LITERATURA TRADICIONAL

822 visualizações

Publicada em

LITERATURA TRADICIONAL

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
822
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
378
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

LITERATURA TRADICIONAL

  1. 1. O conto A lenda A fábula O provérbio A lengalenga O mito
  2. 2. O conto  É uma narrativa curta e fictícia.  Conto popular: está associado às narrativas tradicionais que são transmitidas de geração em geração, oralmente (de “boca em boca”). Podem existir várias versões de um mesmo relato.  Conto literário: trata-se de relatos concebidos por escrito e transmitidos da mesma forma.
  3. 3.  Exemplos de conto:
  4. 4. A lenda  É uma narrativa ficcional com um fundo histórico ou com um elemento real que é transformado pela imaginação popular.  Tal como o conto, trata-se de uma narrativa breve para permitir a sua memorização.  Existem vários tipos de lendas:
  5. 5.  Lendas religiosas: são referentes à intervenção de figuras religiosas.  Ex.: a lenda de S. Martinho.
  6. 6.  Lendas míticas: são as que têm personagens como o diabo, fantasmas, gigantes, sereias, etc.  Ex.: a lenda de A Dama Pé-de-Cabra.
  7. 7.  Lendas etiológicas: tentam explicar, por ex., um nome.  Ex.: a lenda de Seteais, de Queluz, Belas.
  8. 8.  Lendas históricas: referem personagens, factos de valor militar ou político, locais e monumentos assinalados pela história.  Ex.: a lenda de A Padeira de Aljubarrota, de Dom Sebastião, etc.
  9. 9.  As lendas de mouros e mouras, ligadas às invasões muçulmanas.  Ex.: a lenda das amendoeiras.
  10. 10. A fábula  As fábulas são pequenas histórias que geralmente têm animais como personagens que falam e se comportam como seres humanos, e quase sempre terminam com uma moral, isto é, um ensinamento.  Fábula é um género narrativo que foi desenvolvido por Esopo, autor que viveu no século VI a.C., na Grécia antiga.  Escritores que cultivaram o género: La Fontaine e Bocage.
  11. 11. Um corvo pousou numa árvore, com um bom pedaço de queijo no bico. Atraída pelo cheiro do queijo, aproximou-se da árvore uma raposa. Com muita vontade de comer aquele queijo e sem condições de subir à árvore, afinal, não tinha asas, a raposa resolveu usar sua inteligência em benefício próprio. __ Bom dia amigo, Corvo!- disse bem matreira a raposa. O corvo olhou-a e fez uma saudação, balançando a cabeça. __Ouvi falar que o rouxinol tem o canto mais belo de toda a floresta. Mas eu aposto que você, meu amigo, acaso cantasse, o faria melhor que qualquer outro animal. Sentindo-se desafiado e querendo provar seu valor, o corvo abriu o bico para cantar. Foi quando o queijo caiu-lhe da boca e foi direto ao chão. A raposa apanhou o queijo e agradeceu ao corvo: __ Da próxima vez, amigo, desconfie das bajulações! Moral da história: Desconfie dos bajuladores. Esses sempre se aproveitam da situação, para tirar vantagem.
  12. 12. O provérbio  O provérbio é um pensamento.  O objetivo de um provérbio é transmitir-nos uma verdade, fruto da observação e da experiência, de forma concisa.  As paredes têm ouvidos.  Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo.  Cão que ladra não morde.  Depois da tempestade vem a bonança.  Quanto mais alto se sobe, maior é a queda.  Mais vale um pássaro na mão, que dois a voar.  A galinha da vizinha é sempre melhor que a minha.  Filho de burro não pode ser cavalo.  Filho de peixe sabe nadar.  Filho és pai serás, assim como fizeres assim acharás.
  13. 13. A lengalenga o Uma lengalenga é uma cantilena transmitida de geração em geração na qual se repetem determinadas palavras ou expressões. O tempo O tempo pergunta ao tempo Quanto tempo o tempo tem. O tempo responde ao tempo Que o tempo tem tanto tempo Quanto tempo o tempo tem. recolha de Luísa Ducla Soares
  14. 14. O MITO • Um mito é uma narrativa de caráter simbólico, relacionada a uma dada cultura. O mito procura explicar a realidade, os fenómenos naturais, as origens do Mundo e do Homem por meio de deuses, semideuses e heróis. • Os acontecimentos históricos podem transformar-se em mitos, se adquirem uma determinada carga simbólica para uma dada cultura. • Na maioria das vezes, o termo refere-se especificamente aos relatos das civilizações antigas que, organizados, constituem uma mitologia - por exemplo, a mitologia grega e a mitologia romana.

×