A	
  Formação	
  do	
  Sujeito	
  Inovador	
  
Apoiada	
  no	
  Uso	
  de	
  Projetos	
  de	
  
Aprendizagem,	
  Metodolog...
Problema	
  
“CriaFvo	
  e	
  empreendedor,	
  Brasil	
  é	
  
constrangedor	
  em	
  inovação”	
  

Financial	
  Times	
 ...
Premissas	
  
“Inovação	
  não	
  é	
  necessariamente	
  
sinônimo	
  de	
  novidade	
  ou	
  tecnologia	
  ...	
  
Quand...
Premissas	
  

Nem	
  todo	
  empreendedor	
  	
  
é	
  um	
  inovador,	
  mas	
  
todo	
  inovador	
  tem	
  	
  
um	
  e...
Premissas	
  

Não	
  existe	
  inovação	
  	
  
sem	
  inovadores	
  !	
  
Premissas	
  

É	
  na	
  escola	
  
que	
  tudo	
  começa	
  !	
  
Questão	
  
•  Como	
  as	
  pessoas	
  estão	
  sendo	
  preparadas	
  
para	
  serem	
  profissionais	
  inovadores	
  ?	...
Experimento	
  
•  ObjeFvo:	
  formação	
  de	
  comportamento	
  e	
  
caracterísFcas	
  do	
  sujeito	
  inovador	
  
• ...
CaracterísFcas	
  do	
  Inovador	
  
• 
• 
• 
• 
• 
• 
• 
• 

Conhecimento	
  
CriaFvidade	
  
Abertura	
  à	
  experiênci...
ABP	
  
•  “O	
  projeto	
  é	
  o	
  foco	
  central	
  de	
  ensino	
  de	
  uma	
  

diversidade	
  de	
  disciplinas.	...
Scrum	
  
•  Metodologia	
  ágil	
  para	
  gerência	
  de	
  projetos	
  
•  Baseada	
  em	
  princípios:	
  
–  Aceitar ...
Scrum:	
  Papéis	
  
•  Scrum master : professor
•  Product owner : 1 aluno a cada sprint
•  Time : demais alunos do grupo
Scrum:	
  Artefatos	
  e	
  PráFcas	
  
•  Sprint	
  
•  Backlog	
  
•  Histórias	
  e	
  tarefas	
  
Scrum:	
  Artefatos	
  e	
  PráFcas	
  
•  Kanban	
  
•  Reuniões	
  rápidas	
  
•  RetrospecFva	
  
Avaliação	
  FormaFva	
  
Auto-­‐Avaliação	
  (Rúbricas)	
  
Categoria

Muito Bom

Bom

Insatisfatório

3 pontos
Foco na tarefa
e participação

Exce...
Conclusões	
  
1)  Mudança	
  de	
  comportamento	
  dos	
  alunos	
  
observável	
  ao	
  longo	
  dos	
  sprints	
  e	
 ...
Conclusões	
  
2)	
  Através	
  da	
  ABP	
  é	
  possível	
  desenvolver	
  grande	
  
parte	
  das	
  caracterísFcas	
  ...
Conclusões	
  
4)	
  O	
  processo	
  de	
  autoregulação	
  da	
  aprendizagem	
  
é	
  importante	
  para	
  o	
  desenv...
Conclusões	
  
5)	
  Necessidade	
  de	
  mudança	
  nas	
  formas	
  de	
  
avaliação:	
  
–  Deve	
  servir	
  como	
  i...
Conclusões	
  	
  
6)	
  O	
  professor	
  precisa	
  ultrapassar	
  a	
  função	
  de	
  
“transmissor	
  do	
  conhecime...
Obrigada	
  pela	
  atenção	
  !	
  
karen.borges@poa.ifrs.edu.br	
  
marcia.moraes@poa.ifrs.edu.br	
  
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Formação do Sujeito Inovador Apoiada no Uso de Projetos de Aprendizagem, Metodologias Ágeis e Ferramentas Colaborativas

491 visualizações

Publicada em

Apresentação feita no II Congresso Ibero-Americano de Estilos de Aprendizagem, Tecnologias e Inovações em Educação em 13/11/2013

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
491
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Formação do Sujeito Inovador Apoiada no Uso de Projetos de Aprendizagem, Metodologias Ágeis e Ferramentas Colaborativas

  1. 1. A  Formação  do  Sujeito  Inovador   Apoiada  no  Uso  de  Projetos  de   Aprendizagem,  Metodologias  Ágeis   e  Ferramentas  Colabora@vas.       Profa.  Ma.  Karen  Selbach  Borges   Profa.  Dra,  Márcia  A.  Correa  de  Moraes   IFRS  –  Câmpus  Porto  Alegre  -­‐  RS    
  2. 2. Problema   “CriaFvo  e  empreendedor,  Brasil  é   constrangedor  em  inovação”   Financial  Times     Número  de  pedidos  de  patentes  feitos  junto  a   Organização  Mundial  de  Propriedade  Intelectual   em  2012:   •  Estados  Unidos:  50  mil;     •  China:  17  mil;     •  Brasil:  600    
  3. 3. Premissas   “Inovação  não  é  necessariamente   sinônimo  de  novidade  ou  tecnologia  ...   Quando  um  produto  ou  serviço  é   inovador  ele  causa  impacto  na  vida   das  pessoas  e  transforma  para  sempre   a  forma  de  essas  pessoas  viverem  e   trabalharem”   Tim  Brown  –  Design  Thinking  
  4. 4. Premissas   Nem  todo  empreendedor     é  um  inovador,  mas   todo  inovador  tem     um  espírito  empreendedor  !  
  5. 5. Premissas   Não  existe  inovação     sem  inovadores  !  
  6. 6. Premissas   É  na  escola   que  tudo  começa  !  
  7. 7. Questão   •  Como  as  pessoas  estão  sendo  preparadas   para  serem  profissionais  inovadores  ?     •  Muito  se  fala  em  inovação  na  sala  de  aula,   mas  o  que  se  tem  feito  em  relação  à  formação   do  sujeito  inovador  ?    
  8. 8. Experimento   •  ObjeFvo:  formação  de  comportamento  e   caracterísFcas  do  sujeito  inovador   •  Contexto:  turma  de  Programação  para  Web  I,     3º  sem,  Tecnólogo  em  Sistemas  para  Internet,   IFRS-­‐POA,  16  alunos.   •  Recursos:     –  Aprendizagem  baseada  em  projetos   –  Scrum   –  Avaliação  formaFva   –  Rubricas  
  9. 9. CaracterísFcas  do  Inovador   •  •  •  •  •  •  •  •  Conhecimento   CriaFvidade   Abertura  à  experiência   MoFvação  e  persistência   IniciaFva  e  pró-­‐aFvidade   Autonomia  e  auto-­‐gerenciamento   ProblemaFzação  e  resolução  de  problemas   Capacidade  de  trabalhar  de  forma   colaboraFva  em  ambientes  interdisciplinares  
  10. 10. ABP   •  “O  projeto  é  o  foco  central  de  ensino  de  uma   diversidade  de  disciplinas.    Emergem  de  um   contexto  autênFco,  relacionado  a  realidade   dos  alunos.”  (Buck  InsFtute  For  EducaFon)   •  Disciplinas  de  Programação  para  Web  +   Engenharia  de  Sooware  +  Banco  de  Dados   •  O  grupo  escolhe  o  sistema  a  ser  desenvolvido    
  11. 11. Scrum   •  Metodologia  ágil  para  gerência  de  projetos   •  Baseada  em  princípios:   –  Aceitar as incertezas –  Constante planejamento –  Trabalhar como um time –  Equipes auto-gerenciáveis –  Manter um ritmo de trabalho suportável –  Entregas freqüentes
  12. 12. Scrum:  Papéis   •  Scrum master : professor •  Product owner : 1 aluno a cada sprint •  Time : demais alunos do grupo
  13. 13. Scrum:  Artefatos  e  PráFcas   •  Sprint   •  Backlog   •  Histórias  e  tarefas  
  14. 14. Scrum:  Artefatos  e  PráFcas   •  Kanban   •  Reuniões  rápidas   •  RetrospecFva  
  15. 15. Avaliação  FormaFva  
  16. 16. Auto-­‐Avaliação  (Rúbricas)   Categoria Muito Bom Bom Insatisfatório 3 pontos Foco na tarefa e participação Excelente 2 pontos 1 ponto 0 pontos Permanece focado na tarefa e no que precisa ser feito. Próativo. Concentra-se na tarefa e no que precisa ser feito a maior parte do tempo. Outros membros do grupo podem contar com esta pessoa Concentra-se na tarefa e no que precisa ser feito algum tempo. Outros membros do grupo devem, por vezes, lembrar essa pessoa de continuar a tarefa. Raramente se concentra na tarefa e no que precisa ser feito. Permite que outros façam o trabalho.
  17. 17. Conclusões   1)  Mudança  de  comportamento  dos  alunos   observável  ao  longo  dos  sprints  e  através  da   auto-­‐avaliação:   •  “Ao  final  da  cadeira  percebi  a  mudança  na  minha   postura  com  relação  ao  projeto,  procurei  me   policiar  e  focar  no  projeto”.     •  “Antes  me  dei  nota  3  no  item  foco  na  tarefa  e   par@cipação.  Agora  mudei  para  2  porque   reconsiderei  que  ainda  posso  melhorar  para  me   tornar  um  valoroso  membro  da  equipe  que   "incen@va  e  apóia  os  outros  no  grupo".    
  18. 18. Conclusões   2)  Através  da  ABP  é  possível  desenvolver  grande   parte  das  caracterísFcas  desejáveis  no  sujeito   inovador     3)  O  Scrum,  através  do  seu  conjunto  de   princípios,  valoriza  o  comportamento  e  a  aFtude   dos  envolvidos  no  projeto      
  19. 19. Conclusões   4)  O  processo  de  autoregulação  da  aprendizagem   é  importante  para  o  desenvolvimento  de   comportamento  e  caracterísFcas  do  sujeito   inovador:   –  Autonomia  e  auto-­‐gerenciamento   –  IniciaFva,  pró-­‐aFvidade  e  persistência   –  Resolução  de  problemas   –  MoFvação      
  20. 20. Conclusões   5)  Necessidade  de  mudança  nas  formas  de   avaliação:   –  Deve  servir  como  instrumento  para  acompanhar  o   crescimento  do  aluno,  de  forma  processual  e   consnua,  e  propor  ajustes  e  reajustes  no  processo   de  aprendizagem;   –  Avaliação  formaFva  ajuda  na  busca  pela  melhoria   consnua  (comportamento  empreendedor)  
  21. 21. Conclusões     6)  O  professor  precisa  ultrapassar  a  função  de   “transmissor  do  conhecimento”  para  atuar   principalmente  como  facilitador,  orientador  e   conselheiro.        
  22. 22. Obrigada  pela  atenção  !   karen.borges@poa.ifrs.edu.br   marcia.moraes@poa.ifrs.edu.br  

×