Fruto 2012 aula

5.674 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.674
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
154
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fruto 2012 aula

  1. 1. Morfologia Vegetal Profa. Dra. Priscila Belintani FRUTO O fruto é um órgão encontrado, exclusivamente nas angiospermas. Origina-se do ovário em desenvolvimento, após a fecundação do óvulo. Esse desenvolvimento também é estimulado por hormônios produzidos pelo embrião em desenvolvimento. Existem alguns casos onde o fruto se desenvolve sem que tenha havido polinização e fecundação
  2. 2. Histologia da parede do fruto Parede do fruto: pericarpo (parede do ovário maduro) * Epicarpo (ou exocarpo), *mesocarpo e * endocarpo
  3. 3. O fruto e´o ovário maduro, que pode ou não conter partes florais persistentes. Classificam-se geralmente os frutos como: Simples, múltiplos ou agregados De acordo com a disposição dos carpelos
  4. 4. TIPOS 1- quanto ao número de sementes: monospérmicos, dispérmico, trispérmico ou polispérmico 2- Quanto a consistência do pericarpo: secos ou carnosos 3- Quanto a deiscencia: deiscente ou indeiscente 4-Quanto aos carpelos Monocárpicos, apocárpicos, sincárpicos
  5. 5. Classificação Morfologia do gineceu: morfologia do fruto 1- Simples: fruto formado de um único carpelo ou de carpelos fundidos (sincárpico) 2- Agregados ou múltiplos: formado de vários carpelos de uma única flor (Ex: morango) 3- Compostos ou infrutescência: resultam da concrescência dos ovários de uma inflorescência. Ex: abacaxi 4- Complexos ou pseudofrutos: resultam de uma só flor, quando outras partes florais, além do ovário, participam de sua constituição. Ex: pêra, maçã, caju. 5- Partenocarpia: é o desenvolvimento do fruto sem que haja fecundação. Ex: banana
  6. 6. FRUTOS SIMPLES Secos Carnosos Deiscentes Indeiscentes Indeiscentes 1- Folículo 1- Aquênio 1- Baga 2- Legume 2- Cariopse 2- Drupa 3- Síliqua 3- Sâmara 3- hesperídeo 4- Capsula 5- Pixídio 4- Peponídeo
  7. 7. Frutos simples: originam-se de 1 ou vários carpelos unidos
  8. 8. Frutos agregados: consistem de uma série de carpelos separados numa mesma flor. Ex: magnólia, framboesa, morango
  9. 9. Frutos múltiplos: compõem-se de ovários originados de mais de uma flor. Ex: abacaxi, figo (pseudofruto)
  10. 10. Numerosas flores femininas Cada uma é composta de um pistilo monocarpico (gineceu) Fruto multiplo (muitas drupas pequenas). Cada semente está em uma pequena drupa desenvolvida de um ovário de flor pistilada
  11. 11. pseudofrutos O caju é um pseudofruto e a castanha do caju é um fruto- cariopse onde a semente é estreitamente ligada.
  12. 12. Classificação Geral dos Frutos Simples 1- Quanto a consistência do mesocarpo Carnoso: apresenta acúmulo de substância de reserva Seco: não apresenta acúmulo de substância de reserva 2- quanto a deiscencia Indeiscentes: não se abrem para liberar sementes. Para isso, o pericarpo deve apodrecer, ser digerido ou ocorrer intervenção humana ou de outro animal hábil Podem secos ou carnosos. Ex: laranjas e melões Deiscentes: abrem-se para liberar as sementes: na maioria são secos. Ex: castanha e a maior parte das leguminosas
  13. 13. Frutos carnosos: baga Todo o tecido fundamental é carnoso. Epicarpo delgado (pele), mesocarpo carnoso (polpa), endocarpo carnoso, suculento ou gelatinoso. Ex: melancia, uva, goiaba, mamão.
  14. 14. Fruto carnoso (tipo hesperídeo) - baga
  15. 15. Frutos carnosos: drupa Epicarpo fino, mesocarpo carnoso e endocarpo pétreo
  16. 16. Fruto carnoso: drupa
  17. 17. Fruto carnoso: pomo A porção carnosa é constituída de parenquima derivado do receptáculo da flor Malus domestica cv gala
  18. 18. Frutos secos deiscentes Folículo: origina-se de um único carpelo que se abre de um só lado quando maduro
  19. 19. Frutos secos deiscentes
  20. 20. Fruto seco deiscente Legume: unicarpelar, mas abre dos dois lados
  21. 21. Legume: unicarpelar, mas abre dos dois lados
  22. 22. Fruto seco - deiscente Capsula: formado por dois ou mais carpelos e, em geral com várias sementes papoula
  23. 23. Capsula Ex: mamona, urucum Pixídio
  24. 24. Capsula carnosa: Fruto carnoso: deiscente com várias sementes. Ex: pepino selvagem, beijo de frade, melão de são caetano (Momordica charantia)
  25. 25. Frutos secos indeiscentes Aquênio: pequeno fruto com só uma semente, presa à parede do fruto em só um ponto. Ex: girassol
  26. 26. Frutos secos indeiscentes Vagem: frutos simples, seco (planta unha de vaca) Sâmaras: frutos simples, tipo de aquênio cujas sementes são aladas
  27. 27. Sâmaras: frutos simples, tipo de aquênio cujas sementes são aladas
  28. 28. Frutos hidrocóricos
  29. 29. Fruto seco: indeiscente Cariopse : fruto cuja semente é firmemente unida à parede do fruto por toda a sua extensão. Ex: milho Cada grão do milho é um fruto (cariopese). A espiga é uma infrutescência
  30. 30. Fruto seco: indeiscente: Noz: fruto seco com pericarpo extremamente duro e uma única semente ( raramente duas) Ex: avelã, noz
  31. 31. PARTENOCARPIA PRODUÇÃO DE FRUTOS SEM SEMENTES Induzidos naturalmente, ou por via hormonal, etc. O ovário se desenvolve originando o fruto sem a presença da fecundação do óvulo e desenvolvimento da semente. Vantagens de frutos sem sementes Frutas mais saborosas, sem os taninos produzidos pelas sementes Aceitação comercial maior Maior tempo de prateleira Frutos partenocárpicos verdadeiros dispensam polinização para produção
  32. 32. Frutos partenocárpicos de bananeira. Ovários bastante desenvolvidos Que originarão as futuras bananas.
  33. 33. Frutas cítricas Vários mutantes Níveis de partenocarpia variados Alto –não necessita polinização Baixo –polinização por pólen morto ou incompatível para produção de semente Obs: Técnicas com linhagens poliploides são inviáveis.
  34. 34. Dispersão dos Frutos e sementes Ex: orquidáceas, compostas
  35. 35. Frutos zoocóricos Bidens Harpagophytum
  36. 36. REFERENCIAS GONCALVES, Eduardo Gomes; LORENZI, Harri. Morfologia vegetal: organografia e dicionário ilustrado de morfologia das plantas vasculares. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2007. OLIVEIRA, Fernando de; AKISUE, Gokithi. Fundamentos de farmacobotânica e de morfologia vegetal. 3. ed. São Paulo: Atheneu, 2009. 228 p. RAVEN, Peter H; EICHHORN, Susan E; EVERT, Ray F. Biologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 19--, 20--. CUTTER, E.G. Anatomia vegetal (Partes I E Parte II). São Paulo: Roca, 20--. ESAU, K. Anatomia das Plantas com Sementes. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 199-, 20-- . FERRI, Mário Guimarães. Botânica: morfologia interna das plantas (anatomia). São Paulo: Nobel, 19--.. FERRI, Mário Guimarães. Botânica: morfologia externa das plantas (organografia). São Paulo: Nobel, 19--

×