Nutrição e Saúde Mental

2.068 visualizações

Publicada em

papel da nutrição na saúde mental

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nutrição e Saúde Mental

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO PELO TRABALHO EM SAÚDE - PET-SAÚDE/ REDES DE ATENÇÃO NUTRIÇÃO E SAÚDE MENTAL NATAL-RN 05/09/2014 MONITORAS: -ENEIDA LAÍS OLIVEIRA -EVILY TALINNE DA SILVA LIMA
  2. 2. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA I. Alimentação Coletiva - atividades de alimentação e nutrição realizadas nas Unidades de Alimentação e Nutrição (UAN): empresas fornecedoras de serviços de alimentação, restaurantes comerciais, comissarias e cozinhas dos estabelecimentos assistenciais de saúde; atividades próprias da Alimentação Escolar e da Alimentação do Trabalhador, etc. ü Planejar, organizar, dirigir, supervisionar e avaliar os serviços. Realizar assistência e educação nutricional a coletividade ou indivíduos sadios ou enfermos em instituições públicas e privadas. (RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005)
  3. 3. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA II. Nutrição Clínica - atividades de alimentação e nutrição realizadas nos hospitais e clínicas, nas instituições de longa permanência para idosos, nos ambulatórios e consultórios, nos bancos de leite humano, nos lactários, nas centrais de terapia nutricional, nos Spa e quando em atendimento domiciliar. ü Prestar assistência dietética e promover educação nutricional a indivíduos, sadios ou enfermos, em nível hospitalar, ambulatorial, domiciliar e em consultórios de nutrição e dietética, visando à promoção, manutenção e recuperação da saúde. (RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005)
  4. 4. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA III. Saúde Coletiva - atividades de alimentação e nutrição realizadas em políticas e programas institucionais, de atenção básica e de vigilância sanitária. ü Prestar assistência e educação nutricional a coletividades ou indivíduos sadios, ou enfermos, em instituições publicas ou privadas e em consultório de nutrição e dietética, através de ações, programas, pesquisas e eventos, direta ou indiretamente relacionados à alimentação e nutrição, visando à prevenção de doenças, promoção, manutenção e recuperação da saúde. (RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005)
  5. 5. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA IV. Docência - atividades de ensino, extensão, pesquisa e coordenação relacionadas à alimentação e à nutrição. ü Dirigir, coordenar e supervisionar cursos de graduação em nutrição; ensinar matérias profissionais dos cursos de graduação em nutrição e das disciplinas de nutrição e alimentação nos cursos de graduação da área de saúde e outras afins. (RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005)
  6. 6. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA V. Indústria de Alimentos - atividades de desenvolvimento e produção de produtos relacionados à alimentação e à nutrição. ü Elaborar informes técnico-científicos, gerenciar projetos de desenvolvimento de produtos alimentícios, prestar assistência e treinamento especializado, controlar a qualidade de gêneros e produtos alimentícios, atuar em marketing e desenvolver estudos e trabalhos experimentais em alimentação e nutrição, proceder analises relativas ao processamento de produtos alimentícios industrializados. RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005
  7. 7. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA VI. Nutrição em Esportes - atividades relacionadas à alimentação e à nutrição em academias, clubes esportivos e similares; ü Prestar assistência e educação nutricional a coletividades ou indivíduos, sadios ou enfermos, em instituições publicas e privadas e em consultório de nutrição e dietética, prestar assistência e treinamento especializado em alimentação e nutrição, prescrever suplementos nutricionais necessários a complementação da dieta, solicitar exames laboratoriais necessários ao acompanhamento dietético. RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005
  8. 8. ÁREAS DE ATUAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DO NUTRICIONISTA VII. Marketing na área de Alimentação e Nutrição - atividades de marketing e publicidade científica relacionadas à alimentação e à nutrição. ü Educação nutricional de coletividades, sadias ou enfermas, em instituições públicas ou privadas e em consultórios de nutrição e dietética, divulgando informações e materiais técnico-científicos acerca de produtos ou técnicas reconhecidas. RESOLUÇÃO CFN N° 380/2005
  9. 9. NUTRIÇÃO E SAÚDE MENTAL... - Centro de Atenção Psicossocial (CAPS): Avaliação nutricional (Anamnese alimentar, antropometria, exames laboratoriais, exame físico); O nutricionista realiza atendimento individual, mas também pode atuar em grupos, visita aos domicílios, além do acolhimento aos usuários e participação no projeto terapêutico; Orientação específica para usuários com doenças crônicas não transmissíveis, considerando inclusive que o consumo de álcool e outras drogas constituem fatores de risco; Planejamento das refeições oferecidas aos usuários.
  10. 10. NUTRIÇÃO E SAÚDE MENTAL... - Hospitais psiquiátricos: Avaliação nutricional; Acompanhamento do paciente durante a internação junto à equipe multidisciplinar; Orientação a respeito da prescrição dietoterápica; Controle de ingestão da dieta; Orientação da dieta por ocasião da alta hospitalar. (HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, 2008)
  11. 11. TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E SUA REPERCUSSÃO CLÍNICA - NUTRICIONAL ü Transtornos de humor Os transtornos de humor estão associados a um alto custo pessoal, social e físico. Entre os custos físicos, podem-se encontrar as alterações do apetite . Esses sintomas são tão importantes que a alteração do peso – sem estar em dieta. – de mais de 5% no mês é critério diagnóstico para a depressão. Além da alteração no peso, a depressão ainda é associada a problemas endocrinológicos tais como hipo e hipertireoidismo, hiperparatireoidismo, etc. ü Dependência química O uso frequente de substâncias psicoativas pode comprometer o estado nutricional dos usuários, uma vez que repercute na ingestão de alimentos e água, assim como no metabolismo, peso e comportamento alimentar. As deficiências nutricionais são comuns, normalmente causadas pelo aumento das necessidades de nutrientes para desintoxicar ou metabolizar a droga, pela inativação de vitaminas e coenzimas, pelos danos no epitélio intestinal e fígado e pelo aumento da perda de nutrientes.
  12. 12. TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E SUA REPERCUSSÃO CLÍNICA - NUTRICIONAL ü Transtornos de ansiedade Nos pacientes com transtornos de ansiedade, alterações de apetite ou do padrão de consumo alimentar não são sintomas centrais para o diagnóstico, mas sua presença não é rara, trazendo grande prejuízo. ü Transtorno Obsessivo-compulsivo (TOC) Alguns pensamentos obsessivo-compulsivos do indivíduo com TOC podem ser direcionados para a alimentação, causando assim inadequações no consumo, padrão e comportamento alimentares, além de diversas crenças e tabus equivocados sobre a alimentação. Esses pacientes costumam temer que as preparações tenham sido elaboradas por indivíduos sem o conhecimento suficiente sobre a higiene e o cuidado com objetos e alimentos possivelmente “contaminados”, fazendo com que deixem de ir a restaurantes, festas e outros eventos que incluam refeições, o que muitas vezes causa brigas com familiares e isolamento social
  13. 13. -Transtornos alimentares: v Anorexia: há redução da ingestão alimentar por um medo mórbido de engordar, acompanhado de perda progressiva e desejada de peso, chegando a graus extremos de caquexia e inanição. A ingestão alimentar inferior ao atendimento das necessidades energéticas do organismo gera a queima das reservas de gordura e da massa magra corporal. v Bulimia: momentos de elevada ingestão dos alimentos, seguidos por comportamentos compensatórios de eliminação. Terapia nutricional: baseada na orientação e educação alimentar Equipe multiprofissional (RIBEIRO; SANTOS; SANTOS, 1998) NUTRIÇÃO E SAÚDE MENTAL...
  14. 14. REFERÊNCIAS BORGES, V. C.; CORDÁS, T. A.; WAITZBERG, D. L. Terapia Nutricional no Paciente com Transtornos Alimentares. Projeto diretrizes. Associação Médica Brasileira. Conselho Federal de Medicina. São Paulo, 2011. CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, estabelece parâmetros numéricos de referência, por área de atuação, e dá outras providências. Resolução n. 380, de 9 de dezembro de 2005. CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. A nutrição interfere no tratamento de portadores de transtornos mentais. Revista CFN, n. 27, 2009. HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Unidade de internação psiquiátrica. Manual das Rotinas. Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, 2008. RIBEIRO, R. P. P.; SANTOS, P. C. M.; SANTOS, J. E. Distúrbios DA CONDUTA ALIMENTAR: ANOREXIA E BULIMIA NERVOSAS. Medicina, Ribeirão Preto, jan./mar. 1998. Disponível em: http://www.mskotait.com.br/arquivos/nestle.pdf . Acesso em 04 de setembro de 2014.

×