Modernismo

696 visualizações

Publicada em

Modernismo português

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
290
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modernismo

  1. 1. Modernismo – “a Geração de Orpheu”
  2. 2. Contexto Português no Século XX • O início do Modernismo Português ocorreu num momento em que o panorama mundial estava afetado: • Revolução Russa de 1917; • 1914: Primeira Guerra Mundial. • Em Portugal este período foi difícil, porque, com a guerra, estavam em jogo as colónias africanas. • O marco inicial do Modernismo em Portugal foi a publicação da revista Orpheu, em 1915, reunindo Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro e Almada Negreiros, entre outros.
  3. 3. A revista Orpheu e a sua introdução no movimento do modernismo • Era preciso esquecer o passado que se tinha vivido e comprometer-se com a nova realidade e interpretá-la cada um a seu modo. Nas páginas da revista Orpheu, esta geração publicou uma poesia complexa, de difícil acesso, que causou um grande escândalo naquela época e que teve curta duração publicando-se apenas um número mais e não tornaram a haver novas edições, devido a falta de financiamento e duras críticas. • São características de estilo deste movimento: o rompimento com o passado, o carácter anárquico, o sentido demolidor e irreverente, o nacionalismo crítico que tem uma postura crítica, irónica e questiona a situação social e cultural do país, e o nacionalismo ufanista (conservador).
  4. 4. O Modernismo é um movimento estético onde a literatura surge associada às artes plásticas. Improviso, Kandinsky
  5. 5. AS VANGUARDAS: RUTURA COM OS CÂNONES NAS ARTES PLÁSTICAS No início do século XX, uma verdadeira explosão de experiências revolucionou as artes plásticas. Este movimento cultural, o modernismo, irradiou de Paris que nessa altura era o centro artístico da Europa.
  6. 6. O CUBISMO Foi um movimento influenciado pelo geometrismo de Cézanne e pela estilização volumétrica da arte africana. Picasso, Les Demoiselles d’ Avignon, 1907
  7. 7. O ABSTRACIONISMO Movimento que rejeita o tema ligado à realidade concreta, à descrição do visível. Procura uma linguagem universal. Abstracionismo sensível ou lírico – foi desenvolvido por Kandinsky. Características: - a pintura deve retratar um estado de espírito e não a simples representação dos objetos; - as abstrações de forma e de cor, tal como a música, atuam diretamente na alma. - composições meticulosas, correta combinação de formas e cores.
  8. 8. Kandinsky, Composição, 1923
  9. 9. Mondrian, Composição, 1911
  10. 10. O FUTURISMO Criado pelo escritor Marinetti em 1909, caracteriza-se pela rejeição total da estética do passado e pela exaltação da sociedade industrial. Características: admiração pela tecnologia moderna e pela velocidade; rejeição do passado e glorificação do futuro; representação do mundo industrial; representação do dinamismo através do simultaneísmo e da decomposição fragmentada. Destacam-se – Giacomo Balla, Umberto Boccioni, Gino Severini, Carlo Carrà, Marcel Duchamp e Robert Delaunay.
  11. 11. Boccioni, O Ruído da Rua Entra em Casa, 1911
  12. 12. Carlo Carrà, Manifestação Intervencionista, 1914
  13. 13. Robert Delaunay, Homenagem a Blériot, 1914
  14. 14. SURREALISMO Movimento estético nascido em França, em 1924. Fez a apologia da arte como mecanismo de projeção do inconsciente. Características: •influência de Freud e da psicanálise; •exploração do mundo interior; •extrema disparidade de estilo dos surrealistas; •Destacam-se – Hans Arp, Joan, Max Ernst, René Magritte, Salvador Dali.
  15. 15. Joan Miró, O Carnaval de Arlequim, 1924
  16. 16. Salvador Dali, A Persistência da Memória, 1931
  17. 17. René Magritte, Golconda, 1953
  18. 18. Em Portugal, este movimento é empreendido pela geração de: Almada Negreiros Mário de Sá Carneiro Fernando Pessoa Em uníssono com a arte e a literatura mais avançadas na Europa.
  19. 19. «Quando eu morrer batam em latas, Rompam aos saltos e aos pinotes, Façam estalar no ar chicotes, Chamem palhaços e acrobatas! Que o meu caixão vá sobre um burro Ajaezado à andaluza... A um morto nada se recusa, E eu quero por força ir de burro!»
  20. 20. «MANIFESTO ANTI-DANTAS E POR EXTENSO por José de Almada-Negreiros «POETA D'ORPHEU FUTURISTA e TUDO BASTA PUM BASTA!»
  21. 21. «O poeta é um fingidor. Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente. »
  22. 22. O modernismo rompia com o provincianismo, com as tradições académicas, defendendo a liberdade de criação e pesquisa estética.
  23. 23. O Modernismo apresenta-se como: Uma nova linguagem estética aberta à renovação constante Paul Klee, Diana no Vento do Outono
  24. 24. Fernando Pessoa: A maior revelação de Orpheu. O seu génio manifestou-se na sua personalidade fragmentária.
  25. 25. Caeiro, por Almada Negreiros
  26. 26. Ricardo Reis (fragmento de Almada)
  27. 27. Álvaro de Campos (Almada, fragmento)
  28. 28. O Modernismo na Pintura Fernando Pessoa, de Almada Negreiros
  29. 29. Almada Negreiros Amadeu de Sousa Cardoso Vieira da Silva Abel Manta Santa - Rita Pintor
  30. 30. Maternid ade, de Almada Negreiros
  31. 31. Almada Negreiros Pintor Romancista Poeta Crítico de arte - Representa a vanguarda na pintura portuguesa da década de 20. - Introdutor do Modernismo em Portugal.
  32. 32. Pintura com colagens, de Amadeu de Sousa
  33. 33. Amadeu de Sousa Cardoso Futurista Pintor Naturalista Cubista Impressionista Na pintura reinventou o real num hino à criatividade
  34. 34. Inevitavelmente a corrente modernista refletiu um espírito de mudança na literatura e nas artes, numa diversidade de experiências de vanguarda, que vão marcar a cultura do início do século, em Portugal.
  35. 35. 1º MODERNISMO : SÍNTESE Domínio da Metafísica e do Mistério. Impregnados de uma religiosidade esotérica, do gosto pelas ciências ocultas, de um sebastianismo místico, os escritores da Geração Orpheu tornaram-se herméticos, pouco acessíveis. A obra de Fernando Pessoa, uma das mais significativas já escritas em língua portuguesa, só foi publicada dez anos após a sua morte, que se deu em 1935. •Desejo de “escandalizar” o burguês. •Desajuste social e cultural. •Cosmopolitismo. •Elitismo. •Incorporação das propostas das vanguardas. •Idolatria do poético, do não-prático, do não-burguês.
  36. 36. Antoni Gaudi (1852- 1926)
  37. 37. Casa Batló, Barcelona

×