O individuo

598 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O individuo

  1. 1. O INDIVÍDUO
  2. 2. O INDIVÍDUO Ser complexoCom uma históriaCom necessidadesCom capacidades Com limitações Com afetos
  3. 3. MOTIVAÇÃO“Motivação implica fazer aquilo que é muito significativo para mim.” Frederick Herzberg
  4. 4. Ninguém motiva ninguém• Necessidades e impulsos • Tensão • Esforço • Desempenho • Recompensa
  5. 5. Hierarquia de necessidades de Maslow • Auto-realização e satisfação • Auto-estima e reconhecimento• Pertencer ao grupo e necessidades sociais • Proteção e segurança • Necessidades físicas básicas
  6. 6. FREDERICK HERZBERGFatores higiênicos Fatores motivacionais Salário Trabalho em si Segurança Possibilidade de Status crescimento Relacionamento Responsabilidade Condições de trabalho
  7. 7. DAVID MCCLELLANDMotivação para a realização Motivação para a filiação Motivação para o poder
  8. 8. B. F. SKINNERCondicionamento operante Reforço positivo Reforço negativo
  9. 9. FLOW (Czsikzentmihalyi) Psicologia da FelicidadeEquilíbrio entre capacidades e desafios Indivíduos autotélicos
  10. 10. INTELIGÊNCIA GERAL (Spearman) Inteligência como elemento único Se existe alguma capacidade cognitiva abrangente, contínua, permitindo a algumapessoa raciocinar bem e resolver problemas,era possível desenvolver problemas variados para testar essa capacidade Testes de QI
  11. 11. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL (Daniel Goleman) A importância das capacidadesemocionais no atingimento das metas individuais e dos resultados organizacionais
  12. 12. INTELIGÊNCIA Teoria das Inteligências Múltiplas (Howard Gardner)Pressupostos não existe um tipo único de inteligência os testes de QI medem apenasdeterminados tipos de inteligência
  13. 13. Tipos de inteligência (Gardner) Lingüística Lógico-matemática Musical Corporal-cinestésica Intrapessoal Interpessoal Espacial
  14. 14. TRIÂNGULO DA FORMAÇÃO (Gardner e Czsikzentmihalyi) Campo (domínio)Ambiente Genética (meio) (indivíduo)
  15. 15. PERCEPÇÃO Estereótipos Preconceitos Percepção seletiva (selecionarinformações que dão apoio a seus pontos de vista, ignorar as que as fazem se sentir mal) Influência da cultura
  16. 16. PERCEPÇÃO Aquisição de conhecimento específico sobre objetos ou eventos que estimulam diretamente os sentidos, num momento particular. Envolve conhecimento, interpretação de objetos, símbolos e pessoas, à luz das experiências correspondentes.(Gibson, Ivancevich e Donnelly, 1988)
  17. 17. VALORES INDIVIDUAISAs idéias que ele lutará para defender e manter Os conceitos mais estáveisJuízos de valor, julgamentos, escolhas
  18. 18. VALORES INDIVIDUAIS Aquilo que é importante para o indivíduo Aquilo em que ele acredita de uma forma mais profunda
  19. 19. ATITUDES Propensão à ação Reflexo da percepçãoSoma de aspectos afetivos, cognitivos e culturais
  20. 20. ÉTICA É o estudo da dimensão moral do ser humano A dimensão moral do homem torna-oefetivamente cônscio de que, na buscada auto-realização, está envolvido num projeto comunitário, que lhe ofereceoportunidades mas também lhe impõe restrições
  21. 21. ÉTICAAs oportunidades são de realizar os próprios direitos, desejos e aspirações.As restrições lhe são impostas pelaexigência dos direitos dos outros.(Francisco de Araújo Santos, PhD)
  22. 22. Conceitos básicos Moral Sociedade Conceito de certo e Relações entrede errado, de direitos pessoas, regidas por e de deveres. normas escritas (leis) e não-escritas (cultura, crenças).
  23. 23. Por que ser ético Permitir a convivência em sociedade Gerar segurança de que regras de conduta serão respeitadas Gerar confiança entre indivíduosEvitar conseqüências externas (aplicação da lei) Evitar conseqüências internas (culpa, remorso, vergonha)
  24. 24. LIBERDADE“O homem está condenado a ser livre.” Jean Paul Sartre (1905-1980)
  25. 25. Dilemas éticos comuns (Laura Nash)Encobrimento ou deturpação de relatórios Obediência cega à autoridade Conflitos de interesses
  26. 26. Favoritismos Falha em denunciar práticas anti-éticasBajular chefia ao invés de fazer o trabalho Não assumir responsabilidades
  27. 27. O desafio da liderança ética (Laura Nash) Habilidade para reconhecer e para articular a ética de um problema Coragem pessoal para não racionalizar a má ética Um respeito inato pelos outros O valor pessoal derivado do comportamento ético
  28. 28. Causas do comportamento anti-ético nos negócios Ênfase excessiva no resultado financeiro Visão de curto prazo Sedução pelo poder
  29. 29. Conflito entre valores pessoais e empresarias Pressão do ambiente externo Normas pouco claras efalta de acompanhamento adequado
  30. 30. Perguntas que auxiliam no reconhecimento de limites éticos (Laura Nash) Isto é certo? ? Isto é justo? Estou prejudicando alguém? Eu poderia divulgar isto para o público ou para alguém respeitado? Eu diria a meu filho para fazer isto? Isto passa pelo teste do “mau cheiro”?
  31. 31. PERSONALIDADEConjunto estável de características Composta por fatores inatos(herança genética, temperamento) e sociais (ambiente, cultura)
  32. 32. POTENCIAL Traços que existem mas que ainda não foram totalmentedescobertos ou desenvolvidos
  33. 33. PLANO DE VIDA E CARREIRA Inteligência Afeto Motivações ValoresInclinações profissionais Triângulo da formação Potencial
  34. 34. Gestão de carreira Iniciativa individualCrescimento vertical e horizontal Diversas organizaçõesConciliar objetivos individuais e organizacionais Análise de cenários Auto-conhecimento
  35. 35. Para pensar em casa... Objetivos Desistências Potencialidades inexploradasModo de encarar barreiras e erros Sorte e destino Auto-imagem Ser integral

×