Neto a emergencia da radio

420 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
420
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neto a emergencia da radio

  1. 1. A emergência da Rádio
  2. 2. Um medium na transição entre séculos– resultado da curiosidade individual– utilização crescente comercial/profissional e militar– tensão crescente entre utilização pessoal (rádio-amadorismo) e interesses comerciais e políticos → licenças e controlo– vantagens face ao panorama mediático existente: • alcance superior (localidades distantes, transportes marítimos e aéreos) • economia de custos: – abdica progressivamente de ligação física (cabos) – abdica progressivamente de baterias em prol da corrente eléctrica (mediante recurso a válvulas) – possibilita soluções de sustentação financeira diferentes consoante o contexto político– era de ouro: 1930-1950 • Transístor (1948) possibilita a concretização da portabilidade • Rádio substitui Imprensa como medium de massa
  3. 3. De um meio técnico a um medium de massas em menos de 100 anosEnquadramento técnico:– Bateria eléctrica (Volta, 1800)– Electromagnetismo (Örsted, 1820)– Transmissão de sons por sinais eléctricos (Meucci, 1856)– Propagação de ondas electromagnéticas no espaço (Maxwell, 1864)– Manipulação de ondas electromagnéticas (Hertz, 1888)Aplicações social e economicamente incorporadas:– Telégrafo (Morse, 1835); primeira linha telegráfica (Baltimore-Washington, 70 km) financiada pelo Congresso Norte-Americano (1844)– Telefone (Bell, 1876) – de uma utilização cultural à utilização profissional, e finalmente, pessoal– Fonógrafo (Edison, 1877)– Transmissão por ondas de rádio (Tesla, 1893; atribuída a Marconi, em 1894)– Transmissão sem fios do código Morse: através do canal da Mancha (Marconi, 1899) através do Atlântico Norte (Marconi, 1901)
  4. 4. A Rádio com meio de massas: Estados UnidosEnquadramento economico-político:modelo económico privado, baseado na venda de espaços publicitáriosconteúdos definidos pela empresaconteúdos adaptados à audiência por estudos de mercadopopularização da rádio AMconcorrência e caos (década de 20) conduzem a limitação do espectro1916 – A rádio “caixa de música”:vendedores de equipamento (RCA) tornam-se emissorescriam o seu próprio mercado1922 - primeira emissora comercial (WEAF, de Nova Iorque) criada pela companhia telefónica AT&T1926 – A integração empresarial como vector decisivo: RCA cria a NBC1930/40 – O aproveitamento políticoRoosevelt e as “conversas de sala”
  5. 5. A Rádio com meio de massas: Reino UnidoEnquadramento economico-político:modelo económico público, baseado na transferência das receitas de licenciamento e na recusa da publicidadeconteúdos definidos por uma comissão (elite)conteúdos adaptados às necessidades e literacias da populaçãodas limitações noticiosas iniciais (concorrência com imprensa) ao modelo noticioso mundial1869-1912 - monopólio dos Correios (Telégrafo em 1869, Rádio em 1904, Telefone em 1912)1922 - BBC criada como empresa privada (fusão dos emissores existentes)1927 – BBC nacionalizada (potencial de controlo demasiado importante para os privados)
  6. 6. A Rádio como meio de massas: União Soviética e AlemanhaEnquadramento economico-político:modelo económico público, baseado no financiamento estatalconteúdos definidos pelo Estadoconteúdos adaptados à necessidade de cooptação da população directamente pelo carisma do líder1922 – emissões regulares soviéticas, pré-controladas – número de famílias soviéticas com receptor de rádio demasiado baixo obriga a utilização de sistemas de som de rua1932-1939 – emissões regulares germânicas – número de famílias germânicas com receptor de rádio passa de 25% para 70% – emissão de baixa frequência (demasiado fraca para captar media internacionais) – emissões controladas por Goebbels (a rádio como “arma espiritual do Estado totalitário”)
  7. 7. A emergência da Rádio

×