Aula 01 metodologia da economia

3.250 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
72
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
70
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 01 metodologia da economia

  1. 1. Metodologia da Economia
  2. 2. O Meio Ambiente Econômico Escassez: os recursos disponíveis não são suficientes para satisfazer todas as necessidades e vontades de todos os indivíduos (distribuição de renda x capitalismo) Incerteza: ninguém sabe ao certo como o mundo funciona Instituições: reduzem incertezas mas criam custos de transação  Normas sociais  Instituições formais 2
  3. 3. Método e Pesquisa em Ciências Sociais O que dá caráter de ciência a uma área do conhecimento é o seu método científico O método consiste:  observação  elaboração de teorias  mais observações “A ciência não é nada mais do que o refinamento do pensamento cotidiano” (Albert Einstein) 3
  4. 4. Método e Pesquisa em Ciências Sociais Nas ciências sociais, diferentemente da física, química, da biologia, o objeto de estudo não se encontra dentro dos laboratórios, em frascos ou tubos de ensaios. “Não é preciso entender de física para termos peso e volume. Da mesma maneira, não tem sentido dizer ´não entendo nada de economia´, como se isso nos livrasse de suas leis. A diferença entre o universo e a economia é que as leis do universo são imutáveis “ (Luís Fernando Veríssimo, 1989) 4
  5. 5. Hipóteses e Modelos Econômicos Hipóteses:  As hipóteses facilitam a compreensão do mundo  A arte do pensamento científico está em decidir quais hipóteses formular Modelos:  Os modelos são instrumentos que permitem compreender melhor o funcionamento, ou comportamento, de certos fenômenos (diagramas, equações)  Existem, claro, alguns modelos simples que não dão conta da realidade como um todo  “da mesma forma que o modelo de plástico usado em biologia não inclui todos os músculos e vasos capilares, os modelos de economia não incluem todos os aspectos da economia 5
  6. 6. I Modelo: O Fluxo Circular da Renda Mercado deReceitas bens e serviços Despesas Bens e empresas vendem Bens e serviços famílias compram serviços vendidos comprados Fluxo de moeda Empresas Famílias •produzem e vendem •consomem bens e •contratam e utilizam Fluxo de bens serviços fatores de produção e serviços •proprietárias e vendem os fatores de produção Insumos para Mercados Terra,Salários produção trabalho ealuguéis de fatores Renda capitallucros de produção famílias vendem empresas compram 6
  7. 7. II Modelo: Fronteiras de Possibilidade A fronteira de possibilidade deQuantidadeproduzida de produção mostra as váriascomputadores combinações de produto que D a economia pode produzir 3.000 potencialmente, dados os C fatores de produção e a 2.200 A 2.000 tecnologia disponível. B Fronteira de 1.000 possibilidade de produçãoineficiência 0 300 600 700 1.000 Quantidade produzida de automóveis 7
  8. 8. Análise Positiva X Análise Normativa Análise positiva: são descritivas (a legislação salarial causa desemprego) Análise normativa: são prescritivas (o governo deveria aumentar o salário mínimo) Decidir o que é uma boa ou má política não é apenas uma questão de ciência. Envolve também, nossa visão de ética, religião e filosofia política “Se eu quero estudar, fazer diagnóstico de uma situação econômica, aplico o método científico. Outra coisa é se eu quero fazer um projeto para uma sociedade, não como cientista, mas a partir de um sistema de valores que privilegio. Diversamente da economia, nas ciências naturais não se opera com valores” (Celso Furtado, 1996) 8
  9. 9. O Homem Econômico Propriedade sobre ativos materiais e não-materiais Crenças (percepções) acerca de como o mundo funciona Racionalidade instrumental – todo indivíduo racional é capaz de:  organizar coerentemente as informações disponíveis sobre o funcionamento do mundo  formular preferências consistentes com suas crenças  ordenar suas preferências de forma transitiva (lógica)  tomar decisões buscando maximizar a satisfação de seus interesses meios mais eficientes 9
  10. 10. A Economia“[...] é o estudo e a prática de fazer escolhas, num mundo no qual as pessoas querem melhorar sua situação mas não podem escapar à realidade da escassez” (Todd G. Buchholz, 2000)“A ciência que estuda as atividades que os homens desenvolvem para satisfazer suas necessidades” (Cláudio Napoleoni, 1974) 10
  11. 11. A Economia“Toda ciência tem um pouco de arte e toda arte tem um pouco de ciência.Existe uma coisa chamada inspiração eprecisa-se dela para a Matemática, para a Física, para as ciências mais exatas que possam existir e também para a Economia” (Mário Henrique Simonsen, 1996) 11
  12. 12. A Economia“As idéias dos economistas e dos filósofos políticos, estejam elas certas ou erradas, têm mais importância do que geralmente se percebe. De fato, o mundo é governado por pouco mais do que isso. Os homens objetivos que se julgam livres de qualquer influência intelectual são, em geral, escravos de algum economista morto. Os insensatos, que ocupam posições de autoridade, que ouvem vozes no ar, destilam seus arrebatamentos inspirados em algum escriba acadêmico de certos anos atrás”(John Maynard Keynes, Teoria Geral, Cap. XXIV, 1936) 12
  13. 13. A Economia “A economia política burguesa sóconseguiu compreender as sociedadefeudais, antigas e orientais no dia em que empreendeu a autocrítica da sociedade burguesa” (Karl Marx, 1857) 13
  14. 14. A Economia“Toda ciência tem um pouco de arte e toda arte tem um pouco de ciência.Existe uma coisa chamada inspiração eprecisa-se dela para a Matemática, para a Física, para as ciências mais exatas que possam existir e também para a Economia” (Mário Henrique Simonsen, 1996) 14
  15. 15. A Economia“O átomo é chupado pelo motor de um automóvel, explode e sai todo queimado. Ainda assim, continua a sê-lo eternamente. Se fosse na Economia, não existiria automóvel. Na Economia é diferente, só enganamos o átomo uma vez, na segunda vez o átomo nos engana. Por isso as expectativas, a credibilidade e a experiência têm um papel relevante nessa área” (Delfim Neto, 1996) 15
  16. 16. Dez Princípios de Economia Como as pessoas tomam decisões:1. As pessoas enfrentam trade-offs (escolhas mutuamente excludentes)2. O custo de alguma coisa é o que você desiste para tê-la (custo de oportunidade)3. Pessoas racionais pensam na margem, i.e., incrementalmente4. Pessoas respondem a incentivos Como as pessoas interagem5. O comércio pode melhorar a situação de todos 16
  17. 17. Dez Princípios de Economia6. Os mercados são, em geral, uma boa forma de organizar a atividade econômica (sistema de preços)7. Os governos podem, algumas vezes, melhorar os resultados do mercado Como funciona a economia como um todo8. O padrão de vida de um país depende de sua capacidade de produzir bens e serviços (produtividade)9. Os preços sobem quando o governo emite moeda demais10. A sociedade enfrenta um trade-off de curto prazo entre inflação e desemprego 17
  18. 18. Por Que Estudar Economia?Há uma necessidade cada vez mais urgente na medida em que a economia mundial e a inserção internacional da economia brasileira têm passado por profundas mudanças que exigem um acompanhamento permanente tanto dos rumos renovados da realidade econômica quanto da própria ciência econômica.Nesse sentido, a formação na área econômica oferta ao indivíduo capacidade de aproximar-se mais dessas questões globais e de seus desdobramentos locais e setoriais, diferenciando-se, crescentemente, essa área do conhecimento do treinamento de cunho técnico/instrumentalista do profissional de empresas e áreas correlatas 18
  19. 19. Referência Básica Mankiw, N. Gregory. Introdução à Economia: princípios de micro e macroeconomia, Rio de Janeiro: Campus, 1999, capítulo 1 e 2 19

×