Vírus

43.162 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
4 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
43.162
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
855
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.136
Comentários
4
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vírus

  1. 1. Vírus
  2. 2. O que é um vírus? <ul><li>São estruturas macromoleculares que possuem material genético e são parasitas intracelulares obrigatórios . </li></ul><ul><li>Parasitam: animais, vegetais, fungos e bactérias. </li></ul>Fora da célula – vírion (forma infectiva) Dentro da célula – vírus (após a infecção)
  3. 3. Vírus são altamente específicos <ul><li>São altamente específicos, parasitando até mesmo um único órgão. (ex.: fígado) </li></ul><ul><li>Especificidade: proteínas da superfície viral que reconhecem o tipo celular a ser parasitado. </li></ul>
  4. 4. Estrutura viral <ul><li>Constituídos por: </li></ul><ul><li>Ácido nucléico DNA e/ou RNA) (em verde) </li></ul><ul><li>Cápsula viral ou capsídeo (proteínas) (em azul) </li></ul><ul><li>Obs: Alguns vírus podem ainda, apresentar uma membrana lipoprotéica (originada da célula hospedeira). </li></ul>
  5. 5. Vírus com envelope lipoprotéico Ácido nucléico Capsídeo Envelope lipoprotéico Proteína de mambrana
  6. 6. Vírus, ser vivo? <ul><li>Discussão entre autores: </li></ul><ul><li>Não são seres vivos: são acelulares, não têm metabolismo próprio, utilizam maquinaria da célula hospedeira – por isso parasita obrigatório. </li></ul><ul><li>Porém, outros dizem: </li></ul><ul><li>São seres vivos: Possuem material genético (código genético). </li></ul>
  7. 7. Tipos de vírus: são classificados de acordo com o tipo de material genético que apresentam. <ul><li>Vírus de DNA </li></ul><ul><li>Desoxivírus </li></ul><ul><li>Ex.: Herpes, varicela e sarampo. </li></ul><ul><li>Vírus de RNA </li></ul><ul><li>Ribovírus </li></ul><ul><li>Ex.: HIV, febre amarela, HCV (hepatite C) e poliomielite. </li></ul>
  8. 8. Reprodução Viral <ul><li>Fases: </li></ul><ul><li>Adsorção ou fixação: reconhecimento da célula hospedeira pelo vírus. </li></ul><ul><li>Há entrada do material genético do vírus, capsídeo é expelido. </li></ul><ul><li>Multiplicação do material genético do vírus. </li></ul><ul><li>Síntese das cápsulas protéicas. </li></ul><ul><li>Produção das unidades virais. </li></ul><ul><li>Lise da bactéria e liberação dos vírus. </li></ul>
  9. 9. Replicação viral: desoxivirus DNA bacteriano DNA viral DNA liga-se ao genoma da célula para ser duplicado e transcrito. Cópias de DNA viral e de capsídeos
  10. 10. Reprodução Viral: ribovírus ou retrovírus Retrotranscrição: nos ribovírus, o RNA viral é transformado em DNAviral, pela enzima transcriptase reversa . Este DNA é inserido no genoma da célula hospedeira e passa a ser transcrito (cópias de RNA viral e produção de proteínas virais). RNA viral + Retrotranscrição Transcriptase reversa DNA viral DNA celular DNA celular + DNA viral (provírus)
  11. 11. Libração Viral – Ciclo Lítico <ul><li>Onde há a ruptura da célula hospedeira. </li></ul><ul><li>Ex.: ingluenza (gripe) e poliomielite. </li></ul>
  12. 12. Liberação Viral – Ciclo Lisogênico <ul><li>Os vírus podem ser liberados lentamente da célula; ou </li></ul><ul><li>Podem esperar divisões celulares. </li></ul><ul><li>Podem ficar em estado latente, em estado de “cura” temporária até que algum fator desencadeie a doença. Ex. herpes. </li></ul>
  13. 13. Viroses <ul><li>Causas das doenças: </li></ul><ul><li>Alteração do material genético da célula hospedeira; </li></ul><ul><li>Ruptura da célula – ciclo lítico. </li></ul>
  14. 14. Transmissão <ul><li>Em vegetais: </li></ul><ul><li>Entrada através de escoriações na superfície vegetal. </li></ul><ul><li>Disseminação no interior do organismo através dos plasmodesmos (pontes de citoplasma entre células vizinhas). </li></ul>
  15. 15. Transmissão <ul><li>Em animais a entrada se dá: </li></ul><ul><li>Por lesões na pele; </li></ul><ul><li>Por reconhecimento de células de mucosa, como as das vias respiratórias, genitais, digestórias. </li></ul><ul><li>Por inoculação por animal transmissor (ex. dengue). </li></ul><ul><li>Pela gestação (via placentária) e pela amamentação. </li></ul>
  16. 16. Transmissão <ul><li>As partículas virais podem chegar até o hospedeiro por meio: </li></ul><ul><li>De alimentos; </li></ul><ul><li>Contato sexual; </li></ul><ul><li>Através de secreções; </li></ul><ul><li>Transportados por outros animais; </li></ul><ul><li>Contato físico; </li></ul><ul><li>Troca de fluidos corporais; </li></ul><ul><li>......... </li></ul>
  17. 17. Vacinas <ul><li>Vacina: antígenos inoculados no organismo a fim de produzir uma resposta imunológica, com a produção de anticorpos e células de memória contra este antígeno. </li></ul>
  18. 18. Vacina <ul><li>Antígenos: vírus “mortos” (pedaços virais) ou atenuados. </li></ul><ul><li>Vírus atenuados: podem causar a doença em pessoas que estejam mais sensíveis imunologicamente. </li></ul><ul><li>Vírus podem passar pela placenta! </li></ul>
  19. 19. Vírus e Terapia Gênica <ul><li>Tentativa de “cura” de doenças genéticas colocando-se genes saudáveis em um indivíduo doente. </li></ul><ul><li>Adiciona-se o gene de interesse no material genético do vírus; </li></ul><ul><li>O vírus alterado infecta a célula de interesse e adiciona seu DNA (modificado) no DNA celular; </li></ul><ul><li>Passa a produzir a proteína perfeita, que antes era defeituosa ou ausente. </li></ul>
  20. 20. Controle Biológico <ul><li>Controle de pragas em plantações. </li></ul><ul><li>Ex. Lagartas-da-soja parasitadas pelo Baculovirus anticarsia , que compromete seu desenvolvimento e leva as lagartas à morte. </li></ul>
  21. 21. Vírus Oncogênico <ul><li>Alguns tumores estão relacionados à presença de vírus, decorrentes das alterações genéticas produzidas pela interação do genoma viral com o genoma do hospedeiro alterando os genes supressores de tumor e os oncogenes. </li></ul><ul><li>Oncogenes: controlam divisão celular, são muito importantes durante o crescimento. </li></ul>
  22. 22. Salto Parasitário <ul><li>Quando uma cepa viral passa, por mutação, a ter capacidade de parasitar outro tipo de célula ou outra espécie que antes não o fazia. Isso ocorre porque vírus são parasitas extremamente específicos e só realizam a acoplagem e inoculação do vírion em um determinado padrão celular (salvo mutações). </li></ul><ul><li>Ex.: H5N1 – vírus da gripe aviária. </li></ul>

×