Heredograma novo

28.243 visualizações

Publicada em

Heredograma

3 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
28.243
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
283
Comentários
3
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Heredograma novo

  1. 1. HEREDOGRAMA OU GENEALOGIA
  2. 2. Por meio do heredograma podemos representar os indivíduos de uma família e suas relações de parentesco.
  3. 3. Também chamado de pedigree, árvore ou carta genealógica, o heredograma é uma forma de representar graficamente os indivíduos que compõem uma família e suas respectivas relações de parentesco
  4. 4. O heredograma usa símbolos preestabelecidos que representam os indivíduos e suas relações, conforme a figura abaixo
  5. 5. As gerações são representadas por algarismos romanos (I, II , III etc.) e, dentro de cada geração, os indivíduos são indicados por algarismos arábicos (1, 2, 3, 4 etc.), da esquerda para a direita. Outra maneira é numerar todos os indivíduos em ordem crescente, a partir do primeiro acima e à esquerda.
  6. 7. A interpretação de um heredograma é efetuada em etapas: a) Primeira etapa - Determinação da dominância e da recessividade. Para concluir se um fenótipo é condicionado por alelo dominante ou recessivo, deve-se pesquisar, no heredograma, casais em que ambos os indivíduos são fenotipicamente normais ou afetados e que têm descendente com fenótipo diferente do seu. Caso o fenótipo apresentado pelo descendente contrastante não se manifestar em seus pais, ele será determinado pelo alelo recessivo.
  7. 8. b) Segunda etapa - Localização dos homozigotos recessivos. Uma vez determinados o alelo dominante e o recessivo, localizam-se os homozigotos recessivos: apenas eles (e todos eles!) manifestam o fenótipo recessivo. c) Terceira etapa - Determinação dos demais genótipos. Podem-se determinar os genótipos dos demais indivíduos (se não de todos, pelo menos de uma parte deles), considerando que um homozigoto recessivo recebe um alelo recessivo de cada um dos pais e o transmite para todos os seus descendentes. Eventualmente, os genótipos de alguns indivíduos com fenótipo dominante não são determinados, podendo ser homozigotos dominantes ou heterozigotos. Usa-se A_ para indicar um indivíduo que pode ter genótipo AA ou Aa.
  8. 9. Exemplo No heredograma, estão assinalados os membros de uma família afetados por uma doença hereditária. Com base nas informações obtidas no heredograma, responda: a) A característica em questão é determinada por um alelo dominante ou recessivo? Justifique. b) Dê os genótipos das pessoas indicadas no heredograma. c) Qual é a probabilidade de que o casal 5-6 venha a ter, em outra gestação, uma criança afetada pela doença?
  9. 11. Resolução a) Observe o casal 5-6: ambos são normais, mas tiveram uma criança afetada pela doença. Portanto doença é determinada pelo alelo recessivo, pois permaneceu oculta nos indivíduos 5 e 6, manifestando-se em um de seus descendentes. b) Usa-se a seguinte notação para indicar esse par alelos: A - determina o fenótipo normal a - determina a doença
  10. 12. O próximo passo é a localização dos homozigotos recessivos. Todos os indivíduos de genótipo aa são doentes.
  11. 13. A partir desses genótipos, podemos descobrir os demais. O indivíduo 1 é heterozigoto Aa, pois é normal, mas tem uma filha doente (a mulher 4). O homem 3 também é heterozigoto, porque é normal, mas recebeu de sua mãe o alelo a. O mesmo se pode dizer do homem 5. A mulher 6 tem genótipo Aa. Ela é normal e teve um filho afetado pela doença. A mulher 8 pode ser homozigota dominante AA ou heterozigota Aa. Deixa-se seu genótipo indicado por A_.
  12. 14. C) Os indivíduos 5 e 6 são heterozigotos. Sua possível descendência é:
  13. 15. Crianças afetadas correspondem a indivíduos de genótipo aa, cuja probabilidade de aparecimento é de 1/4 ou 25%.
  14. 16. O heredograma refere-se à distribuição da característica relacionada à capacidade de enrolar a língua entre os indivíduos de uma família. Os que não são capazes de enrolar a língua aparecem em destaque. Com base nesses dados, vamos determinar os possíveis genótipos de todos os indivíduos.
  15. 18. Resolução: O primeiro passo é marcar os genótipos dos indivíduos portadores do caráter recessivo. Assim, ao lado dos indivíduos 4 e 9, escrevemos aa (ou ii, se utilizarmos a letra inicial da característica recessiva).
  16. 19. A seguir, ao lado de cada um dos outros indivíduos, escrevemos a letra A (ou I). Isso indica que pelo menos um dos gens para a característica é dominante. o indivíduo 9, que é filho do casal 5 X 6, herdou um de seus gens do pai e o outro da mãe. Diante disso, podemos concluir que o casal 5 X 6 é heterozigoto, isto é, Aa. O mesmo raciocínio pode ser feito para o casal 1 X 2, cujo filho é o indivíduo 4.
  17. 21. O indivíduo 7 só pode ter herdado o gen A de seu pai, já que sua mãe, o indivíduo 4, é aa. Assim, podemos concluir que o indivíduo 7 é heterozigoto (Aa). Quanto aos demais, sabemos que podem ser tanto AA quanto Aa, mas não há condições de estabelecer precisamente esses genótipos com os dados fornecidos.
  18. 22. Nesses casos, como os indivíduos homozigotos dominantes e heterozigotos têm o mesmo fenótipo, costumamos usar a notação A_. Esse traço representa um gen alelo dominante ou recessivo.
  19. 23. Herança ligada ao sexo Homem = XY Mulher = XX Hemofilia = é uma doença caracterizada por extrema dificuldade de coagulação sangüínea. Assim o hemofílico é propenso a hemorragias, sempre difíceis de ser estancadas. O gen que determina a hemofilia é recessivo e se encontra no cromossomo X. <ul><li>Homens hemofílicos = X h Y (hemizigoze) </li></ul><ul><li>Mulheres hemofílicas = X h X h (homozigoze) </li></ul><ul><li>Mulheres portadoras (normais) = X H X h (heterozigotas) </li></ul><ul><li>Mulheres heterozigotas, são normais porém portadoras, desta forma existe 50% de probabilidade de que seja transmitido das mulheres portadoras para os descendentes, meninos ou meninas. </li></ul>
  20. 26. Resultado Somente os indivíduos 3, 4 e 5 são Aa (heterozigotos); sendo o 2 = AA e o 7 é A_, podendo ser AA ou Aa
  21. 27. 1) A anomalia é causada por um gene dominante ou recessivo? 2) Qual é a probabilidade de o casal no 4 ter um filho que apresente a anomalia? Justifique 1 e 2
  22. 28. Resultado 1) A anomalia é causada por gene dominante (o casal 1, portador de anomalia, teve um filho normal). 2) Ambos os cônjuges, no casal 4, são heterozigotos, pois descendem de pais normais. Logo, a probabilidade de filhos com anomalia é de 3/4 (75%) aa AA Aa Aa AA aa Aa Aa ?
  23. 29. Na genealogia abaixo esta sendo analisado um carácter autossômico recessivo. Qual a probabilidade de que o casal 5 X 6 venha a ter descendente homozigoto recessivo? ? 2 1 3 4 5 6
  24. 30. 1 H = aa 2 M = AA 5 H = Aa RESULTADO : AA (25%); Aa (50%); aa (25%) ou 1/4 3 H = AA 4 M = aa 6 M = Aa RESULTADO
  25. 31. Escreva o genótipo de cada indivíduo. Em caso de ser possível mais de um genótipo para um indivíduo, indique as duas possibilidades. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
  26. 32. Resultado 1 aa 2 AA 3 Aa 4 Aa 5 Aa 6 Aa 7Aa 8 AA ou Aa 9 aa 10 aa
  27. 33. ( Fuvest-SP ) Dois irmãos (Pedro e Paulo) casam-se com duas irmãs (Maria e Joana), todos normais. O primeiro casal, Pedro e Maria, tem uma criança afetada por uma doença muito rara de herança autossômica recessiva. a) Desenhe o heredograma representando os dois casais e os respectivos pais. b) Qual é a probabilidade de que uma futura criança menina de Pedro e Maria venha a ser afetada por essa mesma doença genética? c) Se Paulo e Joana tiverem a primeira afetada pela mesma doença genética, qual será o risco de que uma segunda criança desse casal seja afetada pela mesma doença? Por quê?
  28. 34. RESULTADO Pedro Maria Paulo Joana A) B) A Probabilidade é igual a 1/2 x 1/4 = 1/8 (12,5%) C) Nesse caso a Probabilidade será de 1/4 (25%), pois já terá certeza de que Paulo e Joana são heterozigotos.

×