Conceito - Ambiente expositivo

833 visualizações

Publicada em

Material de apoio a disciplina de Projeto Gráfico, elaborado pela Profa. Claudia Bordin Rodrigues, MsC. UTFPR - Curitiba.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
833
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
315
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conceito - Ambiente expositivo

  1. 1. Claudia Bordin Rodrigues Conceito utfpr.d esign gráfic o MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  2. 2. perguntas essenciais Qual o conceito central da exposição? Que linguagem (gráfica) pretendida? Marca nova, adaptada ou cambiante? Qual o conceito interativo? Quais as experiências desejáveis? MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  3. 3. ficha técnica Roteiro Musical de SP SESC SANTANA, 2012 Projeto Gráfico Educativo: TG3 Comunicação Edição de Áudio e Imagem: Darlan Ferreira Curadoria: Assis Ângelo e Andrea Lago (Instituto Memória Brasil) Consultoria de Montagem Fina: Clara Perino e Cidô Brecheret Fotografia: André Labate Rosso Imagens: Instituto Memória Brasil – Acervo Assis Ângelo Pesquisa Musical Contemporânea: Débora Pill Montagem: Fábrica de Milagres Sonorização: Maxiaudio  Consultoria Jurídica: Jorge Melo Referências http://www.gutorequena.com.br/site/#roteiro-musical-de-sp/1
  4. 4. briefing - coleção de pesquisa sobre 100 anos de composições musicais sobre a cidade de São Paulo e história da produção musical local; - princípios do design universal e imersão = todos os usuários devem ter a mesma experiência espacial, sejam eles altos, baixos, cadeirantes, crianças ou adultos = muito apelo visual, do chão ao teto; - ambiente sugere um cabaré antigo, hibridado com uma estética contemporânea e bem brasileira = kitsch e performático; -trajeto inspira-se nos próprios símbolos da cidade de São Paulo, como em seu skyline, calçada típica e postes de luz = iconografia paulistana MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  5. 5. Roteiro Musical de SP http://www.gutorequena.com.br/site/#roteiro-musical-de-sp/1 efeito pixel: confundir para imersão
  6. 6. Um grande neon inspirado nos bares da Rua Augusta, região boêmia da cidade. túnel
  7. 7. “Desvio para o vermelho”, do artista Cildo Meirelles, de 1967. Vermelhos, vinhos e roxos são a carta de cores escolhida para a exposição, inspirada na instalação de Cildo Meireles. Clima da Bella Époque no mobiliário e cortinas. briefing
  8. 8. dentro das cúpulas
  9. 9. Roteiro Musical de SP http://www.gutorequena.com.br/site/#roteiro-musical-de-sp/1 o cabaret e a boêmia
  10. 10. IV Bienal Brasileira da Design http://grecodesign.com.br/category/bienal-bras-de-design/
  11. 11. “uma máscara que emoldura a paisagem, criando assim um filtro-portal pelo qual é possível ver através os acontecimentos corriqueiros da cidade” Tempo Festival - Estudio Radiografico http://radiografico.com.br/pt/work/42
  12. 12. outros cases Escher no MON Mail de mil brinquedos Jovens católicos, no metrô Sumaré Museu do Futebol Cazuza Senna Emotion Terreiro Lembrança e Esquecimento Sesc Pompéia
  13. 13. o que se espera de um projeto gráfico? “ 2 As empresas utilizam o design gráfico para transmitir suas mensagens de forma clara e transformá-las em experiências emocionais. É tarefa do designer criar uma comunicação organizada, instigante e memorável - e isso ele só consegue com 1 conhecimento, habilidade e intuição. SAMARA, TIMOTHY. Elementos do Design Gráfico - Guia de estilo gráfico; MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  14. 14. criação da identidade Escolhas tipográfias Projeto de Identidade gráfica + Identidade UTFPR 2 Escolhas cromáticas Escolha de estrutura e composição Escolha de estilo, suporte e técnicas 1 Escolha das regras/estratégias MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  15. 15. o que se espera de um protótipo? “ 2 Que seja representativo Includente das possibilidades visuais Misture técnicas e abordagens Vá além dos recursos da imaginação 1 Permita compreender o conceito MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.
  16. 16. uso da planta baixa delimitar espaço estudar proporções
  17. 17. planta + mapeamento FRANCO, Maria Ignez Mantovani. 3º Fórum Nacional de Museus Planejamento e organização de exposições, 2009
  18. 18. planta + elevações recurso de planificação
  19. 19. 3d / traço 3d mock-ups
  20. 20. http://sepidehg.files.wordpress.com/2011/08/paraside-board.jpg
  21. 21. interface de projeto Informacionais o que se mostra, com que intenção,didático-pedagógico no design Comunicativas escolhas estéticas, como se mostra,cultura visual e cultura de massa MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte. Experienciais relações emocionais, aspectos psicológicos, o sujeito como centro 2 da abordagem Narrativas imersão, vivência, tecnologia 1tradução simbólica, mediação
  22. 22. hoje brainstorming mind mapping (mapa mental) do conceito painel visual fotográfico (autoral ou referencial) brain dumping visual – geração de esboços rápidos briefing textual entrega Dia 21/nov
  23. 23. [] MATERIAL DE APOIO da Profa. Claudia Bordin Rodrigues Se quiser usar, seja legal e cite a fonte.

×