11ºD             Horticultura, Fruticultura e                    FloriculturaTrabalho realizado por:                      ...
IntroduçãoEste trabalho foi realizado para a disciplina de Geografia.Este trabalho trata o tema da Horticultura, Floricult...
Definição dos ramos de exploraçãoHorticulturaA horticultura é o ramo da agricultura que visa produzir culturashortícolas (...
FloriculturaA floricultura é o ramo da agricultura que visa produzir plantasornamentais (orquídeas, rosas) e flores com us...
FruticulturaA Fruticultura é o ramo da agricultura que visa produzir frutosfrescos (laranjas, maçãs) e secos (nozes, pinhõ...
Factores                                          Favorável /     Físicos               Caracterização            Desfavor...
Factores                                            Favorável / Humanos               Caracterização               Desfavo...
Maioritariamente Sistemas     Quanto à ocupação dos solos:    sistemas extensivosde culturas                              ...
Localização         Dimensão                                                       As principais regiões agrárias         ...
Principais produtosTomate                       Cenoura              HorticulturaCouve                          Cebola
Segundo o INE:                     FloriculturaFlores de Corte                        Plantas Ornamentais           Cravos...
Caso da Pêra Rocha     Pêra              Cereja       Pêssego                     Fruticultura     Maçã               Kiwi...
Pêra RochaA Pêra Rocha é uma variedade de pêra, originária da região Oeste dePortugal, onde a sua produção é mais abundant...
Produção   •   A produção de Pêra Rocha é feita em       praticamente toda a região do Oeste, no       entanto é de salien...
Cereja do FundãoA região do Fundão (Beira Interior) caracteriza-se pelo produçãoda cereja.Apesar de ser maioritariamente p...
Exportações• No Fundão cerca de 80% da sua produção tem como destino  principal os mercados internacionais.• A maior parte...
Principais Citrinos Laranja                            Limão                    CitrinosClementina                        ...
Produção•   A principal zona do país onde são produzidos os citrinos é o Algarve, sendo    que esta é a zona com condições...
Peso da Agricultura no PIBEsta actividade económica, tal como o setor deatividade onde está inserida tem vindo a perder os...
Peso dos 3 ramos na Agricultura Ramos agrícolas                    Taxa de                   2000   2005 em estudo/ Ano   ...
Peso dos 3 ramos no PIB Ramos agrícolas                       Taxa de                     2000    2005 em estudo/ Ano     ...
Reflexão sobre os dadosA partir dos valores anteriores e da respetiva evolução, pode-seconstatar que, com exceção dos frut...
Mas como é possível isto acontecer?Este facto explica-se, pelo declínio que a agricultura teve emPortugal. Ou seja, o fact...
Balança comercial (dos 3 ramos)                                 Muito deficitária    Do aumento do                        ...
Importações                       580 Milhões de euros/ ano                       • Espanha (maior exportador)União Europe...
Exportações                        210 Milhões de euros/ ano                       • Espanha (maior importador)União Europ...
Primeiros produtos no                                       Necessitam de condições mercado (produtos                     ...
Distribuição da mão-de-obra destes ramos em Portugal
Como está presente no gráfico, a região do Ribatejo e Oeste não oferece dúvidasquanto à sua supremacia no que diz respeito...
Caraterísticas da população agrícola• Envelhecida• Pouco qualificada/ instruída• Falta de empreendedorismo• Elevada pluria...
É já uma tradição a agricultura de autoconsumo em Portugal, sendo umaspeto negativo da produção agrícola, explicado essenc...
Como está presente nos gráficos, a diferença entre asreceitas e os custos (VAL – valor acrescentado líquido) não éelevada,...
Problemas e    Alguns destes problemas estendem-se à generalidade da agricultura. dificuldades                 Floricultur...
Problemas e    Floricultura               Horticultura                 Fruticultura dificuldades                          ...
Os fundos                       Para assegurar a       estruturais para                  potencialidade do       esta área...
Medidas para potencializar a agricultura: Modernizar, através da introdução de novas tecnologias Formação e qualificação...
Conclusão Em suma, a agricultura portuguesa tem vindo a perdera sua importância não só na economia, como tambémna sociedad...
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Horticultura floricultura & fruticultura
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Horticultura floricultura & fruticultura

12.430 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.430
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
361
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Horticultura floricultura & fruticultura

  1. 1. 11ºD Horticultura, Fruticultura e FloriculturaTrabalho realizado por: Afonso Pedroso nº1 Bernardo Santos nº7 Mark Vaz nº16 Pedro Tomé nº17
  2. 2. IntroduçãoEste trabalho foi realizado para a disciplina de Geografia.Este trabalho trata o tema da Horticultura, Floricultura e Fruticultura(subtema de “As áreas rurais em mudança”).Ao longo do trabalho vamos abordar aspectos como a caracterizaçãodos principais produtos de cada uma das áreas, a sua importância naeconomia nacional, os principais mercados, problemas/ dificuldades eas suas potencialidade.
  3. 3. Definição dos ramos de exploraçãoHorticulturaA horticultura é o ramo da agricultura que visa produzir culturashortícolas (couves, alfaces, etc.). Esses produtos são geralmentecomercializados nos mercados nacionais e internacionais.
  4. 4. FloriculturaA floricultura é o ramo da agricultura que visa produzir plantasornamentais (orquídeas, rosas) e flores com uso terapêutico. Aprodução é normalmente comercializada nos mercadosnacionais e internacionais.
  5. 5. FruticulturaA Fruticultura é o ramo da agricultura que visa produzir frutosfrescos (laranjas, maçãs) e secos (nozes, pinhões) com o intuitode os comercializar nos mercados nacionais e internacionais.
  6. 6. Factores Favorável / Físicos Caracterização Desfavorável ImagensClima: Clima temperado Favoráveltemperatura, humidade/ mediterrânicoprecipitação, insolação. Recursos Hídricos Abundantes Favorável (mais superficiais que (com excepção do subterrâneos) Algarve)Fertilidade do Solo Fraca % de solos com Desfavorável aptidão agrícola. Declives acentuados Relevo das encostas em Desfavorável algumas regiões.
  7. 7. Factores Favorável / Humanos Caracterização Desfavorável Imagens Pequena dimensão dasPassado Histórico explorações Desfavorável (predomínio de minifúndios) Objectivo da Produção produção maioritariamente Desfavorável destinada ao autoconsumo Tecnologias e Tecnologias e práticas Desfavorávelpráticas utilizadas utilizadas rudimentares e tradicionaisPoliticas agrícolas PAC- Política Agrícola ___ Comum.
  8. 8. Maioritariamente Sistemas Quanto à ocupação dos solos: sistemas extensivosde culturas Maioritariamente Quanto às culturas: policultura Maioritariamente Quanto à necessidade de água: Regadio
  9. 9. Localização Dimensão As principais regiões agrárias são: Ribatejo e Oeste, Beira Horticultura Litoral e Algarve. Os campos são de pequena (minifúndios quando são culturas intensivas) e média dimensão. As pricipais regiões agárias são Morfologia o Algarve, o Ribatejo e Oeste, a dos campos Fruticultura Beira Interior, entre Douro e Minho eTrás-os Montes. Os campos são de pequena e média dimensão. As principais regiões agrárias Floricultura são a Madeira, Ribatejo e Oeste e Alentejo. Forma Vedação Há campos com forma regular e irregular. Há campos sem vedação e outros com vedaçãoMas os campos com forma regular facilitam (no caso dos campos de pequena dimensão). Os a mecanização. campos sem vedação, facilitam a mecnização.
  10. 10. Principais produtosTomate Cenoura HorticulturaCouve Cebola
  11. 11. Segundo o INE: FloriculturaFlores de Corte Plantas Ornamentais Cravos Plátano Gerberas Pelargónio Rosas Crisântemo
  12. 12. Caso da Pêra Rocha Pêra Cereja Pêssego Fruticultura Maçã Kiwi Citrinos
  13. 13. Pêra RochaA Pêra Rocha é uma variedade de pêra, originária da região Oeste dePortugal, onde a sua produção é mais abundante, no entanto algumasregiões do Alentejo também a produzem, embora em menoresquantidades.A região do Oeste faz exportar, anualmente, cerca de 13520 toneladasde Pêra Rocha para: ReinoUnido, Brasil, França, Irlanda, Rússia, Polónia, Holanda, Canadá eEspanha.
  14. 14. Produção • A produção de Pêra Rocha é feita em praticamente toda a região do Oeste, no entanto é de salientar concelhos como o Cadaval com uma área de cultivo de 2073 hectares, que tem vindo a crescer muito na última década. • Cerca de 90% da produção feita na Região do Oeste tem como destino principal os mercados internacionais.
  15. 15. Cereja do FundãoA região do Fundão (Beira Interior) caracteriza-se pelo produçãoda cereja.Apesar de ser maioritariamente produzida no Fundão(representando cerca de 75% da produção nacional), outrosconcelhos como a Covilhã também se dedicam à produção destefruto.
  16. 16. Exportações• No Fundão cerca de 80% da sua produção tem como destino principal os mercados internacionais.• A maior parte das exportações da cereja vai essencialmente para países como: Espanha e os PALOP.
  17. 17. Principais Citrinos Laranja Limão CitrinosClementina Tangerina
  18. 18. Produção• A principal zona do país onde são produzidos os citrinos é o Algarve, sendo que esta é a zona com condições climáticas mais favoráveis para o crescimento e desenvolvimento destas culturas.• Apesar de todos os citrinos terem bons valores em relação à exportação, a laranja é a espécie que mais valor tem no mercado, e o mais procurado pelo estrangeiro, sobretudo pelos países Europeus.• Em 2010, Portugal produziu cerca de 5785 toneladas de laranja, exportando quase na totalidade para a Europa, e cerca de 67% para Espanha.
  19. 19. Peso da Agricultura no PIBEsta actividade económica, tal como o setor deatividade onde está inserida tem vindo a perder oseu peso na economia portuguesa de formapreocupante. Em 2005 representava 1,5% do PIB,valor que mesmo assim, ainda superior ao da médiada União Europeia, embora 5 anos antes fosse de2,8%.
  20. 20. Peso dos 3 ramos na Agricultura Ramos agrícolas Taxa de 2000 2005 em estudo/ Ano crescimentoHorticultura 16% 20,4% 27,5%Floricultura 5,5% 6,7% 21,8%Fruticultura 13% 12,1% -6,9%
  21. 21. Peso dos 3 ramos no PIB Ramos agrícolas Taxa de 2000 2005 em estudo/ Ano crescimentoHorticultura 0,45% 0,31% - 31,1%Floricultura 0,15% 0,1% - 33,3%Fruticultura 0,36% 0,18% - 50%
  22. 22. Reflexão sobre os dadosA partir dos valores anteriores e da respetiva evolução, pode-seconstatar que, com exceção dos frutícolas, estes ramos deexploração agrícola têm vindo a aumentar a sua importância naagricultura, mas a perder o seu peso na economia nacional (maisconcretamente no Produto Interno Bruto).
  23. 23. Mas como é possível isto acontecer?Este facto explica-se, pelo declínio que a agricultura teve emPortugal. Ou seja, o facto de os hortícolas e as flores teremrevelado uma maior parcela dentro do PAB (Produto AgrícolaComum) dá-se simplesmente por este ter sofrido ainda ummaior decréscimo no PIB do que as cultura antes referidas. Oque significa, que tanto a horticultura como a floricultura têmconseguido superar as dificuldades que outros ramosagrícolas não foram capazes.
  24. 24. Balança comercial (dos 3 ramos) Muito deficitária Do aumento do Resultado Da concorrência Consumo externa e globalização Do aumento dos preços dos produtos Da estrutura da agricultura inferior ao aumento da inflaçãoSão estes os principais fatores que justificam valores de exportações muito aquém dasespetativas e importações insuportáveis. Atualmente, as importações são três vezessuperiores às exportações, com exceção para a os produtos hortícolas, os únicos capazesde apresentar um saldo positivo (grau de aprovisionamento acima dos 100%) e tambémos que são exportados em maiores quantidades.
  25. 25. Importações 580 Milhões de euros/ ano • Espanha (maior exportador)União Europeia • França • Alemanha • Pêra Produtos mais importados • Castanha em termos monetários • Batata • Alface
  26. 26. Exportações 210 Milhões de euros/ ano • Espanha (maior importador)União Europeia • Itália • Reino Unido (maior importador de produtos hortícolas) • BrasilAmérica do Sul • Equador • Costa Rica • Banana • Frutos exóticos (manga, papaia, ananás) Produtos mais exportados • Batata em termos monetários • Tomate • Plantas vivas e de interior
  27. 27. Primeiros produtos no Necessitam de condições mercado (produtos Primores meteorológicas antecipados) especiais, das quais Portugal beneficia Frutas como Cerejas Morangos Uvas Estes produtos prematuros chegam a ter um valor 3 vezes superior ao da sua respetiva época.
  28. 28. Distribuição da mão-de-obra destes ramos em Portugal
  29. 29. Como está presente no gráfico, a região do Ribatejo e Oeste não oferece dúvidasquanto à sua supremacia no que diz respeito ao volume de população que trabalhanesta atividade. Este facto vai ao encontro do que foi já referido nas caraterísticas dasculturas, quando são indicadas as regiões onde estas estão mais presentes, que comoé óbvio, tem uma relação direta com a quantidade de mão-de-obra em cada região.Mas também nas regiões do Entre Minho e Douro e Beiras Interior e Litoral é visíveluma percentagem de população a trabalhar na área considerável.No entanto, no âmbito de se produzir mais e melhor, devemos apostar mais naRegião do Ribatejo e Oeste, visto que é uma região que oferece boas condiçõesmorfológicas (campos de grande dimensão, regulares e em Openfield) o que épropício à mecanização e elevada produtividade.
  30. 30. Caraterísticas da população agrícola• Envelhecida• Pouco qualificada/ instruída• Falta de empreendedorismo• Elevada pluriatividade
  31. 31. É já uma tradição a agricultura de autoconsumo em Portugal, sendo umaspeto negativo da produção agrícola, explicado essencialmente pelapequena dimensão dos campos (minifúndio), com especial incidência na zonaNorte do país.Como podemos ver no mapa, a maior parte da população agrícola e dasexplorações está relacionada com a mão-de-obra familiar, sendo umobstáculo à produtividade, e por sua vez ao crescimento da atividade e aosucesso dos produtos resultantes da mesma.
  32. 32. Como está presente nos gráficos, a diferença entre asreceitas e os custos (VAL – valor acrescentado líquido) não éelevada, não por falta de potencial mas sim por problemas/obstáculos existentes na estrutura da agricultura e na formacomo são geridos os seus subsídios, juntamente com uminadequado uso dos solos, explicado pelo autoconsumo efalta de conhecimento. Ainda em alguns casos, como nosfrutos secos, se não fossem concedidos subsídios estaatividade seria muito pouco rentável.
  33. 33. Problemas e Alguns destes problemas estendem-se à generalidade da agricultura. dificuldades Floricultura Horticultura Fruticultura As condições naturais são favoráveis daí que estas culturas tenham Físicos algum potencial, embora haja alguns problemas como: •Predomonínio de explorações agrícolas de pequena dimensão. •Elevada percentagem de solos com fraca aptidão agrícola. •Riscos de desertificação em vastos territórios rurais. Fruticultura Horticultura Floricultura Exige muitos conhecimentos sobre técnicas de cultivo, logo não está ao alcance de qualquer agricultor.Humanos Há alguns problemas como: •Baixa densidade populacional e envelhecimento demográfico nos meios rurais. •Baixos níveis de instrução dos agricultoras. •Insuficientes níves de formação profissional dos produtores.
  34. 34. Problemas e Floricultura Horticultura Fruticultura dificuldades Há alguns problemas económicos tais como: •Défice na gestão empresarial. •Dificuldades de autofinanciamento e acesso ao crédito. •Falta de competitividade externa. Além destes problemas, sabe-se que o país está em crise logo asEconómicos dificuldades económicas são muitas, mas para aroveitar o potencial destas culturas é necessário investir, introduzindo inovações e novas técnicas. Floricultura Horticultura Fruticultura Dada a situação de crise, o sector primário é uma possibilidade que tem que ser seriamente ponderada e estas culturas têm algum potencial. Portanto a nível da burocrática, o Estado podiaBurocrática incentivar o investimento neste sector, por exemplo, através de benefícios fiscais. Foi um dos sectores que mais se ressentiu com a adesão à CE.
  35. 35. Os fundos Para assegurar a estruturais para potencialidade do esta área devem uso do solo, é visar: fundamental:• Valorização da mão-de-obra • Demarcar áreas destinadas• Melhoramento dos circuitos de prioritariamente à agricultura distribuição e do • Adequar as espécies às armazenamento condições naturais de cada• Integração da agricultura na região indústria • Proteger o solo• Expansão da agricultura • Formar os agricultores biológica profissionalmente
  36. 36. Medidas para potencializar a agricultura: Modernizar, através da introdução de novas tecnologias Formação e qualificação da mão – de – obra Contratação de mão – de – obra jovem Pluriatividade ( aproveitar os recursos para produzir algo relacionado) Dar a conhecer os produtos nacionais aos mercados estrangeiros através de campanhas publicitárias no exterior: filmes, anúncios… Alargamento dos recursos hídricos (ex. Alentejo)
  37. 37. Conclusão Em suma, a agricultura portuguesa tem vindo a perdera sua importância não só na economia, como tambémna sociedade portuguesa. Neste trabalho deparámo-nos com os prós e contras da agricultura em geral emais especificamente nos ramos que abordámos.Deixamos aqui algumas soluções que devem serseguidas no sentido de potencializar esta atividade.

×