Sintaxe frase complexa

501 visualizações

Publicada em

Sintaxe frase complexa

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
30
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sintaxe frase complexa

  1. 1. Sintaxe - articulação frásica Ilustrarte 2012 adaptado de Conto Contigo 9 com exercícios resolvidos
  2. 2. Articulação frásica – coordenação e subordinação O Coordenação O Frase complexa – coordenação (articulação de duas ou mais frases simples) O Coordenação assindética – as orações coordenadas estão separadas, na escrita, por uma vírgula O Coordenação sindética – as orações coordenadas são introduzidas por uma conjunção ou locução coordenativa.
  3. 3. Coordenação Orações coordenadas Conjunções ou locuções coordenativas copulativas acrescentam, por adição, uma ideia à primeira oração e, nem, nem…nem, não só…mas também, não só …como também adversativas introduzem uma ideia de oposição (contrária) face à primeira oração mas disjuntivas apresentam uma alternativa ou, ou…ou, quer…quer, ora…ora, seja…seja conclusivas apresentam-se como uma conclusão em relação à primeira oração logo explicativas introduzem uma explicação para o facto apresentado na primeira oração pois, porquanto, que
  4. 4. Coordenação Orações coordenadas Coordenação assindética No dia de Santo António, veio a Lisboa, visitou a Sé, percorreu a Baixa, observou montras, subiu a Avenida, acompanhou as festas da cidade. Coordenação sindética: copulativas Os estrangeiros percorreram a cidade e observaram os seus monumentos. adversativas Procuraram os assassinos em todos os locais, mas não os encontraram. disjuntivas Queres sair connosco ou preferes ficar em casa? conclusivas Depois do passeio ficou cansada, portanto foi dormir. explicativas Ele é rico, pois tem um carro de alta cilindrada.
  5. 5. Subordinação O Relação sintática estabelecida entre orações em que uma (subordinada) está sintaticamente dependente de outra oração ou de um elemento subordinante. O Essa dependência sintática é evidenciada pelo facto de a oração subordinada desempenhar uma função sintática relativamente ao elemento subordinante (palavra ou oração).
  6. 6. Subordinação Oraçãosubordinada Adverbial – depende de uma oração subordinante. Pode ser deslocada para o início da frase. Causal – exprime a razão, a causa do que é afirmado na subordinante. Não fui jogar ténis porque chovia. Final – exprime uma ideia de finalidade, a intenção da realização da situação descrita na subordinante. Ama para que te amem. Temporal – estabelece uma referência de tempo em relação à subordinante. Sempre que falares, pensa. Condicional – exprime uma condição necessária para que se concretize a situação expressa na subordinante. Se estudares, aprenderás. Comparativa – contém o segundo elemento de uma comparação que se estabelece em relação à situação expressa na subordinante. Lisboa é uma cidade tão luminosa como Paris é. Consecutiva – exprime uma consequência em relação ao facto expresso na subordinante. Os alunos trabalharam tanto que conseguiram alcançar excelentes resultados. Concessiva – transmite uma ideia de contraste relativamente ao que é apresentado na oração subordinante. Não consigo sair, embora fosse essa a sua vontade.
  7. 7. Oração subordinada adjetiva Oraçãosubordinada Adjetiva – desempenha uma função sintática própria de um adjetivo. Depende de um elemento subordinante (antecedente). Relativa – introduzida por palavras relativas (pronomes quantificadores ou advérbios relativos) associados a um antecedente. a) Relativa restritiva – não é isolada por vírgulas e, se retirada da frase, altera o sentido do elemento subordinante pois restringe o significado do antecedente. A menina que chegou é minha irmã. b) Relativa explicativa – isolada por vírgulas; se for retirada da frase, não altera o sentido do elemento subordinante: apenas acrescenta informação ao antecedente. A Joana, que tem o chapéu verde, canta muito bem.
  8. 8. Oração subordinada substantiva Oraçãosubordinada Substantiva Completiva – desempenha a função sintática de sujeito ou complemento de um verbo, nome ou adjetivo. Pode ser introduzida pelas conjunções subordinativas que, se e pela preposição para (neste contexto, com valor idêntico ao de uma conjunção subordinativa completiva). Depende de um elemento subordinante (verbo: pensar, dizer, julgar, perguntar…) Ninguém adivinhava que o prédio cairia. Não me surpreende que ele tome essa atitude. Interessa-me que te realizes. Relativa sem antecedente – desempenha a função sintática de sujeito, predicativo do sujeito, complemento ou modificador de um verbo. Pode ser introduzida por quantificadores, advérbios ou pronomes relativos sem antecedente, tais como quem, o que, onde, quanto. Quem sabe cantar, não deixa de o fazer. Ele não é quem se pinta. Há de haver sempre quem nos queira bem. Faz sempre bem a quem te quer. O gato gosta de quem lhe faz cócegas. Encontro as minhas coisas onde é mais improvável.
  9. 9. Exercícios
  10. 10. Identificar orações subordinadas substantivas completivas O 1. Observa as frases: O Não sei, meus filhos, que mundo será o vosso. O Um dia sabereis que não tem conta o número de inconformados. O Acreditai que nada vale mais do que uma vida. O Confesso que uma grande amargura me submerge. O 1.1. Classifica, quanto à subclasse, os verbos das orações subordinantes. O 1.2. Substitui as orações sublinhadas por pronomes. O 1.3. Identifica a função sintática desempenhada pelas orações sublinhadas.
  11. 11. O 1.1. Os verbos das orações subordinantes são verbos transitivos diretos (têm complemento direto). O 1.2. Não o sei. Um dia sabê-lo-eis. Acreditai-o. Confesso-o. O 1.3. As orações sublinhadas desempenham a função sintática de complemento direto. Soluções 1.
  12. 12. Identificar orações subordinadas substantivas completivas O 2. Observa as frases: O a) Acontece que muitos heróis não morreram. O b) É possível que um dia a injustiça acabe. O c) Está provado que Goya foi um grande pintor. O d) Preocupa-me que continue a existir violência. O 2.1. Substitui as orações sublinhadas pelo pronome isso e desloca-as para a esquerda. O Identifica a função sintática desempenhada pelas orações sublinhadas.
  13. 13. Soluções 2. O 2.1. O a) Acontece isso. O b) É possível isso. O c) Está provado isso. O d) Preocupa-me isso. O 2.2. a) Isso acontece. b) Isso é possível. c) Isso está provado. d) Isso preocupa-me. O 2.3. As orações sublinhadas desempenham a função sintática de sujeito. O São orações subordinadas substantivas completivas.
  14. 14. O 3. Lê as frases: a) Penso que a leitura constitui um bom hábito. b) É urgente que se criem hábitos de leitura sólidos. c) Que as pessoas se responsabilizem pelos seus atos é cada vez mais necessário. d) Alguns questionaram-se se a atitude do jogador teria sido correta. e) Foi surpreendente que todos os atletas se tivessem atrasado. f) É provável que exista vida noutros planetas. g) Comentam que ele foi o responsável pelo acidente. O 3.1. Identifica e classifica as orações subordinadas. O 3.2. Indica a função sintática que desempenham.
  15. 15. Soluções 3. a) Penso que a leitura constitui um bom hábito. b) É urgente que se criem hábitos de leitura sólidos. c) Que as pessoas se responsabilizem pelos seus atos é cada vez mais necessário. d) Alguns questionaram-se se a atitude do jogador teria sido correta. e) Foi surpreendente que todos os atletas se tivessem atrasado. f) É provável que exista vida noutros planetas. g) Comentam que ele foi o responsável pelo acidente. O 3.1. São todas orações subordinadas substantivas completivas. O 3.2. a) d) g) complemento direto; b) c) e) f) sujeito.
  16. 16. 4. Transforma cada par de frases simples numa frase complexa, utilizando locuções conjuncionais das subclasses indicadas entre parênteses. Faz apenas as alterações necessárias. O 1. Os marinheiros eram corajosos./Vénus pretendia recompensar os marinheiros portugueses. (locução conjuncional subordinativa causal) O 2. Os nautas regressaram à pátria./Os nautas encontraram uma ilha encantada. (locução conjuncional subordinativa temporal) O 3. Eles merecem ser recompensados./ Os portugueses descobriram o caminho marítimo para a Índia. (conjunção coordenativa conclusiva)
  17. 17. Soluções 4. O 1. Vénus pretendia recompensar os marinheiros portugueses visto que (já que) eles eram corajosos. (locução conjuncional subordinativa causal) O 2. Logo que (assim que) Os nautas regressaram à pátria, encontraram uma ilha encantada. (locução conjuncional subordinativa temporal) O 3. Os portugueses descobriram o caminho marítimo para a Índia, logo merecem ser recompensados. (conjunção coordenativa conclusiva)
  18. 18. 5. Lê as frases. O a) Leonardo, que era um soldado bem disposto, tinha azar no amor. O b) O marinheiro cansado pedia se a deusa poderia esperar por ele. O c) A formusura que caracterizava Éfire era indescritível. O d) A ninfa prometeu que não fugiria mais do nauta. O 5.1. Classifica as orações sublinhadas nas frases. O 5.2. Identifica o elemento subordinante nas frases a) e c). O 5.3. Identifica a função sintática desempenhada pelas orações sublinhadas nas frases a) e c). O 5.4. Indica a classe e subclasse dos elementos de ligação nas frases b) e d).
  19. 19. Soluções 5. 5.1. O a) Leonardo, que era um soldado bem disposto, tinha azar no amor. oração subordinada adjetiva relativa explicativa O b) O marinheiro cansado pedia se a deusa poderia esperar por ele. oração subordinada substantiva completiva O c) A formusura que caracterizava Éfire era indescritível. Oração subordinada adjetiva relativa restritiva O d) A ninfa prometeu que não fugiria mais do nauta. oração subordinada substantiva completiva O 5.2. elemento subordinante nas frases a) Leonardo / c) formusura. O 5.3. a) modificador apositivo do nome c) modificador restritivo do nome. O 5.4. b) e d) se /que – conjunções subordinativas completivas
  20. 20. 6. Lê as frases seguintes. O 6.1. a) O rei, que mandava no povo, lutou corajosamente contra os Mouros. b) A ré assegurou que iria viver para longe. c) A argumentação que Inês dirigiu ao rei não convenceu os conselheiros. O Classifica as orações sublinhadas.
  21. 21. Soluções 6. O 6.1. a) O rei, que mandava no povo, lutou corajosamente contra os Mouros. b) A ré assegurou que iria viver para longe. c) A argumentação que Inês dirigiu ao rei não convenceu os conselheiros. O a) oração subordinada adjetiva relativa explicativa O b) oração subordinada substantiva completiva O c) oração subordinada adjetiva relativa restritiva
  22. 22. 7. Lê as frases seguintes O a) Chorou ainda desoladamente o esposo, que era formoso e alegre. O b) Pertencia a uma raça que acredita que a vida da terra continua no céu. O 7.1. Identifica o antecedente da palavra sublinhada na frase a). O 7.2. Classifica a oração introduzida por essa palavra. O 7.3. Identifica a classe e a subclasse das palavras destacadas na frase b). O 7.4. Classifica a oração introduzida pela segunda palavra destacada na frase b).
  23. 23. Soluções 7. O a) Chorou ainda desoladamente o esposo, que era formoso e alegre. O b) Pertencia a uma raça que acredita que a vida da terra continua no céu. O 7.1. o esposo antecedente da palavra sublinhada na frase a). O 7.2. oração subordinada adjetiva relativa explicativa. O 7.3. b) que – pronome relativo; que – conjunção subordinativa completiva. O 7.4. 2ª oração na frase b) oração subordinada substantiva completiva
  24. 24. 8. Lê as frases seguintes a) A aia chorou quem morreu na batalha. b) Quem invadiu o palácio morreu. c) A atitude da aia agradou a quem defendia o reino. d) O tesouro ficava numa sala onde se guardavam as riquezas do reino. e) O reino precisava de quem o defendesse. O 8.1. Divide as frases em orações. O 8.2. Identifica os elementos de ligação. O 8.3. Classifica as orações subordinadas. O 8.3.1. Indica a função sintática desempenhada por cada uma.
  25. 25. Soluções 8. O 8.1. a) A aia chorou/ quem morreu na batalha. b) Quem invadiu o palácio/ morreu. c) A atitude da aia agradou/ a quem defendia o reino. d) O tesouro ficava numa sala/ onde se guardavam as riquezas do reino. e) O reino precisava/ de quem o defendesse. O 8.2. elementos de ligação: quem; quem (a) quem; onde; (de) quem. O 8.3. orações subordinadas substantivas relativas. O 8.3.1. a) complemento direto; b) sujeito; c) complemento indireto; d) modificador restritivo; e) complemento oblíquo.

×