Proposta governo leitao

477 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Proposta governo leitao

  1. 1. PROGRAMA DE GOVERNO ELEI O MUNICIPAL 2012 CABO FRIO - RJ CLAUDIO LEIT O PREFEITO DONA DALVA DE TAMOIOS VICE-PREFEITA JULHO/2012PROGRAMA DO PSOL - PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE ELEI ES2012 - CLAUDIO LEIT O PREFEITO DONA DALVA DE TAMOIOS - VICE-PREFEITA
  2. 2. NADA DEVE PARECER NATURAL, PORQUE NADA DEVE PARECERIMPOSS VEL DE MUDAR.Bertolt BrechtPRE MBULO: O CONJUNTO DE IDEIAS, AS PROPOSTAS E OS PROJETOS AQUIDESCRITOS, EST O DEFINIDOS EM SUA FORMA MACRO , COMO PONTODE PARTIDA PARA QUE OS MESMOS SEJAM FRUTO DE AMPLA DISCUSS OCOM OS V RIOS SEGUIMENTOS DA SOCIEDADE PARA SEREMAPERFEI OADOS E MOLDADOS AO INTERESSE POPULAR. COM AIMPLANTA O DA GEST O PARTICIPATIVA, ESTES PROJETOSGANHAR O SUA DIMENS O MICRO , ONDE AS COMUNIDADES E OSSETORES IMPACTADOS V O DEFINIR OS DETALHES E ASPECULIARIDADES DE IMPLANTA O.O CONJUNTO DE POL TICAS P BLICAS AQUI PROPOSTO TER O SUAREDA O FINAL COM PLENA PARTICIPA O DA SOCIEDADE,ROMPENDO COM A VELHA PR TICA POL TICA DE IMPOR DE CIMAPARA BAIXO.O NOSSO PROJETO PREV A RADICALIZA O DA DEMOCRACIA NAGEST O P BLICA COM TOTAL TRANSPAR NCIA DAS A ES QUEENVOLVAM TODO O PROCESSO DE TOMADA DE DECIS ES.UM PROJETO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRAL PARA CABO FRIO TEMQUE CONTEMPLAR O SER HUMANO, A NATUREZA E O TRABALHO. OSRECURSOS S O FINITOS, LOGO, SE FAZ NECESS RIO DEFINIRPRIORIDADES. QUEM DIZ QUE GOVERNA PARA TODOS MENTE PARAALGU M.TEMOS LADO NA DISPUTA POL TICA : SOMOS INTEIRAMENTECOMPROMETIDOS COM A CAUSA DOS TRABALHADORES, APOSENTADOS,ESTUDANTES, SETORES M DIOS DA SOCIEDADE E DA GRANDE MASSA DEEXCLU DOS.OS DESAFIOS S O IMENSOS, POIS DURANTE MUITO TEMPO FOMOSV TIMAS DO ATRASO, DO DESCASO, DA FALTA DE VONTADE POL TICA EDA CORRUP O GALOPANTE. MAS NADA DISSO PODE NOS PARECERNATURAL, NADA DISSO PODE PARECER IMPOSS VEL DE MUDAR.
  3. 3. 1 - EDUCA O1.1 - IMPLANTA O DA ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL-CONSTRU O DE NOVAS ESCOLAS, AMPLIA O E REFORMA DAS JEXISTENTES.- UNIVERSALIZA O DA OFERTADE VAGAS NA EDUCA O INFANTIL.- FORNECIMENTO DE MERENDA GRATUITA E DE QUALIDADE.- CONSTRU ES DE NOVAS CRECHES VISANDO UNIVERSALIZAR OATENDIMENTO A CRIAN AS DE 0 A 6 ANOS. - ARTICULA O DE POL TICAS PARA A EDUCA O DE JOVENS EADULTOS.- GARANTIA DA PERMAN NCIA DAS ESCOLAS DE ENSINO M DIOEXISTENTES. ANALISAR POSSIBILIDADES DE AMPLIA O.1.2 - IMPLANTA O DE CURSOS T CNICOS E PROFISSIONALIZANTES.- CURSOS GRATUITOS PARA JOVENS E ADULTOS, CONTEMPLANDOPRINCIPALMENTE AS REAS DE TURISMO, PESCA, CONSTRU O CIVIL,PETR LEO E G S.- ESTRUTURA O DE CONV NIOS COM EMPRESAS P BLICAS EPRIVADAS PARA A ABSOR O DA M O DE OBRA QUALIFICADA.1.3 - UNIVERSIDADE P BLICA GRATUITA E DE QUALIDADE.- DEMOCRATIZAR O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR EM CABO FRIO.- BUSCAR NUM PRIMEIRO MOMENTO PARCERIA COM A UFF, UERJ E UFRJPARA A IMPLANTA O DE UM CAMPUS UNIVERSIT RIO. A PREFEITURADOAR O TERRENO E DOTAR AS INSTALA ES DE INFRAESTRUTURA.- NUM SEGUNDO MOMENTO, IMPLANTAR UMA UNIVERSIDADE P BLICAMUNICIPAL COM CURSOS VOCACIONADOS A NOSSA REGI O.- AVALIAR A POSSIBILIDADE DE MUNICIPALIZAR A FERLAGOS.1.4 - RECUPERA O DOS 35% DO OR AMENTO MUNICIPAL PARA A EDUCA O, CONFORME PREVISTO ANTERIORMENTE PELA LEI ORG NICA DO MUNIC PIO.- GARANTIA DE GEST O PARTICIPATIVA E DEMOCR TICA NAS ESCOLAS.1.5 - CONSTRU O DE BIBLIOTECAS F SICAS E VIRTUAIS EM LOCAIS
  4. 4. ESTRAT GICOS DO MUNIC PIO.1.6 - GARANTIA DAS ESCOLAS DE ATENDIMENTO ESPECIAL AOS ALUNOS COM DEFICI NCIA.1.7 - CONSTRU O DE CENTRO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO MULTIPROFISSIONAL COM FONOAUDI LOGOS, PSICOPEDAGODOS E PSIC LOGOS PARA ATENDIMENTO AOS ALUNOS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO.1.8 - GARANTIA DE PROGRAMAS SUPLEMENTARES COM MATERIAL DID TICO, UNIFORME, TRANSPORTE, ASSIST NCIA SA DE, ETC.1.9 - ARTICULA O DE PROGRAMA DE EDUCA O AMBIENTAL COM OPLANO DIRETOR DA CIDADE E A POL TICA DE MEIO-AMBIENTE.1.10- VALORIZA O DOS PROFISSIONAIS DA EDUCA O.- REVIS O DO PLANO DE CARGOS E SAL RIOS A SER DICUTIDOAMPLAMENTE COM OS SINDICATOS.- REPOSI O SALARIAL IMEDIATA DE 25% PARA OS PROFESSORES EDEMAIS PROFISSIONAIS DA EDUCA O. OS RECURSOS VIR O DAREFORMA ADMINISTRATIVA QUE ENXUGAR A FOLHA DE PAGAMENTO,REDUZINDO CARGOS SOBREPOSTOS NA C PULA ADMINISTRATIVA E DAELIMINA O DE PORTARIAS FANTASMAS.- IMPLANTA O DE UM PROJETO DE FORMA O CONTINUADA PARA OSPROFESSORES E DEMAIS PROFISSIONAIS DA EDUCA O.- GEST O PARTICIPATIVA E TRANSPARENTE NA APLICA O DOSRECURSOS DO FUNDEB.- CONCURSO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS.2 - SA DE2.1 - INVESTIMENTO PRIORIT RIO NA SA DE B SICA. IMPLANTA O DOPSF - PROGRAMA DE SA DE DA FAMILIA EM 100% DO MUNIC PIO.- CADA PSF CONTAR COM M DICO GENERALISTA, DENTISTA,NUTRICIONISTA, FISIOTERAPEUTA E DEMAIS AGENTES DE SA DE.
  5. 5. - OS POSTOS SER O INFORMATIZADOS PARA PERMITIR A MARCA O DECONSULTAS PARA AS CL NICAS DE ESPECIALIDADES, ELIMINAMDO ACENTRAL DE MARCA O DE CONSULTAS.2.2 - CONSTRU O DE NOVAS CL NICAS DE ESPECIALIDADES, REFORMAE ADAPTA O DAS ESTRUTURAS DE SA DE QUE J FAZEM ESTEATENDIMENTO.2.3 - REESTRUTURAR A FARM CIA B SICA DO MUNIC PIO EDESCENTRALIZAR A DISTRIBUI O DOS MEDICAMENTOS PELOS PSFs ECL NICAS, IMPEDINDO SEU USO POL TICO. MANTER O ESTOQUE,IMPEDINDO FALTAS E INTERRUP ES DE TRATAMENTOS INICIADOS.2.4 - CRIA O DE UM CENTRO DE IMAGEM MUNICIPAL QUE CONTARCOM RAIO X, ULTRASSONOGRAFIA, TOMOGRAFIA, MAMOGRAFIA,RESSON NCIA MAGN TICA , DENSITOMETRIA SSEA E EQUIPAMENTOSDE IMAGENS NA CARDIOLOGIA.2.5 - IMPLANTAR UM CENTRO MUNICIPAL DE RECUPERA O DEDEPENDENTES QU MICOS.2.6 - REFORMAR E DOTAR DE EQUIPAMENTOS M DICOS DE URG NCIATODOS OS HOSPITAIS P BLICOS DO MUNIC PIO, DE FORMA ASEGMENTAR E MELHORAR O ATENDIMENTOS DOS CASOS DEEMERG NCIA NO MUNIC PIO, TIRANDO A SOBRECARGA DAS UPAs, QUESER O USADAS NOS CASOS DE BAIXA E M DIA COMPLEXIDADE.- INSTALAR NO HOSPITAL DA CRIAN A UMA UTI PEDI TRICA.- INSTALAR NO HOSPITAL DA MULHER UMA UTI NEONATAL E EFETUARUMA AMPLA REFORMA NO CENTRO CIR RGICO MATERNAL.- INTEGRAR O HCE E O S O JOS OPER RIO NUM NICO HOSPITALDOTADO DE UTI E AUMENTO DE LEITOS.- REFORMAR E EQUIPAR O HOSPITAL DE TAMOIOS. DOTAR TAMB MESTA UNIDADE DE UMA MATERNIDADE P BLICA.- EQUIPAR A UNIDADE HOSPITALAR DO HOSPITAL DE TAMOIOS COMUMA AMBUL NCIA UTI DISPON VEL 24 HORAS.- REFORMAR, RENOVAR E AMPLIAR A FROTA DE AMBUL NCIAS QUESERVEM AS UNIDADES DE SA DE DO MUNIC PIO.2.7 - IMPLEMENTAR O PROGRAMA DE SA DE DO TRABALHADOR.2.8 - CRIAR O CENTRO DE ZOONOSES MUNICIPAL E O CANIL P BLICOPARA CUIDAR DOS ANIMAIS ABANDONADOS.2.9 - AMPLIAR O CALEND RIO VACINAL COM INTRODU O DE VACINASQUE N O CONSTAM NO PROTOCOLO DO MINIST RIO DA SA DE2.10 - VALORIZA O DOS PROFISSIONAIS DA SA DE.
  6. 6. - IMPLANTA O DE UM PLANO DE CARGOS E SAL RIOS COM AMPLADISCUSS O COM OS SINDICATOS.- REPOSI O SALARIAL IMEDIATA DE 25% PARA OS M DICOS E DEMAISPROFISSIONAIS DA SA DE. OS RECURSOS VIR O DA REFORMAADMINISTRATIVA A SER IMPLANTADA.- IMPLANTA O DE UM PROJETO DE TREINAMENTO E EDUCA OCONTINUADA.- GEST O COMPARTILHADA COM O CONSELHO MUNICIPAL DE SA DE.3- SANEAMENTO B SICO3.1 - MAPEAMENTO E ELIMINA O DAS VALAS NEGRAS E VAL ES DEESGOTO NO MUNIC PIO. ATEN O ESPECIAL NESTA REA AO DISTRITODE TAMAIOS.- ASFALTAMENTO E MANILHAMENTO DESTAS RUAS, OBDECENDO A UMESCALONAMENTO DE PRIORIDADES A SER DEFINIDO COMPARTICIPA O POPULAR.3.2 - A O E ESTUDO CONJUNTO COM A CONCESSION RIA ESTADUALPROLAGOS PARA APRESSAR A INSTALA O E AUMENTO DOFORNECIMENTO DE GUA PARA AS REAS CARENTES. NOVAMENTE ODISTRITO DE TAMOIOS TER UM OLHAR PRIORIT RIO.- NAS REAS DEFINIDAS COMO EMERGENCIAIS A PREFEITURAREALIZAR AS OBRAS NECESS RIAS COM RECURSOS PR PRIOS.3.3 - CRIA O DE PROGRAMAS EDUCACIONAIS E DE INCENTIVO PARAQUE AS NOVAS CONSTRU ES TENHAM FOSSA TRATADA E SUMIDOURO,VISANDO IMPEDIR A SOBRECARGA NA REDE DE ESGOTO.4 - HABITA AO POPULAR4.1 - CRIA O DE UMA COOPERATIVA HABITACIONAL MUNICIPAL- CAPTA O DE RECURSO MUNICIPAIS, ESTADUAIS E FEDERAIS, AL MDE RECURSOS DE ONGs INTERNACIONAIS.- ENTREGA DE CASAS POPULARES EM REGIME DE FINANCIAMENTO,MUTIR O OU DOA O.
  7. 7. 4.2 - CRIA O DE UMA SECRET RIA ESPEC FICA DE HABITA O E DE UMCONSELHO MUNICIPAL PARA GEST O COMPARTILHADA DAS POL TICASP BLICAS NESTA REA.5 - MEIO-AMBIENTE5.1 - TRANSFORMAR A COORDENADORIA EM UMA SECRET RIAESPEC FICA DE MEIO-AMBIENTE DOTANDO-A DE OR AMENTOADEQUADO, RECURSOS HUMANOS E ESTRUTURA DE FISCALIZA OPARA PROTEGER NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS E REAS DEPRESERVA O AMBIENTAL.5.2 - PROMOVER AMPLO DEBATE COM OS AMBIENTALISTAS EENTIDADES DE DEFESA DO MEIO-AMBIENTE PARA A CRIA O DE UMPROGRAMA MUNICIPAL INTEGRADO NESTA REA.5.3 - ENCOMENDAR UM ESTUDO DE VIABILIDADE T CNICA AOCOPPE-UFRJ PARA A IMPLANTA O DE REDE SEPARATIVA DE COLETADE ESGOTO PARA LIVRAR A CIDADE DO EQUIVOCADO SISTEMA DETRATAMENTO APENAS A TEMPO SECO QUE USA A REDE PLUVIAL.5.4 - CRIAR UM PROGRAMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO COSTEIRONORMATIZANDO A PESCA E TAMB M O USO E A OCUPA O DOSTERRENOS BEIRA-MAR E BEIRA-LAGUNA.5.5 - CRIAR UM PROGRAMA DE ARBORIZA O DA CIDADE COM RVORES NATIVAS.5.6 - CRIAR UM PROGRAMA DE EDUCA O AMBIENTAL NAS ESCOLAS ENAS COMUNIDADES.5.7 - ATUA O FIRME DA SECRETARIA DE MEIO-AMBIENTE JUNTO AOINEA PARA A REGULARIZA O E EFETIVA O DOS PARQUES P BLICOSE REAS DE PROTE O AMBIENTAL(APAs).5.8 - IMPLANTA O DA COLETA SELETIVA DE LIXO E DE UM PROGRAMADE REUTILIZA O DE RES DUOS S LIDOS. APOIO AS COOPERATIVASEXISTENTES NESTA REA.6 - TURISMO6.1 - ENCOMENDAR UM ESTUDO DE VIABILIDADE DE UM PROJETO DEDESENVOLVIMENTO TUR STICO A UM CENTRO DE REFER NCIA ( FGV,COPPE-RJ, ETC...). DISCUTIR ESTE PROJETO COM TODOS OSSEGUIMENTOS ENVOLVIDOS NA ATIVIDADE TUR STICA E ADAPT -LO ASNOSSAS PECULIARIDADES. FOCAR NA GERA A DE EMPREGO E RENDA.
  8. 8. 6.2 - CONSTRU O DE UM CENTRO DE CONVEN ES PARA POSSIBILITARA RECEP O DE EVENTOS, WORKSHOPS E FEIRAS, VISANDOINCREMENTAR O TURISMO DE NEG CIOS QUE MOVIMENTARIA ACIDADE O ANO INTEIRO.6.3 - RECUPERA O E MANUTEN O DE NOSSO PATRIM NIO HIST RICOE CULTURAL PARA A IMPLANTA O DESTA MODALIDADE DE TURISMOQUE ATRAI O TURISTA COM MAIOR PODER AQUISITIVO, GERANDOMAIOR VALOR AGREGADO.6.4 - LIMPEZA E MANUTEN O DE NOSSO PATRIM NIO NATURAL,PRINCIPALMENTE DA PRAIA DO FORTE, NOSSO PRINCIPAL POLOATRATOR DO TURISMO DE MASSA.- REMODELA O DOS QUIOSQUES DA PRAIA DO FORTE, FOGUETE, PER ,CONCHAS E TAMOIOS, TORNANDO-OS MAIS BONITOS E FUNCIONAIS.- ORGANIZAR O TRABALHO AMBULANTE NAS AREIAS PARA PRESERVARE PROTEJER O MEIO-AMBIENTE.- REMODELA O DO BOULEVARD CANAL, VISANDO TORNAR ESTELOCAL MAIS ATRATIVO E CONFORT VEL PARA AUMENTAR AFREQUENCIA E PERMAN NCIA DOTURISTA.- REMODELA O DE TODA ORLA DA PRAIA DE TAMOIOS.- CRIA O DE UM ROTEIRO PARA TURISMO ECOL GICO COM AREVITALIZA O DO RIO S O JO O, VISANDO AMPLIAR ALTERNATIVASFORA DA SAZONALIDADE.6.5 - BUSCAR ATRAIR EVENTOS DE ESPORTES N UTICOS DE FORMA AINCREMENTAR O TURISMO TAMB M FORA DA TEMPORADA.6.6 - CRIAR UM PROGRAMA DE INCENTIVO AOS HOTELEIROS PARAMELHORA E AMPLIA O DE SUAS INSTALA ES, ATRAV S DEINCENTIVOS FISCAIS E FINANCIAMENTO COM A CONTRAPARTIDA NAGERA O DE NOVOS EMPREGOS NESTA REA.6.7 - REMODELA O DO CENTRO DA CIDADE E DA PRA A PORTO ROCHAPARA MAIOR CONFORTO DOS TURISTAS E MORADORES DURANTE SUASCOMPRAS E SEUS PASSEIOS NAQUELA REA.6.8 - CRIA O DE UM CALEND RIO DE EVENTOS COM A PARTICIPA ODOS SETORES ENVOLVIDOS. MANTER E AMPLIAR OS BONS EVENTOS JEXISTENTES: FESTA PORTUGUESA, FESTIVAL DO CAMAR O, MARISCO,SARDINHA, FESTA NORDESTINA ETC. PRIORIDADE PARA OS ARTISTASLOCAIS NOS EVENTOS MUSICAIS, ART STICOS E CULTURAIS.7 - TRANSPORTE P BLICO
  9. 9. 7.1 - CONTRATA O DE ESTUDO DE VIABILIDADE T CNICA ECONSTRU O DE UMA REDE INTEGRADA DE CICLOVIAS NA CIDADE,INCLUINDO O DISTRITO DE TAMOIOS PERMITINDO MAIOR MOBILIDADEURBANA COM REDU O DA POLUI O E MENOR DEPEND NCIA DOTRANSPORTE RODOVI RIO.7.2 - REAVALIA O TOTAL DO CONTRATO DE PRESTA O DE SERVI OCOM A EMPRESA CONCESSION RIA DE TRANSPORTE P BLICO.- VERIFICA O E AUDITORIA DA PLANILHA DE CUSTOS QUE GERA ATARIFA, TORNANDO-A TRANSPARENTE PARA A POPULA O, REDUZINDOSEU CUSTO.- AVALIAR ATRAV S DE UM ESTUDO T CNICO A POSSSIBLIDADE DEIMPLANTAR O PROJETO NIBUS GRATUITO NA CIDADE COM APREFEITURA SUBSIDIANDO A TARIFA AP S SUA REDU O AO PRE OJUSTO.- GARANTIR A ACESSIBILIDADE NA REDE DE TRANSPORTE COLETIVOPARA OS DEFICIENTES F SICOS.- REESTRUTURA O DA MALHA VI RIA NO MUNIC PIO.- AVALIAR A INCLUS O DO TRANSPORTE ALTERNATIVO NA CIDADE.- REORGANIZA O DOS HOR RIOS E QUANTIDADES DE NIBUS,PRINCIPALMENTE PARA OS BAIRROS MAIS AFASTADOS, ZONA RURAL EDISTRITO DE TAMOIOS.- POSSIBILIDADE DE ENCAMPA O DA EMPRESA, SE CONSTATADASIRREGULARIDADES CARACTERIZADAS COMO QUEBRA DE CONTRATO.7.3 - REFORMULAR E DEMOCRATIZAR O CONSELHO MUNICIPAL DETRANSPORTE.8- SEGURAN A P BLICA8.1 - O FOCO PRIORIT RIO PARA REDUZIR NDICES DE VIOL NCIA ECRIMINALIDADE N O PODE ESTAR APENAS NO ENFRENTAMENTOPOLICIAL. PRECISO UMA A O INTEGRADA DE POL TICAS P BLICASNA EDUCA O, CULTURA, ESPORTE E PROJETOS PARA A JUVENTUDEPARA SE CONSEGUIR RESULTADOS EFICAZES E DURADOUROS.
  10. 10. 8.2 - ESTABELECIMENTOS DE A ES PONTUAIS EM CONJUNTO COM OGOVERNO DO ESTADO, VISANDO AUMENTAR A SENSA O DESEGURAN A DA POPULA O.- BUSCAR AUMENTO DO EFETIVO POLICIAL E MELHORAR OPOLICIAMENTO OSTENSISVO.- INTENSIFICAR A ES DE REPRESS O NAS RES CONFLAGRADAS,ENTRETANTO, RESPEITANDO O CIDAD O TRABALHADOR.- BUSCAR A IMPLANTA O DA DELEGACIA LEGAL PARA MELHORAR OATENDIMENTO POPUL O.- BUSCAR O AUMENTO DO EFETIVO DE POL CIAIS CIVIS PARAAUMENTAR OS NDICES DE ELUCIDA O DOS CRIMES.- MANTER REUNI ES PERIODICAS COM O COMANDANTE DO BATALH ODA POL CIA MILITAR E O DELEGADO DA POL CIA CIVIL PARAAVALIA O DOS RESULTADOS.- UTILIZAR A GUARDA MUNICIPAL PARA A PROTE O DO PATRIM NIOP BLICO E FISCALIZA O NA PORTA DAS ESCOLAS P BLICAS DOMUNIC PIO. ATUA O SEM ARMAMENTOS.8- POL TICAS PARA A JUVENTUDE8.1 - CRIAR O CONSELHO MUNICIPAL DE POL TICAS PARA A JUVENTUDECOM A PARTICIPA O DO GOVERNO, DOS GREMIOS DAS ESCOLAS, DOSDCEs DAS UNIVERSIDADES E OUTRAS ENTIDADES CIVIS PARA OESTABELECIMENTO DE UM F RUM PERMANENTE QUE CRIEALTERNATIVAS PARA O JOVEM.8.2 - CONTRUIR NOVAS PRA AS ESPORTIVAS PARA ESTIMULAR APR TICA DE ESPORTES EM SUAS V RIAS MODALIDADES.8.3 - PROMOVER EVENTOS CULTURAIS E ART STICOS BUSCANDOASSOCIAR A JUVENTUDE COM A IDENTIDADE CULTURAL DE CABO FRIO.10 - REFORMA ADMINISTRATIVA
  11. 11. 10.1 - PROMOVER UMA REFORMA NA GEST O, DIMINUINDO O N MERODE SECRETARIAS, ALGUMAS COM ESTRUTURAS SUPERPOSTAS,REDUZINDO A FOLHA DE PAGAMENTO COM A CONSEQUENTE REDU ODE CARGOS EM COMISS O.10.2 - ELIMINA O DAS PORTARIAS FANTASMAS PROTAGONIZADAS PORCABOS ELEITORAIS E APADRINHAMENTOS QUE N O PRESTAMSERVI OS SOCIEDADE.10.3 - REVIS O DO PLANO DE CARGOS E SAL RIOS COM DISCUSS OAMPLA COM O SINDICATO.10.4 - REPOSI O SALARIAL IMEDIATA DE 25%, COMPENSANDO PARTEDE PERDAS PASSADAS.10.5 - REFORMULAR A ESTRUTURA E GEST O DA SECAF, RETIRANDOALGUMAS COMPET NCIAS E TRANSFERINDO PARA AS SECRET RIASESPEC FICAS. TORNAR TRANSPARENTE SEU OR AMENTO E SUASATIVIDADES. N O HAVER NENHUMA DEMISS O DE TRABALHADORES.10.6 - CRIA O DE UM PORTAL DA TRANSPAR NCIA NA INTERNET,TORNANDO CLARO E TRANPARENTE TODO O OR AMENTO MUNICIPAL.DETALHAMENTO DE RECEITAS E DESPESAS. TRANSPAR NCIA EPUBLICIDADE NOS CONTRATOS E LICITA ES. IMPRESS O EM JORNALDE BALANCETE MENSAL PARA AQUELES QUE N O TEM INTERNET, COMDISTRIBUI AO P BLICA NA CIDADE.11 - GERA O DE EMPREGO E RENDA11.1 - TODAS AS POL TICAS P BLICAS AQUI PREVISTAS S O ALTAMENTEGERADORAS DE NOVOS EMPREGOS E AUMENTO DA RENDA PER CAPITADA POPULA O.11.2 - CRIAR DUAS ZONAS DE DESENVOLVIMENTO (POLO INDUSTRIAL ECOMERCIAL) PARA ATRA O DE EMPRESAS N O POLUIDORAS, NAESTRADA DA INTEGRA O E NA REGI O PR XIMA AO AEROPORTO.12 - INFRAESTRUTURA12.1 - V RIAS OBRAS DE INFRAESTRUTA J EST O PREVISTAS AQUI EMSUAS REAS ESPEC FICAS DE POL TICAS P BLICAS MELHORANDO TODOO EQUIPAMENTO URBANO DA CIDADE.
  12. 12. 12.2 - ASFALTAR TODO O TRECHO DA ESTRADA DA INTEGRA OBUSCANDO INTEGRAR E FACILITAR AS RELA ES ENTRE O PRIMEIRO EO SEGUNDO DISTRITO.12.3 - ARRUAMENTO, MANILHAMENTO E CAL AMENTO DE RUAS NODISTRITO DE TAMOIOS E NAS REGI ES PERIF RICAS DO PRIMEIRODISTRITO. AS RUAS DEFINIDAS COMO PRIORIT RIAS PARA O IN CIO DOSTRABALHOS SER O DEFINIDAS COM A PARTICIPA O DASCOMUNIDADES.12.4 - CONTRU O DE UM GRANDE PARQUE P BLICO NA CIDADE EM REA A SER DEFINIDA COM UM ARROJADO PROJETO URBAN STICO,COM PRA AS DE ESPORTES DE DIVERSAS MODALIDADES E UM PEQUENOCENTRO DE EVENTOS.13 - CULTURA13.1 - RESTRUTURAR O INSTITUTO MUNICIPAL DO PATRIM NIOART STICO E CULTURAL (IMUPAC) COMO ORG O FISCALIZADOR EGESTOR.13.2 - REABRIR A CASA DOS 500 ANOS PARA EVENTOS ARTISTICOS ECULTURAIS.13.3 - REALIZAR UM F RUM COM A PRESEN A DE REPRESENTANTES DETODOS OS SEGUIMENTOS PARA DEFINIR UMA POL TICA CULTURAL ASER IMPLEMENTADA..13.4 - REFORMULA O E DEMOCRATIZA O DO CONSELHO MUNICIPALDE CULTURA.13.5 - CRIA O DO MUSEU DO MAR.13.6 - UTILIZA O DO CENTRO DE CONVEN ES PARA PROMOVEREVENTOS CULTURAIS.14 - ESPORTE14.1 - EXPANS O E MUNICIPALIZA O DA ACADEMIA DO CIDAD O.14.2 - TRANSFORMAR O EST DIO ARACY MACHADO EM UM COMPLEXOPOLIESPORTIVO.14.3 - REFORMA DO ESTADIO MUNICIPAL.
  13. 13. 15 - AGRICULTURA E ZONA RURAL15. 1 - APRIMORAR E AMPLIAR O PROGRAMA DE COMPRA SOLID RIAQUE PERMITE A PREFEITURA COMPRAR A PRODU O DE ALIMENTOSDO PRODUTOR RURAL LOCAL PARA UTILIZA O NA MERENDAESCOLAR E NOS HOSPITAIS P BLICOS DO MUNIC PIO.15.2 - ADQUIRIR NOVOS TRATORES E M QUINAS INDUSTRIAIS PARAUTILIZA O NA MELHORA DAS VIAS VICINAIS E ACESSOS DA ZONARURAL.15.3 - IMPLANTAR PROJETOS PARA DIVERSIFICA O DA PRODU ORURAL EM CONTRAPOSI O A MONOCULTURA DA CANA DE A CAR,PRIVILEGIANDO A AGRICULTURA FAMILIAR COM FINANCIAMENTO DOPROGER.16 - MOBILIDADE URBANA16.1 - ENCOMENDAR AMPLO ESTUDO DE AVALIA O T CNICA AOCOPPE-UFRJ PARA REFORMULAR O TR FEGO VI RIO E TODA AMOBILIDADE URBANA DA CIDADE.16.2 - DESPRIVATIZAR O ESPA O P BLICO ELIMINANDO A COBRAN A DOESTACIONAMENTO.16.3 - DISCIPLINAR E NORMATIZAR O ESTACIONAMENTO DE VE CULOSNA CIDADE.17 - REGULARIZA O FUNDI RIA17.1 - REGULARIZAR AS PROPRIEDADES URBANAS CONCEDENDOTITULA O COM BASE NO ESTATUTO DA CIDADE.17.2 - IMPLANTA O DE LOTEAMENTOS POPULARES EM REASDEGRADADAS E EM D BITO COM O FISCO MUNICIPAL.
  14. 14. 18 - DEMAIS SETORES SER O DISCUTIDOS COM A POPULA O DENTRODE UM AMPLO PROCESSO DE GEST O PARTICIPATIVA.CABO FRIO, 05 DE JULHO DE 2012.

×