Introdução ao estudo da anatomia humana

83.136 visualizações

Publicada em

A anatomia quando observada no seu conceito mais amplo, pode ser definida como a ciência que estuda macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dos seres organizados. Com a descoberta do microscópio desenvolveram se ciências que, embora constituam especializações, são ramos da anatomia.

1 comentário
42 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
83.136
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
664
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.760
Comentários
1
Gostaram
42
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução ao estudo da anatomia humana

  1. 1. Introdução ao estudo da anatomia humana Prof. Gustavo Martins Pires E-mail: contato@portaldaanatomia.com.brDe Humani Corporis Fabrica - Basel, 1543. - Anatomist: Andreas Vesalius (Fonte:http://lacytite.com/whatisit/gallery/colorized-vesalius-frontispiece/)Conteúdo:A anatomia quando observada no seu conceito mais amplo, podeser definida como a ciência que estuda macro emicroscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dosseres organizados. Com a descoberta do microscópiodesenvolveram se ciências que, embora constituamespecializações, são ramos da anatomia.
  2. 2. www.portaldaanatomia.com.br Sumário 1. História da anatomia humana ----------------------------------------------------------------------------------- 03 2. Oração ao cadáver desconhecido ------------------------------------------------------------------------------- 04 3. Conceitos anatômicos -------------------------------------------------------------------------------------------- 04 4. Fatores de variação anatômica ---------------------------------------------------------------------------------- 06 5. Níveis de organização ------------------------------------------------------------------------------------------- 07 6. Divisão do corpo humano --------------------------------------------------------------------------------------- 07 7. Posição anatômica ------------------------------------------------------------------------------------------------ 08 8. Planos de delimitação do corpo humano ---------------------------------------------------------------------- 09 9. Planos de secção do corpo humano ---------------------------------------------------------------------------- 09 10. Eixos do corpo humano ---------------------------------------------------------------------------------------- 11 11. Planos de construção do corpo humano --------------------------------------------------------------------- 12 12. Termos de posição e direção ---------------------------------------------------------------------------------- 13 13. Atividades ------------------------------------------------------------------------------------------------------- 15 Referências ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- 16Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 2
  3. 3. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 1. HISTÓRIA DA ANATOMIA HUMANA O conhecimento anatômico do corpo humano data de quinhentos anos antes de Cristo. Um dos principais estudiosos da época era Aristóteles e Hipócrates. As dissecações humanas eram proibidas por razões éticas e religiosas. O conhecimento anatômico sobre o corpo humano era conhecido apenas através das dissecações as escondidas ou em animais. Como fez Galeno no século II D.C, o qual fazia comparações ao corpo humano, porem estas comparações apresentavam muitos erros. Já no século XVI um médico e anatomista belga Andrés Vesálio, após ter realizado várias dissecações em corpos humanos, as reproduziu perfeitamente em sua obra “De humanis corpori fabrica” em 1453, e a partir dai foi consagrado o pai da anatomia humana moderna. Após este relato, diversos anatomistas surgiram e com eles novos nomes surgiram também, desta forma uma mesma estrutura anatômica possuía diversos nomes. E a fim de resolver este problema foi criada uma nomenclatura anatômica internacional. Em 1954 foi criada a “Paris Nomina Anatomica”, no congresso internacional de anatomia em Paris, sendo atualizada a cada 5 anos em congressos internacionais de anatomia. A última versão da nomenclatura anatômica foi feita em 1999 em Roma sendo traduzida para o português pela Sociedade Brasileira de Anatomia e publicada em São Paulo no ano 2000, esta é utilizada até o presente momento.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 3
  4. 4. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 2. ORAÇÃO AO CADÁVER DESCONHECIDO Ainda é primordial conhecer a oração ao cadáver desconhecido, antes de prosseguir nosso estudo, a qual foi escrita por Carl Rokitansky (1804-1878). “Ao curvar-te com a lâmina rija de teu bisturi sobre o cadáver desconhecido, lembra-te que este corpo nasceu do amor de duas almas; cresceu embalado pela fé e esperança daquela que em seu seio o agasalhou, sorriu e sonhou os mesmo sonhos das crianças e dos jovens; por certo amou e foi amado e sentiu saudades dos outros que partiram, acalentou um amanhã feliz e agora jaz na fria lousa, sem que por ele tivesse derramado uma lágrima sequer, sem que tivesse uma só prece. Seu nome só Deus o sabe; mas o destino inexorável deu-lhe o poder e a grandeza de servir a humanidade que por ele passou indiferente. Tu que tiveste o teu corpo perturbado em seu repouso profundo pelas nossas mãos ávidas de saber, o nosso respeito e agradecimento”. 3. CONCEITOS ANATÔMICOS A anatomia quando observada no seu conceito mais amplo, pode ser definida como a ciência que estuda macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dos seres organizados. Com a descoberta do microscópio desenvolveram se ciências que, embora constituam especializações, são ramos da anatomia. Especificamente, a anatomia (ana = em partes; tomein = cortar) macroscópica é estudada pela dissecação de peças previamente fixadas por soluções apropriadas. Já que a anatomia utiliza o corpo humano como material de estudo, se torna necessário fazer alguns comentários sobre este material. Se nos atentarmos a simples observação de um grupo de seres humanos, de imediato se evidenciaria diferenças morfológicas (morfo = forma) entre cada pessoa que compões o grupo. E são estas diferenças morfológicas que são conceituadas como variações anatômicas. Normal É um conceito estatístico representado pelo que ocorre na maioria dos casos, o que é mais frequente.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 4
  5. 5. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana Variação Anatômica É uma alteração da forma ou posição do órgão, que não causa prejuízo na função. Como por exemplo: um caso de dextrocardia, onde o indivíduo possui o ápice do coração voltado para o lado direito, ao invés de estar voltado para o lado esquerdo que é o que ocorre na maioria das pessoas. Anomalia É uma alteração da forma ou posição do órgão, que causa prejuízo na função, porem é compatível com a vida. Como por exemplo, um caso de fissura labiopalatal conhecida popularmente como lábio leporino. Que nada mais é que uma abertura na região do lábio e/ou palato do recém-nascido ocasionado pelo não fechamento destas estruturas na fase embrionária. A criança com este tipo de anomalia recebe tratamento cirúrgico, corretivo e estético o que torna possível a vida. Monstruosidade É uma alteração da forma ou posição de um órgão, que causa prejuízo na função, e é incompatível com a vida. Como por exemplo, um caso de anencefalia, onde ocorre uma malformação da extremidade anterior do tubo neural, com ausência do cérebro.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 5
  6. 6. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 4. FATORES DE VARIAÇÃO ANATÔMICA As variações anatômicas ditas individuais são acrescentadas a alguns fatores decorrentes da idade, do gênero, da etnia e do biótipo. Idade Durante a vida notáveis modificações anatômicas ocorrem nas fases intra-uterina e extra- ulterina. Gênero É o caráter de masculinidade ou feminilidade. Onde é possível reconhecer órgãos de um e de outro sexo, graças as suas características especiais. Etnia É a denominação conferida a cada grupo de pessoas que possui características físicas comuns, externa e internamente, pelos quais se destingem dos de mais. Como por exemplo, pessoas indígenas, japonesas, africanos entre outros. Biótipo É o resultado das características herdadas e adquiridas por influência do meio em que vivem, podemos citar um exemplo clássico que represente os extremos: longilíneo com a figura de D. Quixote e o brevelíneo na figura de Sancho Pança.  Longilíneo apresenta aspecto magro, alto, pescoço longo, tórax muito achatado ânteroposteriormente, com membros longos em relação à altura do tronco.  Brevelíneos são indivíduos em geral baixos, com pescoço curto, tórax de grande diâmetro ânteroposteriormente, membros curtos em relação a altura do tronco.  Mediolíneos apresentam características intermediárias entre os dois tipos.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 6
  7. 7. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 5. NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO Começando pela célula que é a unidade básica, estrutural e funcional do corpo humano, observamos que as células com mesma características se reúnem para formar os tecidos orgânicos, os tecidos por sua vez se reúnem para formar os órgãos, e da mesma forma os órgãos que desempenham atividades funcionais em comum, se reúnem para formar os sistemas orgânicos e os sistemas que possuem interdependências funcionais, constituem os aparelhos. 6. DIVISÃO DO CORPO HUMANO O corpo humano se divide em cabeça, pescoço, tronco e membros. A cabeça corresponde à extremidade superior do corpo estando unido ao tronco por uma porção estreitada o pescoço. O tronco compreende o tórax e o abdome com as respectivas cavidades torácica e abdominal; a cavidade abdominal se prolonga inferiormente na cavidade pélvica. Dos membros, dois são superiores e dois inferiores. Onde cada membro apresenta uma raiz, pela qual está ligado ao tronco, e uma parte livre. (Divisão do corpo humano – Fonte: http://cienciasmorfologicas.webnode.pt/introdu%C3%A7%C3%A3o%20a %20anatomia/divis%C3%A3o%20do%20corpo%20humano/Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 7
  8. 8. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 7. POSIÇÃO ANATÔMICA A fim de se evitar o uso de termos diferentes nas descrições anatômicas, considerando se que a posição pode ser variável criou se uma posição padrão. Deste modo, os anatomistas, quando escrevem seus textos, referem se a descrição anatômica considerando o indivíduo na posição padronizada. Observe a descrição anatômica abaixo. Indivíduo em posição ereta (em pé, posição ortostática, ou bípede), com a face voltada para frente, o olhar dirigido para o horizonte, membros superiores estendidos, aplicados ao tronco e com as palmas voltadas para frente, membros inferiores unidos, com as pontas dos pés dirigidas para frente. (Posição anatômica – Fonte: http://disciplinas.uniararas.br/anatomia/wp- content/dpoffline/introducao/introducao.htm)Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 8
  9. 9. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 8. PLANOS DE DELIMITAÇÃO DO CORPO HUMANO Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimitado por planos tangentes à sua superfície.  Plano Anterior: tangente à parte anterior do corpo;  Plano Posterior: tangente à parte posterior do corpo;  Plano Inferior: tangente à parte inferior do corpo;  Plano Superior: tangente à parte superior do corpo;  Plano Lateral Direito: tangente à parte lateral direita do corpo;  Plano Lateral Esquerdo: tangente à parte lateral esquerda do corpo. (Planos de delimitação do corpo humano)Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 9
  10. 10. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 9. PLANOS DE SECÇÃO DO CORPO HUMANO  Plano Sagital Mediano: é paralelo aos planos laterais de delimitação, divide o corpo humano ao meio, em duas metades semelhantes (direita e esquerda).  Plano Sagital Paramediano: é paralelo ao plano sagital mediano, dividindo o corpo em metades distintas. O corte sagital paramediano se estende do plano sagital mediano até o plano lateral (direito e esquerdo).  Plano Horizontal: é paralelo aos planos superior e inferior de delimitação, divide o corpo humano em parte superior e inferior.  Plano Frontal: é paralelo aos planos anterior e posterior de delimitação, dividindo o corpo humano em parte anterior e posterior. (Planos de secção do corpo humano – Fonte: http://aulas-de- anatomia.blogspot.com.br/2010/08/nocoes-basicas-de-anatomia.html)Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 10
  11. 11. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 10. EIXOS DO CORPO HUMANO Os eixos do corpo humano são linhas imaginárias que ligam os planos de delimitação, e determinam os movimentos.  Eixo Transversal (látero-lateral): se estende entre os planos laterais direito e esquerdo.  Eixo Longitudinal (súpero-inferior): é o maior eixo do corpo, estende se do plano superior ao plano inferior.  Eixo Sagital (ântero-posterior): se estende entre os planos anterior e posterior. (Eixos e planos de secção do corpo humano – Fonte: http://nuishbellaluna.wordpress.com/tag/corpo-humano/)Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 11
  12. 12. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 11. PLANOS DE CONSTRUÇÃO DO CORPO HUMANO O corpo humano é construído segundo alguns princípios fundamentais.  Antimeria: é o princípio pelo qual o corpo humano é construído por duas metades aparente mente simétricas.  Metameria: é o princípio pelo qual o corpo humano é construído através de peças sobrepostas no sentido longitudinal, separadas por planos transversais. Ex.: Coluna Vertebral.  Paquimeria: é o princípio pelo qual o corpo humano é construído através de dois tubos, um dorsal (neural) e outro ventral (viceral).  Estratimeria: é o princípio pelo qual o corpo humano é construído através de camadas sobrepostas que, da superfície corpórea para a profundidade são: pele, tela subcutânea, tecido adiposo, fáscia muscular, músculo e osso.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 12
  13. 13. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 12. TERMOS DE POSIÇÃO E DIREÇÃO O estudo da forma do órgão geralmente é comparado a formas geométricas. Assim conforme os órgãos são descritos: faces, margens, extremidades ou ângulos, designados de acordo com os correspondentes planos fundamentais para os quais estão voltados. Por exemplo, uma face que olha para o plano mediano é medial, e que esta voltada para o plano de um dos lados é lateral. Com isso se observa a grande importância de conhecer os planos de delimitação e secção do corpo. Abaixo encontra se os termos de posição e direção e suas descrições.  Anterior: voltado ou mais próximo do plano anterior;  Posterior: voltado ou mais próximo do plano posterior;  Superior: voltado ou mais próximo do plano superior;  Inferior: voltado ou mais próximo do plano inferior;  Medial: mais próximo do plano mediano;  Lateral: mais próximo do plano lateral;  Intermédio: entre uma estrutura lateral e outra medial;  Proximal: mais próximo da raiz do membro;  Distal: mais distante da raiz do membro;  Médio: entre uma estrutura proximal, distal; superior, inferior; anterior e posterior;  Superficial: mais próximo da superfície (acima da fáscia muscular);  Profundo: mais distante da superfície (abaixo da fáscia muscular);  Interno: no interior de um órgão ou de uma cavidade;Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 13
  14. 14. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana  Superficial: mais próximo da superfície (acima da fáscia muscular);  Profundo: mais distante da superfície (abaixo da fáscia muscular);  Interno: no interior de um órgão ou de uma cavidade;  Externo: externamente a um órgão ou uma cavidade;  Homolateral (ou ipsilateral): do mesmo lado;  Contralateral: do lado oposto;  Oral: mais próximo da cavidade oral (utilizado para o trato gastrintestinal);  Aboral: mais distante da cavidade oral (utilizado para o trato gastrintestinal);  Montante: porção inicial do vaso sanguíneo;  Jusante: porção final do vaso sanguíneo.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 14
  15. 15. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana 13. ATIVIDADES 1. Descreva a posição anatômica. 2. Cite os princípios de construção do corpo humano. 3. Como se divide o corpo humano? 4. Defina plano sagital mediano e paramediano. 5. Escolha 1 termos de posição e explique. 6. Explique o plano de secção Horizontal. 7. Explique o plano de secção Frontal. 8. Diferencie os termos: médio e medial. 9. Explique os termos proximal e distal. 10. Diferencie os termos superficial e profundo. 11. Defina dois planos de delimitação, explique-os. 12. Cite o que são eixos do corpo humano e quais são eles? 13. Diferencie tecido, órgão, sistema orgânico e aparelho. 14. Quais são os conceitos de variação anatômica? 15. Cite os fatores de variação anatômica.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 15
  16. 16. www.portaldaanatomia.com.br Introdução ao estudo da anatomia humana REFERÊNCIAS MOORE, K. L.; DALLEY, A. F.. Anatomia orientada para a clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. DANGELO, J. G.; FATTINI, C. A.. Anatomia humana sistêmica e segmentar: para o estudante de medicina. São Paulo: Editora Atheneu, 2002. GARDNER E ET AL. Anatomia Geral — Introdução. Anatomia — Estudo Regional do Corpo Humano. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1971. p.3-9. TORTORA, G.J. Principios de anatomia humana. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.Prof. Gustavo Martins PiresE-mail: contato@portaldaanatomia.com.br 16
  17. 17. peso e servir como alavanca para impulsionar o corpo. A construção do pé com vários ossos e articulações, permite a adaptação do pé aos tipos de superfícies, além de aumentar sua ação propulsora. 2. ESQUELETO DO PÉ O esqueleto do pé é formado pelos ossos tarsais, metatarsais e falanges. Quase todos os ossos se unem por articulações sinoviais, conferindo mobilidade necessária para se adaptar a forças longitudinais aplicadas sobre o pé e, se moldar aos diferentes tipos de superfícies durante a marcha. Os ossos do tarso (do grego – tarso = superfície plana) a palavra era usada para uma série de estruturas planas. Hipócrates usava a expressão “tarsós podós” = planta do pé. Galeno utilizou o termo para o esqueleto, envolvendo apenas os ossos cuneiformes e cubóide como parte do tarso. São ossos pares e curtos, totalizando sete ossos em cada pé.  O tálus (do latim –PORTAL DA ANATOMIA HUMANA talus www.portaldaanatomia.com.br dado de = tornozelo, contato@portaldaanatomia.com.br jogar), articula-se, proximalmente, com a face inferior da tíbia e, as porções articulares

×