Treinamento Google Analytics e Mobile e Web Analytics

728 visualizações

Publicada em

Treinamento com o objetivo de apresentar os recursos e ferramentas disponíveis no Google Analytics e ensinar, na prática, como interpretar seus resultados para melhorar o desempenho de sites, produtos e resultados de campanhas de marketing, com foco na plataforma mobile, gerando informações sobre visitantes, insights sobre tráfego, KPIs, comportamento de usuários, entre outros. Situar a ferramenta de monitoramento de tráfego dentro do processo de análise de resultados e de vendas.

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
728
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento Google Analytics e Mobile e Web Analytics

  1. 1. Poliana GodinhoTreinamento Google Analytics e métricas web / mobile
  2. 2. Agenda 5- Introdução 2 O que é Analytics? 11 - Como fazer? Definindo objetivos Construindo KPIs Coletando dados Analisando dados Testando alternativas Testando conclusões 107 - Logs vs Analitycs 110 - Métricas e Dimensões O que são e exemplos 129 - Utilizando o GA Público Alvo Fontes de tráfego Conteúdo Conversões 144 - Aprofundando a Análise Tempo Real Eventos Inteligentes
  3. 3. Vocês me perguntam...
  4. 4. Vocês me perguntam...“ AFINALMASO QUE É ANALYTICS ”
  5. 5. A WAA responde...“ ...é a medição, coleta, análise e relatórios de informações sobre dados de navegação e interação na internet, com objetivos de entender e otimizar a utilização e produção de sites e ações de comunicação. ”
  6. 6. A WAA responde... “ ...um processo que possibilita criar uma PODEROSA CULTURA DE DADOS. ”
  7. 7. A WAA responde... “ ...para MEDIR a interação do cliente com o site ”
  8. 8. A WAA responde... “ ...para ENTENDER o comportamento de cada segmento de visitantes ”
  9. 9. A WAA responde... “ ...para AUMENTAR a lucratividade do site ”
  10. 10. Se não medimos,“ não podemos saber o que pode ser melhorado… ”
  11. 11. PASSOS DO PROCESSO DEMEDIÇÃO E OTIMIZAÇÃO
  12. 12. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  13. 13. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  14. 14. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  15. 15. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  16. 16. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  17. 17. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  18. 18. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  19. 19. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  20. 20. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  21. 21. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  22. 22. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  23. 23. CONSTRUIR COLETAR KPIS DADOS DEFINIR ANALISAROBJETIVOS DADOS IMPLEMENTAR TESTAR CONCLUSÕES ALTERNATIVAS
  24. 24. 1 Definindo os objetivos
  25. 25. 1 Definindo os objetivos“Se estamos andando na direção certa, tudo o que precisamos fazer é continuar andando. ” Provérbio budista
  26. 26. A resposta para a pergunta... “Porque o meu site? existe ” ...é fundamental para definir seus objetivos.
  27. 27. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar?Você que devo Alice. ”
  28. 28. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar? Você que devo Alice. ”“ depende muito de aonde você quer irIstoDisse o gato. ”
  29. 29. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar? Você que devo Alice. ”“ depende muito de aonde você quer irIstoDisse o gato. ” “Não me importa muito aonde Disse Alice. ”
  30. 30. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar? Você que devo Alice. ”“ depende muito de aonde você quer irIstoDisse o gato. ” “Não me importa muito aonde Disse Alice. ” “ Então não importa qual o caminho que você toma. Disse o gato. ”
  31. 31. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar? Você que devo Alice. ”“ depende muito de aonde você quer irIstoDisse o gato. ” “Não me importa muito aonde Disse Alice. ” “ Então não importa qual o caminho que você toma. Disse o gato. ” “ que eu chegue a algum lugar desde Alice acrescentou. ”
  32. 32. “ pode me dizer qual o caminhoPerguntatomar? Você que devo Alice. ”“ depende muito de aonde você quer irIstoDisse o gato. ” “Não me importa muito aonde Disse Alice. ” “ Então não importa qual o caminho que você toma. Disse o gato. ” “ que eu chegue a algum lugar desde Alice acrescentou. ” “ Oh,você andar bastante. com certeza você chegará, disse o Gato, “ se ” ”
  33. 33. ...o foco deve ser sempre aumentar a receita,
  34. 34. ...o foco deve ser sempre aumentar a receita, baixar os custos
  35. 35. ...o foco deve ser sempre aumentar a receita, baixar os custosou melhorar a satisfação do cliente.
  36. 36. ...o foco deve ser sempre aumentar a receita, baixar os custosou melhorar a satisfação do cliente. Fazer todos os três será ainda melhor.
  37. 37. “...o foco deve ser sempre aumentar a receita, baixar os custosou melhorar a satisfação do cliente. Fazer todos os três será ainda melhor. ” Jim Stern Social Media Metrics book
  38. 38. ...não há análise sem objetivos!
  39. 39. ...não há análise sem objetivos! Como o meu projeto se encaixa na estratégia global da nossa empresa?
  40. 40. ...não há análise sem objetivos! Ora bolas!! Eu nem sabia que a gente tinha uma estratégia!
  41. 41. 2 Construindo indicadores de desempenho
  42. 42. 2 Construindo indicadores de desempenho“Os pássaros são indicadores do meio ambiente. Se eles têm problemas, sabemos que logo também os teremos. ” Roger Tory Peterson
  43. 43. atributos para se4obter bons KPIs.
  44. 44. atributos para se4 obter bons KPIs.Simplicidade: decisões são tomadas por pessoas com diferentes funçõese em diferentes departamentos. Se o analista é a única pessoa queentende os KPIs, é improvável que os tomadores de decisão da empresafaçam uso deles.
  45. 45. atributos para se4 obter bons KPIs.Simplicidade: decisões são tomadas por pessoas com diferentes funçõese em diferentes departamentos. Se o analista é a única pessoa queentende os KPIs, é improvável que os tomadores de decisão da empresafaçam uso deles.Relevância: cada empresa tem seus próprios objetivos, portanto elestambém devem ter seu próprio conjunto de KPIs para medir a melhorado site.
  46. 46. atributos para se4 obter bons KPIs.Simplicidade: decisões são tomadas por pessoas com diferentes funçõese em diferentes departamentos. Se o analista é a única pessoa queentende os KPIs, é improvável que os tomadores de decisão da empresafaçam uso deles.Relevância: cada empresa tem seus próprios objetivos, portanto elestambém devem ter seu próprio conjunto de KPIs para medir a melhorado site.Rapidez: boas medidas devem ser apresentadas prontamente para quedecisões oportunas possam ser tomadas. Mesmo excelentes KPIs sãoinúteis se não estiverem disponíveis quando necessários.
  47. 47. atributos para se4 obter bons KPIs.Simplicidade: decisões são tomadas por pessoas com diferentes funçõese em diferentes departamentos. Se o analista é a única pessoa queentende os KPIs, é improvável que os tomadores de decisão da empresafaçam uso deles.Relevância: cada empresa tem seus próprios objetivos, portanto elestambém devem ter seu próprio conjunto de KPIs para medir a melhorado site.Rapidez: boas medidas devem ser apresentadas prontamente para quedecisões oportunas possam ser tomadas. Mesmo excelentes KPIs sãoinúteis se não estiverem disponíveis quando necessários.Utilidade instantânea: é vital entender o significado do KPI comfacilidade para que se possa tomar decisões instantaneamente.
  48. 48. 3 Coletando dados
  49. 49. 3 Coletando dados “ É um erro fatal teorizar antes de coletar dados. ” Sir Arthur Conan Doyle
  50. 50. Quando alguém começa a coletar os dados do seu website (ou rever suacoleção de dados), duas perguntas devem ser feitas:
  51. 51. Quando alguém começa a coletar os dados do seu website (ou rever suacoleção de dados), duas perguntas devem ser feitas: Meus dados estão exatos ?
  52. 52. Quando alguém começa a coletar os dados do seu website (ou rever suacoleção de dados), duas perguntas devem ser feitas: Meus dados estão exatos ? Estou coletando todos os dados que preciso ?
  53. 53. Quando alguém começa a coletar os dados do seu website (ou rever suacoleção de dados), duas perguntas devem ser feitas: Meus dados estão exatos ? Se os dados não forem exatos, é como construir um castelo na areia, os alicerces podem ser abalados muito facilmente. Estou coletando todos os dados que preciso ?
  54. 54. Quando alguém começa a coletar os dados do seu website (ou rever suacoleção de dados), duas perguntas devem ser feitas: Meus dados estão exatos ? Se os dados não forem exatos, é como construir um castelo na areia, os alicerces podem ser abalados muito facilmente. Estou coletando todos os dados que preciso ?Se os dados não são coletados, o comportamento dos visitantes do site nãoserá entendido adequadamente.
  55. 55. 4 Analisando dados
  56. 56. 4 Analisando dados“Nem tudo que pode ser contado conta. E nem tudo que conta pode ser contado ” Albert Einstein
  57. 57. Dicas para converter os dados em ações...
  58. 58. Dicas para converter os dados em ações... Um site não pode se comparar com sites diferentesDa mesma forma que um nadador de nado livre não irá comparar seu tempo com o de um corredor de 100 metros rasos. A melhor maneira de proceder é rever suas métricas ao longo do tempo, para entender se o site está melhorando ou não, como um nadador está constantemente lutando para quebrar seu próprio recorde.
  59. 59. Dicas para converter os dados em ações... Um site não pode se comparar com sites diferentesDa mesma forma que um nadador de nado livre não irá comparar seu tempo com o de um corredor de 100 metros rasos. A melhor maneira de proceder é rever suas métricas ao longo do tempo, para entender se o site está melhorando ou não, como um nadador está constantemente lutando para quebrar seu próprio recorde.Não há verdade absoluta quando se trata de engajamentoUm alto número de páginas vistas pode ser um bom sinal (para um site de conteúdo),um mau sinal (para sites de suporte) ou nenhum sinal (para sites construídos em Flashou AJAX). Entretanto, o tempo que o visitante permanece no site é provavelmente umbom indicador do seu engajamento.
  60. 60. Dicas para converter os dados em ações... Um site não pode se comparar com sites diferentesDa mesma forma que um nadador de nado livre não irá comparar seu tempo com o de um corredor de 100 metros rasos. A melhor maneira de proceder é rever suas métricas ao longo do tempo, para entender se o site está melhorando ou não, como um nadador está constantemente lutando para quebrar seu próprio recorde.Não há verdade absoluta quando se trata de engajamentoUm alto número de páginas vistas pode ser um bom sinal (para um site de conteúdo),um mau sinal (para sites de suporte) ou nenhum sinal (para sites construídos em Flashou AJAX). Entretanto, o tempo que o visitante permanece no site é provavelmente umbom indicador do seu engajamento. Bounce Rates medem a qualidade de tráfico que você atrai ao site Se os visitantes não estão interagindo com o seu site, alguma coisa está errada: ou você está atraindo o público errado ou deixando de cumprir o prometido.
  61. 61. Dicas para converter os dados em ações...As palavras usadas em serviços de busca para chegar ao seu site dizemmuito a respeito da intenção dos seus visitantesElas dizem por que os visitantes estão vindo ao seu website. As palavras com um altoBounce Rate mostram onde a intenção não foi encontrada: pode ser que o site estejaclassificado (ranked) para palavras erradas, ou pode ser que as páginas que estesvisitantes encontram não têm os chamados certos para a ação (call to action).
  62. 62. Dicas para converter os dados em ações...As palavras usadas em serviços de busca para chegar ao seu site dizemmuito a respeito da intenção dos seus visitantesElas dizem por que os visitantes estão vindo ao seu website. As palavras com um altoBounce Rate mostram onde a intenção não foi encontrada: pode ser que o site estejaclassificado (ranked) para palavras erradas, ou pode ser que as páginas que estesvisitantes encontram não têm os chamados certos para a ação (call to action). A busca interna diz exatamente o que o visitante deseja encontrar Procure as buscas que fornecem resultados que “seguram” os visitantes (veja amétrica do “tempo no site após a busca”), e quais resultados de busca os está levando embora (veja o “% de saídas de busca” ). Talvez os visitantes estejam procurando umproduto que você atualmente não vende. Talvez sua busca esteja mal configurada e os visitantes não obtêm nenhum resultado para uma importante busca de produto. Google provou que busca é realmente importante para as pessoas!
  63. 63. Dicas para converter os dados em ações...Visualização de Dados é como o limpador de para brisas do carro nachuvaPossibilita que o motorista enxergue mais claramente. Existe uma enorme quantidadede gráficos e ferramentas para visualizar números; se você gosta de ler números,melhor para você, mas não presuma que todos gostem, pois na maioria dos casos aspessoas odeiam números. Assim, use gráficos, pie charts, tag clouds, heatmaps…
  64. 64. 5 Testando alternativas
  65. 65. 5 Testando alternativas“ Ninguém testa a profundidade de um rio com ambos os pés. ” Provérbio Africano
  66. 66. Dicas para4testar um site.
  67. 67. Dicas para4testar um site. Testes não se limitam à landing pages: devem ser usados em todo o site, onde os visitantes estejam fugindo e onde site esteja deixando o dinheiro na mesa.
  68. 68. Dicas para4 testar um site. Testes não se limitam à landing pages: devem ser usados em todo o site, onde os visitantes estejam fugindo e onde site esteja deixando o dinheiro na mesa.Experimente sua ferramenta (e habilidades) com umpequeno testeem uma página que não requeira aprovação de alguém da empresa paramudanças. Às vezes é prudente começar por baixo e depois crescer. Umavez familiarizado com a ferramenta, tente um teste em uma páginaimportante, mas para um segmento pequeno (ou menos lucrativo). Entãoprossiga para o grande prêmio!
  69. 69. Dicas para4 testar um site.Avalie múltiplos objetivosNão otimize o site levando em consideração somente o objetivoprincipal, o que pode ter um impacto negativo a longo prazo.
  70. 70. Dicas para4 testar um site.Avalie múltiplos objetivosNão otimize o site levando em consideração somente o objetivoprincipal, o que pode ter um impacto negativo a longo prazo. Teste diferentes segmentos Segmentos como localização, origem, sistema operacional etc, podem ter comportamentos completamente diferentes, assim os testes devem ser segmentados para entender essas e outras diferenças.
  71. 71. 6 Implementando conclusões
  72. 72. 6 Implementando conclusões“Aquele que não usa novos remédios deve esperar novos males, pois o tempo é o maior inovador. ” Francis Bacon
  73. 73. 3Dicas para superar osobstáculos da programação
  74. 74. 3 Dicas para superar os obstáculos da programaçãoObtenha suporte de um executivo na empresaIsto será essencial se você chegar a um ponto onde as prioridades daorganização devem ser estabelecidas e os recursos alocados.
  75. 75. 3 Dicas para superar os obstáculos da programaçãoObtenha suporte de um executivo na empresaIsto será essencial se você chegar a um ponto onde as prioridades daorganização devem ser estabelecidas e os recursos alocados. Comece pequeno Como mencionado anteriormente, começar pequeno ajuda a estabelecer as expectativas, as pessoas entendem as ferramentas e o que é esperado delas.
  76. 76. 3 Dicas para superar os obstáculos da programaçãoObtenha suporte de um executivo na empresaIsto será essencial se você chegar a um ponto onde as prioridades daorganização devem ser estabelecidas e os recursos alocados. Comece pequeno Como mencionado anteriormente, começar pequeno ajuda a estabelecer as expectativas, as pessoas entendem as ferramentas e o que é esperado delas.Seja amigávelSer uma pessoa simpática e sempre sorridente ajuda a obter as coisas, éa maneira pela qual a natureza humana funciona.
  77. 77. ...não há melhora sem mudanças!
  78. 78. ...não há melhora sem mudanças! ALERTA x USO
  79. 79. ...não há melhora sem mudanças! ALERTA x USO Monitorar a variação de tráfego para CONTEÚDO determinados conteúdos, seções ou eventos.
  80. 80. ...não há melhora sem mudanças! ALERTA x USO Monitorar a variação de tráfego para CONTEÚDO determinados conteúdos, seções ou eventos. MARCA Monitorar a popularidade da sua marca.
  81. 81. ...não há melhora sem mudanças! ALERTA x USO Monitorar a variação de tráfego para CONTEÚDO determinados conteúdos, seções ou eventos. MARCA Monitorar a popularidade da sua marca. Monitorar a porcentagem do tráfego que é QUALIDADE realmente de qualidade.
  82. 82. ...não há melhora sem mudanças! ALERTA x USO Monitorar a variação de tráfego para CONTEÚDO determinados conteúdos, seções ou eventos. MARCA Monitorar a popularidade da sua marca. Monitorar a porcentagem do tráfego que é QUALIDADE realmente de qualidade. Monitorar o número de clientes que chegam e CLIENTE saem do site.
  83. 83. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO
  84. 84. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc.
  85. 85. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc. “Se o buscador estivesse mais visível haveriam mais buscas”, “se as notícias estivessem na página principal haveriam mais assinaturas”, “se o botão de HIPÓTESE compra tivesse uma cor mais viva, haveriam mais conversões”.
  86. 86. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc. “Se o buscador estivesse mais visível haveriam mais buscas”, “se as notícias estivessem na página principal haveriam mais assinaturas”, “se o botão de HIPÓTESE compra tivesse uma cor mais viva, haveriam mais conversões”. Medimos a situação atual, construimos cenários de oportunidade, comOPORTUNIDADE ganhos estimados.
  87. 87. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc. “Se o buscador estivesse mais visível haveriam mais buscas”, “se as notícias estivessem na página principal haveriam mais assinaturas”, “se o botão de HIPÓTESE compra tivesse uma cor mais viva, haveriam mais conversões”. Medimos a situação atual, construimos cenários de oportunidade, comOPORTUNIDADE ganhos estimados. Teste A/B - decidir entre uma ou outra hipótese. TESTE Teste multivariante - decidir entre vários elementos diferentes (2 ou mais hipóteses)
  88. 88. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc. “Se o buscador estivesse mais visível haveriam mais buscas”, “se as notícias estivessem na página principal haveriam mais assinaturas”, “se o botão de HIPÓTESE compra tivesse uma cor mais viva, haveriam mais conversões”. Medimos a situação atual, construimos cenários de oportunidade, comOPORTUNIDADE ganhos estimados. Teste A/B - decidir entre uma ou outra hipótese. TESTE Teste multivariante - decidir entre vários elementos diferentes (2 ou mais hipóteses) CONCLUSÃO A hipótese é valida? Qual é o impacto? É necesario refinar o experimento ou testar outra hipótese?
  89. 89. ...não há melhora sem mudanças! FASE x AÇÃO Relação entre macro e micro conversões, mapa de clicks, estudo de ANÁLISE personas etc. “Se o buscador estivesse mais visível haveriam mais buscas”, “se as notícias estivessem na página principal haveriam mais assinaturas”, “se o botão de HIPÓTESE compra tivesse uma cor mais viva, haveriam mais conversões”. Medimos a situação atual, construimos cenários de oportunidade, comOPORTUNIDADE ganhos estimados. Teste A/B - decidir entre uma ou outra hipótese. TESTE Teste multivariante - decidir entre vários elementos diferentes (2 ou mais hipóteses) CONCLUSÃO A hipótese é valida? Qual é o impacto? É necesario refinar o experimento ou testar outra hipótese?CONFIRMAÇÃO Analisamos os dados con a hipótese ganhadora. Testamos refinamentos ou revalidacões das hipóteses com menor % de tráfico.
  90. 90. Vocês me perguntam...
  91. 91. Vocês me perguntam...“ O QUEIMPORTA MAIS ”
  92. 92. Eu respondo...
  93. 93. Eu respondo...“ANALISEM ”
  94. 94. MAS COMO“ ? ”
  95. 95. tividadeªprática
  96. 96. logs analytics
  97. 97. O que acontecesob a perspectiva LOGSdo SERVIDOR Mensura o uso através de cookies, timestamps, scripts, nomes de página etc, em um banco de dados.
  98. 98. O que acontece sob a perspectiva LOGS do SERVIDOR Mensura o uso através de cookies, timestamps, scripts, nomes de página etc, em um banco de dados.ANALYTICS O que aconteceInfere o que aconteceu sob a perspectivaexaminando os arquivos delog do servidor WEB. doUSUARIO
  99. 99. métricasdimensões
  100. 100. Se refere a parâmetros demensuração quantitativosutilizados para avaliar aperformance de sites ou métricascampanhas.
  101. 101. Se refere a parâmetros demensuração quantitativosutilizados para avaliar aperformance de sites ou métricascampanhas. São segmentos quedimensões definem propriedades a serem medidas através de métricas.
  102. 102. exemplos...Exibições de Página Taxa de RejeiçãoVisitantes Únicos Taxa de Novos VisitantesPáginas por Visita Origem GeográficaTempo de Visitação Click-Through Rate (CTR)Páginas mais Visitadas Fontes de TráfegoLeads ROI
  103. 103. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROI É o indicador que conta o simples acesso de um internauta a uma página do site. Os dados de exibição de página não consideram se o internauta de fato interagiu comalgo, através de clique ou leitura. Significa apenas que tal quantidade de páginas foram acessadas.
  104. 104. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROI É o indicador que mostra, em tese, quantas pessoas únicas visitaram o site emdeterminado período. Geralmente o programa de analytics conta isso através de IPs ou cookies. É um número aproximado, pois uma pessoa pode acessar o site de mais de um computador ou dispositivo, ou ambos podem ser usados por mais de uma pessoa.
  105. 105. exemplos...Exibições de Página Taxa de RejeiçãoVisitantes Únicos Taxa de Novos VisitantesPáginas por Visita Origem GeográficaTempo de Visitação Click-Through Rate (CTR)Páginas mais Visitadas Fontes de TráfegoLeads ROI É o número médio ou absoluto de páginas visitadas por usuário. Ou seja, para cada visitante único, são contadas quantas páginas são acessadas.
  106. 106. exemplos...Exibições de Página Taxa de RejeiçãoVisitantes Únicos Taxa de Novos VisitantesPáginas por Visita Origem GeográficaTempo de Visitação Click-Through Rate (CTR)Páginas mais Visitadas Fontes de TráfegoLeads ROI É o tempo médio ou absoluto em que o site como um todo ou uma página em específico fica aberta no navegador dos visitantes.
  107. 107. exemplos...Exibições de Página Taxa de RejeiçãoVisitantes Únicos Taxa de Novos VisitantesPáginas por Visita Origem GeográficaTempo de Visitação Click-Through Rate (CTR)Páginas mais Visitadas Fontes de TráfegoLeads ROI É o ranking de exibições e/ou visitas únicas às páginas de um determinado site.Permite observar, a depender do objetivo do site, que áreas, conteúdos ou produtos são mais atraentes e/ou procurados pelos usuários.
  108. 108. exemplos...Exibições de Página Taxa de RejeiçãoVisitantes Únicos Taxa de Novos VisitantesPáginas por Visita Origem GeográficaTempo de Visitação Click-Through Rate (CTR)Páginas mais Visitadas Fontes de TráfegoLeads ROI É o número de conversões e/ou interações em um determinado site. Por exemplo, uma compra em um site de e-commerce, preenchimento de formulários etc.
  109. 109. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROIIdentifica a porcentagem de visitantes que chegaram ao site e não visitaram nenhumaoutra página. Geralmente significa que essa quantidade de usuários rejeita de fato osite ou não se interessa o suficiente ao ponto de acessar outro conteúdo.
  110. 110. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROIÉ a porcentagem, entre os visitantes no período de tempo pesquisado que acessaramo site pela primeira vez. É uma métrica por si só complexa, que só vai ter valor positivoou negativo a partir do tipo de empresa e objetivo.
  111. 111. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROIExibe via lista, ou mapa interativo em alguns casos, a visitação por país e cidade. É umdado essencial para empresas com atuação e alcance apenas regional.
  112. 112. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROIO CTR é obtido pela divisão do número de usuários que clicaram em um anúncio/linkna web ou wap, pelo número de vezes que o anúncio/banner foi exibido (impressões).Por exemplo, se um banner for exibido 100 vezes em um site (impressões) e umapessoa clicar nele (cliques registrados), o CTR resultante seria de 1%.
  113. 113. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROIMostra as principais fontes de visitantes ao site. É dividido em:Buscadores: Mostra que buscas realizadas em mecanismos de buscas (Google, Yahoo,bing etc) levaram visitantes ao site. Referência: Mostra quais foram o sites quedirecionaram visitantes através de links exibidos. Direto: É a quantidade de visitantesque digitaram o endereço do site na barra de URL do navegador ou que utilizaramfavoritos para navegar até o endereço.
  114. 114. exemplos... Exibições de Página Taxa de Rejeição Visitantes Únicos Taxa de Novos Visitantes Páginas por Visita Origem Geográfica Tempo de Visitação Click-Through Rate (CTR) Páginas mais Visitadas Fontes de Tráfego Leads ROITambém chamado taxa de retorno, taxa de lucro ou simplesmente retorno, é a relaçãoentre o dinheiro ganho ou perdido através de um investimento, e o montante dedinheiro investido.
  115. 115. “ O QUE FAZERCOM TUDO ISSO ”
  116. 116. Entender“ + interpretar + tomar decisões… ”
  117. 117. tividadeªprática
  118. 118. DESCOBRIR QUEM USA O SEU SITE
  119. 119. Saber se os seus usuários GOSTAM doseu site e o que eles GOSTAM!
  120. 120. OBTER IDEIAS EINSIGHTS DE SEUSUSUÁRIOS
  121. 121. CONSTRUIR RELATÓRIOS PERSONALIZADOS
  122. 122. E MUITO MAIS...
  123. 123.  Utiliza o modelo de tagueamento de páginas através de scripts Monitora eventos e visualizações de páginas Monitora informação adicional sobre o usuário como, por exemplo, sistema operacional, resolução de tela etc. Controle do usuário via Cookie
  124. 124. Métrica que permite uma visão geral dosvisitantes do site, visitas, visitantes únicos,visualizações de páginas, páginas/visita,duração da visita, novos visitantes, taxa derejeição etc. Esta métrica pode ser dividida emdiversos segmentos, como aparelho celular,tecnologia, sistema operacional etc.
  125. 125. Métrica que permite uma visão geral dasfontes de tráfego do site, ou seja, os tipos deacessos: referências, diretos ou através debusca.
  126. 126. Métrica que permite uma visão geraldo conteúdo e páginas acessadas nosite. Exibe quais páginas foram maisexibidas e a porcentagem em relaçãoao total, páginas de entrada e saída,velocidade do site etc. Ao acessar orelatório inteiro, é possível ver dadosmais detalhados de cada página dosite.
  127. 127. Métrica utilizada para análise dos funis deconversão e para sites específicos quepossuem o código de comércio eletrônico(contabilização de ventas e receita gerada)
  128. 128. PÚBLICO-ALVOTREINAMENTO PRÁTICO NO GA
  129. 129. FONTES DE TRÁFEGOTREINAMENTO PRÁTICO NO GA
  130. 130. CONTEÚDOTREINAMENTO PRÁTICO NO GA
  131. 131. CONVERSÕESTREINAMENTO PRÁTICO NO GA
  132. 132. ANÁLISE EMTEMPO REAL
  133. 133. CRIANDO EVENTOSINTELIGENTES
  134. 134. tividadeªprática
  135. 135. PRA CONCLUIR...
  136. 136. PRA CONCLUIR... “ Analytics é um conjunto de práticas que une o valor matemático à análise social. Entender melhor as informações e, consequentemente, conseguir bons resultados envolve um exercício constante de aplicação de inteligência sobre marketing, comunicação e sobre as especificidades do ambiente online. Portanto estude, pratique, aprenda, erre, tente novamente, acerte e não desista! ” Poliana Godinho
  137. 137. “DÚVIDAS ”
  138. 138. “OBRIGADA ” Poliana Godinho

×