03 ApresentaçãO De Jesus

2.974 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.974
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

03 ApresentaçãO De Jesus

  1. 1. A INFÁNCIA DE JESUS
  2. 2. 25Ora, vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão; era justo e piedoso e esperava a consolação de Israel. O Espírito Santo estava nele. 26Tinha-lhe sido revelado pelo Espírito Santo que não morreria antes de ter visto o Messias do Senhor. 27Impelido pelo Espírito, veio ao templo, quando os pais trouxeram o menino Jesus, a fim de cumprirem o que ordenava a Lei a seu respeito. (Lc 2,25-27)
  3. 3. 28Simeão tomou-o nos braços e bendisse a Deus, dizendo: 29«Agora, Senhor, segundo a tua palavra, deixarás ir em paz o teu servo, 30porque meus olhos viram a Salvação 31que ofereceste a todos os povos, 32Luz para se revelar às nações e glória de Israel, teu povo.» (Lc 2,28-32)
  4. 4. Toda a Sagrada Escritura é Revelação do Amor de Deus. Deus diz a cada ser humano: «Amo-te com um amor eterno». Ele ama-nos com um amor de predilecção. Cada um de nós é «o escolhido de Deus»; Ele ama-nos com um amor incondicional: ama-nos porque somos Suas criaturas, não importa o que fazemos, Ele ama-nos.
  5. 5. Por isso, a nossa breve passagem neste mundo, em todos os dias da nossa vida, somo convidados a responder ao Amor: «Sim, Senhor, eu também Te amo»
  6. 6. Somos, de qualquer forma, enviados ao mundo para revelar, com o nosso viver, que Deus é Amor: «Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei»; «Sede misericordiosos como o Vosso Pai Celeste é misericordioso»; «Se não amardes o irmão que vedes não podeis amar a Deus que é invisível.
  7. 7. Deus veio a nós como uma criança. Precisou de alguém que lhe ensinasse a caminhar, a falar, a rezar … precisou de Maria, de José, de pessoas, de tudo e de todos, para crescer. E ainda hoje continua a precisar … de mim, de ti …
  8. 8. Jesus escolheu o caminho da humildade: «sendo rico, tornou-se pobre, para nos enriquecer com a Sua pobreza». Ele diz-nos: «Quero ser pobre para ser amado». Não encontrou outro caminho para nos ensinar o amor, a não ser o da fraqueza, para que possamos «cuidar» DELE.
  9. 9. Jesus tornou-se o Deus-menino que cresce em sabedoria e graça; um Deus que percorre os nossos caminhos, que se compadece, se emociona e até chora. Um Deus humano que carrega a cruz, que cai e se levanta, que sofre e morre. Um Deus que escolheu precisar do nosso amor.
  10. 10. Porquê é que Deus agiu assim? Foi assim para que possamos aproximar-nos DELE. Porque quer que caminhemos com ELE: «Vem e Segue-me farei de ti um pescador de homens».
  11. 11. O nosso Deus aproximou-se. Foi Ele que nos amou primeiro. Fez-se vulnerável, dependente na manjedoura de Belém, dependente de Maria e José para crescer, dependente dos homens durante a Sua missão, dependente de todos na solidão da cruz.
  12. 12. Jesus veio para congregar em unidade os filhos dispersos, reconciliando-nos com Deus; aproximou-se, tocou as nossas feridas e curou-nos. Tudo isso por amor, um amor que interpela: «segue-me», isto é, a responder ao Amor com amor.
  13. 13. Jesus passou a maior parte da sua vida no silêncio de Nazaré, obedecendo a seus pais, trabalhando e crescendo como qualquer ser humano.
  14. 14. Os evangelho reservam um religioso silêncio sobre a infância de Jesus, um silêncio eloquente que revela que Jesus é o EMANUEL, O DEUS CONOSCO. Está connosco, não só nos grandes acontecimentos, mas na vida do dia-a-dia.

×