Apresentação APIMEC 1T08

471 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
471
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação APIMEC 1T08

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Mercado Farmacêutico
  3. 3. 3América Latina Fonte: IMS Health; MIDAS, MAT Set 2007 Incluso somente varejo VENDAS(US$Bi) 28,3 América Latina supera os $28 Bi mantendo um crescimento constante de dois dígitos. Tamanho e Crescimento do Mercado Farmacêutico (2002-2006) 0 5 10 15 20 25 30 MAT Set 2003 MAT Set 2004 MAT Set 2005 MAT Set 2006 MAT Set 2007 Vendas América Latina
  4. 4. 4 Fonte: IMS Health; MIDAS, MAT Set 2007 Incluso somente varejo US$ Bi % Market Share % Crescimento 2007 CAGR 02-06 América Latina 28,3 100,0 11,5 13,9 Brasil 9,6 34 9,5 13,7 México 8,5 30 7,9 11,2 Venezuela 3,0 11 28,8 39,2 Argentina 2,6 9 17,4 21,1 Colombia 1,3 5 4,0 7,2 Outras 3,3 11 12,5 8,9 Principais Mercados Os principais mercados continuam apresentando excelente ganhos.
  5. 5. 5 Mercado Farmacêutico Brasileiro Fundamentos Favoráveis do Setor
  6. 6. 6Mercado Farmacêutico no Brasil O mercado farmacêutico brasileiro aumentou 10,9% em 2007, totalizando R$ 23,2 bilhões. Mantendo o forte crescimento dos anos anteriores, atingindo nos últimos quatro anos um CAGR de 12,7%. Nota: Venda de produtos farmacêticos no preço de varejo. * Os números foram projetados pelo IMS em Dez/07. 26,1 28,7 31,4 34,3 2007 2008* 2009* 2010* 2011* TamanhodoMercado (R$Bilhões) Crescimento (%) 14,4 16,6 18,3 20,9 23,2 2003 2004 2005 2006 Em R$ MM 11,1% 9,9% 9,3% 9,5%
  7. 7. 7 2,3% Lançamentos 2,3% Preços Mercado Farmacêutico no Brasil 5,3% Volume / Mix Mercado Dez'07 US$ Bi US$ R$ Unids MIP 3,5 24,1% 10,5% 5,5% RX 8,7 23,1% 9,6% 5,4% TOTAL 12,2 23,3% 9,9*% 5,4% Crescimento (Dez'07 x Dez'06) Fonte IMS • IMS cobre 95% do Mercado Farmacêutico Brasileiro (método RD), os outros 5% são uma estimativa do IMS (método PMD). O uso do método PMD, gera uma diferença de 1.0 p.p a menos no crescimento do mercado em relação ao método RD.
  8. 8. 8 Oportunidades de Crescimento do Mercado • Envelhecimento da População • Renda per Capita • Similar • Genéricos • Ausência de Reembolso • Iniciativas do governo para aumentar acesso a Medicamentos (Programa Farmácia Popular) • Mudanças Fiscais 2008
  9. 9. 9 População acima de 60 anos 6,9% 8,1% 9,8% 11,1% 1991 2000 2010 2015 Envelhecimento da População e Renda per Capita Renda per Capita (US$ 000) 4.0 4.6 5.3 2005 2010 2015
  10. 10. 10  Históricamente, falhas na regulação e inspeção inadequada permitiram o desenvolvimento de um amplo mercado informal – Cópias de Não bioequivalentes vendidos sem prescrição… – …Impulsionadas por pagamentos de comissões aos balconistas das farmácias… – Associado com a evasão fiscal  Um recente estudo feito pela McKinsey & Co. informa que o mercado informal representa cerca de 25% do mercado auditado Estimativa do Tamanho do Mercado - US$ Bi Nota: taxa de câmbio utilizada de 2,17 em 2006 e 1,97 em 2016 Fonte: Estudo do mercado informal em 2005, McKinsey, PC Analysis O tamanho do mercado brasileiro (IMS) não leva em consideração o mercado dos similares. 2.3 3.8 2006 2016 Similares
  11. 11. 11 Mercado Brasiliero de Genéricos US$ MM Source: IMS 0,3 0,4 0,7 1.0 2003 2004 2005 2006 Genéricos 2007 1.5
  12. 12. 12 Mercado de Genéricos – US$ Bi (Preços Constantes) Penetração dos Genéricos (% do Mercado Farmacêutico) Nota: Mecado informal representa cerca de 25% do atual mercado formal. Fonte: Análise PC, IMS 1.0 1.5 1.7 2.1 2.6 2.9 3.2 3.5 3.8 4.0 4.1 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 10,1 12,5 13,5 14,7 17,4 19,1 18,2 16,6 19,018,8 19,2 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Genéricos
  13. 13. 13Ausência de Reembolso Source: NACDS 63% 59% 56% 50% 45% 38% 33% 29% 25% 21% 19% 16% 14% 13% 13% 11% 11% 13% 14% 15% 13% 13% 12% 11% 11% 11% 11% 11% 11% 12% 12% 13% 26% 28% 30% 35% 42% 49% 55% 60% 64% 68% 70% 73% 75% 75% 75% 76% 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Dinheiro Programas Públicos Programas Privados Distribuição do Consumo de Medicamentos nos Estados Unidos Pacientes de baixa renda enfrentam restrições para o consumo de medicamentos, sendo 50% da população responsável por 15% do consumo de medicamentos. Entretanto qualquer iniciativa de reembolso por parte dos planos de saúde privados aumentaria significantemente o tamanho do mercado.
  14. 14. 14 • Criado em 2004 • O governo subsidia até 90% do preço de tabela do medicamento • Benefício para cerca de 3,5 milhões de pacientes que praticamente não tinham acesso aos medicamentos • O programa é focado em três categorias de medicamentos: pressão alta, diabetes e anti- concepcionais (mais de 350 produtos listados) • Cerca de 4.000 farmácias registradas, das quais 73% são redes e 27% são farmácias independentes • Atualmente, nas grandes redes 70% das vendas dos medicamentos cadastrados no Programa Farmácia Popular vieram através deste convênio • As vendas nessas categorias aumentaram em 50% nas grandes redes desde que o Programa teve início. Fonte: Droga Raia, IMS Health, Abrafarma e ANVISA Programa Farmácia Popular Iniciativas do Governo
  15. 15. 15 Substituição Tributária São Paulo – representa 31% do mercado brasileiro Fevereiro/2008 Paraná – representa 6% do mercado brasileiro Anunciada para Junho/2008 Mudanças Fiscais 2008 Nota Fiscal Eletrônica Em todo mercado farmacêutico brasileiro Anunciada para Setembro/2008
  16. 16. 16 Mercado Farmacêutico no Brasil Suplly Chain
  17. 17. 17 45% 57% Brasil EUA 28% 93% Brasil EUA 18% 66% Brasil EUA Indústrias Top 10 Distribuidores Top 3 Varejo Top 5 Fonte: Dados referentes a 2006 Ambiente Favorável para Consolidação - Distribuição e Varejo Fragmentados Nível de Consolidação
  18. 18. 18 - 96 93 92 89 108 99 115 94 96 116 100.0 Índice de Evolução 10 9 7 6 8 5 4 3 1 2 ’06 3,5%Eurofarma6 5,5%Medley4 2,6%Boehringer Ing9 3,4%Pfizer7 44,1%Top 10 2,4%Nycomed10 3,2%Bayer Schering Ph8 4,4%Novartis5 5,6%Ache3 6,4%Sanofi-Aventis2 7,1%EMS1 Empresa’07 % Volume (US$ Dez’07)Ranking Fonte: dados referentes a Dezembro 2007 Nota: O ranking é feito por laboratórios IE < 95 95 < IE < 105 IE > 105 Top 10 Indústrias no Brasil
  19. 19. 19 1% O mercado brasileiro é dominado por lojas independentes, entretanto as redes faturam em média 8,3 vezes mais que as independentes. Fonte: IMS Health Proporção em Quantidade por Tipo de Farmácia - 2006 Brasil total PDV’s: 55.591 EUA total PDV’s: 54.771 92% 7% 0% 31% 18% 37% 14% Farmácias Independentes Supermercados Redes Lojas de Departamento Brasil EUA Proporção em Valor por Tipo de Farmácia - 2006 60% 2% 38% 0% 18% 11% 49% 22% Farmácias Independentes Supermercados Redes Correio Brasil EUA Lojas Independentes X Redes
  20. 20. 20 Ranking Varejo 1º Drogaria São Paulo 2º Farmácia Pague Menos 3º Drogarias Pacheco 4º Drogasil 5º Droga Raia As cinco maiores redes classificadas por faturamento. Market Share Nº de PDV’s Estados Presentes 1603,03% SP, RJ, MG e PR 187 GO, MG e SP 2004,20% RJ e MG 2804,28% 18 estados 1904,58% SP, CE e BA Fonte: Valor 1000, Gazeta Mercantil, Drogaria São Paulo, Farmácia Pague Menos, Drogarias Pacheco, Drogasil, Droga Raia, Panvel, Drogaria Araújo and Itaú Corretora (2007) 3,44% TOP 5 TOTAL 19,53% 1,8% - Top 5 Varejo no Brasil
  21. 21. 21 • Os preços dos produtos farmacêuticos eram administrados livremente pelos laboratórios e varejo até 1999 • Após 1999, o governo implementou ações objetivando o controle de preços - Aumento de preço anual - Registro de novos produtos - Limite para o aumento de preço anual para os produtos existentes • Atualmente, os preços dos produtos farmacêuticos são controlados pelo governo - Aumento de preço anual - Limite no aumento de preço considerando a inflação dos últimos 12 meses e fatores associados a ganhos de produtividade - Os limites dos aumentos de preço são maiores nas classes que tem o maior número de genéricos disponíveis Regulamentação de Preços Nível 1 Nível 2 Nível 3 IPCA (1) 5,5% 5,5% 5,5% Reajuste 5,5% 4,6% 3,6% Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 1 Nível 2 Nível 3 3,0% 3,0% 3,0% 3,0% 2,0% 1,0% Março/2007Março/2006 Aumento de Preço Março/2008 Fonte: CMED (1) Corresponde ao IPCA acumulado do período de12 meses findo em fevereiro do ano do respectivo reajuste. 4,6% 4,6% 4,6% 4,6% 3,6% 2,5%
  22. 22. 22 Mercado de Perfumaria
  23. 23. 23Perfumaria 8,338 9,705 11,475 13,491 15,371 17,547 1,419 1,344 1,251 1,0661,0461,003 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Vendas (R$ milhões) Volume (milhões tons) CAGR (01-06) = 7,2% CAGR (01-06) = 16,0% Receita Bruta R$ Bi Fonte: ABIHPE
  24. 24. 24Perfumaria 100100 135 154 174 187 196 202 211 225 238 249 261 272 126 132 143 152 155 156 164 172 171 177 186 195 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Evolução do Consumo por Categoria (1994-2006/ 1994=100) – volume ponderado Perfumaria Média de todas as categorias Fonte: AC Nielsen CAGR = 5,7% CAGR = 8,7%
  25. 25. 25Perfumaria Participação das Drogarias no Mercado de Perfumaria 22% 25% 28% 2003 2004 2005 Fonte: AC Nielsen
  26. 26. 26Perfumaria 2% 3% 9% 11% 13% 24% 34% Disponibilidade Forma de exposição dos produtos Melhor Sortimento Fácil / Ágil Compro remédios e aproveito a oportunidade Localização Os preços são melhores Razões pelas quais os Consumidores de Perfumaria recorrem as Drogarias 108 112 120 100 103 108 112 2003 2004 2005 2006 Farmácias Supermercados Evolução do Consumo por Canal (2003-2006, 2003=100) – volume ponderado Fonte: AC Nielsen CAGR = 3,8% CAGR = 6,3%
  27. 27. 27 Profarma
  28. 28. 28 CE Instituto Profarma Profarma 4,5% 11,5%9,6%9,6%9,3% PE 4,7%3,6% Histórico Paraná Aquisição da K+F São Paulo 1998 1999 Minas Gerais Espírito Santo 1996 5,9% Aquisição do CD da Dimper RS 2001 2003 2004 2005 2006 Hospitais em SP Hospitais no RJ Bahia DF IPO 2007 Vacinas 8,4% Ano Market Share (%) CAGR Mercado (97-00) = 11,7% CAGR Mercado (03-07) = 12,7%
  29. 29. 29Profarma Dados Operacionais Pedidos Diários 14.100 Nível de Serviço 91% Itens Oferecidos 8.500 Clientes 30.870 Cobertura Nacional 91% Equipe de Vendas 550 Colaboradores 2.000 Centros de Distribuição 11 Centros de Distribuição Área de Cobertura Destaques Operacionais
  30. 30. 30 Resultados 1T08
  31. 31. 31Destaques Financeiros 1T08 Em R$ milhões 1T081T07 Receita Líquida 609,1481,7 Lucro Bruto + Receita de Serviços a Fornecedores 63,248,2 % Receita Líquida 10,4%10,0% EBITDA Ajustado 18,615,0 Margem EBITDA Ajustada % 3,1%3,1% Lucro Líquido 5,05,1 Margem Líquida % 0,8%1,1% Dívida Líquida 124,8(4,1) Patrimônio Líquido 455,0413,0 Total Ativo 863,9767,6 Receita Bruta 702,6555,3 Crescimento % 26,5%26,8% Crescimento % Crescimento % 26,4%25,0% 31,1%43,7% Crescimento % 24,0%17,8% Crescimento % (1,8%)324,1% Dívida Líquida / EBITDA 1.5(0.1)
  32. 32. 32Evolução da Receita Bruta Em R$MM 1.102 1.443 1.725 1.968 2.604 555 703 2003 2004 2005 2006 2007 1T07 1T08
  33. 33. 33EBITDA Ajustado e Margem EBITDA Em R$MM 35,7 47,1 61,6 82,5 15,0 18,6 68,1 4,1 3,9 3,6 3,1 3,1 3,7 3,6 2003 2004 2005 2006 2007 1T07 1T08 Ebitda Ajustado Margem Ebitda Ajustada (%)
  34. 34. 34 7,4 10,0 10,4 Lucro Bruto e Receita de Serviços a Fornecedores Em R$MM 105,5 126,5 156,3 159,3 203,3 42,8 55,7 2,6 3,3 4,1 8,0 32,8 5,4 11,0 10,3 10,6 9,7 10,4 2003 2004 2005 2006 2007 1T07 1T08 Lucro Bruto Receita de Serviços a Fornecedores Margem Bruta Ajustada (%)
  35. 35. 35Lucro Líquido Ajustado Em R$MM 11,0 19,1 16,3 21,6 34,2 5,1 5,0 9,7 8,9 15,1 3,5 4,2 1,1 1,5 1,7 1,8 2,2 1,8 1,5 2003 2004 2005 2006* 2007 1T07 1T08 Lucro Líquido Incenticos Fiscais Margem Líquida Ajustada (%) Nota (*) excluindo despesas do IPO
  36. 36. 36 19,5 Ciclo de Caixa e Capital de Giro Capital de Giro Capital de Giro % (1) Base Média de Venda Bruta no Trimestre (2) Base Média de CMV no Trimestre (3) Base Média de CMV no Trimestre 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 Ciclo de Caixa – Dias 49,3 53,4 62,5 69,6 67,8 Dias de Contas a Receber (1) 45,2 50,0 54,6 53,1 50,9 Dias de Estoque (2) 33,1 44,7 43,4 47,2 41,3 Dias de Fornecedores (3) 29,0 41,3 35,6 30,7 24,5 375,5 499,0 448,1 309,5 284,9 15,1 15,7 18,0 20,9 20,2 (sobre Receita Bruta) 4T07 64,3 51,7 48,6 36,0 507,0 1T08 68,8 50,7 47,9 29,8 507,2 18,4
  37. 37. 37Capex Em R$MM 1,9 2,0 2,5 4,7 16,7 0,9 2,1 0,2% 0,2% 0,2% 0,3% 0,7% 0,2% 0,3% 2003 2004 2005 2006 2007 1T07 1T08 Capex Receita Líquida (%)
  38. 38. 38Indicadores Operacionais Nível de Serviço (unidades atendidas / unidades pedidas) Logística E.P.M. (Erros por Milhão) 90,0% 90,9% 91,2% 1T07 4T07 1T08 201,0 95,0 100,0 1T07 4T07 1T08
  39. 39. 39Cobertura de Analistas Comprar Alan Cardoso Fone: 55 21 2138-8465 alan.cardoso@bancoprosper.com.br Prosper Corretora Comprar Tufic Salem - Rafael Shin - Antonio Gonzalez 52 55 5283-8952 / 8969 / 3821 tufic.salem@credit-suisse.com rafael.shin@credit-suisse.com antonio.gonzalez@credit-suisse.com Credit Suisse Comprar João Carlos dos Santos - Alexandre Pizano 55 11 2188-4282 / 4316 / 4024 joaocarlos_santos@ml.com alexandre_pizano@ml.com Merril Lynch Comprar Victor Luiz de Figueiredo Martins Fone: 55 11 3175-7689 victor.martins@safra.com.br Safra Manter Marcio Osako Fone: 55 11 5029-4650 marcio.osako@itau.com.br Itau BBA RecomendaçãoAnalistaCompanhia
  40. 40. 40 Max Fischer Diretor Financeiro e de RI Beatriz Diez Coordenadora de RI Telefone.: 55 (21) 4009 0276 E-mail: ri@profarma.com.br www.profarma.com.br/ri Contatos Relações com Investidores

×