Intercom SulPaywall: a notícia de cara contra o muroPaulo Pinheiro Gomes Jr.
Contexto• O debate entre conteúdo pago versus conteúdo gratuito é antigo.
Contexto• Em 1997, o Wall Street Journal testou, pela primeira vez, um sistema de paywall.• Esse modelo de venda é utiliza...
Contexto• O The Wall Street Journal é um caso de sucesso.• Ganhou cerca de 200 mil assinantes em um ano.• A atitude, apesa...
Contexto• Paywall é garantia de sucesso?• Nem sempre....
Contexto• O The Times adotou o paywall em 2010.• Vale notar que o The Times é um site de notícias em geral.• Ou seja, ao i...
Contexto• Houve casos em que o paywall acabou sendo removido.• A revista The Atlantic Monthly decidiu que somente os assin...
Classificaç ão• É possível classificar o paywall em dois estilos: o rígido e o poroso.• Na primeira situação, é exigida um...
Classificaç ão• No Paywall poroso, a ferramenta age de forma mais "suave" permitindo o livre acessoao conteúdo, mantendo o...
Como funciona• Folha de São Paulo e Zero Hora já adotam o paywall• A Folha estabelece um limite de 40 notícias com acesso ...
Como funciona• Para os visitantes que não estiverem dispostos a pagar, haverá uma opção.• Eles poderão ler até 20 textos p...
Chegou a hora do Paywall?• Será que o paywall não funcionou antes por que houve uma lacuna geracional que nãoestava dispos...
Questões sobre o Paywall no Brasil
Questões sobre o Paywall no Brasil• No Brasil, existe uma incógnita sobre como o público irá reagir.• É provável que o sit...
Questões sobre o Paywall no Brasil• O custo para manter um site é alto? Será mesmo necessário monetizar os sites denotícia...
Questões sobre o Paywall no Brasil• Vale ressaltar que a aquisição de assinantes digitais parte do pressuposto de que elep...
Questões sobre o Paywall no Brasil• No impresso, o custo é bancado por assinaturas, venda em banca e publicidade.• Seria d...
Questões sobre o Paywall no Brasil• E se isto se tornar mesmo uma tendência o jornalismo que surgir será efetivamentemelho...
Referências Bibliográficas• PAVARIN, Guilherme. Maior jornal francês agora tem site pago. INFO Online, 16 fev.2010. Dispon...
Referências Bibliográficas• SURIAN, Francisco Emílio. A liberdade de imprensa e sua ressignificação noneoliberalismo: o jo...
Muito Obrigado!
Intercomsul - Paywall
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Intercomsul - Paywall

297 visualizações

Publicada em

Trabalho publicado no Intercom Sul 2013 realizado em Santa Cruz do Sul

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
297
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intercomsul - Paywall

  1. 1. Intercom SulPaywall: a notícia de cara contra o muroPaulo Pinheiro Gomes Jr.
  2. 2. Contexto• O debate entre conteúdo pago versus conteúdo gratuito é antigo.
  3. 3. Contexto• Em 1997, o Wall Street Journal testou, pela primeira vez, um sistema de paywall.• Esse modelo de venda é utilizado pelo jornal norte-americano New York Times(PÉREZ-PEÑA, 2010), pelos alemães Hamburger Abendblatt e Berliner Morgenpost(SCHNEIBEL, 2009) e pelo francês Le Figaro (PAVARIN, 2010).• No caso do periódico nova-iorquino, o paywall foi adotado em março de 2011. Deacordo com o próprio New York Times, o jornal obteve - em apenas um ano - 454 milassinantes digitais.
  4. 4. Contexto• O The Wall Street Journal é um caso de sucesso.• Ganhou cerca de 200 mil assinantes em um ano.• A atitude, apesar de controversa, provocou umaumento nas receitas do site.• Mais ainda: The Wall Street Journal, inclusive, cresceu em audiência chegando aatingir a marca de 15 milhões de visitantes em março de 2008.
  5. 5. Contexto• Paywall é garantia de sucesso?• Nem sempre....
  6. 6. Contexto• O The Times adotou o paywall em 2010.• Vale notar que o The Times é um site de notícias em geral.• Ou seja, ao invés de pagar, os usuários tinham a opção de buscar a informação deforma gratuita em outros lugares.• O resultado da decisão do The Times foi que o jornal conseguiu uma base de 120 milusuários pagantes. Um número apenas razoável.• Mas o jornal perdeu quatro milhões de leitores...
  7. 7. Contexto• Houve casos em que o paywall acabou sendo removido.• A revista The Atlantic Monthly decidiu que somente os assinantesda publicação impressa teriam acesso ao site.• A novidade foi muito mal recebida pelos2 milhões e 500 mil visitantes mensais.• O resultado foi tão desastroso que o paywallterminou sendo retirado em janeiro de 2008.
  8. 8. Classificaç ão• É possível classificar o paywall em dois estilos: o rígido e o poroso.• Na primeira situação, é exigida uma assinatura paga para que o usuário possa utilizarqualquer um dos conteúdos online da publicação. Este modelo foi adotado pelo TheWall Street Journal e The Times.• Estima-se que um site pode perder até 90% de sua audiência on-line com a adoçãodesta estratégia.• Somente será capaz de recuperar leitores se desenvolver a capacidade de produzirconteúdo online atraente o suficiente para aumentar a base de assinantes.
  9. 9. Classificaç ão• No Paywall poroso, a ferramenta age de forma mais "suave" permitindo o livre acessoao conteúdo, mantendo o conteúdo premium por trás de um paywall.• Tal estratégia é capaz de fornecer notícias para a grande maioria dos leitores do siteao mesmo tempo em que apresenta um material premium.• Contudo, este estará disponível somente para assinantes.• Folha de São Paulo e Zero Hora optaram por este padrão. A restrição se dá emtermos do número de notícias.
  10. 10. Como funciona• Folha de São Paulo e Zero Hora já adotam o paywall• A Folha estabelece um limite de 40 notícias com acesso liberado• Zero Hora delimitou acesso em 30 notícias
  11. 11. Como funciona• Para os visitantes que não estiverem dispostos a pagar, haverá uma opção.• Eles poderão ler até 20 textos por mês gratuitamente. A partir disso, será pedido opreenchimento de um breve cadastro, que dará acesso a mais 20 notícias ou colunasgratuitamente.• Somente a partir o quadragésimo-primeiro texto em diante, o visitante seráconvidado a fazer uma assinatura paga. (no caso da Folha de São Paulo).
  12. 12. Chegou a hora do Paywall?• Será que o paywall não funcionou antes por que houve uma lacuna geracional que nãoestava disposta a pagar por conteúdo na web?• Em 1997, em 2002, em 2007 o paywall também era umasolução, mas fracassou.• Agora, em 2013, ele surge como a salvação dowebjornalismo e obtendo resultados positivos nossites jornalísticos em que foi aplicado.• Fonte: http://www.niemanlab.org/2013/03/the-newsonomics-of-why-paywalls-now/
  13. 13. Questões sobre o Paywall no Brasil
  14. 14. Questões sobre o Paywall no Brasil• No Brasil, existe uma incógnita sobre como o público irá reagir.• É provável que o site que adotar a ferramenta registre alguma perda em sua audiência.• Outra questão que deve ser levada em conta é a possibilidade de – em um primeiromomento – o site apresentar um resultado negativo.
  15. 15. Questões sobre o Paywall no Brasil• O custo para manter um site é alto? Será mesmo necessário monetizar os sites denotícias?• Será que as empresas de comunicação vão estar preparadas ou vão seguir astradicionais receitas para tempos de crise com um possível enxugamento da redação econtratação de estagiários?• Será que o paywall é mesmo um duro golpe no jornalismo ctrl+C/ctrl+V?(*)• (*) Fonte: http://www.midiatismo.com.br/jornalismo/folha-adota-o-paywall-e-da-duro-golpe-no-jornalismo-ctrlcctrlv
  16. 16. Questões sobre o Paywall no Brasil• Vale ressaltar que a aquisição de assinantes digitais parte do pressuposto de que elepassará a dar mais valor ao conteúdo digital.• Quem fizer uma assinatura e acessar notícias será submetido ao mesmo excesso visualde propagandas de quem acessa o site esporadicamente?
  17. 17. Questões sobre o Paywall no Brasil• No impresso, o custo é bancado por assinaturas, venda em banca e publicidade.• Seria diferente no modelo digital?
  18. 18. Questões sobre o Paywall no Brasil• E se isto se tornar mesmo uma tendência o jornalismo que surgir será efetivamentemelhor ou mais bem trabalhado?• É possível ter um jornalismo economicamente saudável sem uma base expressiva deleitores?• Estas incógnitas indicam caminhos a serem percorridos por outros pesquisadores que seaventurarem pelo tema.
  19. 19. Referências Bibliográficas• PAVARIN, Guilherme. Maior jornal francês agora tem site pago. INFO Online, 16 fev.2010. Disponível em: <http://info.abril.com.br/noticias/internet/maior-jornal-frances-agora-tem-site-pago-16022010-8.shl>. Acesso em: 3 ago. 2013.• PÉREZ-PEÑA, Richard. "New York Times" voltará a cobrar por conteúdo on-line em 2011.The New York Times, 20 jan. 2010. Disponível em:<http://www.nytimes.com/2010/01/21/business/media/21times.html>. Acesso em: 3mai. 2013.• SCHNEIBEL, Gerhard. German newspaper publisher begins charging for online content.• Deutsch Welle, 16 dez. 2009. Disponível em <http://www.dwworld.de/dw/article/0,,5019806,00.html>. Acesso em: 3 mai. 2013.
  20. 20. Referências Bibliográficas• SURIAN, Francisco Emílio. A liberdade de imprensa e sua ressignificação noneoliberalismo: o jornalismo sob a ameaça da intensificação da produtividade e dalucratividade. Dissertação (Mestrado) - Escola de Comunicação e Artes, Universidadede São Paulo (ECA-USP), São Paulo, 2007.• MARSHALL, L. O jornalismo na era da publicidade. São Paulo: Summus, 2003.• SALCETTI, Marianne. The Emergence of Reporter: Mechanization and the Devaluation of• the Editorial Workers. In: HARDT, Hanno; BRENNEN, Bonnie (eds). Newsworkers. Towarda History of Rank and File. Minneapolis: University of Minnesotta Press, 1995.
  21. 21. Muito Obrigado!

×