QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?

946 visualizações

Publicada em

Educação a Distância como uma alternativa promissora para o atendimento educacional nesse cenário organizacional.
Observa-se que as organizações usam a modalidade de ensino a distância (EaD) e suas variáveis como uma estratégia de capacitação dos seus colaboradores.Deve-se ressaltar ainda que a utilização dessa modalidade ( virtual ) em uma organização possibilita um aumento do interesse dos colaboradores no processo de capacitação.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
946
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ?

  1. 1. 1 Faculdades Integradas AVM NILTON DA ROCHA LIMA1 QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ? RIO DE JANEIRO-RJ 2014 1 Pós-graduando em Docência Superior. Faculdades Integradas AVM. Pós-graduado MBA Gestão do Conhecimento. Faculdades Integradas AVM. Graduado Administração. Universidade Castelo Branco.
  2. 2. 2 NILTON DA ROCHA LIMA QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ? Monografia apresentada como requisito parcial para conclusão do curso de Pós- graduação lato sensu da Faculdade Integradas AVM para obtenção do grau de Especialista em Docência Superior. Orientadora: Professora Ms. Aline Sampaio de Oliveira RIO DE JANEIRO-RJ 2014
  3. 3. 3 NILTON DA ROCHA LIMA QUAL A IMPORTÂNCIA DA EAD NAS ORGANIZAÇÕES NO APRENDIZADO DOS COLABORADORES ? Monografia Julgada e aprovada Orientadora: Professora Ms. Aline Sampaio de Oliveira
  4. 4. 4 Dedico este Trabalho Científico ao meu primogênito neto Nathan Sal da Terra Lopes como ato profético para toda a sua vida que será gloriosa. Que este trabalho seja para você a motivação para sua curiosidade na busca de novos conhecimentos. Como “broto de oliveira”. Neste seu primeiro ano de vida, já profetizo varias monografias, dissertações e teses. Seu avô materno.
  5. 5. 5 Agradecer a Deus é no mínimo reconhecer que meus esforços e dedicação seriam nulos se não houvesse o agir de Dele na minha vida. Tem sido Ele o patrono dos meus sucessos como este que acabo de receber. A minha família como Marli de Andrade, Monique Lima, Amanda Coelho, Glenda Lima, Matthews Lima e Alessandra Coelho. Na pessoa da minha esposa Angela Claudia Lima que só tenho a agradecer a Deus e a ela, em ser responsável por tudo de bom que me acontece, quero cada vez mais cheio de carinho e compreensão agradecer essa grande mulher que com sabedoria se aloja no meu coração, obrigado por tanto amor, pela boa convivência e por fazer completa a minha felicidade. Á quem merece o meu amor hoje e sempre. Não poderia esquecer da Coordenadora do curso de Docência Superior Denise Maria dos Santos Paulinelli Raposo e a tutora e orientadora professora mestra Aline Santos de Oliveira que juntamente com todos os docentes deste curso não faltou atenção e boa vontade de motivar e mostrar a luz no fim do túnel.
  6. 6. 6 Todos ficavam maravilhados com o seu ensino, porque lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei. Lucas 1.22 ( Bíblia NVI)
  7. 7. 7 LISTA DE QUADROS Quadro 1 – Modelo pedagógico X Modelo andragógico ................................. 18 Quadro 2 – Gerações em educação a distância ..............................................21 Quadro 3 – T&D X UC......................................................................................25 Quadro 4 – Cronologia da Ead no Brasil..........................................................29 Quadro 5 – Universidade tradicional X Universidade cooperativa...................36
  8. 8. 8 LISTA DE TABELAS Tabela 1 - Educação vinculada ao tempo e ambiente................................26 Tabela 2 – Escolas pedagógicas ................................................................27
  9. 9. 9 SUMARIO 1. INTRODUÇÃO......................................................................................11 2. APRESENTAÇÃO DO TRABALHO......................................................12 2.1. DELIMITAÇÃO DO TEMA.......................................................... 12 2.1.1. REFERENCIAL HUMANO............................................... 12 3. PROBLEMA DA PESQUISA..................................................................14 4. OBJETIVOS...........................................................................................14 4.1. OBJETIVOS GERAIS................................................................. 15 4.1.1. OBJETIVO ESPECIFICO................................................. 15 5. JUSTIFICATIVA.................................................................................... 15 5.1. BENEFÍCIOS DAS EMPRESAS COM EAD............................... 16 5.1.1 EAD FATOR MOTIVADOR DE CRESCIMENTO DO COLABORADOR.........................................................................16 5.1.2 ANDRAGOGIA NAS ORGANIZAÇÕES ............................17 5.1.3 ASPECTO RELEVANTE NO PROGRAMA DE ADULTOS....................................................................................19 5.1.4 O PEDAGOGO EMPRESARIAL .......................................,19 6. REVISÃO DA LITERATURA...................................................................20 6.1 CONCEITUAÇÃO DO ENSINO A DISTÂNCIA................................20 6.2 EAD E TI EM EVOLUÇÃO CONSTANTE........................................21 6.2.1 A IMPORTÂNCIA DA EAD NA UNIVERSIDADE CORPORATIVA......................................................................................22 6.2.2 EMPRESAS QUE ADERIRAM A EAD ..................................23 6.2.3 IMPLANTAÇÃO DE UNIVERSIDADES CORPORATIVAS.....25
  10. 10. 10 6.2.4 QUANTIDADE DE CURSOS EAD CORPORATIVO NO BRASIL.............................................................................................28 6.2.5 CONTRIBUIÇÃO EMPRESARIAL PARA A GESTÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.............................................................30 6.2.6 TIPOS DE PLATAFORMA DISPONIVEIS NO MERCADO BRASILEIRO...............................................................................31 7. METODOLOGIA...................................................................................33 8. RELEVÂNCIA........................................................................................33 9. CRONOGRAMA....................................................................................34 10.CONCLUSÃO........................................................................................34 11.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...................................................... 39
  11. 11. 11 1. INTRODUÇÃO A Educação a Distância tem despertado significativo interesse de vários grupos e instituições nos últimos anos. Esse interesse é global e independe do grau de desenvolvimento social e econômico dos países. A crescente demanda por formação, conhecimento e atualização ocorrem concomitantemente com a expansão e barateamento das tecnologias de comunicação e informação, o que coloca a Educação a Distância como uma alternativa promissora para o atendimento educacional nesse cenário organizacional. Observa-se que grandes empresas brasileiras usam a modalidade de ensino a distância (EaD) e suas variáveis como uma estratégia de capacitação dos seus colaboradores. Dentre as vantagens observamos a adequação cultural e ambiental, o plano de comunicação eficiente e eficaz sobre a capacitação através da EaD pela internet, na medida em que essa se mostra como uma ferramenta em constante atualização e inovação. Destaca-se ainda a ideia de aprendizado disponível a qualquer hora, bem como a melhora na qualidade do produto e na satisfação das pessoas que passam a ter uma melhor compreensão do que estão fazendo dentro da linha de produção como também a importância do seu trabalho dentro de todo o processo. Deve-se ressaltar ainda que a utilização dessa modalidade ( virtual ) em uma organização possibilita um aumento do interesse dos colaboradores no processo de capacitação, como também pode atingir um grande número de pessoas ao mesmo tempo e em diferentes locais. Com a introdução dos notebooks, ultrabooks, tablets e smartphones. Tudo em rede conectado, integrado em total mobilidade usabilidade no tempo e no espaço. A pesquisa está delimitada ao ensino e aprendizagem dos colaboradores no contexto organizacional identificando os benefícios e interesses nas partes envolvidas e
  12. 12. 12 quais as motivações destes colaboradores. É importante expandir o conceito aqui empregado de “organização” como todo ambiente cujo capital humano visa buscar novos relacionamentos, aprendizado e dele compartilhar e disseminar seus novos conhecimentos como igreja, associação de classe, clube e afins. Percebe-se que temos um estilo novo de aprendente, a problematização estará centrada na busca da identificação do perfil deste que ministra os cursos in company, qual a sua formação e que metodologia é aplicada neste ambiente de ensino que outrora era apenas profissional. A metodologia empregada na captação dos resultados, e de uma revisão bibliográfica, de autores nacionais com publicações recentes sobre o tema e levantamento de dados e informações sobre o cenário brasileiro do Ensino a Distância no meio corporativo. Dentro deste viés o pesquisador mergulha na busca das possíveis respostas com foco no capital humano gerando para a empresa na intangibilidade competitiva frente a concorrência. Tendo este interrogativo respondido na sequencia da pesquisa. 2. APRESENTAÇÃO DO TRABALHO 2.1 Delimitação do tema O conhecimento passa a ser indispensável e essencial nesse processo, dado que a realidade que permeia a economia mundial gravita em torno da inovação contínua e que requer constante aprendizagem por parte dos que corporificam as organizações. A educação à distância tem sido a ferramenta para o avanço na educação continuada dos colaboradores nestes tempos modernos? 2.1.1 Referencial humano No Brasil, a escravidão, que perdurou por mais de três séculos, reforçou essa distinção e deixou marcas profundas e preconceituosas com relação à categoria social de quem executava trabalho manual. Independentemente da boa qualidade do produto e da sua importância na cadeia produtiva, esses trabalhadores sempre foram relegados a uma condição social inferior.
  13. 13. 13 A herança colonial escravista influenciou preconceituosamente as relações sociais e a visão da sociedade sobre a educação e a formação profissional. O desenvolvimento intelectual, proporcionado pela educação escolar acadêmica, era visto como desnecessário para a maior parcela da população e para a formação de “mão-de- obra”. Não se reconhecia vínculo entre educação escolar e trabalho, pois a atividade econômica predominante não requeria educação formal ou profissional. Até meados da década de setenta, do século passado, a formação profissional limitava-se ao treinamento para a produção em série e padronizada, com a incorporação maciça de operários semiqualificados, adaptados aos postos de trabalho, desempenhando tarefas simples, rotineiras e previamente especificadas e delimitadas. [...] havia pouca margem de autonomia para o trabalhador, uma vez que o monopólio do conhecimento técnico e organizacional cabia, quase sempre, apenas aos níveis gerenciais. A baixa escolaridade da massa trabalhadora não era considerada entrave significativo à expansão econômica Analisando-se a relação entre as organizações e as necessidades humanas percebe-se que, historicamente, o homem tem procurado solucionar os diversos problemas inerentes à sua sobrevivência de modo coletivo. Isto reveste de importância o caráter organizacional em sua evolução histórica, quer nos aspectos econômicos ou sociais. Dessa forma pode-se afirmar que as organizações se formam e existem devido ao homem que, em grupo, se dedica a alguma atividade com determinado fim. Do mesmo modo argumenta Drucker (1999), para quem uma organização “...é um grupo humano composto por especialistas que trabalham em conjunto em uma tarefa comum”. Percebe-se implícito nesta definição de organização o caráter da especialização das organizações em torno de uma tarefa definida; a comunidade e a sociedade, em contraste, são definidas por um elo que mantém os seres humanos unidos, seja ele o idioma, a cultura, a história ou a localização.
  14. 14. 14 Historicamente, o homem tem buscado e ampliado o conhecimento como forma de solucionar melhor seus problemas. Nesse sentido, as organizações em se constituindo de indivíduos carecem de aprendizagem continuamente, principalmente nos tempos atuais em que o ambiente se mostra cada vez mais turbulento face ao fenômeno da globalização, cuja palavra de ordem é a competitividade. O processo de aprendizagem organizacional desenvolve-se, então, como propulsor de mudanças necessárias à continuidade das organizações neste ambiente competitivo que imprime maior velocidade e frequência nas mudanças. 3. PROBLEMA DA PESQUISA Com base em pesquisa bibliográfica de trabalhos já publicados o pesquisador busca identificar quando a cultura organizacional gera impedimentos no processo de aprendizagem. Quais são as dificuldades individuais de aprendizagem do colaborador? Como os ministradores, treinadores e palestrantes organizacionais diferenciam alunos de uma escola e os de uma empresa? São docentes, ou pedagogos? Qual a metodologia utilizada visto que o perfil é de adultos. Numa cultura tão tecnológica aquele mecanicismo tão tradicional nos planos de treinamentos observados na maioria das empresas ainda é eficaz? A Ead como ferramenta de compartilhamento e disseminação de conhecimento influencia o aprendizado nas corporações? Dentro destas indagações o pesquisador desenvolve-se numa expertise para minerar respostas com foco no capital humano gerando para a empresa na intangibilidade competitiva frente a concorrência. 4. OBJETIVOS Pesquisar a importância da Ead como ferramenta utilizada no processo ensino aprendizagem, sobretudo como estratégia organizacional para treinamento e capacitação dos seus colaboradores.
  15. 15. 15 4.1 Objetivos gerais O ancoradouro das discussões apresentadas neste trabalho exibe a realidade organizacional atrelada às regras e condutas implícitas no processo de globalização econômica cujos atores organizacionais necessitam de aprendizagem constante. Em meio às mudanças decorrentes do processo de globalização o conhecimento passa a ser indispensável e essencial ao sucesso, quer para o colaborador, quer para suas organizações, pelo que imprime competitividade. 4.1.1 Objetivo Específico → Quais são os benefícios do colaborador/aprendente? → O ensino corporativo é uma ferramenta motivacional? → Na modalidade Ead que tipo de tecnologia tem disponível? → Há uma valoração do aperfeiçoamento contínuo do colaborador? 5. JUSTIFICATIVA A Educação a Distância (EAD) é um recurso importante para atender a grandes contingentes de indivíduos de forma efetiva e sem riscos de reduzir a qualidade do ensino, quer nas IES ou nas organizações. A Educação a Distância (EAD) é considerada, segundo o decreto Decreto-Lei n° 2.494, de 10/2/1998 como, “uma forma de ensino que possibilita a autoaprendizagem, com a mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados.” A EAD vem auxiliando a Educação privada corporativa adequando-se à realidade do ambiente profissional, oferecendo a rapidez, a agilidade, o conteúdo
  16. 16. 16 adequado e a disponibilidade da informação no momento necessário. A Internet quebra radicalmente o paradigma da educação restrita às estruturas físicas consolidadas, pois coloca à disposição do estudante / colaborador um mundo de informações antes aprendidas nos bancos da escola. 5.1 Alguns benefícios encontrados pelas empresas com a EAD: Redução de custos, devido a redução de gastos em transporte, hotel e alimentação, Surgimento de uma nova cultura de trabalho via internet, em grupo através de comunidades virtuais ou de forma individual; Possibilidade de criação de treinamentos diferenciados; Flexibilidade de tempo e horários; O programa de e-learning pode ser desenhado com o objetivo de ser um aliado na conquista e manutenção de clientes, O programa de e-learning também pode ser montado com o propósito de educar e informar vendedores, distribuidores e fornecedores; Geração de indicadores através do gerenciamento detalhado e organizado do programa de EAD 5.1.1 Ead - fator motivador de crescimento do colaborador Ensino à distância corporativo é recurso prático, mensurável, de baixo custo e eficiente para empresas que investem em formação e treinamentos. Acompanhar frequência e evolução do aluno / colaborador, oferecer certificação de formação em determinada área, conferir a aplicação da teoria na prática profissional. Estes são alguns dos diferenciais que tem estimulado empresas a investirem em suas próprias escolas virtuais. Outros argumentos têm a ver com o fato de uma escola virtual ter custo baixo, necessitando apenas de uma plataforma de ensino enquanto estrutura, ter horário flexível, e ser um espaço seguro para gerenciamento de informações da empresa. A utilização de ensino a distância em treinamentos corporativos já é uma realidade em vários órgãos públicos no Brasil. No Ministério Público Federal – MPF esta
  17. 17. 17 modalidade de ensino passou a ser solução educacional, haja vista a necessidade de capacitação nas várias unidades do órgão espalhadas no território nacional. A educação a distância no MPF, a concepção e execução do projeto, a avaliação do projeto à luz das melhores práticas, bem como os desafios futuros. Criado na plataforma Moodle, ferramenta mais usada em treinamentos na modalidade à distância no mundo todo. Este sistema apesar de mais utilizado, não é o único, têm outras ferramentas com a mesma finalidade e usabilidade diferente, tendo assim uma variedade de escolha. 5.1.2 Andragogia nas organizações O autor busca enfatizar que com os novos tempos ainda que algumas organizações tenham a captação do “menor aprendiz”, e a inclusão da “pessoa com deficiência” nos seus quadros, contudo a grande massa do seu capital humano é composta de adultos e a abordagem desta pesquisa é direcionada para colaboradores adultos, logo não poderia deixar de incluir a “andragogia” - ciência antiga que estuda a educação para adultos com a finalidade de buscar uma aprendizagem efetiva para o desenvolvimento da competência, habilidade e conhecimento. “Na maioria das vezes, o que acontece é o uso da pedagogia, que é voltada para crianças e, por isso, o aprendizado não se consolida de forma eficaz. Tem-se à disposição hoje, uma teoria andragógica consistente que pode direcionar os esforços de ensino para que se transfiram em conhecimento real para os adultos e resultados para as organizações”.2 Os profissionais de desenvolvimento de pessoas devem avaliar cuidadosamente cada situação para definir se a Andragogia definida por Malcolm Knowles é aplicável ou não. “Em alguns casos, os adultos estão tão condicionados ao modelo convencional, baseado nos princípios unidirecionais de entrega de conteúdo, que acabam não sendo envolvidos pelo modelo”. Nesse caso, convém utilizar o modelo convencional, pelo menos como ponto de partida para envolver os profissionais no processo educacional e, a partir daí, oferecer a 2 Conrado Schlochauer, sócio-diretor do LAB SSJ
  18. 18. 18 eles os recursos necessários para que aprendam a assumir a responsabilidade pelo seu aprendizado e migrar pouco a pouco, para o modelo andragógico. Knowles(1980) aborda comparativamente o modelo pedagógico e o andragógico, conforme podemos observar no Quadro 1: Modelo Pedagógico P Modelo Andragógico Papel da Experiência A experiência daquele que aprende é considerada de pouca utilidade. O que é importante, pelo contrário, é a experiência do professor. Os adultos são portadores de uma experiência que os distingue das crianças e dos jovens. Em numerosas situações de formação, são os próprios adultos com a sua experiência que constituem o recurso mais rico para as suas próprias aprendizagens. Vontade de Aprender A disposição para aprender aquilo que o professor ensina tem como fundamento critérios e objetivos internos à lógica escolar, ou seja, a finalidade de obter êxito e progredir em termos escolares. Os adultos estão dispostos a iniciar um processo de aprendizagem desde que compreendam a sua utilidade para melhor afrontar problemas reais da sua vida pessoal e profissional. Orientação da Aprendizagem A aprendizagem é encarada como um processo de conhecimento sobre um determinado tema. Isto significa que é dominante a lógica centrada nos conteúdos, e não nos problemas. Nos adultos a aprendizagem é orientada para a resolução de problemas e tarefas com que se confrontam na sua vida cotidiana (o que desaconselha uma lógica centrada nos conteúdos). Motivação A motivação para a aprendizagem é fundamentalmente resultado de estímulos externos ao sujeito, como é o caso das classificações escolares e das apreciações do professor. Os adultos são sensíveis a estímulos da natureza externa (notas etc.), mas são os fatores de ordem interna que motivam o adulto para a aprendizagem (satisfação, autoestima, qualidade de vida etc.) Quadro 1 – Modelo Pedagógico X Modelo Andragógico Fonte: Knowles (1980) A Andragogia foi inicialmente definida em oposição a Pedagogia, porém esta dicotomia foi perdendo sentido à medida que as práticas andragógicas começaram a influenciar as práticas pedagógicas e vice-versa (SCREMIN, 2001). Posteriormente, Knowles (1980) refere-se à Pedagogia como paralela à Andragogia e não mais como antítese, e enuncia os seguintes pressupostos:
  19. 19. 19 5.1.3 Aspecto relevante no programa de adultos O clima: Para ser propício à aprendizagem, o clima deve inspirar confiança, respeito e colaboração. A informalidade pode ser mais eficaz do que a formalidade nesse processo, pois facilita a troca de experiências. Planejamento: No processo de ensino andragógico, o aluno tem responsabilidade no planejamento de seu aprendizado, assim como o seu tutor. Diagnóstico das necessidades: O que precisa ser aprendido é uma descoberta feita por aluno e tutor, juntos. Definição de objetivos: Os resultados da aprendizagem são definidos a partir de negociação e não imposição por uma das partes. Desenho dos planos de aprendizagem: O conteúdo é pensado de acordo com a necessidade de conhecimento. Atividades de aprendizagem: Segundo a Andragogia, as atividades devem se basear em técnicas experimentais. Avaliação: Deve comtemplar a mensuração dos resultados obtidos com o programa e fazer um novo diagnóstico de necessidades. 5.1.4 O pedagogo empresarial A partir deste novo cenário da qual as organizações globalizadas estão inseridas, não cabe mais a presença ativa daquelas pessoas desqualificadas academicamente instruindo, ensinando, ministrando novos ensinamentos sem a menor qualificação docência sem conhecimento metodológico na diferenciação entre um colaborador da empresa e um aluno da escola formal. O novo cenário da educação se abre no século XXI com novas perspectivas para o profissional que se insere no mercado de trabalho, sob diversas abrangências, como nos
  20. 20. 20 mostra a própria sociedade, que vive um momento particular discussões sobre globalização, neoliberalismo, terceiro setor, educação on-line, enfim, uma nova estrutura se firma na sociedade, a qual exige profissionais cada vez mais qualificados e preparados para atuarem neste cenário competitivo. Dessa forma, o profissional da educação atua na área de Recursos Humanos direcionando seus conhecimentos para os colaboradores da empresa com o objetivo da melhoria de resultados coletivos, desenvolve projetos educacionais, seleciona e planeja cursos de aperfeiçoamento e capacitação, representa a empresa em negociações, convenções, simpósios, realiza palestras, aporta novas tecnologias, pesquisa a utilização e a implantação de novos processos, avalia desempenho e desenvolve projetos para o treinamento dos funcionários. Empresas, hospitais, ONGs, associações, igrejas, eventos, emissoras de transmissão (rádio e Tv), e outros formam hoje a nova atuação deste profissional, que transpõe os muros da escola, para prestar seu serviço nestes locais que são espaços até então restritos a outros profissionais. O pesquisador quando se refere “as organizações”, não se baseia tão somente no universo corporativo e sim como citado acima. 6. REVISÃO DA LITERATURA 6.1 Conceituação do ensino a distância Existem diversos conceitos de Ensino a Distancia que permitem entendimento do tema. Segundo Reis (1996, p.13), pode-se conceituar Ensino a Distância (EAD) como “a forma de educação em que o professor/instrutor se encontra geograficamente distante do aluno/treinando”. Por outro lado, o Ensino a Distância Controlada por Computador – EDCC é uma denominação genérica da metodologia que utiliza diversos recursos didáticos para a transmissão de conteúdos informativos, sendo a interação e/ou controle realizada por meio do computador. Neste contexto, Web para educação a distância é uma forma de usar a Internet, obtendo e disponibilizando informações. O que oferece oportunidades para a criação de novas formas de ensino e aprendizagem através da integração de múltiplas mídias, texto, imagem, áudio e vídeo
  21. 21. 21 em uma única ferramenta. De acordo com Reis (1996), as principais vantagens identificadas com a utilização da Web são: Facilidade de uso; Eliminação de barreiras geográficas; Interação alunos-professor, treinando- instrutor e aluno-aluno/ treinando-treinando em variadas formas presenciais e não presenciais; Possibilidades ilimitadas de busca de informações; Enormes possibilidades de atualização de informações; Moderno instrumento de motivação para o aprendizado; Incentivo ao aprender-a-aprender. Valendo-se destas vantagens, muitas empresas descobriram nesta tecnologia uma formar rápida e eficaz de potencializar o aperfeiçoamento dos funcionários a fim de obter vantagem competitiva no mercado, valorizar a própria cultura e o capital intelectual. O que impulsionou as iniciativas de Educação Corporativa em muitos países. Para assegurar uma vantagem competitiva no mercado, faz-se necessário que o colaborador tenha autonomia, flexibilidade, espírito crítico, liderança, e que se mantenha atualizado às necessidades e tendências do mercado. Ainda, que seja capaz de aliar o seu talento a seu aprendizado com as estratégias de negócio da empresa, por meio de um processo contínuo “de aperfeiçoamento e atualização de conhecimentos, visando melhorar a capacitação técnica e cultural do profissional” (SILVA, 2006, p. 2) 6.2 Ead e TI em evolução constante Ainda com relação ao histórico da EAD, torna-se pertinente citar a evolução pela qual passou a modalidade ao longo deste tempo, para poder interpretar como as novas tecnologias foram sendo incorporadas ao seu processo, conforme o Quadro 2: Formato Característica 1º Geração Ensino por correspondência -Material impresso -Interação lenta, não frequente ou inadequada - Resultados medidos por tarefa resolvida
  22. 22. 22 2º Geração Teleducação -Meios de massa (rádio, tv etc.) -Recepção organizada e/ou controlada - Resultado medido por número de participantes 3º Geração Sistemas integrados de EAD -Meios múltiplos (multimeios e multimídia) - Interação eletrônica -Resultado medido pelo desempenho profissional 4º Geração Escolas Virtuais -Trabalho em grupos colaborativos em rede - Interação síncrona/ assíncrona e individual/grupal - Resultado medido pelo valor e benefício do trabalho Quadro 2 – Gerações em Educação a Distância Fonte: Alves (1994) Para Moore e Kearsley (1996), o desenvolvimento da EAD acompanhou a evolução da TI disponível em cada época. Assim, desde o seu início até hoje, tais autores identificam apenas três fases ou gerações: Geração Textual: até cerca de 1960, baseada essencialmente na autoaprendizagem por meio de material impresso; Geração Analógica: entre 1960 e 1980, baseados na autoaprendizagem utilizando textos impressos complementados por recursos tecnológicos de áudio e vídeo; Geração Digital: desde 1980, baseada na autoaprendizagem com suporte em recursos tecnológicos altamente diferenciados, de textos impressos à videoconferências, forte apoio de computadores, de Internet e de comunicação via satélite. Nas décadas de 80 e 90 foi crescente o uso do Ensino Auxiliado por Computador [EAC]. Segundo Zwicker (1997). 6.2.1 A importância da ead na universidade corporativa
  23. 23. 23 O diferencial entre as empresas está ligado à capacidade dela em se manter em sintonia com as necessidades dos seus clientes, internos e externos. O capital intelectual passou a constituir-se no principal patrimônio construído pelas corporações que hoje percebem que valor pode ser gerado pela educação. As universidades corporativas apresentam um grande avanço na busca por melhores formas de gestão do conhecimento e desempenho nas empresas. Nesse contexto, as redes de comunicação por computadores, principalmente a Internet/intranet, vêm exercendo um papel substancial. A esse propósito, as mudanças de paradigmas e de novos papéis exigidos dos profissionais pelas organizações, que enfrentam hoje desafios de proporções nunca antes imaginadas, impõem uma agenda desafiadora e cheia de oportunidades para educadores, instrutores e formadores. As universidades corporativas diferenciam-se dos Centros de Treinamento tradicionais, posto que: - objetivam desenvolver competências e não habilidades; -seu foco está na aprendizagem organizacional, na conversão do capital humano em bens para a organização; - a ênfase está nos Negócios e não nas Necessidades Individuais, embora, como já diria Kurt Lewin, seja necessário alinhar essas motivações para máximo benefício; - o público estende-se no tempo e no espaço para todos os atores intervenientes no presente ou no futuro nos negócios; 6.2.2 Empresas que aderiram a Ead Pirelli Pneus: A Pirelli Pneus iniciou, em dezembro de 2003, o treinamento de cerca de sete mil funcionários de toda sua rede de 1.200 revendas na América Latina através de um programa de e-learning desenvolvido pela consultoria de tecnologia da informação e educação G&P - Gennari & Peartree.
  24. 24. 24 Grupo Zema: Atualmente, o grupo emprega cerca de 1900 pessoas e o faturamento de 2003 ultrapassou os 500 milhões. No início de 2003, os treinamentos ganharam um impulso maior com a criação da universidade corporativa do grupo. A Unizema tem como principal objetivo oferecer aos funcionários, cursos de capacitação e qualificação profissional relacionado às áreas de atuação. A universidade corporativa estruturou os investimentos e possibilitou a implantação de projetos mais audaciosos, como os cursos de ensino a distância. IBM – Brasil: A empresa está expandindo seu foco de atuação para o mercado de educação corporativa. Seu objetivo é oferecer serviços de consultoria, desenvolvimento e implementação de soluções para ensino e treinamento à distância, por meio da área de Learning Services que possui a única fábrica de conteúdo e-learning da América do Sul. O trabalho enriquece as habilidades dos profissionais, maximizando o desempenho da empresa e melhorando sua vantagem competitiva. "Nossa finalidade é criar uma solução completa de aprendizado corporativo, visando impactar nos resultados da empresa e implementa esse serviço em diversas empresas no país. Totvs: A ferramenta, desenvolvida pela unidade de Educação Empresarial da companhia, é baseada na nuvem e conta com cerca de 2 mil treinamentos disponíveis. A plataforma atende a cerca de 40 mil usuários de 1,7 mil empresas. Em 2012, foram realizadas mais de 56 mil matrículas nos cursos ofertados no E- learningCenter. Só recebem certificado os alunos que acertarem mais de 75% da avaliação feita ao final do curso. Segundo a empresa, a ferramenta de EAD foi um diferencial no atendimento às pequenas e médias empresas, que podem acessar a academia virtual através do pagamento de uma assinatura mensal. Educação Empresarial da TOTVS. Líder no Brasil com 55,4% de marketshare, segundo dados do Gartner, e também na América Latina com 35%, a Totvs é a 6ª maior desenvolvedora de sistemas de gestão integrada (ERP) do mundo. A MasterCard : também tem apostado nesse tipo de ensino. Através de sua própria universidade, a empresa realiza treinamentos online logo após a contratação do novo colaborador, no qual se aprende sobre o negócio, código de conduta, informações sobre modelo de liderança etc.
  25. 25. 25 Banco Santander: A forte utilização de e-learning em bancos é confirmada pela, Gilmara Alvarado consultora. Atualmente a instituição financeira possui 400 títulos para treinamentos online e gastou em média R$ 3 milhões por ano com aluguel de plataforma e desenvolvimento dos cursos. A ead não substitui treinamento presencial, ele é um otimizador e corresponde por 80% dos cursos no banco. 6.2.3 Implantar universidades corporativas A Educação Corporativa é uma evolução direta da função ou processo de treinamento e desenvolvimento (ALPERSTEDT, 2000; MEISTER, 1999). Segundo ÉBOLI (2002, p. 15), “as UCs estão para o conceito de competência assim como os tradicionais centros de treinamento estiveram para o conceito de cargo”. O tradicional setor de T&D revela uma grande lacuna entre o que se investe e o retorno prático, ou seja, os resultados ficam aquém do esperado, e o modelo de UC tem um foco mais estratégico que busca eficácia e melhores resultados, como se pode visualizar no Quadro 3: Departamento de Treinamento Tradicional        Universidade Corporativa Habilidades Objetivo Competências críticas Aprendizado individual Foco Aprendizado organizacional Tático Escopo Estratégico Necessidades individuais Ênfase Estratégias de negócio Interno Público Interno e externo Aumento de habilidades Resultado Aumento de desempenho Quadro 3 – T&D x UC Fonte: Éboli (1999) A UC não é uma entidade física, mas um processo destinado a ajudar a organização a alcançar sua missão, por meio de atividades que favoreçam a aprendizagem, o conhecimento e as sabedorias do indivíduo e da organização (ALLEN, 2002).
  26. 26. 26 A primeira ideia que nos vem ao imaginar a implantação de Universidades Corporativas consiste em transformar os Centros de Treinamento das Empresas neste novo espaço de aprendizagem e de construção de conhecimento, orientando a formação para: criar capital humano desenvolvendo as competências dos profissionais da organização; criar capital organizacional, capacitando às pessoas de forma cada vez mais focada nos negócios da empresa, provocando, ainda, uma visão de futuro; gerar conhecimento, construindo um diferencial competitivo, por meio do desenvolvimento humano e organizacional com base na motivação dirigida para a criatividade e a inovação. As empresas que optam por esse tipo de capacitação, possuem em mente os principais benefícios: economia de tempo e dinheiro. Nada mais correto para uma empresa que precisa poupar gastos e ainda pensa na qualificação e melhor desenvolvimento de seus colaboradores. Deste modo, a EAD, com os investimentos que estão sendo depositados nela, contribui para um oportuno diferencial entre a concorrência, buscando maior competitividade e constante aperfeiçoamento. Tabela 1: Educação vinculada ao tempo e ambiente Pré-industrial Industrial Informação Linguagem Latim e Grego Línguas Nacionais Inglês Alunos Jovens da elite Jovens em geral Todos Idade dos alunos 6 a 20 anos 6 a 16 anos Qualquer idade Pagamento Os pais Impostos Alunos Instituição Igreja Estado Corporações Lugar Lugares de conhecimento Cidades Qualquer lugar Tempo Combinado Fixo Qualquer tempo Economia Tradicionalismo Taylorismo Neo-liberalismo Fonte do conteúdo Professor Estado Necessidades do aluno Fonte: Traduzido de Tiffin e Rajasingham (1995, p. 85)
  27. 27. 27 Lévy (1993 p.127) corrobora a posição de Tiffin e Rajasingham (1995) quanto à questão do conhecimento e do aprendizado estar associada ao cenário de valores e tecnologias de uma sociedade. Tabela 2: Escolas pedagógicas Modelo Definição Objetivo Premissas Instrutor/Prof. Objetivismo Aprendizado é a absorção não crítica do conhecimento Transferência do conhecimento do professor para o aluno. Memorização do conhecimento Professor detém todo o conhecimento. Estudantes aprendem melhor estudando de forma intensiva e isolada. Controla o material e a velocidade de aprendizado. Provê estímulo. Construtivis mo Aprendizado é o processo de construção de conhecimento por um indivíduo. Formação de conceitos abstratos para representar a realidade. Dar significado a eventos e informações. Indivíduos aprendem melhor quando descobrem sozinhos e quando controlam a velocidade do aprendizado. Aprendizado centrado nas atividades dos alunos. Instrutor mais ajuda do que direciona. Colaborati vismo Aprendizado emerge através de entendimento partilhado por mais de um aluno. Promove habilidades grupais, comunicação, participação, capacidade de ouvir . Promove socialização. Envolvimento é crítico no aprendizado. Alunos tem algum conhecimento anterior sobre o assunto. Orientado para a comunicação. Instrutor atua como questionador e líder da discussão Cognitivo Aprendizado é o processamento e transferência de novos conhecimentos para a memória de longo termo. Melhora as habilidades cognitivas dos estudantes. Melhora memorização e retenção do conhecimento. Limitado pela atenção seletiva. Conhecimento anterior afeta nível de apoio necessário. Estímulo pode afetar a atenção. Instrutor necessita retorno do aprendizado dos estudantes. Socio- culturalism Aprendizado é subjetivo e Delegação. Emancipação do Informações distorcidas e Instrutor é sempre considerado
  28. 28. 28 o individualista. aprendizado. Orientado para a ação, consciência social com a visão mais de mudar do que de aceitar ou entender a sociedade. formatadas em seus próprios termos. Aprendizado ocorre melhor em ambientes familiares ao aluno. representante de uma cultura. A instrução é sempre no contexto social e cultural do grupo. Fonte: Tradução de Leindner e Jarvenpaa (1995) Podem-se categorizar, para efeito de análise, as teorias em dois grandes grupos, as que tomam por princípio o aprendizado individual (contextualizado ou não) e as que consideram a socialização e a interação aluno-aluno como condição sine qua non para a construção do conhecimento pelo indivíduo e ainda as soluções híbridas, que utilizam partes de cada teoria. 6.2.4 Quantidade de cursos Ead cooperativos no Brasil A popularização de dispositivos móveis como tablets e smartphones traz novas possibilidades para o e-learning corporativo. “Esse cenário deve mudar, já que os tablets trazem redução de custos. Para as empresas com unidades pulverizadas pelo país e com uma mudança constante de processos e produtos”. e-learning corporativo no Brasil. Os inscritos em ead corporativos totalizaram 208.743 funcionários em 2009 no Brasil em 561 cursos. As áreas que mais receberam investimentos foram: finanças, informática, planejamento, gestão, educação e cidadania. O total gasto com e-learning corporativo foi de R$ 110.870.08. Os dados são da pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). O relatório mostra que a maioria das empresas ainda utiliza o computador como principal mídia para o ensino a distância (91%). Porém, algumas instituições, em número pouco expressivo, já utilizam outros recursos, como DVD (26%), celular (9%) e MSN (4%).
  29. 29. 29 Com relação ao histórico da EAD, torna-se pertinente citar a evolução pela qual passou a modalidade ao longo deste tempo, para poder interpretar como as novas tecnologias foram sendo incorporadas ao seu processo, conforme o Quadro 4: Formato Em 1941 foi fundado o Instituto Universal Brasileiro. Tal instituto é dedicado à formação profissional de nível elementar e médio, onde já estudaram mais de 4 milhões de alunos. A EAD no Brasil surgiu voltada para o ensino de profissões e também evoluiu em função da TI. No Quadro 4 são apresentados os principais fatos históricos da EAD no Brasil: Data Fato Recursos Utilizados 1934 Rádio escola Municipal do Rio de Janeiro -Folhetos, esquema de aula, cartas e transmissões radiofônicas 1939 -Fundado o Instituto Rádio Monitor, instituição privada que oferece ainda hoje cursos profissionalizantes Folhetos 1941 Fundado o Instituto Universal Brasileiro, instituição privada que oferece ainda hoje cursos profissionalizantes Folhetos 1941 Universidade do Ar voltado para professor leigo Rádio 1947 Universidade do Ar criada para treinar comerciantes e empregados em técnicas comerciais. Atingiu o ápice na década de cinquenta, com oitenta mil alunos. Leitura de aulas feita por professores 1957 Sistema Radio educativo Nacional passa a produzir programas transmitidos por diversas emissoras Rádio 1961 Movimento Nacional de Educação de Base, concebido pela Igreja e patrocinado pelo Governo Federal. Terminou em 1965. Principalmente rádio com supervisão periódica 1964 Principalmente rádio com supervisão periódica TV 1970 Projeto Minerva, em cadeia nacional Rádio Anos 70 Fundação Roberto Marinho (privado) inicia educação supletiva à distância para primeiro e segundo grau Rádio, TV e material impresso Anos 80 A Universidade de Brasília cria os primeiros cursos de extensão à distância Diversos
  30. 30. 30 Quadro 4 – Cronologia da EAD no Brasil Fonte: CEAD – Centro de Educação a Distância da UnB Nos últimos anos a EAD cresceu substancialmente no Brasil. O Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância (ABRAEAD, 2007) mostra dados relevantes da EAD no país: 2,2 milhões de matrículas na EAD em 2006; 74% de crescimento de cursos de graduação a distância entre 2004 e 2005. No mesmo período o número de vagas na graduação a distância aumentou 274%; 889 cursos a distância oferecidos em 2006, a maior parte de pós-graduação lato- sensu (27,7%) ou de extensão, aperfeiçoamento ou capacitação (30,6%). A graduação, com 205 cursos, chegou a 23% do total; 6.2.5 Contribuição empresarial para a gestão em educação à distância. Os processos de gestão ou administração institucional como conhecemos hoje são extremamente complexos e organizados: conceber/planejar, sistematizar/organizar, coordenar/dirigir e supervisionar/controlar e outros verbos da área foram objeto de estudos de vários pensadores até hoje. Os sistemas de gestão atualmente implementados possuem uma história rica e antiga. Eles têm suas raízes em princípios científicos há tempos consolidados – alguns deles anteriores à Revolução Industrial. Contudo, não há consenso de que a administração científica tenha bases sólidas anteriores à Revolução Industrial (1750) e/ou à organização militar. Como afirmam Corrêa e Pimenta (2005), é pelo desenvolvimento da indústria capitalista que as modernas organizações se difundem e se ampliam, dominando as esferas econômicas, social, política e ideológica, isto é, simbolizam um novo modo de organização da sociedade. Para Chiavenato (1983), a revolução industrial trouxe consigo possibilidades de evolução do campo da administração.
  31. 31. 31 6.2.6 Tipos de plataforma disponíveis no mercado brasileiro Para facilitar a criação de ambientes de aprendizagem existem diversas plataformas disponíveis. Nelas, estão embutidos contornos tecnológicos e pedagógicos para o desenvolvimento de metodologias educacionais, utilizando canais de interação web aptos a oferecer suporte para atividades educacionais de forma virtual. Optou-se por selecionar as 8 plataformas mais citadas nas fontes de pesquisa e utilizadas pelas IES no Brasil. Foram escolhidas as seguintes plataformas: TelEduc, AulaNet, Amadeus, Eureka, Moodle, e-Proinfo, Learning Space e WebCT. Com objetivo de apurar suas diferenças, foram estabelecidos critérios de análise, a saber: distribuição, princípios pedagógicos, aprendizagem colaborativa, interatividade, multimídia, usabilidade e acessibilidade. Há uma crescente utilização da plataforma Moodle, presente atualmente em 206 países e com 47.000 sites instalados registrados, como se verá em sua descrição. A análise do recorte delimitado ficou assim constituída: TelEduc (http://www.teleduc.org.br/): De acordo com informação divulgada no site, o TelEduc foi concebido com alvo no processo de formação de professores para informática educativa, baseando-se na metodologia de formação contextualizada desenvolvida por pesquisadores do Nied (Núcleo de Informática Aplicada à Educação) da Unicamp (Universidade de Campinas SP). Aulanet (http://www.eduweb.com.br/elearning_tecnologia.asp): O Edu web/AulaNet é um software LMS (Learning Management System), cuja ferramenta foi desenvolvida no Laboratório de Engenharia de Software -LES - do Departamento de Informática da PUC-Rio, em1997.  Amadeus (http://amadeus.cin.ufpe.br/index.html/):O Projeto Amadeus, como se informa no site, visa o desenvolvimento de um sistema de gestão da aprendizagem de segunda geração, baseado no conceito de blended learning. Foi projetado pelo Centro de Informática da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) sob o enfoque de estímulo e interação do aprendizado pela ação.
  32. 32. 32  Eureka (http://eureka.pucpr.br/entrada/index.php): Projeto de pesquisa do Laboratório de Mídias Interativas (LAMI) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), o Eureka informa ter o objetivo de promover educação e treinamento a distância por meio da internet. Seu principal diferencial em relação às plataformas observadas é a utilização de áudio do texto escrito em todas as telas acessadas.  Moodle (http://moodle.org/login/index.php ): Software livre de apoio à aprendizagem, desenvolvido em php e com banco de dados MySQL, PostgreSQL, Oracle, Access, Interbase, através da colaboração da comunidade virtual. Foi desenhado por um educador e informático, Martin Dougiamas –criador e diretor de desenvolvimento -, baseando-se nos princípios do “construtivismo social”. Distribui-se sob licença Open Source: é livre para carregar, usar, modificar e até mesmo distribuir (sob a condição do GNU). A palavra Moodle referia-se, originalmente, às iniciais de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment", que é especialmente significativo para programadores e investigadores da área da educação.  E-Proinfo (http://eproinfo.mec.gov.br/ ):O e-ProInfo é um software público, desenvolvido pela Secretaria de Educação a Distância (SEED) do Ministério da Educação e licenciado por meio da GPL-GNU, Licença Pública Geral Oferece projetos colaborativos e, no item interatividade, tira-dúvidas, agenda, diário, biblioteca, aviso, correio eletrônico e chat. Não permite acesso a deficientes auditivos e visuais, só aceita usuário cadastrado no ambiente para permitir outras informações. Tem baixa usabilidade, os links não funcionam, a tela não aparece inteira, há pouca informação ao usuário visitante.  WebCT (https://www.elc.uga.edu/webct/entryPageIns.dowebct ):Desenvolvido pelo grupo de Murraw W. Goldberg, da University of British Columbia, o WebCT(Web Course Tools) fornece um conjunto de ferramentas que facilita a criação de cursos educacionais.  LearningSpace ( http://openlearn.open.ac.uk/ ):O desenvolvimento do site começou em maio de 2006, oferece uma ampla gama de áreas para Educação a Distância. Em abril de 2008, o OpenLearn atingiu a meta de ter 5.400 horas de conteúdo de aprendizagem no LearningSpace e 8.100 horas no LabSpace. O ambiente inclui
  33. 33. 33 ferramentas de auto avaliação, fóruns e uma experiência personalizada de colaboração ao aluno, com criação e utilização de materiais de aprendizagem. 7. METODOLOGIA Para desenvolvimento do presente estudo partiu-se de uma revisão bibliográfica, preferencialmente de autores nacionais com publicações recentes sobre o tema e levantamento de dados e informações sobre o cenário brasileiro do Ensino a Distância no meio corporativo. O trabalho implica de pesquisa indireta, de caráter bibliográfico, que consiste na utilização de referências teóricas já publicadas para análise e discussão do assunto. Quanto aos fins, considera-se qualitativa, pois a preocupação central é caracterizar a influência da Ead no processo ensino-aprendizagem. 8. RELEVANCIA O Pedagogo Empresarial deve escolher entre as técnicas sugeridas a automatização. O sistema de instrução programada praticado na educação à distância possa ser incorporado à empresa, De maneira geral o processo de ensino-aprendizagem deve estimular o pensamento, possibilitando ao indivíduo interagir consigo mesmo, com seus saberes, práticas e referências, em uma espécie de autorreflexão, na busca constante de melhores resultados como parte da empresa. Um dos maiores desafios das empresas em países em desenvolvimento é aumentar a velocidade da aprendizagem organizacional e tecnológica, visando à sua entrada e permanência em mercados globalizados. Através da aprendizagem contínua, a organização exercita a sua competência e inteligência coletiva para responder ao seu ambiente interno (objetivos, metas, resultados) e externo (estratégia). Nas “organizações que aprendem as pessoas expandem continuamente sua capacidade de criar resultados que elas realmente desejam, onde maneiras novas e expansivas de pensar são encorajadas, onde a
  34. 34. 34 aspiração coletiva é livre, e onde as pessoas estão constantemente aprendendo a aprender coletivamente” (SENGE, 1999, p. 21). Essa ação educativa, citando Monteiro (apud SOUZA, 2006), é “resumida em três competências básicas: planejar a aprendizagem, facilitar a aprendizagem e avaliar a aprendizagem...” para desenvolvimento do conjunto de capacidade, conhecimentos, competências e atributos de personalidade que favoreçam a realização de trabalho de modo a produzir valor econômico (capital intelectual). 9.CRONOGRAMA ATIVIDADES Out. Nov. Dez. Jan. Fev. Pesquisa da escolha do Tema Exame da disponibilidade do material Avaliação do material confeccionado Termo de ciência e responsabilidade (envio) Pré-Projeto (envio) Referencial Teórico (envio Introdução (envio) Considerações Finais (envio) Versão Final (envio) 10 CONCLUSÃO Através deste estudo, e a partir da visão de diversos autores, o pesquisador afirma que a EaD é uma excelente ferramenta para incremento do processo de
  35. 35. 35 construção do conhecimento, fica reafirmada a certeza de que as possibilidades de formação de um indivíduo são exponencialmente expandida pela EaD, tornando a educação possível a aqueles que não tem alcance a mesma e também a aqueles que por outros motivos não conseguem pelos meios tradicionais. Esta pesquisa procurou utilizar em toda a sua extensão a empresa como unidade de análise, sempre atento ao fato de que a empresa é suficientemente importante para que o colaborador assimile o aprendizado juntamente com a realização dos resultados internalizado. No capítulo 3 as indagações são respondidas positiva e satisfatoriamente no desenvolvimento da pesquisa. Descobriu-se que a cultura organizacional muito fechada causa gargalos e diversos retrocessos no desenvolvimento e empenho da empresa e o impeditivo no aprendizado dos colaboradores. Que existe sim, diferença entre um colaborador corporativo e um aluno no seu ambiente escolar tradicional e, os profissionais também são diferentes com buscas de resultados diferente. Nos moldes mais contextualizados da educação corporativa usa-se hoje a “universidade corporativa” e os diversos e-learning disponíveis nas suas mais variadas facetas de aprendizado. No capítulo 4 com o advento da globalização as organizações já se despertaram para a busca do conhecimento nos seus parques visto que o maior patrimônio organizacional nesta era são “as pessoas”. A consolidação do aprendizado contínuo em todos os níveis é uma verdade caso a organização queira se manter competitiva. O aprendizado “in company” é benéfico aos atores envolvidos, pela dinâmica da “TI” o ambiente de ead se torna estimulante, contribui para a redução do absenteísmo e gera expectativa em novos horizontes educativos, e os colaboradores se sentem mais valorizados aumentando sua autoestima como cliente interno, entregando uma melhor qualidade de produto ou serviço ao cliente externo. No capítulo 5 fica identificado a importância da ead que trás consigo todos os pontos estratégicos positivo de capacitação da pessoa como a quebra de paradigmas que “local de trabalho não é para se estudar.” A empresa tem uma nova reesignificância, o RH se sente mais fortalecido com a entrada de profissionais que num passado bem presente não estaria alocado ali como os docentes, os pedagogos empresariais, os psicólogos..., só para citar alguns, não se esquecendo da “andragogia” definida por
  36. 36. 36 Malcolm Knowles como fundamental a sua utilização como mostrado nos quadros subsequentes por pessoas qualificadas no ensino diferenciador dos atores. No capítulo 6 se torna abrangente como mostrado nos quadros os benefícios que a tecnologia cada vez mais atualizada corporifica os ensinos e encurtecem os caminhos de conquistas. Aqui o pesquisador mostra algumas empresas que já usam a ead como ativo intangível nos retornos dos investimentos feito. A implantação da universidade corporativa já está consolidada nas organizações maiores ou com maior fluidez de capital e visão de maior alcance. As diversas plataformas de ead geram nas organizações um “pool de recursos” relevante como adicional a cultura da empresa. Embora ainda tenha uma longa estrada a percorrer, a EAD no Brasil apresentou um crescimento significativo. Durante os anos de 2000, novos avanços ocorreram e novas empresas aderiram a esta forma de Treinamento e Desenvolvimento de pessoal. A principal razão deste acréscimo está na expansão das Tecnologias de Informação e Comunicação que viabilizam e potencializam a aprendizagem fora da sala de aula. No caso especifico do mundo corporativo, a redução dos custos para capacitar muitos funcionários e na possibilidade de propiciar a gestão do conhecimento na empresa valorizando sua própria cultura e fazendo tudo isso sem que o funcionário tenha que se deslocar para um outro espaço, muitas vezes em outras cidades, estados e até mesmo países. No mundo corporativo identificou-se que o crescimento do EAD é bastante expressivo. Por tudo isso, as expectativas para este setor são de altos investimentos nos próximos anos, principalmente com o estabelecimento de parcerias junto às universidades publicas e privadas. Apesar do custo por aluno entre a UC e a UT, e da flexibilidade e da rapidez na mudança de conteúdos serem diferenças bem evidentes, outras distinções podem ser analisadas, conforme o quadro 5: Universidade Tradicional Universidade Corporativa Cursos e programas são regulados por lei e estruturados segundo normas rígidas do Ministério da Educação Cursos e programas são livres, atendendo às necessidades das pessoas que integram as organizações. Estrutura organizacional burocratizada que Estrutura organizacional livre que tem
  37. 37. 37 dificulta as decisões rápidas e estratégicas decisões estratégicas mais ágeis Preponderância de aulas expositivas e teóricas Preponderância de metodologias que privilegiam a aprendizagem por meio de atividades práticas, de estudo de casos, simulação, jogos de empresas, etc. Sistema educacional formal Sistema integrado de gestão de talentos humanos de um negócio Aprendizagem temporária Aprendizagem contínua Corpo docente acadêmico dissociado da realidade profissional Corpo docente altamente profissional, que pratica o que transmite ao educando. Liga o conhecimento estruturado à formação técnica e científica de um indivíduo Liga o conhecimento, nem sempre estruturado, às necessidades estratégicas de uma organização. Ênfase no passado Ênfase no futuro Aprendizagem baseada em conceitos acadêmicos Aprendizagem baseada na prática do mundo dos negócios Ensino não acompanha a velocidade das mudanças Ensino em tempo real Quadro 5 – Universidade Tradicional X Universidade Corporativa Fonte: www.institutomvc.com.br Éboli (1999) têm uma posição favorável à importância da UT, pois considera que a emergência da UC não significa o esvaziamento do papel das escolas tradicionais de gestão. Ao contrário, as experiências mais bem sucedidas nessa área são as de empresas que realizaram parcerias com algumas universidades ou institutos com competência para agregar valor a programas corporativos. Na literatura sobre aprendizagem organizacional, alguns autores (DONALDSON e ENSHER; BOZEMAN e FEENEY, 2007) sinalizam para o fato de que existem ambientes organizacionais que são mais propícios do que outros em relação ao desenvolvimento de processos de aprendizagem. Outros pesquisadores (JOO e LIM, 2009) afirmam que os valores e crenças presentes numa cultura organizacional afetam como as pessoas reagem e se comportam em relação ao processo de aprendizagem organizacional.
  38. 38. 38 Pode-se presumir que a cultura organizacional é um forte elemento influenciador para que um contexto organizacional seja mais ou menos propício. Discutem-se, então, as condições, dentro dos contextos culturais, que podem propiciar o surgimento de rotinas defensivas e dificultar o aprendizado dos indivíduos, nos processos de intervenções organizacionais. Durante a avaliação, alguns critérios foram observados, tais como: a pesquisa está bem apresentada, é possível compreender claramente o que ela trata e tem todos os dados da apresentação oriundo de uma expertise variada. A justificativa está coerente com o que foi desenvolvido. Os objetivos foram atingidos, a problemática que gerou o pesquisa foi respondida satisfatoriamente. Estão presentes as referências bibliográficas utilizadas, foi preservada a autoria dos textos já existentes. A citação quando necessário copiar partes de textos já produzidos por outros autores e criação de link para o site de origem quando se tratar da indicação de leitura de textos na íntegra, produzidos por outros autores e disponibilizados na internet.
  39. 39. 39 11. REFERENCIA ANDRADE, Emmanuel Paiva de; MOTTA, Elisabeth Flávia Roberta Oliveira da. Aprendendo com a mudança: capacitação e aprendizagem em empresa de transporte ferroviário urbano. Disponível em: < http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2013_TN_STO_184_048_22393.pdf >. Acessado em: 11 jan 2014. BANTIM, Dilmo. Formando valores e criando resultados. Disponível em: < https://www.cqcs.com.br/coluna/viva-a-vida/formando-valores-e-criando- resultados/ >. Acessado em: 20 de jan.2014. BARBOSA, Dione Mary de Cerqueira; ALMEIDA, Edison Franklin; TEIXEIRA Vilmar Agapito. A Aprendizagem Organizacional otimizando resultados do Tribunal de Contas da União. Disponível em: < http://portal2.tcu.gov.br/portal/pls/portal/docs/2054436.PDF >. Acessado em: 20 jan 2014. BRAUER, Marcus. Resistência a educação a distância na educação corporativa. Disponível em: < http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2526/71050100639 .pdf?sequence=2 >. Acessado em: 05 de fev. 2014. CHIARELLI, Carlos Alberto. A importância da EaD para desenvolvimento do país. Disponível em: < http://www.ead.fiocruz.br/noticias/index.cfm?matid=21736 >. Acessado em 04 dez 2013. FIALHO, Antonio Pereira; SPANHOLB, Greicy Kelli. A importância da educação a distância para a educação corporativa. Disponível em: < http://www.ufsj.edu.br/portal2- repositorio/File/vertentes/Vertentes_35/daniel_mill_e_outros.pdf>. Acessado em: 08 de jan.2014.
  40. 40. 40 GOMES, Alexandre Mesquita. Plataforma de educação a distância do Ministério Público Federal. Disponível em: < http://www.esab.edu.br/blog/?p=2279 >. Acessado em: 20 jan 2014. GRECO, Myriam Glória. O Pedagogo Empresarial. Disponível em: < http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/pemp02.htm . Acessado em: 28 jan 2014. IALE, Gilza. A Importância da Capacitação EaD nas Organizações. Disponível em: < http://www.administradores.com.br/artigos/tecnologia/a- importancia-da-capacitacao-ead-nas-organizacoes/57285/ >. Acessado em: 21 jan 2014. JUNIOR, Antonio de Souza Silva; VIEIRA, Naldeir dos Santos; FEITOSA, Marcos Gilson Gomes.A relação entre cultura organizacional e aprendizagem dos integrantes de organizações clientes de consultorias: um ensaio teórico sob a luz da teoria de Argyris. Disponível em: < http:// ww.aedb.br/seget/artigos07/1301_A Relação entre Cultura Organizacional e Aprendizagem dos Integrantes de Organizações Clientes de Consultorias.pdf >. Acessado em 17 de jan 2014. PASCOARELI, Luisa. Ensino à distância corporativo cresce no brasil. Disponível em: < http://compartilhandoead.blogspot.com.br/2011/08/ensino- distancia-corporativo-cresce-no.html# >. Acessado em: 22 de jan.2014. POZZEBON, Rafaela. Educação a distância: quais benefícios para os colaboradores da empresa? Disponível em: < http://www.oficinadanet.com.br/artigo/educacao_a_distancia/educacao_a_dista ncia_quais_beneficios_para_os_colaboradores_da_empresa >. Acessado em 04 dez 2013. QUEVEDO, Silvia; ULBRICHT, Vânia Ribas. Estudo comparativo das plataformas de ensino-aprendizagem. Disponível em: < http://www.abed.org.br/congresso2010/cd/252010140854.pdf # >. Acessado em: 27 de jan.2014. RODINEY, Marcelo. Aprendizagem em EAD. Disponível em: < http://www.brasilescola.com/educacao/aprendizagem-ead.htm >. Acessado em 04 dez 2013. RODRIGUES, Rosângela Schwarz; BARCIA, Ricardo Miranda. Modelos de Educação a Distância. Disponível em www.nead.ufmt.br/publicacao/.../Modelos_de_EAD_-_Rosangela09.doc. Acessado em: 09 de fev de 2014.
  41. 41. 41 SANTOS, Antonio Raimundo; PACHECO, Fernando Flávio. Gestão do conhecimento como modelo empresarial. Disponível em: < http://www1.serpro.gov.br/publicacoes/gco_site/m_capitulo01.htm >. Acessado em: 11 jan 2014. SANTOS, Milton dos. Contribuição à Compreensão do Conceito de Competitividade nas Organizações. Disponível em: < http://www.ead.fea.usp.br/semead/9semead/resultado_semead/trabalhosPDF/1 1.pdf>. Acessado em 04 dez 2013. SILVA, Aparecida Ribeiro da; MILL, Daniel, SILVA, Nara D. Brito. Gestão da educação a distância: noções sobre planejamento, organização, direção e controle na EaD. Acessado em: 27 de jan.2014. SOARES, Tom. Pedagogia Empresarial: Valorizando Saberes, Qualificando Práticas, Formando Referência. Disponível em: < http://monografias.brasilescola.com/pedagogia/pedagogia-empresarial- valorizando-saberes-qualificando-praticas.htm >. Acessado em: 20 de jan.2014. SOUZA, Leandro. Totvs treina clientes via plataforma de EaD. Disponível em: < http://www.baguete.com.br/noticias/30/04/2013/totvs-oferece-plataforma- de-ead-para-clientes >. Acessado em: 21 de jan.2014. TEIXEIRA, Samara. O que é andragogia?. Disponível em: < http://www.catho.com.br/carreira-sucesso/gestao-rh/o-que-e-andragogia >. Acessado em: 28 jan 2014. VILAS BOAS, Ana Alice. EAD e gestão do conhecimento: a experiência no ambiente empresarial. Disponível em: < http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/157tca4.pdf >. Acessado em: 21 de jan.2014. WAISMAN, Thais. A universidade corporativa e a educação a distância sob a ótica da comunicação. Disponível em: < http://www.pucsp.br/~cimid/7edu/waisman/projpesq.htm >. Acessado em 04 dez 2013. PARECER CNE/CEB Nº 16/99 Trata das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/tecnico/legisla_tecnico_p arecer1699.pdf >. Acessado em: 11 jan 2014. Tecnologia da Informação e Aprendizagem Organizacional: imperativo à competitividade das organizações. Disponível em: <
  42. 42. 42 http://www.ichs.ufop.br/conifes/anais/OGT/ogt0903.htm >. Acessado em 10 jan. 2014. O Impacto da Cultura Organizacional no Processo de Mentoria: Um estudo de caso na Performance Auditoria e Consultoria Empresarial. Disponível em: < http://www.iam2013.com.br/arquivo/2013/artigos/E2013_T00136_PSN60128.pd f >. Acessado em 17 de jan 2014. Ensino à distância corporativo já soma mais de 560 cursos no Brasil. Acadêmica Educacional. Notícias. Disponível em: < http://www.academica- edu.com.br/noticia_01.php?Id=217 >. Acessado em: 20 de jan.2014. Soluções Corporativa. Disponível em: < http://sv.www5.fgv.br/fgvonline/corporativo/solucoes_corporativas.htm >. Acessado em: 20 de jan.2014.

×