27889847 areas-rurais

729 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

27889847 areas-rurais

  1. 1. Pedro Vitória As áreas rurais A (re)descoberta da multifuncionalidade do espaço rural
  2. 2. Pedro Vitória Novas oportunidades para as áreas rurais • Como valorizar as áreas rurais portuguesas? • Que impactes podem ter as diferentes actividades nas áreas rurais? • Como potencializar os seus recursos endógenos? • Que benefícios poderão trazer algumas estratégias de desenvolvimento rural?
  3. 3. Pedro Vitória As áreas rurais
  4. 4. Pedro Vitória
  5. 5. Pedro Vitória As áreas rurais • As áreas ruraisrepresentam cerca de 82%do território nacional, nelas residindo quase 32% da população. • À vasta área que ocupam corresponde uma grande riqueza e diversidade de recursos naturais, humanos e culturais.
  6. 6. Pedro Vitória Concelhos rurais • A multifuncionalidade das áreas rurais implica a pluriactividade ao nível das famílias agrícolas, que permite o plurirendimento, através de actividades alternativas ou complementares. • Implica, também, a possibilidade de preservar os valores, a cultura, o património e de potencializar os recursos locais. • A diversificação das actividades nas áreas rurais constitui uma opção estratégica para diminuir as assimetrias territoriais, através da fixação da população, e para promover o desenvolvimento rural.
  7. 7. Pedro Vitória As áreas rurais Porém, a maioria destas áreas é afectada por dificuldades comuns, que acentuam os contrastes de desenvolvimento entre elas e os espaços urbanos. Concelhos com IPPC inferior a 75% da média nacional 2002 (Índice de Paridade de Poder de Compra)
  8. 8. Pedro Vitória A diversidade das áreas rurais portuguesas • As áreas ruraisportuguesas diferenciam-se pelas que se situam próximo de centros urbanos e no Litoral, das do Interior, sobretudo as mais periféricas. • As áreas rurais próximas de centros urbanose, no geral, as do Litoral, beneficiam do dinamismo das áreas urbanas, delas dependendo em termos de emprego e de serviços. • Muitas vezes, são mesmo ocupadas por actividades ou pela população urbana que nelas fixa residência.
  9. 9. Pedro Vitória A diversidade das áreas rurais portuguesas • Os problemas nas áreas rurais periféricas: • perda e envelhecimento da população; • baixo nível de qualificação dos recursos humanos; • falta de emprego não- agrícola; • abandono de terras agrícolas; • carência de equipamentos sociais, culturais, recreativos e de serviços de proximidade; • insuficiência das redes de transporte; • baixo poder de compra. • As potencialidades das áreas rurais: • património histórico, arqueológico, natural e paisagístico rico e diversificado; • baixos níveis de poluição e, de um modo geral, elevado grau de preservação ambiental; • tendência para melhoria das infra-estruturas colectivas e equipamentos sociais e da rede de acessibilidades; • existência de um saber- fazer tradicional que, muitas vezes, valoriza os recursos naturais da região.
  10. 10. Pedro Vitória Vantagensdas áreas rurais • As áreas rurais apresentamrecursos endógenos-recursos naturais e humanos: • o desenvolvimento do Turismo em Espaço Rurale do turismo ligado à Natureza, associados à valorização crescente de estilos de vida mais saudáveis e tranquilos; • a procura de produtos alimentares e não-alimentares de qualidade, específicos das diversas regiões; • uma cada vez maior preocupação com a preservação dos recursos naturaise com a defesa do ambiente.
  11. 11. Pedro Vitória Vantagensdas áreas rurais Turismo em Espaço Rural
  12. 12. Pedro Vitória Turismo • Diversificar a economia valorizando os recursos: • O Turismo em Espaço Rural, TER-conjunto de actividades e serviços prestados a troco de remuneração, de forma personalizada e de acordo com os valores, tradições e modos de vida das comunidades rurais em que se insere -é diferente do turismo convencional. • Tem como objectivo principaloferecer aos turistas a oportunidade de conviver com as práticas, as tradições e os valores da sociedade rural, valorizando as particularidades das regiões no que elas têm de mais genuíno, desde a paisagem à gastronomia e aos costumes.
  13. 13. Pedro Vitória Turismo em Espaço Rural • O aumento da procura do Turismo em Espaço Ruraldeve-se a factores como: • ao interesse crescente pelo património, pela Natureza e pela sua relação com a saúde; • à necessidade de descanso e evasão e à busca de paz e tranquilidade; • à valorização da diferença e da oferta turística personalizada, em detrimento do turismo de massas; • ao aumento dos tempos de lazer, do nível de instrução e cultural da população; • à crescente mobilidade da população e à melhoria das acessibilidades.
  14. 14. Pedro Vitória Turismo em Espaço Rural • O TER induz o desenvolvimento das áreas rurais porque: • permite diversificar as actividadesligadas à exploração agrícola, como a venda directa de primores agrícolas - queijos, enchidos, mel, compotas, frutos secos, doces, etc.; • induz uma série de actividades que geram emprego, a montante (construção civil, transportes, indústria, agricultura) e a jusante (artesanato, comércio, restauração, serviços); • contribui para a conservação e melhoria do patrimóniocultural e paisagístico e para a recuperação do património histórico; • permite a revitalizaçãode pequenos agregados populacionais;
  15. 15. Pedro Vitória Turismo em Espaço Rural Oferta de Alojamento de Turismo em Espaço Rural, 2002
  16. 16. Pedro Vitória Turismo em Espaço Rural • Em 2002, o número de estabelecimentos aumentou mais de 25%relativamente ao ano anterior em todas as modalidades. Oferta de Alojamento de TER tem vindo a aumentar
  17. 17. Pedro Vitória Turismo de Habitação • Desenvolve-se em solares, casas apalaçadas ou residências de reconhecido valor arquitectónico, com dimensões adequadas, mobiliário e decoração de qualidade. • Caracteriza-se por um serviço de hospedagem de natureza familiar e de elevada qualidade. • Os hóspedes são recebidos de forma personalizadapelos proprietários, que fornecem pormenores históricos da casa e do local, aconselham as visitas e actividades de maior interesse e, nalguns casos, organizam passeios pela região. • Os rendimentos da actividade contribuem para o restauroe dinamizaçãodestas casas.
  18. 18. Pedro Vitória Agro-turismo • Caracteriza-se por permitir que os hóspedes observem, aprendam e participem nas actividades desenvolvidas nas explorações agrícolas onde está instalada a casa de acolhimento. • Oferecem aos hóspedes a possibilidade de participar em tarefas como a vindima, apanha de fruta, desfolhada, ordenha, alimentação de animais, fabrico de queijo, vinho e mel
  19. 19. Pedro Vitória Turismo Rural • Desenvolve-se em casas rústicas particulares, com características arquitectónicas próprias do meio rural em que se inserem. • Utilizando materiais da região, caracterizam-se mais pelo valor etnográfico do que pelo arquitectónico. • Têm, geralmente, pequenas dimensões e mobiliário simples.
  20. 20. Pedro Vitória Casas de Campo • São consideradas Casas de Campoas casas rurais e abrigos de montanha onde se preste hospedagem, independentemente do proprietário nelas residir. • Integram-se na arquitectura e ambiente característicos da região, pela sua traça e pelos materiais de construção
  21. 21. Pedro Vitória Turismo de Aldeia • Desenvolve-se em empreendimentos que incluem, no mínimo, cinco casas particulares inseridas em aldeias que mantêm, no seu conjunto, as características arquitectónicas e paisagísticas tradicionais da região. Aldeias Históricas de Portugal, 2003
  22. 22. Pedro Vitória Turismo de Aldeia • Para além da recuperação de monumentos e da requalificação das habitações e da paisagem, esta iniciativa contribui para melhorar a acessibilidade a aldeias que, em muitos casos, se encontravam quase inacessíveis. • Por outro lado, a criação de emprego, na restauração, nos postos de turismo, nas actividades de dinamização, no comércio local e no artesanato, poderá combater a tendência de despovoamento. Aldeia de Monsanto
  23. 23. Pedro Vitória Outras formas de turismo no espaço rural • O Turismo Ambientalé cada vez mais procurado, pela aventura, pelo contacto com a Natureza e pela multiplicidade de actividades ao ar livre que proporciona: canoagem, rafting, parapente, asa-delta, balonismo, bicicleta de montanha ou todo o terreno (BTT), marcha e/ou corrida de orienta-ção, espeleologia, escalada, campismo, percursos pedestres, pesca, etc. • O Turismo Ambiental nas Áreas Protegidas, a maior parte localizada em áreas rurais, existem também grandes potencialidades para o desenvolvimento do Turismo Ambiental que atrai, em média, 220 mil visitantes anuais. Parapente em Linhares
  24. 24. Pedro Vitória Outras formas de turismo no espaço rural • O Turismo Fluvial, valorizando a importância que a água assume como fonte de lazer, obtém cada vez mais adeptos, que preferem a calma dos espelhos de água do Interior ao rebuliço das praias do Litoral. • Este interesse tem sido acompanhado de programas de valorização das áreas ribeirinhas, para proporcionar espaços seguros à prática da actividade balnear, tal como a sua valorização ambiental e paisagística. Praia Fluvial de Meitriz
  25. 25. Pedro Vitória Outras formas de turismo no espaço rural • O Turismo Culturaltem também tido um grande incremento. • Valoriza o património arqueológico, histórico e etnográfico local, nomeadamente através da participação das entidades locais. • Castelos, solares, templos, museus, romarias, recriação de actividades tradicionais, com roteiros próprios e organização de visitas guiadas. Torre de Castelo Sortelha
  26. 26. Pedro Vitória Outras formas de turismo no espaço rural • O Turismo Gustativoou Gastronómicoe o Enoturismosão outras formas que valorizam as potencialidades das áreas rurais e as dinamizam, aproveitando a grande diversidade e qualidade da gastronomia e dos vinhos regionais. • Têm vindo a ser constituídas as rotas dos vinhos, numa região vinícola demarcada com interesse turístico. • Associados a estas rotas, existem programas organizados que permitem participar em diversas actividades de produção do vinho, como as vindimas ou o pisar das uvas, descobrir uma região
  27. 27. Pedro Vitória Outras formas de turismo no espaço rural • O Turismo Cinegético, ligado à caça, e o Turismo Termalsão das formas mais antigas de turismo em áreas rurais. • Aproveitando a grande diversidade da composição química e as características terapêuticas associadas às águas subterrâneas, as estâncias termaistêm sido elementos importantes na fixação do emprego e na dinamização turística das regiões onde se localizam. TurismoCinegético TurismoTermal
  28. 28. Pedro Vitória A sustentabilidade do turismo • Só será possível desenvolver um turismo de qualidade se se evitar: – o alargamento excessivo das capacidades de acolhimento; – o subaproveitamento do solo agrícola; – a especulação fundiária e imobiliária; – a falta de formação profissional; – a perda do elemento humano e das relações personalizadas; – a massificação das formas de turismo mais acessíveis. – a degradação dos recursos naturais e o desrespeito pelos valores socioculturais
  29. 29. Pedro Vitória A sustentabilidade do turismo • A actividade turística nas áreas rurais não deverá ser entendida como uma actividade «milagrosa», mas como um complemento em equilíbriocom as actividades tradicionaise inserida num modelo de desenvolvimento integrado.
  30. 30. Pedro Vitória Outras vantagensdas áreas rurais Indústria e desenvolvimento rural
  31. 31. Pedro Vitória Indústria e desenvolvimento rural • A indústriafunciona como «motor» de desenvolvimento para qualquer região, pelo que a sua instalação acolhe, normalmente, consenso. • Está ligada à exploração dos recursos locais: – indústrias associadas à produção agro-pecuária – de conservas de fruta e vegetais, transformação de tomate, lacticínios e carne, indústrias de lanifícios, vestuário, couro, calçado, etc.; Fábrica de lacticínios na ilha Terceira – O indústrias ligadas à exploração florestal -serrações, carpintarias, corticeiras, mobiliário; – indústrias de extracção e transformação de rochas e minerais.
  32. 32. Pedro Vitória Indústria e desenvolvimento rural • Factores de atracção da indústria nas áreas rurais • aproveitamento de recursos locais; • disponibilidade de mão-de-obra relativamente barata; • existência de infra-estruturas e de boas acessibilidades; • disponibilidade de serviços de apoio à actividade produtiva; • proximidade de mercados regionais relativamente vastos. Acessibilidades dinamizam as áreas rurais.
  33. 33. Pedro Vitória Outras vantagensdas áreas rurais Desenvolver a silvicultura
  34. 34. Pedro Vitória Desenvolver a silvicultura • As áreas florestaissão uma parte essencial das áreas rurais em Portugal. • Podendo constituir um factor fundamental do seu desenvolvimento sustentado. • Funções desempenhadas pelas áreas de floresta: – a função económica, produzindo matérias-primas e frutos, fornecendo emprego e gerando riqueza; O montado – a função social, fornecendo ar puro e espaços de lazer; – a função ambiental, sendo fundamental na conservação dos solos, contribuindo para conservar a água e regularizar o ciclo hidrológico, armazenando carbono, preservando a biodiversidade.
  35. 35. Pedro Vitória Desenvolver a silvicultura • Os problemas: • a fragmentação da propriedade florestal; • frequente desconhecimento dos seus limites por parte dos proprietários; • difícil organização e gestão da floresta; • a baixa rendibilidade devido ao ritmo de crescimento lento das espécies; • o elevado risco da actividade associado aos incêndios florestais. • As soluções: • a promoção do emparcelamento, através de incentivos e da simplificação jurídica e fiscal; • a criação de instrumentos de ordenamento e gestão florestal; • a simplificação dos processos de investimento, no âmbito da candidatura aos programas de apoio à floresta; • a promoção do associativismo, da formação profissional e da investigação florestal; • a prevenção de incêndios.
  36. 36. Pedro Vitória Desenvolver a silvicultura A prevenção de incêndios: -limpeza de matos, povoamentos e desbastes; -melhoria e construção da rede viária e de linhas corta-fogo; -optimização dos pontos de água; -criação de faixas de segurança; -aquisição e optimização de máquinas e materiais para limpeza e desmatação; -campanhas de sensibilização; -melhoria da coordenação dos meios de detecção e combate de fogos. O eucalipto , pelo seu mais rápido crescimento, tem substituído espécies como o pinheiro bravo0
  37. 37. Pedro Vitória Outras vantagensdas áreas rurais Produzir energias renováveis
  38. 38. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • A produção de energiaa partir de fontes renováveis é uma das formas de valorizar os recursos disponíveis nas áreas rurais, contribuindo para gerar emprego e riqueza. • O seu aproveitamento é ainda uma resposta às preocupações actuais de preservação do ambientee de redução da dependência energéticado nosso País. • Dada a vasta área do território que ocupam, as áreas rurais disponibilizam uma boa parte das fontes de energia renováveis. O preço de petróleo e da gasolina
  39. 39. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • Biomassa • Os produtos da floresta constituem um enorme potencial para a produção de energia, um dos maiores é a Central Termoeléctrica de Mortágua, a funcionar desde 1999. • Para além da biomassa florestal, é ainda possível utilizar os produtos e resíduos da agricultura, como os das podas das vinhas, olivais e árvores de fruto, para a obtenção de energia. Limpeza de pinhais
  40. 40. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • Biogás • tem origem nos efluentes agro- pecuários, da agro-indústria e urbanos (lamas das estações de tratamento dos efluentes domésticos) e ainda nos aterros. • Resulta da degradação biológica anaeróbica (sem oxigénio) da matéria orgânica. Explorações agro-pecuárias • Existem em Portugal várias produções, na sua maior parte proveniente do tratamento de efluentes das suiniculturas. • Pode tornar as explorações agro-pecuárias auto-suficientes energeticamente. • Pode resolver os problemas de poluição dos cursos de água a elas associados.
  41. 41. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • Biocombustíveis líquidos • Podem ser produzidos a partir das chamadas culturas energéticas, de onde se obtém o biodiesel. • A partir de óleos de colzaou de girassol, e o etanol, pela fermentação de hidratos de carbono provenientes da cana- de-açúcar, da beterrabaou dos resíduos florestais. Produção de biodiesel a partir do girassol Autocarros e o biodiesel
  42. 42. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • Energia eólica • Existem boas condições para a produção de energia eólica numa vasta área do nosso País. • O primeiro parque eólico data de 1988 e foi instalado em Santa Maria (Açores). • Actualmente, a distribuição destas centrais abrange quase todo o território nacional, continuando a surgir novos projectos para instalação de parques eólicos com ligação à rede eléctrica nacional Parque eólico Alagoa de Cima
  43. 43. Pedro Vitória Produzir energias renováveis • Energia hídrica • Tem sido, desde há muito, utilizada nas áreas rurais para moagem dos cereais e da azeitona (azenhas). • Constituindo também o recurso nacional mais utilizado para a produção de electricidade, nas centrais hidroeléctricas. • Actualmente, existe uma aposta na construção de mini-hídricas, cujos impactes ambientais são menores. Mini-hídricas
  44. 44. Pedro Vitória Outras vantagensdas áreas rurais Desenvolver os produtos regionais de qualidade
  45. 45. Pedro Vitória Desenvolver os produtos regionais de qualidade • A grande variedade de produções animais e vegetais tradicionais específicas das regiões deve não só ser preservada como também potencializada. • A maioria destes produtos é obtida através de sistemas de produção extensivos, o que lhes acrescenta qualidade e, a juntar a uma imagem regional, contribui para a sua valorização. • Tendo em conta a crescente procura de alimentos de qualidade, estes produtos constituem uma importante via para a obtenção de rendimentos suplementares. Produtos regionais
  46. 46. Pedro Vitória Desenvolver os produtos regionais de qualidade • Existe protecção especial aos produtos agro-alimentares específicos das regiões e de qualidade reconhecida • A Comunidade Europeia criou sistemas de protecção e de valorização dos produtos agro-alimentares. • Denominação de Origem Protegida (DOP) – é o nome de um produto cuja produção, transformação e elaboração ocorrem numa área geográfica delimitada, com um saber-fazer reconhecido e verificado. • Indicação Geográfica Protegida (IGP) – a relação com o meio geográfico subsiste pelo menos numa das fases de produção, transformação ou elaboração. Além disso, o produto pode beneficiar de uma boa reputação tradicional. • A Especialidade Tradicional Garantida (ETG) – não faz referência a uma origem, mas tem por objecto distinguir uma composição tradicional do produto ou um modo de produção tradicional.
  47. 47. Pedro Vitória Desenvolver os produtos regionais de qualidade Áreas geográficas de produção de queijo (DOP).
  48. 48. Pedro Vitória Desenvolver os produtos regionais de qualidade • O artesanato • Constitui também uma forma de diversificar as actividades rurais e de criar emprego, para além de ser um elemento representativo da identidade culturalque importa preservar. • A recuperação de ofícios artesanais deve ser promovida para evitar que se perca o saber- fazer tradicional. • Em muitos casos apenas desenvolvido por idosos. • A promoção do artesanato é ainda uma forma de valorizar o papel das mulheres. Olaria artesanal
  49. 49. Pedro Vitória As áreas rurais em mudança -Síntese • Diversidade de problemas e de potencialidades • As áreas rurais portuguesas apresentam alguma diversidade de características e potencialidades. • As áreas rurais próximas dos centros urbanos e, no geral, as do Litoral, beneficiam do dinamismo dos espaços urbanos, mas as mais periféricas enfrentam problemas demográficos, como a perda e envelhecimento, falta de emprego, baixo poder de compra, insuficiência das redes de transporte e carência de equipamentos. • A maioria destas áreas possui, no entanto, recursos naturais e humanosque podem contribuir para o seu desenvolvimento.
  50. 50. Pedro Vitória As áreas rurais em mudança -Síntese • Multifuncionalidade • A viabilidade de muitas comunidades rurais passa pela diversificação da sua economia. O turismo, a indústria, a silvicultura, a produção de energias renováveis e dos produtos regionais de qualidade são algumas das actividades que permitirão a pluriactividade e o pluri-rendimento e que promoverão a fixação da população e o desenvolvimento rural. • Os serviços exercem um papel dinamizador nas áreas rurais, pois criam emprego e melhoram a qualidade de vida da população. • O desenvolvimento rural constitui uma preocupação crescente em Portugal.
  51. 51. Pedro Vitória As áreas rurais FIM Baseado e adaptado de: Arinda Rodrigues, Isabel Barata, Joana Moreira, Geografia –11ºano, Texto Editora, 2004

×