Cumprindo as obrigações diante de deus
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Cumprindo as obrigações diante de deus

on

  • 5,098 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
5,098
Visualizações no SlideShare
5,098
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
3
Downloads
289
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Cumprindo as obrigações diante de deus Presentation Transcript

  • 1. CUMPRINDO AS OBRIGAÇÕES DIANTE DE DEUS 4º Trimestre de 2013 Lição 10 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos; o que votares, paga-o“ (Ec 5.4). Pr. Moisés Sampaio de Paula 2
  • 3. VERDADE PRÁTICA A nossa vida de adoração somente será verdadeira quando nos conscientizarmos dos nossos direitos e deveres diante de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 3
  • 4. Uma Pergunta Você tem verdadeiramente cultuado a Deus? Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
  • 5. OBJETIVOS • Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: • Conceituar as obrigações de natureza políticosocial e religiosa. • Explicar as obrigações ante a santidade de Deus (reverência e obediência). • Compreender as obrigações frente a transcendência e a imanência de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 5
  • 6. Palavra chave: Pr. Moisés Sampaio de Paula 6
  • 7. Esboço da Lição I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO 1.Obrigações de natureza político-social. 1.Obrigações de natureza político-social. 2. Obrigações de natureza religiosa. 2. Obrigações de natureza religiosa. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS 1.Reverência. 1.Reverência. 2.Obediência. 2.Obediência. III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS 1.Deus, o criador. 1.Deus, o criador. 2.Homem, a criatura. 2.Homem, a criatura. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 1.Deus está próximo. 1.Deus está próximo. 2.O valor das orações e votos. 2.O valor das orações e votos. Pr. Moisés Sampaio de Paula 7
  • 8. INTRODUÇÃO • A partir do capítulo cinco, Salomão versa sobre o estilo de vida do adorador consciente dos seus direitos e obrigações diante de Deus. • Esse assunto é o que, à luz dos atributos divinos revelados nas Escrituras Sagradas: santidade, transcendência e imanência, buscaremos compreender. • Nesta lição, veremos que as nossas obrigações não se limitam ao "mundo eclesiástico-religioso", mas também ao universo que Deus criou. Pr. Moisés Sampaio de Paula 8
  • 9. Pr. Moisés Sampaio de Paula 9
  • 10. Uma Pergunta • O que as Escrituras orientam-nos em relação ao Reino de Deus e acerca da dimensão material? Pr. Moisés Sampaio de Paula 10
  • 11. I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO As obrigações do crente são de natureza políticosocial e de ordem religiosa. 1. Obrigações de natureza político-social. 2. Obrigações de natureza religiosa. Pr. Moisés Sampaio de Paula 11
  • 12. I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO 1. Obrigações de natureza político-social. • Há um ditado popular que diz: "Primeiro a obrigação, depois a devoção". Aqui, há um dualismo que separa a obrigação (vida social) da devoção (vida espiritual), como se ambas fossem duas dimensões distintas. Tal máxima não é bíblica, pois o livro de Eclesiastes denota uma perspectiva completamente oposta (Ec 8.2). As Escrituras orientam-nos a priorizar o Reino de As Escrituras orientam-nos a priorizar o Reino de Deus sem perder de vista a dimensão material Deus sem perder de vista a dimensão material em que estamos inseridos (Mt 6.33; 22.21). em que estamos inseridos (Mt 6.33; 22.21). Pr. Moisés Sampaio de Paula 12
  • 13. I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO 1. Obrigações de natureza político-social. • Vivemos em um mundo em que há autoridades constituídas e onde, consequentemente, direitos e deveres são estabelecidos. • Somos cidadãos e possuímos direitos e deveres para com o Estado. • Pagamos os impostos, podemos votar e receber votos. Enfim, não podemos eximir-nos das nossas obrigações para com a nação. A nossa consciência cívica deve ter como base a Bíblia Sagrada. Pr. Moisés Sampaio de Paula 13
  • 14. I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO 2. Obrigações de natureza religiosa. • 2. Obrigações de natureza religiosa. Além da nossa obrigação políticosocial, de natureza cível, há também a de natureza religiosa ou espiritual. Elas acontecem na dimensão do culto, da adoração. Pr. Moisés Sampaio de Paula 14
  • 15. I. OBRIGAÇÕES E DEVOÇÃO 2. Obrigações de natureza religiosa. • A palavra hebraica shachar mantém o sentido de "prostrar-se com deferência diante de um superior" (Gn 22.5; Êx 20.5). É com esse entendimento que Salomão fala da casa de Deus como o local de adoração (Ec 5.1). Construtor do grande templo, ele sabia que essa casa tinha como objetivos centralizar o culto, a fim de assegurar os elementos mais sublimes de sua liturgia: a adoração verdadeira a Deus e a unidade dos adoradores num único povo. Pr. Moisés Sampaio de Paula 15
  • 16. Pense nisso! • Em todas as esferas da vida temos responsabilidades. É na família, no trabalho, na faculdade, nas amizades, enfim; em todos os lugares onde nos relacionamos está o nosso senso de responsabilidade. Com as coisas de Deus não Pr. Moisés Sampaio de Paula é diferente. 16
  • 17. Uma Pergunta O que significa a palavra "liturgia"? Pr. Moisés Sampaio de Paula 17
  • 18. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS A santidade de Deus impulsiona o crente a viver reverente e obedientemente. 1. Reverência. 2. Obediência. Pr. Moisés Sampaio de Paula 18
  • 19. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS 1. Reverência. • Todo culto tem uma liturgia, e não há nada de errado nisso. A palavra liturgia está associada ao culto da Igreja Primitiva. Quando em Antioquia houve uma escolha e separação de obreiros para a obra missionária (At 13.2), Lucas registra o fato utilizando a palavra grega leitourgeo para designar serviço, e dessa palavra vem o vocábulo português liturgia. Esta também faz parte da adoração a Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 19
  • 20. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS 1. Reverência. • Salomão sabia disso e advertiu-nos quanto ao cuidado que devemos ter quando entrarmos na casa de Deus (Ec 5.1). • Desligue o celular, não masque chiclete, seja reverente! Seja um verdadeiro adorador! Pr. Moisés Sampaio de Paula 20
  • 21. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS 2. Obediência. • Obedecer a um conjunto de normas e regras sem atentar para os princípios que o fundamentam é puro legalismo. Não vale a pena observar o preceito sem atentar para o princípio existente por trás dele. O livro de Eclesiastes demonstra isso com clareza (Ec 5.1), Pr. Moisés Sampaio de Paula 21
  • 22. II. OBRIGAÇÕES ANTE A SANTIDADE DE DEUS 2. Obediência. • Deus não se interessa na observância do sacrifício em si, e sim na obediência aos princípios que regulamentam a sua prática. • Foi exatamente isso que o profeta Samuel ensinou a Saul (1 Sm 15.22). Pr. Moisés Sampaio de Paula 22
  • 23. Obediência (Provérbios 4:7) "A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento." Pr. Moisés Sampaio de Paula 23
  • 24. Obediência • Obediência (grego): Ouvir com atenção, escutar com submissão. • Obedecestes (grego): Atender à porta, obedecer como resultado de ouvir, submeterse ao que se ouviu. • (Deuteronômio 28:1,2) "Se atentamente obedeceres à voz do Senhor teu Deus, tendo o cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.Se ouvires a voz do Senhor teu Deus, todas estas bençãos virão sobre ti, e te seguirão: (3-14). Pr. Moisés Sampaio de Paula 24
  • 25. Pense nisso! • Ora, o Senhor nosso Deus é Santo, Amoroso e Misericordioso. Por isso, devemos nos empenhar no compromisso de imitá-Lo, servindo-O de toda mente e coração. Pr. Moisés Sampaio de Paula 25
  • 26. TRANSCENDÊNCIA • [Do lat. transcendentia] • O que ultrapassa o conhecimento comum, e vai além da experiência meramente humana. • A transcendência é um dos atributos naturais de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 26
  • 27. III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS A transcendência divina revela-nos que o nosso Deus é o Criador; o homem, criatura 1. Deus, o criador. 2. Homem, a criatura. Pr. Moisés Sampaio de Paula 27
  • 28. Uma Pergunta Como a consciência do sagrado revelou-se ao homem? Pr. Moisés Sampaio de Paula 28
  • 29. III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS 1. Deus, o criador. • Todas as religiões possuem a noção do sagrado e demonstram respeito por ele. • No cristianismo, como no judaísmo, a consciência do sagrado revela-se na manifestação do Deus verdadeiro, que ao longo da história deu-se a conhecer ao homem. • O Deus Criador se distingue da própria criação (Dt 4.15-20). Pr. Moisés Sampaio de Paula 29
  • 30. III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS 1. Deus, o criador. • A teologia bíblica denomina essa doutrina de "a transcendência de Deus". Deus está além de suas criaturas, como afirma o Eclesiastes: "Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra" (Ec 5.2b). • Ele pode humanizar-se, como já o fez (Jo 1.14), mas o homem não pode tornar-se divino. • Quem procurou ser igual a Deus foi expulso do céu (Ez 28.1,2; Is 14.12-15). Pr. Moisés Sampaio de Paula 30
  • 31. III. OBRIGAÇÕES FRENTE À TRANSCENDÊNCIA DE DEUS 2. Homem, a criatura. • O homem foi criado por Deus como a coroa da criação. Ele não surgiu do acaso nem de uma mistura acidental de elementos naturais. E a nós Deus se revelou, manifestou seus atributos, vontades e apesar de estarmos condenados à morte eterna, Deus proporcionou em Jesus Cristo a salvação que nos era necessária para que passássemos a eternidade futura com o nosso Criador e Redentor. Pr. Moisés Sampaio de Paula 31
  • 32. Pense nisso! • A vida com Deus é para ser levada a sério e devemos vivê-la até as últimas consequências. Quando o amor do Pai inunda-nos à alma, não temos dúvida do quanto podemos fazer para Ele e ao próximo que está em torno de nós Pr. Moisés Sampaio de Paula 32
  • 33. Uma Pergunta O que o atributo da imanência divina revela-nos? Pr. Moisés Sampaio de Paula 33
  • 34. IMANÊNCIA • [Do lat. immanentia] • Qualidade do que está em si mesmo, não transita a outrem. • É o oposto de transcendência. Embora seja Deus transcendente, não se encontra à parte de sua criação; acha-se presente nesta através dos atributos de sua imanência: onipresença, onisciência e onipotência; e por intermédio de seus atributos morais Pr. Moisés Sampaio de Paula 34
  • 35. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS A imanência divina revela-nos que Deus está próximo e ouve as nossas orações. 1. Deus está próximo. 2. O valor das orações e votos. Pr. Moisés Sampaio de Paula 35
  • 36. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 1. Deus está próximo. • O atributo da imanência divina revela-nos um Deus que se relaciona com a sua criação. • Isto significa que o Pai Celeste não é um Deus distante que, após criar o mundo, ausentou-se dele! Pelo contrário, Ele é um Deus presente, participa da sua criação e nela intervém. Pr. Moisés Sampaio de Paula 36
  • 37. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 1. Deus está próximo. • O capítulo cinco de Eclesiastes narra Salomão falando do culto a Deus e como o Senhor identifica-se com o homem que lhe oferece adoração, seja aprovando-o ou reprovando-o (Ec 5.4b). • Essa mesma verdade é confirmada em o Novo Testamento (2 Co 6.16). A proximidade de Deus com o homem deve fazer-nos melhores crentes e pessoas. Pr. Moisés Sampaio de Paula 37
  • 38. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 2. O valor das orações e votos. • Deus não apenas se faz presente, mas também prometeu abençoar os seus filhos, atendendo nossas orações e súplicas. Isso acontecerá quando orarmos de acordo com sua vontade (Jr 29.12,13; Jo 14.13,14). Pr. Moisés Sampaio de Paula 38
  • 39. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 2. O valor das orações e votos. • Cientes dessa verdade, os judeus não somente oravam a Deus, como também se empenhavam com votos (Nm 30.3-16; Dt 23.21-23). Não há dúvidas de que o livro de Eclesiastes tem em mente essas passagens bíblicas, quando adverte sobre a seriedade do voto (Ec 5.4). Pr. Moisés Sampaio de Paula 39
  • 40. IV. OBRIGAÇÕES DIANTE DA IMANÊNCIA DE DEUS 2. O valor das orações e votos. • Em o Novo Testamento, não encontramos um preceito específico concernente a essa prática, mas o seu princípio permanece válido, pois o cumprimento de um voto, ou de um propósito diante de Deus, é algo que ultrapassa gerações. Pr. Moisés Sampaio de Paula 40
  • 41. Pense nisso! Pr. Moisés Sampaio de Paula 41
  • 42. Conclusão • Nesta lição, abordamos as palavras de Salomão no contexto da adoração bíblica. • Conscientizamo-nos de que não há adoração verdadeira que não leve em conta as obrigações diante de Deus e dos homens. • Se quisermos viver uma vida espiritual plena devemos ter em mente as implicações que a acompanham. • De nada adianta termos templos suntuosos, pregadores eloquentes e cantores famosos se não estamos cumprindo as obrigações que uma verdadeira adoraçãoSampaio de Paula Pr. Moisés requer. 42
  • 43. AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I Subsídio Vida Cristã "Adoração centrada em Deus A adoração centrada em Deus começa com o foco na tremenda revelação de Deus. Este Deus das Santas Escrituras é o Onipotente (Todo-Poderoso) Criador, que falou e tudo veio a existir! Este é Deus, que é Onipresente (presente em todos os lugares), acima de tudo, abaixo de tudo, mas não contido em nada. Deus é Onisciente (sabe tudo), chegando até a enumerar os cabelos de nossa cabeça. Ele conhece nossos pensamentos antes que venham a existir ou tornar-se conhecidos. Deus é santo e habita na luz inacessível de sua própria glória. Quando nos reunimos para cultuá-lo em adoração, devemos conscientemente começar com esta grande imagem de Deus diante de nós e nos perguntar: Como devemos conduzir nossa vida a cada dia e moldar nossa reunião para glorificar a este Deus? Isto é muito importante para esta presente geração, porque manter em mente esta visão bíblica de Deus enquanto adoramos nos ajuda a evitar a idolatria. Não cometa o erro de pensar que você não é culpado de idolatria, simplesmente porque não se curva diante de ídolos. Somos culpados de idolatria toda vez que pensamos em Deus de forma diferente do que a Bíblia o retrata" (HUGUES, Barbara. Disciplinas da Mulher Cristã. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, pp.56-57). Pr. Moisés Sampaio de Paula 43
  • 44. Pr. Moisés Sampaio de Paula 44