Case Columbia

740 visualizações

Publicada em

Murillo Mello

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Case Columbia

  1. 1. Palestrante: Adm. Murillo Mello (moliveira@columbia.com.br)
  2. 2. NOSSA HISTÓRIA Esteve Irmãos S.A. ECOM Agroindustrial Com mais de 160 anos de experiência no mercado, a Esteve Irmãos S.A. (ECOM Agroindustrial) é um dos maiores players mundiais em commodities. COLUMBIA Fundada em 1942, iniciou suas atividades de armazenagem de café e algodão em decorrência da suspensão temporária dos embarques marítimos durante a 2ª Guerra Mundial.
  3. 3. ESTRUTURA DA COLUMBIA NO BRASIL COLUMBIA LOGÍSTICA COLUMBIA EADI SALVADOR CMLOG COLUMBIA TRADING VITÓRIA ALPHA TRADING COLUMBIA TRADING SÃO PAULO e COLUMBIA S/A COLUMBIA TRADING CURITIBA COLUMBIA TRADING ITAJAI COLUMBIA TRADING RECIFE COLUMBIA LOGISTICA VITORIA ENERGIA FLORESTAL 1050 Empregados Diretos 2.000 Clientes Ativos 8 Unidades Operacionais 2.2 Billion Reais de receita 7 Unidades Coligadas ENERGIA FLORESTAL
  4. 4. INÍCIO DAS PERMISSÕES – PORTO SECO (EADI)
  5. 5. EADI SALVADOR
  6. 6. INÍCIO DAS ATIVIDADES – EADI SALVADOR
  7. 7. EADI SALVADOR PRINCIPAL EIXO ECONÔMICO DO ESTADO Distância Porto SSA: 24 Km Distância P. Aratu: 25 Km Distância P. Ilhéus: 450 Km Distância Aeroporto: 17 Km Área Total: 143 mil m2
  8. 8. INÍCIO DAS ATIVIDADES – EADI SALVADOR Porto de Salvador Aeroporto de Salvador EADI Salvador Clientes DEPOT Terceiros
  9. 9. CARACTERÍSTICA EADI SALVADOR  Foco em ser referência na operação de terminal alfandegado na Bahia;  Ampliação do terminal alfandegado;  Serviço de transporte como um acessório da armazenagem alfandegada;  Cargas com alto valor agregado;  Concentração da receita no serviço de armazenagem de importação e em poucos clientes.
  10. 10. EM 2008 – PRÊMIO Q1 FORD  Efetiva consolidação no mercado alfandegado;  Reconhecimento do mercado com expressivo ganho no Market Share marítimo e aéreo;  Necessidade de ampliação do terminal alfandegado;  Diversificação dos clientes do alfandegado;  Início do transporte nas exportações;  Operação tímida de armazém geral;
  11. 11. 2008 – EADI SALVADOR
  12. 12. MANTENDO A ESTRATÉGIA, AONDE CHEGAREMOS? 2009 2010 2011 2012 2013 2014
  13. 13. AONDE QUEREMOS CHEGAR?
  14. 14. QUAL ESTRATÉGIA UTILIZAR?  Verticalizar o serviço na cadeia;  Diversificar a cesta de produtos;  Fortalecer o principal negócio do Grupo;  Investir na qualificação das pessoas;  Ganho de competitividade com as sinergias do Grupo;  Investimento em tecnologia e novos equipamentos;
  15. 15. OS QUATRO PILARES 2009 - 2014  Fomentar o serviço de transporte;  Verticalizar e prosperar em operação portuária;  Ampliar o terminal alfandegado;  Abertura de uma nova unidade operacional.
  16. 16. DESAFIO – DIVERSIFICAR E INTEGRAR 1º DESAFIO: - MARCA
  17. 17. DESAFIO – DIVERSIFICAR E INTEGRAR 2º DESAFIO: - MOSTRAR PARA OS ACIONISTAS A VIABILIDADE DOS PROJETOS E A NECESSIDADE DE INVESTIR EM UM ANO DE CRISE 3º DESAFIO: - ELEVAR O FATURAMENTO DE R$ 32 MI EM 2009 PARA R$ 100 MI EM 2014
  18. 18. PILAR 01 – FOMENTAR O SERVIÇO DE TRANSPORTE  Investimento em frota própria e tecnologia;  Possibilidade de atender contratos maiores e mais exigentes;  Menor dependência dos terceiros;  Aumento do nível de serviço;  Ganho de sinergia com o terminal alfandegado;  Início do serviço Depot avançado;  Maior competitividade na importação e na exportação.
  19. 19. PILAR 01 – FOMENTAR O SERVIÇO DE TRANSPORTE
  20. 20. FORTE EVOLUÇÃO TRANSPORTE
  21. 21. PILAR 02 – VERTICALIZAR E PROSPERAR NA OPERAÇÃO PORTUÁRIA
  22. 22. PILAR 02 – VERTICALIZAR E PROSPERAR NA OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Operador Portuário com foco de atuação no Nordeste; - Cargas de projeto , carga geral e granel; - Sinergias com diferentes operações; - Equipe experiente, know how e tecnologia; - Gestão logística integrada; - Melhores resultados em razão da estrutura corporativa.
  23. 23. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  24. 24. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  25. 25. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  26. 26. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  27. 27. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  28. 28. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  29. 29. OPERAÇÕES REALIZADAS - CMLOG
  30. 30. PILAR 03 – AMPLIAR O TERMINAL ALFANDEGADO
  31. 31. PILAR 03 – AMPLIAR O TERMINAL ALFANDEGADO
  32. 32. PILAR 03 – AMPLIAR O TERMINAL ALFANDEGADO Terminal Alfandegado Comlumbia do Nordeste Item Estrutura Anterior Estrutura Após Ampliação Área Total 58 mil m2 143 mil m2 Área Coberta Porto Seco 6,5 mil m2 12,5 mil m2 Área Pátio Porto Seco 47 mil m2 125 mil m2 Capacidade Armazenagem Coberta em Posição Pallet - Porto Seco 7.568,00 21.700,00 Capacidade Armazenagem Coberta em TEUS - Porto Seco 380,00 1.085,00 Capacidade Armazenagem Coberta em Toneladas - Porto Seco 10.260,00 29.295,00 Capacidade Armazenagem Pátio em TEUS - Porto Seco 9.400,00 14.400,00 Capacidade Armazenagem Pátio em Toneladas Porto Seco 253.800,00 388.800,00
  33. 33. INVESTIMENTO EM EQUIPAMENTOS
  34. 34. INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA
  35. 35. SINERGIA TERMINAL ALFANDEGADO AMPLIADO Exportadores Porto de Salvador Aeroporto de Salvador Columbia EADI Salvador DEPOT Avançado Columbia Lojas Parceiros Transportes Columbia DEPOT Terceiros
  36. 36. PILAR 04 – ABERTURA DE UMA NOVA UNIDADE OPERACIONAL RECIFE
  37. 37. PILAR 04 – ABERTURA DE UMA NOVA UNIDADE OPERACIONAL Área Total 100K m²
  38. 38. PILAR 04 – ABERTURA DE UMA NOVA UNIDADE OPERACIONAL
  39. 39. ANÁLISE CEFRINOR - SINERGIAS  Localização;  Clientes em comum;  Serviços em comum;  Otimização de recursos;  Otimização do orgânico;  Ganhos operacionais;  Novas tecnologias;  Serviços diferenciados para maior fidelização dos clientes (câmara alfandegada e transporte frigorífico).
  40. 40. ANÁLISE CEFRINOR – NOVOS SERVIÇOS Descarga Carga Picking Cross docking Pesagem Armazenagem Fornecimento de Energia Elétrica Estufagem de container Etiquetagem 30 K caixas separadas/dia 11 mi caixas separadas/ano
  41. 41. ANÁLISE CEFRINOR – TECNOLOGIA
  42. 42. CLIENTES DO VAREJO – UM NOVO MERCADO
  43. 43. NASCE UM COMPLEXO LOGÍSTICO INTEGRADO Área de Suporte 30.000 m² Novo CD Secos 15.000 m² 24.000 pp Armazém Alfandegado 12.500 m² 17.200 pp CD Frios 8.000 m² 9.500 pp Área Ampliação (20.000 m²) Pátio Alfandegado 125.000 m² 7.200 Teus EADI (Porto Seco) Cefrinor DEPOT Área Total 243.000 m² Escritórios (parceiros/clientes) CD Secos
  44. 44. EVOLUÇÃO DO QUADRO DE PESSOAL 500 450 400 350 300 250 200 150 100 50 0 EVOLUÇÃO QUADRO DE PESSOAL CNESA 1999 - 2014 26 28 57 60 72 85 86 85 72 85 125 161 216 430 480 473 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 QUANTIDADE DE COLABORADORES
  45. 45. NASCEM UMA NOVA VISÃO E MISSÃO Visão Ser reconhecida como a melhor empresa de soluções logísticas integradas. Missão Proporcionar ganhos competitivos aos clientes, integrando suas operações logísticas com tecnologia, inovação e qualidade.
  46. 46. UM NOVO DESAFIO – DO NAVIO AO CLIENTE Exportadores Porto de Salvador Aeroporto de Salvador Columbia EADI Salvador Columbia CD Cefrinor (Frios) DEPOT Avançado Columbia Lojas Parceiros Columbia CD Secos Transportes Columbia DEPOT Terceiros  Centralização de diversas etapas da cadeia logística com um único parceiro especializado;  Potencial de reduções de custos e melhoria nos níveis de serviço;  Liberação do tempo do cliente para focar no seu “core business” e em atividades mais estratégicas;  Métricas e controles para a gestão do desempenho em todas as etapas do processo.
  47. 47. FERRAMENTA FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO Fonte: SICM, 2013 Grandes empresas já colocaram a Bahia no mapa dos seus investimentos
  48. 48. GARGALOS – SINTONIA COM OS ÓRGAÕS ANUENTES Armazém Alfandegado Cliente Distribuição Cliente Órgãos Anuentes Operação 24 horas
  49. 49. GARGALOS – ESTRUTURA BRASILEIRA E REALIDADE COLUMBIA  Mão de obra qualificada – Grau de Escolaridade x Nível Educacional;  Investimentos não acompanham o ritmo de crescimento do comércio exterior;  Via expressa x BR 324 x Pátio triagem CIA;  Concentração do modal rodoviário – início em razão das precárias estruturas portuárias do passado;  Aumento do custo com a nova lei dos carreteiros;  Alto custo do seguro;  Malha ferroviária deficitária (diferentes bitolas, 30 mil quilômetros de extensão – demanda atual é o dobro);  Alto custo na cabotagem – exemplo dos equipamentos eólicos – custo de combustível e tripulação;
  50. 50. GARGALOS – ESTRUTURA BRASILEIRA
  51. 51. GARGALOS – ESTRUTURA BRASILEIRA Sobra para o Produtor Brasileiro Sobra para o Produtor Americano
  52. 52. NECESSÁRIO ESTRATEGICAMENTE  Governo precisa garantir um ambiente de estabilidade jurídica para os investidores, especialmente em relação aos marcos regulatórios;  Indispensável investimentos para estruturação e integração dos órgãos anuentes – bom exemplo é o Siscomex carga;  Indispensável uma inteligência estratégica do Ministério dos Transportes para execução de projetos que visam a integração dos diferentes modais logísticos no país;

×