém arranca o olho de um liberto, deverá pagar uma mina. </li></ul><ul><li>Art. 199 – Se ele arranca um olho de um escravo alheio, ou quebra um osso ao escravo alheio, deverá pagar a metade do seu preço. </li></ul><ul><li>Art. 209 – Se alguém bate numa mulher livre e a faz abortar, deverá pagar dez siclos pelo feto. </li></ul><ul><li>Art. 210 – Se essa mulher morre, então se deverá matar o filho dele. </li></ul>
  13. 20. <ul><li>Sobre o exercício da Medicina </li></ul><ul><li>Art. 215 – Se um médico trata alguém de uma grave ferida com a lanceta de bronze e o cura ou se ele abre a alguém uma incisão com a lanceta de bronze e o olho é salvo, deverá receber dez siclos . </li></ul><ul><li>Art. 218 – Se um médico trata alguém de uma grave ferida com a lanceta de bronze e o mata, ou lhe abre uma incisão com a lanceta de bronze e o olho fica perdido, dever-se-lhe-á cortar as mãos. </li></ul><ul><li>Art. 219 – Se o médico trata o escravo de um liberto de uma ferida grave com a lanceta de bronze e o mata, deverá dar escravo por escravo. </li></ul><ul><li>Sobre o exercício da Engenharia </li></ul><ul><li>Art. 229 – Se um arquiteto constrói para alguém e não o faz solidamente e a casa que ele construiu cai e fere de morte o proprietário, esse arquiteto deverá ser morto. </li></ul><ul><li>Art. 233 – Se um arquiteto constrói para alguém uma casa e não a leva ao fim, se as paredes são viciosas, o arquiteto deverá à sua custa consolidar as paredes. </li></ul><ul><li>Sobre a navegação </li></ul><ul><li>Art. 236 – Se alguém freta o seu barco a um bateleiro e este é negligente, mete a pique ou faz que se perca o barco, o bateleiro deverá ao proprietário barco por barco. </li></ul><ul><li>Art. 237 – Se alguém freta um bateleiro e o barco e o provê de trigo, lã, azeite, tâmaras e qualquer outra coisa que forma a sua carga, se o bateleiro é negligente, mete a pique o barco e faz que se perca o carregamento, deverá indenizar o barco que fez ir a pique e tudo que ele causou perda. </li></ul><ul><li>Art. 240 – Se um barco a remos investe contra um barco de vela e o põe a pique, o patrão do barco que foi posto a pique deverá pedir justiça diante de Deus; o patrão do barco a remos, que meteu a fundo o barco a vela, deverá indenizar o seu barco e tudo quanto se perdeu.&quot; </li></ul>

×