Caderno 7 ed. estatística introdução

161 visualizações

Publicada em

PNAIC MATEMÁTICA - 3º ANO - 2015

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
161
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caderno 7 ed. estatística introdução

  1. 1. EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA CADERNO 7 Formação de professores alfabetizadores - 3º ano O.E. Profª Arianna Jundiaí –SP Agosto/2015
  2. 2. • COLETA DE DADOS – Apresentação em Gráficos e Tabelas; • COMBINATÓRIA - Contagem de possibilidades; • PROBABILIDADE - Raciocínio probabilístico. EDUCAÇÃO ESTATÍSTICA:
  3. 3. FAZER PESQUISA ELABORAR UMA QUESTÃO LEVANTAR HIPÓTESES COLETAR DADOS CATEGORIZAR OS DADOS REPRESENTAR EM GRÁFICOS OU TABELAS CHEGAR A UMA CONCLUSÃO CICLO INVESTIGATIVO
  4. 4. APRENDER A FAZER PESQUISA FAVORECE... PESQUISA Investigar alguma coisa Formação Científica do cidadão Perspectiva Interdisciplinar Formação Estatística do cidadão
  5. 5. ETAPAS DA PESQUISA
  6. 6. O que queremos investigar? A criança chega à escola cheia de questionamentos. A curiosidade é uma qualidade e a Educação Estatística ajuda a valorizar esta curiosidade. O professor pode desenvolver investigações a partir da curiosidade dos alunos, além de proporcioná-los novas questões.
  7. 7. Que população iremos investigar?
  8. 8. A partir do momento que as crianças enunciam suas dúvidas, podem ser estimuladas a elaborar possíveis respostas. Levantando Hipóteses
  9. 9. Todos serão investigados ou apenas uma parte da população – uma amostra. Quem fará parte da pesquisa? Nos anos iniciais é importante começar uma investigação que possa ser feita com toda a população: um Censo.
  10. 10. O que Qtde Gênero tipos Porquê Jogos eletrônicos/vídeo game/tablete/celular 4 Temas que aparecem sempre no grupo/ falam muito sobre novas tecnologias/ jogos mais divulgados na atualidade. Futebol 2 Temas que aparecem sempre no grupo Famosos Temas que aparecem sempre no grupo Música 2 Temas que aparecem sempre no grupo Programas de TV Gibis 2 Livros/historias 3 Qual mais leem Gostam de contar e divulgar o livro que leram/ adoram ler Filmes Brincadeiras 6 Antigas/ novidades/infantis/brincadeiras no bairro Resgate de brincadeiras/ tempo para o brincar Frutas Animais 6 Dinossauros/ animais selvagens/predadores/ pré-históricos/ de estimação assunto na aula gerou interesse/ curiosidade sobre a vida animal e a questão da sobrevivência/ universo das crianças Planetas 2 Estrelas cadentes Questões levantadas pelas crianças durante as aulas de sustentabilidade Plantas 2 Questões levantadas pelas crianças durante as aulas de sustentabilidade Brinquedos 2 Cotidiano/na mídia/ preços dos brinquedos Pipas Universo das crianças/olham demais para o céu à procura de pipas. Dinossauros Por não existirem mais e como viviam. Crianças no mundo Conhecer o modo de vida e brincadeiras de crianças de outros países. Ritmos musicais Gostam de cantar e dançar. Lugares de lazer Onde gostam de passear e o que gostam de fazer. Profissões A partir de uma atividade na sala. Fenômenos naturais Crianças muito curiosas a esse assunto. Sorvete 2 sabores Assunto está sempre nas aulas Princesas Meninas
  11. 11. DIFERENTES TIPOS DE VARIÁVEIS Nominal: É uma variável qualitativa na qual os valores se enquadram em categorias. Por exemplo, tipo de filmes: amor, aventura, comédia. Ordinal: É uma variável qualitativa na qual os valores se enquadram em categorias que assumem algum tipo de ordenação. Por exemplo: pequeno, médio e grande. Numérica: É uma variável quantitativa na qual os valores são numéricos. Por exemplo: 15 kg, 2m, 1l e outros.
  12. 12. Brilhante ( ) Com Cheiro ( ) Barulhento ( ) Leve Pesado
  13. 13. Cada aluno entrevistará um colega e anotará em um formulário. Cada aluno preencherá um questionário. Como coletar os dados? Será feita a coleta de dados de forma coletiva na sala de aula.
  14. 14. A decisão do método de coleta e classificação dos dados é necessária para que não haja problema durante a coleta e análise dos dados coletados.
  15. 15. Os dados podem ser apresentados por meio de Gráficos ou de Tabelas. Como apresentar os dados?
  16. 16. GRÁFICOS QUE APARECEM NO LIVRO “FUGINDO DAS GARRAS DO GATO”...
  17. 17. INTERPRETANDO OS DADOS É importante apresentar os dados tratados por meio de gráfico e tabelas que tenham relação com as perguntas levantadas, e dizer o que se pode interpretar a partir deles.
  18. 18. No processo de investigação em uma pesquisa, a representação de dados nos ajuda na tomada de decisões para encontrar a solução de um problema. É fundamental que haja muito cuidado na apresentação dos dados, tanto na forma de gráficos, quanto de tabelas. Além disso, deve-se fazer uma interpretação criteriosa daquilo que é apresentado. REPRESENTAÇÃO DE DADOS
  19. 19. Título do tema Nome do eixo horizon Nomedoeixovertical Fonte dos dados
  20. 20.  TÍTULO/TEMA DA PESQUISA  LEGENDA  FONTE DOS DADOS  ESCALA  EIXOS (X, Y)  PÚBLICO ALVO  TIPO DE GRÁFICO  DATA
  21. 21. Diferentes tipos de gráficos que podem ser trabalhados nos anos iniciais: • PICTOGRAMA • BARRAS • LINHAS • SETOR É importante que as crianças tenham oportunidade de conhecer diferentes tipos de representações gráficas para serem capazes de reconhecer a mais adequada aos seus objetivos. Para tal, é preciso compreender as especificidades dessas representações.
  22. 22. INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS Construir e interpretar são duas atividades distintas, porém complementares. Levar os alunos a vivenciar situações na escola que os desafiem a analisar e refletir sobre os dados tratados. Os alunos demonstram bom desempenho quando o valor solicitado em uma interpretação está explicito na escala. Porem, quando o valor está implícito, apresentam dificuldades, pois isso exige deles a compreensão da proporcionalidade entre os valores explícitos.
  23. 23. TRABALHANDO COM TABELAS Em Estatística, tabela é uma organização matricial composta por linhas e colunas, cujas interseções são denominadas de células, nas quais se encontram dados que podem ser números, palavras, frases etc.. Em uma tabela, nas linhas está apresentada uma variável e nas colunas outra(s) variável(is) relacionadas.
  24. 24. Da mesma forma que os gráficos, a tabela deve conter: um título, um cabeçalho, o corpo e a fonte. No título é preciso informar a época à qual se refere, o local onde ocorreu o evento e o fenômeno que é descrito. No cabeçalho especifica-se o conteúdo das colunas, ou seja, os descritores. No corpo são apresentadas as informações e a fonte indica a pessoa ou entidade responsável pelo levantamento dos dados.
  25. 25. Lembre-se: Nem tudo que é organizado em linhas e colunas é uma tabela quando estamos falando de Estatística. Por exemplo: Obs.: não é errado referir-se a estas coisas como “tabelas” no dia a dia. O que se chama a atenção aqui é que no campo da Estatística estes exemplos não mostram o que é entendido por tabela. Não é uma tabela porque ela não respeita os critérios necessários para que se caracterize como uma tabela: interseção entre linhas e colunas, cada uma com uma variável, que formam as células.
  26. 26. Exemplo de uma tabela usada no campo da Estatística, corretamente organizada e identificada
  27. 27. Recomenda-se que o trabalho escolar, em Educação Estatística, seja realizado mostrando e exercitando a relação entre tabelas e gráficos, mostrando como ambas podem ser diferentes representações para um conjunto de dados de um problema que desejamos resolver.
  28. 28. ATIVIDADE 4 – JOGO DE CLASSIFICAÇÃO página 63 – caderno 7 – Educação Estatística Objetivo: Criar uma boa classificação para formar o maior número de pares de brinquedos por dupla. Um par de brinquedos é aqui considerado no jogo como duas cartas iguais do brinquedo. FORMAREMOS 6 GRUPOS NA SALA Material (para cada grupo): 1 caneta ou lápis. 2 kits iguais, cada um com 15 cartas com imagem de brinquedos 5 envelopes
  29. 29. Regras 1ª Etapa – Geração de uma classificação a partir dos brinquedos Cada grupo deve criar um critério para classificar as 15 cartas, em 5 classes Uma vez decidido qual o critério vai utilizar para classificar os brinquedos, o grupo escreve no envelope o que caracteriza o grupo e guarda as cartas no envelope correspondente ao grupo do brinquedo. Escreve também o número do grupo nos envelopes. Não pode sobrar nenhuma carta. Os envelopes são entregues ao professor.
  30. 30. 2ª ETAPA – CLASSIFICAÇÃO DOS BRINQUEDOS EM CLASSES PRÉ-ESTABELECIDAS Material 1 kit de15 cartas de brinquedos; 5 envelopes com a classificação que outro grupo fez. 1 caneta ou lápis. Cada grupo deve decidir em qual envelope guardar cada carta de brinquedo do kit que receberam, vendo a carta e lendo as descrições nos envelopes. Não pode olhar dentro do envelope as cartas já colocadas.
  31. 31. 3ª ETAPA – CONTAGEM DOS PARES GRU POS Envelope que criou classificação Envelope que classificou Total de ponto s1º 2º 3º 4º 5º 1º 2º 3º 4º 5º 1 3 2 2 2 2 3 2 2 2 3 23 2 1 2 3 2 1 4 2 2 2 2 21 3 3 2 2 2 3 3 2 2 2 2 23 4 4 2 2 2 2 1 2 3 2 1 21 5 6
  32. 32. DISCUTINDO... a) Quais as dificuldades sentiram para classificar? b) O porquê de alguns brinquedos ficarem em envelopes diferentes. c) Alguma dupla teve dificuldade ao se deparar com brinquedos que pareciam poder ser encaixados em dois envelopes? d) Alguma dupla formou uma classe com um único brinquedo?
  33. 33. VOU VIAJAR DE BARCO E SÓ POSSO LEVAR... Classificação e categorização Todo objeto pertence a uma ou a varias classes. Ao definir um conceito, estamos diante das características necessárias para um elemento ser parte dessa classe (conceito). O uso dessas características nos permite decidir se certo objeto é ou não parte de uma classe. Como organizamos nossa casa? Como organizamos nossa bolsa? Há um critério? Caderno 7 – pág. 17

×