Antropometria

11.983 visualizações

Publicada em

conforto ambiental

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.983
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
372
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Antropometria

  1. 2. ANTROPOMETRIA <ul><li>Trata das medidas físicas do ser humano </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>       A partir da década de 40: </li></ul><ul><li> Necessidade de medidas cada vez mais confiáveis. </li></ul><ul><li>    Desenvolvimento da produção em massa. </li></ul><ul><li> Aumento considerável nos custos de produção (dimensões desnecessárias). </li></ul><ul><li>    Atualmente, com a crescente globalização da economia, necessidade de estabelecer padrões mundiais e levar em consideração variáveis como etnias, regiões e culturas. </li></ul>
  2. 3. Diferenças Individuais
  3. 4.      Sexo - Homens e Mulheres apresentam diferenças significativas. Ex.: estatura, comprimento dos braços e pernas, proporções corporais, etc. Idade - Corpo com diferentes proporções: cada parte do corpo tem velocidade diferente de crescimento; diferenças individuais de crescimento; após os 30/35 inicia-se o envelhecimento afetando estatura/postura. Época – Ao longo da história o homem tem aumentado sua estatura. Clima – povos de clima quente  formas lineares povos de clima frio  formas esféricas Fatores de Variação
  4. 5. Etnias e Evolução <ul><li>  </li></ul><ul><li>       Etnias – Influencia na estatura e nas proporções. Ex.: África temos os pigmeus ( H 143,8 cm e M 137,2 cm) e os negros nilóticos (Sudão) (H 182,9 cm e M 168,9 cm) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>       Variações Extremas: </li></ul><ul><li>-- Diferenças entre os homens mais altos (97,5%) e as mulheres mais baixas (2,5%) oscilam muito, entre 188,0 cm e 149,1 cm. </li></ul><ul><li>-- O homem é cerca de 10 cm em média mais alto que a mulher. </li></ul><ul><li>-- Dimensões laterais distintas. (Ex. Gravidez + 80%). </li></ul>
  5. 8. Realização de Medidas Antropométricas   1º - Selecionar amostra significativa de sujeitos que serão usuários ou consumidores do sistema, produto ou objeto. 2º - Definir onde ou para que serão usadas as medidas. Definir as medidas. 3º - Escolher o método de medida (diretos ou indiretos). 4º - Realizar medições com pessoal treinado. 5º - Executar análise estatística das medidas. Em antropometria as medidas seguem uma distribuição normal ou de Gauss (calcular média e desvio-padrão). 6º - Calcular o intervalo de confiança para os percentis desejados.
  6. 11. Exemplo: Variável Antropométrica e Variável de Projeto.       Medidas Críticas:   a)    Altura Lombar: encosto da cadeira. b)         Altura Poplítea: do assento. c)         Altura do cotovelo: da mesa. d)        Altura da coxa: espaço entre assento e mesa. e)   Altura dos olhos: posicionamento do monitor. f)         Outros: altura do teclado; suporte para o texto, suporte para braços, etc.
  7. 12. Antropometria Estática
  8. 14. Métodos diretos de Medidas Envolvem leituras de instrumentos que entram em contato direto, físico, com o organismo. Usam-se réguas, trenas, fitas métricas, esquadros, paquímetros, transferidores, balanças, dinamômetros, goniômetros, etc.
  9. 15. Norma DIN 3402
  10. 20. Antropometria Dinâmica e Funcional
  11. 25. Exercício <ul><li>Verfifique a adequação do seu posto de trabalho, realizando medidas antropométricas e do projeto para percentis de 5%, 50% e 95%, nas seguidas medidas: </li></ul><ul><li>Altura Lombar: encosto da cadeira. </li></ul><ul><li>Altura Poplítea: do assento. </li></ul><ul><li>Altura da coxa: espaço entre assento e mesa. </li></ul>
  12. 26. ANTROPOMETRIA Aplicações
  13. 27. CRITÉRIOS (PRINCÍPIOS) PARA APLICAÇÃO DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS <ul><ul><li>1º Princípio – PROJETOS PARA O TIPO MÉDIO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         A pessoa média é uma abstração matemática. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Banco de jardim. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>2º Princípio – PROJETO PARA INDIVÍDUOS EXTREMOS: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Quando existem fatores limitantes no projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>         É necessário determinar qual é a variável limitante. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Saída de emergência, roleta do ônibus. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>3º Princípio – PROJETOS PARA FAIXAS DA POPULAÇÃO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Medidas ajustáveis para acomodar melhor seus usuários. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Equipamentos escolares, confecções em geral, sapatos, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>4º Princípio – PROJETO PARA O INDIVÍDUO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Para indivíduos que se situam além dos extremos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Aparelhos ortopédicos, roupas para obesos, etc. </li></ul></ul>
  14. 28. O espaço de trabalho <ul><li>Fatores a serem considerados no dimensionamento do espaço de trabalho: </li></ul><ul><li>- Postura </li></ul><ul><li>- Tipo de atividade manual </li></ul><ul><li>- Vestuário </li></ul>
  15. 29. O espaço de trabalho
  16. 34. Princípios gerais dos assentos <ul><li>Existe um assento adequado para cada função. </li></ul><ul><li>As dimensões dos assentos devem ser adequadas aos usuários. </li></ul><ul><li>O assento deve permitir variações de posturas. </li></ul><ul><li>O encosto deve ajudar no relaxamento. </li></ul><ul><li>O assento e mesa formam um conjunto integrado. </li></ul>
  17. 37. Ergonomia e Terminal de Vídeo

×