UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA
LICENCIATURA EM CIÊNCIAS NATURAIS
CAMPUS: SÃO BERNARDO – MA
DISCIPLINA: BIOLOGIA
Á...
CLAUDETE MACHADO,
MORGANA MASCARENHAS ARAÚJO,
PRISCILA OLIVEIRA BORALHO,
RAIMUNDO N. F. ALMEIDA JÚNIOR,
RONALDO MELO,
ROSE...
Foram feitas 36 horas de observações em um ninho
de vespas Polistes canadensis,
No período de: 19, 26 de outubro, 02, 09, ...
OBJETIVO:
Estudar os padrões de
comportamento de uma colônia
de vespas em condições naturais,
traçando seu etograma.
PERGU...
Estudar o comportamento animal já vem de muito tempo.
Observar as vespas nos mostra claramente como a vida em
colônia pode...
Foi observada uma (1) colônia de vespas Polistes canadensis, em
condições naturais, no município de Magalhães de Almeida-M...
As atividades comportamentais registradas foram
quantificadas para a montagem de um etograma com as
atividades realizadas ...
Foram identificadas e descritos 15 atos comportamentais
baseados na classificação adotada por Giannotti & Machado
(1999), ...
Verificar células: As vespas inseriam a cabeça dentro das células
que continham ovos, larvas, pupas ou mesmo as vazias e
t...
Dar alarme: As vespas permaneciam paradas, direcionando suas
antenas a qualquer fonte de perturbação e levantavam o gáster...
Tabela 1 –
etograma
corpotamental com
as atividades
realizadas pelos
indivíduos durante
o período da
manhã, destacando
as ...
Tabela 2 – etograma
comportamental com
as atividades
realizadas durante o
período da tarde
também destacando
as principais...
0
5
10
15
20
25
P
O
R
C
E
N
T
A
G
E
M
%
PERÍODO DA MANHÃ
Trofalaxia larva-adulto
Inatividade
Verificar células
0
5
10
15
20
25
P
O
R
C
E
N
T
A
G
E
M
%
PERÍODO DA TARDE
Vibrar asas
Atividade forrageadora
Inatividade
0
5
10
15
20
25
P
O
R
C
E
N
T
A
G
E
M
%
TODO PERÍODO DE OBSERVAÇÃO
Trofalaxia larva-adulto
Vibrar asas
Inatividade
Ativida...
TORRES, Viviana de Oliveira; ANTONIALLI-JUNIOR, William Fernando;
GIANNOTTI, Edilberto. Divisão de trabalho em colônias da...
Etograma do estudo do comportamento de vespas Polistes Canadensis
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Etograma do estudo do comportamento de vespas Polistes Canadensis

1.464 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.464
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Etograma do estudo do comportamento de vespas Polistes Canadensis

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA LICENCIATURA EM CIÊNCIAS NATURAIS CAMPUS: SÃO BERNARDO – MA DISCIPLINA: BIOLOGIA ÁREA DO CONHECIMENTO: ECOLOGIA PROFESSORA: Drª FERNANDA FERNANDES
  2. 2. CLAUDETE MACHADO, MORGANA MASCARENHAS ARAÚJO, PRISCILA OLIVEIRA BORALHO, RAIMUNDO N. F. ALMEIDA JÚNIOR, RONALDO MELO, ROSEANE ALMEIDA, WELLINGTON MELO VIANA
  3. 3. Foram feitas 36 horas de observações em um ninho de vespas Polistes canadensis, No período de: 19, 26 de outubro, 02, 09, 16 e 23 de novembro de 2013. As observações foram feitas de 20 minutos a cada hora, das 08h às 11h da manhã e das 14h às 17h da tarde. Foi descrito um repertório comportamental com 15 atos. Montou-se um etograma com esse repertório e foi distribuído em gráficos e tabelas.
  4. 4. OBJETIVO: Estudar os padrões de comportamento de uma colônia de vespas em condições naturais, traçando seu etograma. PERGUNTA: As principais atividades comportamentais variam ao longo do dia? HIPÓTESE: As atividades comportamentais principais são diferentes durante o período da manhã e o período da tarde.
  5. 5. Estudar o comportamento animal já vem de muito tempo. Observar as vespas nos mostra claramente como a vida em colônia pode ser produtiva e competitiva. Avaliar e anotar estes comportamentos é muito relevante. Etograma é um conjunto de descrições das características básicas de um padrão de comportamento de uma espécie. As vespas são insetos da ordem Hymenoptera Polistes é um gênero que compreende as vespas consideradas menos derivadas, de fundação independente e sem diferenças morfológicas entre castas que constroem ninhos com um único favo descoberto e fixo ao substrato por um pedúnculo e que apresenta relativamente poucos indivíduos na colônia.
  6. 6. Foi observada uma (1) colônia de vespas Polistes canadensis, em condições naturais, no município de Magalhães de Almeida-MA, Região Nordeste do Brasil, clima tropical, entre o período, aos sábados, dias: 19 e 26 de outubro de 2013, 02, 09, 16 e 23 de novembro de 2013. Para a elaboração do etograma anotou-se o método de todas as ocorrências, observou-se 15 atos, e foram anotadas todas as atividades apresentadas no comportamento dos indivíduos adultos do ninho, totalizando 535 registros. Foram realizadas 36 horas de observações, No período da manhã: de 08 horas às 11 horas. No período da tarde: às 14 horas até às 17 horas.
  7. 7. As atividades comportamentais registradas foram quantificadas para a montagem de um etograma com as atividades realizadas pelos indivíduos durante o período da manhã, destacando as principais (Tabela 01) e durante o período da tarde também destacando as principais atividades (Tabela 02). A partir desse etograma foram elaboradas 3 gráficos: O primeiro com as três atividades principais realizadas durante o período da manhã (FIG. 01), o segundo com as três atividades principais realizadas durante o período da tarde (FIG. 02) e o terceiro com as seis atividades principais realizadas durante todo período de observação e anotação (FIG. 03).
  8. 8. Foram identificadas e descritos 15 atos comportamentais baseados na classificação adotada por Giannotti & Machado (1999), que estão descritos a seguir: Verificar células com as antenas: As vespas tateavam as margens das células com as antenas; Dominar fisicamente: Tipo de comportamento agressivo que uma das vespas executa sobre as demais; Sofrer dominância física: A vespa ficava com a cabeça e o corpo flexionados contra a superfície do ninho; Mastigar presas e alimentar larvas: As vespas permaneciam no ninho enquanto mastigavam pedaços de presas que eram trazidos pelas forrageadoras e dividido entre as companheiras; Trofalaxia larva-adulto: As vespas inseriam a cabeça dentro de uma célula ocupada com larva recebendo alimento desta larva; Trofalaxia adulto-adulto: As vespas trocavam entre si alimento;
  9. 9. Verificar células: As vespas inseriam a cabeça dentro das células que continham ovos, larvas, pupas ou mesmo as vazias e tateavam suas paredes com as antenas, andando sobre a superfície do ninho; Ovipositar: A vespa tateava com as antenas uma célula vazia, em seguida inseria seu gáster, com o qual executava movimentos e após a execução dos movimentos mantinha-se imóvel até a fixação do ovo na parede das células, Efetuar oofagia: A vespa inseria a cabeça em uma célula que continha um ovo e o retirava comendo-o em seguida. Movimentar gáster: As vespas vibravam o gáster na forma de vai- e-vem, andando ou paradas sobre o ninho. Aplicar secreção bucal no ninho ou no substrato: As vespas efetuavam movimentos semelhantes a uma lambida no pendúculo ou substrato, bem como atrás do ninho.
  10. 10. Dar alarme: As vespas permaneciam paradas, direcionando suas antenas a qualquer fonte de perturbação e levantavam o gáster movimentando-o na forma de vai-e-vem Vibrar asas: As vespas vibravam continuamente as asas, enquanto permaneciam imóveis, causando uma maior circulação de ar na colônia. Atividade forrageadora: As vespas saem do ninho em busca de suprimentos, inclusive água. Essa atividade esta relacionada positivamente com a temperatura, pois as vespas saem mais à medida que a temperatura aumenta durante o dia Inatividade: a maior parte do tempo as vespas ficam paradas sem realizar nenhuma atividade específica, atividades mais executada na colônia. Dentre todas as atividades observadas destacam-se como as principais atividades realizadas na colônia durante os períodos da manhã e da tarde: Inatividade, trofalaxia larva-adulto, atividade forrageadora, verificação de células e vibrar asas.
  11. 11. Tabela 1 – etograma corpotamental com as atividades realizadas pelos indivíduos durante o período da manhã, destacando as principais:
  12. 12. Tabela 2 – etograma comportamental com as atividades realizadas durante o período da tarde também destacando as principais atividades
  13. 13. 0 5 10 15 20 25 P O R C E N T A G E M % PERÍODO DA MANHÃ Trofalaxia larva-adulto Inatividade Verificar células
  14. 14. 0 5 10 15 20 25 P O R C E N T A G E M % PERÍODO DA TARDE Vibrar asas Atividade forrageadora Inatividade
  15. 15. 0 5 10 15 20 25 P O R C E N T A G E M % TODO PERÍODO DE OBSERVAÇÃO Trofalaxia larva-adulto Vibrar asas Inatividade Atividade forrageadora Verificar células Trofalaxia adulto-adulto
  16. 16. TORRES, Viviana de Oliveira; ANTONIALLI-JUNIOR, William Fernando; GIANNOTTI, Edilberto. Divisão de trabalho em colônias da vespa social neotropical Polistes canadensis canadensis Linnaeus (Hymenoptera, Vespidae). Revista Brasileira de Entomologia: BIOLOGIA, ECOLOGIA E DIVERSIDADE, São Paulo, v. 53, n. 4, p.593-599, dez. 2009. TORRES, Viviana de Oliveira et al. Aspectos bionômicos da vespa social Neotropical Polistes canadensis canadensis (Linnaeus) (Hymenoptera, Vespidae). Revista Brasileira de Entomologia, Mato Grosso do Sul, v. 53 (1), p.134-138, mar. 2009. PORTO, Gabriele R.; PIRATELLI, Augusto. Etograma da Maria-preta, Molothrus bonariensis (Gmelin) (Aves, Emberizidae, Icterinae). Revista Brasileira de Zoologia, [S.L.], v. 22, n (2); p 306-312, jun. 2005. DEL-CLARO, Kleber; PREZZOTO, Fábio. O que é comportamento animal. In: DEL-CLARO, Kleber; PREZZOTO, Fábio. As distintas faces do comportamento animal. [s.l. ]: 2003. Cap. 1.1. p. 11-12. PREZZOTO, Fábio; GIANNOTTI, Edilberto. O comportamento de vespas. In: DEL-CLARO, Kleber; PREZZOTO, Fábio. As distintas faces do comportamento animal. [s.l]: 2003. Cap. 2.2. p. 29-35. SANTOS, Jean Carlos; YAMAMOTO, Marcela; MARQUES, Graziella D. V.. Etograma: o repertorio comportamental de uma espécie. In: DEL-CLARO, Kleber; PREZZOTO, Fábio. As distintas faces do comportamento animal. [s.l.]: 2003. Cap. 410. p. 236-245.

×