Trovadorismo português-linha do Tempo

5.185 visualizações

Publicada em

Linha do Tempo e Trovadorismo em Portugal-Apresentação para alunos do 1º E.M.

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.185
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trovadorismo português-linha do Tempo

  1. 1. PORTUGALEstilo Clássico ERA MEDIEVAL ERA CLÁSSICAIX a.C II a. C Ano 0 VII XII XV XVI XVII/XVIII XVIIICultura Nasce Portugal HUMANISMO CLASSICISMO BARROCO NEOCLASSICISMO Invasão Cristianis TROVADORISMO Resgate dos 1527 a 1580 1580 a 1756 ARCADISMOGrega romana mo 1198/1198 valores Greco- Sá de Miranda (Portugal sob 1756 (fundaçãoHomero Até 1418 romanos volta da Itália domínio daPaganismo da Arcádia (Fernão Lopes Ler os clássicos instaurando a Espanha)Não cristão Lusitana) Intelectuais medida nova Pe.Antonio guarda-mor da 1789 Rev. 1418 a 1527 (decassílabos) Vieira Torre do Tombo) Francesa Bocage RENASCIMENTO 1418 a 1580 Escolástica - aproveita traços gregos “pagãos” (Aristóteles) e readaptava p/ a Igreja. Harmonizar fé X razão
  2. 2. BRASIL Séc. XVI Séc. XVII Séc. XVIII QUINHENTISMO BARROCO (1601/1768) ARCADISMO 1500 NEOCLASSICISMO (1768 “Descobrimento” (Prosopopéia de Bento a 1836) “Obras Poéticas” - Lit. informativa Teixeira) Cláudio Manuel da CostaCarta do achamento -Pero Vaz Gregório de Matos (Bahia) (Glauceste Satúrnio)pseudo de Caminha Tratado da Terra- Pero de -Tomas Antônio Gonzaga Magalhães Gândavo (1576) (Dirceu) Anchieta ERA COLONIAL
  3. 3. PORTUGAL ERA MEDIEVAL ERA CLÁSSICA XII XV XVI XVII/XVIII XVIII TROVADORISMO HUMANISMO CLASSICISMO BARROCO NEOCLASSICISMO 1198/1198 1418 a 1527 1527 a 1580 1580 a 1756 ARCADISMO Até 1418 Resgate dos valores Sá de Miranda (Portugal sob 1756 (fundação da Greco-romanos volta da Itália domínio da (Fernão Lopes guarda- Arcádia Lusitana) Ler os clássicos instaurando a Espanha) mor da Torre do Tombo) 1789 Rev. Francesa Intelectuais medida nova Pe. Antonio Vieira Cantigas – GIL VICENTE - teatro (decassílabos) Bocage líricas/satíricasO Quinhentismo abrange todas as BRASILmanifestações literárias produzidasno Brasil à época de Séc. XVI Séc XVII Séc. XVIIIseu “descobrimento”. Movimento QUINHENTISMOparalelo ao Classicismo português. BARROCO ARCADISMO 1500Possui idéias relacionadas (1601/1768) NEOCLASSICISMOao Renascimento, que vivia o seu auge “Descobrimento” (1768 a 1836) “Obrasna Europa. Como tema central, tem os Lit. informativa (Prosopopéia de Bentopróprios objetivos da expansão Poéticas” -Cláudio Carta do achamento - Teixeira)marítima: a conquista material, na Manuel da Costaforma da literatura informativa Pero Vaz de Caminha Gregório de Matos (Glaucestedas Grandes Navegações, e a conquista Tratado da Terra- Peroespiritual, resultante da política (Bahia) Satúrnio)pseudo de Magalhães Gândavoportuguesa da Contrareforma erepresentada pela literatura jesuítica (1576) -Tomas Antônioda Companhia de Jesus. José de Anchieta Gonzada (Dirceu) ERA COLONIAL
  4. 4. O Quinhentismo abrange todas as manifestações literáriasproduzidas no Brasil à época de seu “descobrimento”. Movimentoparalelo ao Classicismo português. Possui idéias relacionadasao Renascimento, que vivia o seu auge na Europa. Como temacentral, tem os próprios objetivos da expansão marítima:►a conquista material, na forma da literatura informativadas Grandes Navegações, e►a conquista espiritual, resultante da política portuguesada Contrarreforma e representada pela literatura jesuíticada Companhia de Jesus.
  5. 5. Apenas na literatura portuguesaencontraremos:a ERA MEDIEVAL:►o Trovadorismo,►o Humanismo e►o Classicismosob expressões literárias!!!
  6. 6. Trovadorismo 1198/119 a 1418• Primeira manifestação literária da língua portuguesa. Seusurgimento ocorre no mesmo período em que Portugal começa adespontar como nação independente, no século XII; porém, as suasorigens dão-se na Provença (França), de onde vai se espalhar porpraticamente toda a Europa. Apesar disso, a lírica medieval galego-portuguesa vai possuir características próprias, uma grandeprodutividade e um número considerável de autores conservados.
  7. 7. 9 Características do Trovadorismo CANTIGAS LÍRICASCantigas de amigo Cantigas de amor“eu” lírico feminino “eu” lírico masculinopresença de paralelismo ausência de paralelismoAssunto principal: o lamento da moça Assunto principal: sofrimento amorosocujo namorado partiu real, mulher idealizada e distante, coito d’amorAmor natural e espontâneo Amor cortês / vassalagemAmbientação popular rural ou urbana Ambientação aristocrática das cortes.
  8. 8. CANTIGAS SATÍRICASCantigas de ESCÁRNIO Cantigas de MALDIZERSátira indireta; palavras de Sátira diretaduplo sentidoLinguagem menos vulgar Linguagem mais vulgarAssunto principal: questões de Temas centrais: disputa entre osdescontentamento que trovadores, troca de ofensasprecisavam ser velados
  9. 9. CANTIGA DE AMOR
  10. 10. CANTIGA DE AMIGO Pastorela Ai flores, ai flores do verde pino, e sabedes novas do meu amigo! i Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo, Se sabedes novas do meu amado! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo,Aquel que mentiu do que pôs comigo! Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado, Aquel que mentiu do que mi á jurado! Ai Deus, e u é? - Vós me perguntades polo voss amigo, E eu ben vos digo que é san e vivo. Ai Deus, e u é?- Vós me perguntades polo voss amado, E eu ben vos digo que é viv e sano. Ai Deus, e u é? (D. DINIS)
  11. 11. CANTIGA DE ESCÁRNIO “Conheceis uma donzelapor quem trovei e a que um dia chamei de Dona Beringela? nunca tamanha porfia vi nem mais disparatada. Agora que está casada chamam-lhe Dona Maria...” (Dom Afonso Sanches)
  12. 12. CANTIGA DE MALDIZER Ai, dona feia, foste-vos queixarque nunca vos louvo em meu trobar; mas ora quero fazer un cantar en que vos loarei toda via; e vede como vos quero loar dona fea, velha e sandia! Dona fea, que Deus me perdoe, pois tendes tão grande desejode que eu vos louve, por este motivoquero vos loar já de qualquer modo; e vede como vos quero loar: dona fea, velha sandia! Dom Afonso Sanches
  13. 13. • O TROVADOR COMPUNHA A LETRA E A MÚSICA• O JOGRAL TOCAVA:ALAÚDE,FLAUTA,HARPA ,LIRA 15

×