JULHO DE 2014
EDIÇÃO 11/14
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
Ministro do
Urbanismo:
80 mil
habitações p.18
SII — O novo
So...
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Página 2
SUPERMERCADOS p. 3
INDUSTRIAL & LOGÍSTICA p. 11
RETALHO & DISTRIBUIÇÃO p. 13
HA...
Página 3AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
EDITORIAL
Com a economia a crescer é comum verem-se
novos negócios a florescer e...
Página 4AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
A ASCENSÃO DO CONSUMIDOR AFRICANO
África é a nova aposta das
e s t r a t é g i a...
Supermercados
0
10
2 0
3 0
2 0 0 5 2 0 10 2 0 11 2 0 12 2 0 13 2 0 14 2 0 18
0
20
40
60
80
2005 2010 2011 2012 2013 2014 2...
Página 6
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
THE REAL ESTATE ADVISOR: supermercados
Em todos os continentes, a não confundir...
Página 7
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
THE REAL ESTATE ADVISOR: supermercados
Quem é o nosso ―Real Estate Expertise‖:
...
Página 8AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
SUPERMERCADOS
DESDE: 2010
NÚMERO DE LOJAS: 9
LOCALIDADE: LUANDA, VIANA, LOBITO
―...
Página 9
9
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
SUPERMERCADOS
DESDE: 2012
NÚMERO DE LOJAS: 6
LOCALIDADE: LUANDA, VIANA
―APOST...
Página 10AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
SUPERMERCADOS
DESDE: 2005
NÚMERO DE LOJAS: 2
LOCALIDADE: LUANDA, VIANA
―CASH&CA...
SONAE TENTA RECUPERAR ATRASO
Página 11AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
FACTURAÇÃO DA LACTIANGOL AUMENTA
A indústria de La...
Página 12AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
inova ao reunir shopping, serviços e diversão no
mesmo espaço. Segundo a respon...
Página 13
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
SAUDABEL INVESTE EM NOVA UNIDADE FABRIL
A primeira unidade da Saudabel saiu da...
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Página 14
KAMAZ PODE FABRICAR CAMIÕES EM ANGOLA EM 2016
Em 2016, a maior fabricante russ...
Página 15
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
LAS KASAS INAUGURA PRIMEIRA LOJA EM LUANDA
Nascida em Portugal há cerca de 10 ...
KERO ESTENDE SERVIÇO A BENGUELA
Página 16AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
Com uma área de construção de 16 mil metros
qua...
Página 17
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
PRESIDENTE VISITOU CENTRALIDADE DO QUILOMOÇO
O Presidente da República, José E...
Página 18AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
HABITAÇÃO SOCIAL RONDARÁ OS 40 MIL DÓLARES
O Governo angolano está a preparar u...
Página 19
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
EDIFÍCIO ―NOVA ASSEMBLEIA‖ PARA OUTUBRO 2014
O novo edifício da Assembleia Nac...
Página 20AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
Com duração de 120 dias, as obras, que tiveram
início no princípio do mês de Ju...
Página 21
INAUGURAÇÃO ESCRITÓRIOS—MASUIKA
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
Foi no passado dia 5 de Julho
que a AIM –ANGOL...
Página 22
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
CALENDÁRIO DE FEIRAS
JULHO
03-06 EXPO UÍGE
5ª Feira Agro-Pecuária e Industrial...
Página 23
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
O Ministro da Energia e Águas de Angola, João
Baptista Borges, revelou em Oslo...
Página 24AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
PONTE MOLHADA SERÁ SUBSTITUIDA
A alternativa à actual ponte do Benfica, que na
...
Página 25AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
O Grupo Valouro anunciou que quer avançar com
o cultivo de soja para rações e p...
Página 26AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
ANGOLA INVESTE: 87 PROJECTOS APROVADOS
Pelo menos 87 projectos no âmbito do pro...
Página 27
REQUALIFICAÇÃO DA ZONA TURÍSTICA DO NÓQUI
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
estar para as populações do Zaire. A...
Página 28AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
O novo Boeing 777-300ER da TAAG – Linhas
Aéreas Angolanas chegou no dia 24 de J...
Página 29
SII—O SOFTWARE CRIADO EM ANGOLA
AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
Aconteceu no passado 6 de Junho no Epic Sana
H...
Página 30AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE
PROJEKTO ARQ
ente da Chetwoods Architects, empresa
responsável pelo projecto. A...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Angola Imobiliário Magazine Julho 2014

1.361 visualizações

Publicada em

Angola Imobiliário Magazine Julho 2014

Publicada em: Imóveis
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Angola Imobiliário Magazine Julho 2014

  1. 1. JULHO DE 2014 EDIÇÃO 11/14 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Ministro do Urbanismo: 80 mil habitações p.18 SII — O novo Software criado em Angola p.29 Lactiangol: Facturação aumenta p.11 Assembleia Nacional: Novo edíficio em Outubro p.19 SUPERMERCADOS A Ascensão do Consumidor Africano p.4
  2. 2. AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Página 2 SUPERMERCADOS p. 3 INDUSTRIAL & LOGÍSTICA p. 11 RETALHO & DISTRIBUIÇÃO p. 13 HABITAÇÃO & URBANISMO p. 15 ARQUITECTURA & CONSTRUÇÃO p. 17 IMOBILIÁRIO p. 19 INFRA-ESTRUTURAS p. 22 ECONOMIA p. 24 HOTELARIA & TURISMO p. 26 UTILITIES p. 27 PROJEKTO ARQ p.29 A AIM — Angola Imobiliário Magazine é uma revista digital e online, com edições mensais. A partir de Setembro de 2014 existirá também o respectivo website www.angolaimobiliariomagazine.com, assim como a sua página no Facebook. A revista tem como base diversas fontes nacionais e internacionais, nomeadamente e não só: Angop, Jornal de Angola, Digital News, Angonoticias, TPA, Expresso, Sol, Zimbo, Novo Jornal, Público, Exame, Exame Angola, Angola Global, O Pais, Expansão, Semanário Ecnomico, Dinheiro Vivo, Distribuição Hoje e diversos press-releases. Para obtenção de informações adicionais, envio de press-release/artigos para publicação ou publicidade instituicional, agradecemos o contacto via o email ―angolaimobiliariomagazine@gmail.com‖. RESEARCH — WORX (KNIGHT FRANK) O mais recente research da Knight Frank, o Global House Price Index, aponta para uma ligeira redução do ritmo de subida de preços na habitação. Mesmo assim, regista ainda uma valorização de 7,1% no período entre o primeiro trimestre de 2013 e 2014. O peso dos países com subidas superiores a 10% caiu, estando a maior parte deles entre oscilações de -10% a 10%. Os países do Médio Oriente e América do Sul são os que mais valorizam, ao passo que a Europa é a região do Globo com as valorizações mais baixas. O último trimestre do ano apresenta muitas vezes picos altos de transacções, uma vez que os compradores e investidores preferem fechar os seus negócios antes do Ano Novo, para não serem surpreendidos com as novas regras fiscais que entram em vigor, levando assim, a um mercado mais calmo no primeiro trimestre do ano. O Dubai, que continua a liderar os rankings anuais do quarto trimestre, registou um crescimento de preços em 27.7%. Verificou-se, ainda no primeiro trimestre um aumento de preços em 3.4%, que mostra o impacto da duplicação das taxas de transferência de hipoteca sobre o mercado imobiliário do Emirado. A reviravolta nos mercados imobiliários dos USA, Austrália e Islândia é evidente com o aparecimento destes três países no Top Ten dos rankings de crescimento anual, estando agora ao nível dos mercados emergentes, como a China, Turquia e Brasil.
  3. 3. Página 3AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE EDITORIAL Com a economia a crescer é comum verem-se novos negócios a florescer e os já existentes a crescerem a bom ritmo. Mas como levar a cesta básica a população e quais as infraestruturas necessárias? É baseado nesta questão, que surge o tema ―quente‖ desta edição — SUPERMERCADOS. Na AIM deste mês, iremos abordar as causas e consequências que estão a contribuir para a expansão, cada vez mais notória, deste sector da Distribuição. Começamos por descobrir o novo tipo de consumi Angola, explicando-nos mais detalhadamente os prós e contras e o que urge mudar. Além dos habituais artigos dos diversos sectores, iremos na nossa rubrica PROJEKTO ARQ apresentar as ―Phoenix Towers‖ am China que além de quererem ganhar o pódio de edifício mais alto do mundo, apresentam-se também como o mais ecológico. Boa leitura! midor bem como as suas necessidades e exigências. Com esta visão de uma nova realidade é possível perceber as novas estratégias económicas e a adaptação das já existentes para responder a estas novas necessidades. Iremos também mostrar-lhe a evolução dos supermercados no território da Terra Vermelha e perceber o impacto que o aumento da população e dos seus rendimentos tiveram no desenvolvimento destes. No artigo de opinião deste mês de Paulo Cruz ―The Real Estate Advisor‖ iremos mostrar o ponto de vista sobre este tema que tanto significa para
  4. 4. Página 4AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE A ASCENSÃO DO CONSUMIDOR AFRICANO África é a nova aposta das e s t r a t é g i a s d e internacionalização de gigantes do vestuário, como a ZARA ou a GAP. Existem cada vez mais retalhistas a apostar no continente africano, onde o consumo deverá aumentar mais de 400 mil milhões de dólares até 2020, dando acesso a milhões de novos consumidores, na sua maioria jovens, com formação e com um aumento progressivo poder de compra. O estudo da consultora McKinsey, realizado em dez países africanos, perfila a nova classe de consumidores como pessoas com um poder de compra em ascensão e um desejo por produtos e serviços antes considerados inatingíveis, e também exigentes na relação preço vs qualidade dos produtos, f i é i s á s m a r c a s , empreendedores e adeptos da poupança, atentos ás últimas tendências. A internet tem um grande peso nos hábitos dos consumidores africanos, uma vez que 50% dos inquiridos residentes em áreas urbanas, referem que utilizam a Web para adquirir produtos. As maiores oportunidades de negócio para as grandes cadeias de consumo concentram-se em 10 mercados: Argélia, Angola, Egipto, Gana, Marrocos, Nigéria, África do Sul, Sudão e Tunísia, que representam cerca de 80% do consumo total em África. Apesar da pobreza e do desemprego, o consumo privado africano é superior ao da Índia ou da Rússia, tendo crescido 568 mil milhões de dólares entre 2000 e 2010 e com expectativas de aumentar mais 410 mil milhões entre 2012 e 2020, Os africanos são jovens e cada vez mais atentos e informados, talvez por isso valorizem muito a reputação das marcas. Em 2014 deverão de existir 106 milhões de famílias com um rendimento igual ou superior a 5 mil dólares e, em 2030, as 18 maiores cidades africanas terão um poder de cons umo combinado de 1.3 biliões de dólares. ―Os gigantes económicos mundiais estão á procura de mercados mais dinâmicos, como da África Subsariana, onde emerge um novo consumidor africano de elevado potencial.‖ Supermercados
  5. 5. Supermercados 0 10 2 0 3 0 2 0 0 5 2 0 10 2 0 11 2 0 12 2 0 13 2 0 14 2 0 18 0 20 40 60 80 2005 2010 2011 2012 2013 2014 2018 0 5 0 0 10 0 0 15 0 0 2 0 0 0 2 0 0 5 2 0 10 2 0 11 2 0 12 2 0 13 2 0 14 2 0 18 Página 5 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE SUPERMERCADOS: EVOLUÇÃO Rendimento Consumo População A população tem evoluído a uma taxa de ~3,4% ao ano Mais de 3 milhões de pessoas até 2018 1973 Abertura do 1º Hipermercado em Luanda 1996 Abertura da 1ª Loja C&C—MAXI 2002 Entrada da 1ª cadeia internacional - SHOPRITE 2005 Criação do grupo PRESILD pelo Governo Angolano 2006 Abertura do 1ª loja Casa dos Frescos 2008 Abertura do 1º espaço Poupa Lá 2009 Abertura de novos Cah&Carry 2010 Abertura do 1º hipermercado KERO 2013 Abertura do 1º Deskontão O PIB per capita aumentou de 38 mil Akz desde 2000 Ultrapassando os 77 mil Akz em 2018 O consumo privado aumentou ~13% ao ano desde 2000 Ultrapassando os 1500 mil milhões de Akz em 2018
  6. 6. Página 6 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE THE REAL ESTATE ADVISOR: supermercados Em todos os continentes, a não confundir ainda com a cadeia do tio Belmiro, e desde tempos longínquos, houve e sempre haverá comércio. Aliás conforme a bíblia do Commercial Real Estate (Eichholtz), o comércio nasce como conceito de um mercado no centro das vilas junto de zonas agrícolas, onde começou haver troca de bens. Angola não é excepção e também aqui a história repete-se. O formato de comércio tem-se vindo a adaptar às necessidades dos seus clientes e hoje em dia temos modelos, como stand-alone, integrado em zonas comerciais, como galerias, retail parks ou centros comerciais, também popularmente conhecidos como ―shopping‖, ou mais recentemente o comercio online. Apesar de já existirem supermercados modernos durante a época da guerra civil, sendo o Pão de Açúcar um ícone desde 1973, o governo sentiu a necessidade de liderar o processo de levar os bens de primeira necessidade à população, através de iniciativas públicas, inicialmente com os supermercados ―Zambas‖ e mais tarde pelo programa PRESILD, de onde conhecemos o ―Nosso Super‖ e o ―Poupa Lá‖. O programa PRESILD é um projecto único e, visto á posteriori, utópico. Com uma primeira fase iniciada com gestores brasileiros e portugueses, pela Odebrecht e a GCT respectivamente, as redes foram crescendo em Luanda e pelo país fora. Objectivos políticos ditaram uma evolução rápida e fora do comum, que desalinharam com a logística, a estratégia de expansão natural e por fim com os targets comerciais. Lentamente assistimos a lojas a ficaram dia-após-dia com as prateleiras vazias, acabando por fecharem as portas ao público. Após um interregno, houve um reinício com uma nova gestão, mas continuamos a ver que as iniciativas do governo não vingaram comercialmente. Actualmente vimos algumas lojas da rede Poupa Lá a mudar de nome, tendo como exemplo a loja de Chicala a pertencer á cadeia Pomobel. Simultaneamente, vimos a Shoprite em 2003 abrir a sua primeira unidade em Luanda e mais tarde o grupo Teixeira Duarte, a introduzir a rede Maxi, sendo este último um misto de supermercado e cash&carry. Mais tarde, o grupo português avança para um conceito de galeria e acaba por integrar outras lojas do grupo, bem como o ―seu‖ banco, o Millennium. O segmento premium foi iniciado pelo Frescos, acabando hoje em dia ser abraçado igualmente pelo Kero (ex. gestão de Auchan), Foodlovers e o Mel (apoio técnico e marca branca de Jerónimo Martins), tendo este ultimo no Deskontão a sua base. Obviamente, todos querem começar por enquadrar as primeiras lojas em Luanda, seguindo depois para o exterior, deixando o interior de Angola, devido a sua in-acessibilidade, para o fim. Tendencialmente podemos concluir que as iniciativas privadas sobrevivem aos projectos públicos e que o sector se encontra em fase de crescimento e amadurecimento. Existem questões ligadas à importação, taxas, logística, falta de legislação, educação e falta de dados estatísticos e históricos. O que significa isto para a administração destas empresas ou para o departamento interno de infra-estruturas e/ou património? Artigo de Opinião Em primeiro lugar é o sinal claro que estamos perante um mercado incipiente, ainda com um longo caminho a percorrer. Segundo: o profissional deve projectar com base em experiências adquiridas internacionalmente, adaptado a realidade local, mas nunca tendo por base relatórios fortemente argumentados e/ou fundamentados. Em terceiro lugar: a falta de trabalhadores qualificados e experientes fazem com que existe uma lacuna no ensino técnico profissional para a área do comércio. A somar aos pontos anteriores, temos a falta de enquadramento em aspectos técnicos dos profissionais do sector, bem como de quem se encontra do lado governamental e/ou municipal. Alguns exemplos: a falta de estacionamento junto de áreas comerciais, a falta de segurança (exemplos diários de assaltos junto das cadeias mencionadas nesta edição), a protecção contra incêndio, mau dimensionamento de entrada e saída de estacionamento, fardas limpas, zonas de carga/descarga funcionais, zonas técnicas correctamente dimensionadas e por fim a falta de um simples sorriso no atendimento, deixando ao leitor a escolha se esta lacuna é pública ou privada. Para 2015 e 2016 aguardamos para a entrada de novos operadores, tais como a da origem holandesa SPAR, a americana Walmart e a portuguesa Continente do grupo Sonae, que por trimestre altera as suas previsões.
  7. 7. Página 7 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE THE REAL ESTATE ADVISOR: supermercados Quem é o nosso ―Real Estate Expertise‖: Arqt.º/ Eng.º Paulo Cruz formado na Universidade Técnica de Delft na Holanda e com Pós-Graduação em Gestão e Avaliação Imobiliária da ISEG (Lisboa), perito avaliador na CMVM, com um percurso profissional passando pelas maiores consultoras imobiliárias globais, promotores imobiliários, e multinacionais em Europa Africa (Alcatel Lucent, DHV, Cushman & Wakefield, Movares, EuroActiv, PoupaLá e BP). Do ponto de vista técnico, principalmente o electrico, e intrinsicamente ligado a área de segurança contra incêndio, temos vindo a verificar a falta de capacidade técnica, profissionalismo, rigor, fiscalização e a certificação destas instalações técnicas, resultando em acidentes graves, tais como os incêndios na AlimentaAngola em Viana, AngoMart em Benfica e mais recentemente o Shoprite de Palanca. No passado dia 25 de Julho de 2014, onde mais de 60 bombeiros, apoiados por viaturas de várias unidades da polícia de Luanda, estavam envolvidos na extinção do incêndio de grandes proporções que destruiu parte de um dos supermercados da Shoprite, na comuna do Palanca, no distrito urbano do Kilamba-Kiaxi, nas imediações das instalações da FIL, onde acabou de decorrer também a FILDA 2014. O incêndio, estava apenas a consumir os armazens e alguns frigoríficos. O porta-voz do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Faustino Sebastião, disse que o incêndio não causou vítimas humanas, mas que as causas do mesmo ainda estão por se apurar. Faustino Sebastião garantiu que os efectivos dos bombeiros provenientes dos municípios do Cazenga, Belas, Viana e Unidade Central no distrito urbano da Ingombota continuam empenhados para controlar a propagação das chamas. "Está a ser grande a intervenção das nossas forças, no sentido de extinguir o mais rápido possível o sinistro, que poderia alastrar-se rapidamente para outras dependências das instalações do supermercado‖, sublinhou. Com mais de 4.500 metros quadrados, esta unidade da Shoprite vende todo tipo de produtos alimentares, vestuário, bens electrónicos, de higiene, informáticos, entre outros. Constatou-se que a estrutura comercial do supermercado está ainda intacta, à semelhança das agências dos bancos Standard Bank e BAI. No local os bombeiros e a polícia de ordem pública que tentam extinguir as chamas e controlar a situação de pânico que se vive na zona. Em consequência, a circulação automóvel ficou bastante congestionada nas avenidas Deolinda Rodrigues (estrada de Viana) e Pedro de Castro Van-Dúnem Loy. Fica aqui a chamada de atenção aos profissionais públicos, tanto governamentais bem como municipais, e aos privados, para honrarem as suas funcções e executá-las com todo o rigor, porque o que esta em causa não é somente o investimento, mas sobretudo postos de trabalho e vidas humanas. Seja como for, já se fez muito, mas o caminho ainda é longo. Malembe malembe.... Artigo de Opinião
  8. 8. Página 8AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE SUPERMERCADOS DESDE: 2010 NÚMERO DE LOJAS: 9 LOCALIDADE: LUANDA, VIANA, LOBITO ―HIPERMERCADO COM MARCA PRÓPRIA‖ KERO DESDE: 2013 NÚMERO DE LOJAS: 1 LOCALIDADE: LUANDA ―APOSTA EM PRODUTORES LOCAIS‖ DESDE: 1996 NÚMERO DE LOJAS: 13+2 LOCALIDADE:LUANDA, VIANA, SAMBIZANGA, CACUACO, LOBITO, SUMBE, BENGUELA, LOBITO ― FAZENDA MAXI PARA OS FRESCOS‖ DESKONTÃO MAXI Tema Supermercados
  9. 9. Página 9 9 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE SUPERMERCADOS DESDE: 2012 NÚMERO DE LOJAS: 6 LOCALIDADE: LUANDA, VIANA ―APOSTA NA PROXIMIDADE DO CONSUMIDOR‖ DESDE: 2002 NÚMERO DE LOJAS: 10 LOCALIDADE:LUANDA, LOBITO, LUBANGO ―CADEIA INETRANCIONAL‖ DESDE: 2005 NÚMERO DE LOJAS: 29 LOCALIDADES: TODAS AS PROVINCÍAS DE ANGOLA ―PROGRAMA CRIADO PELO GOVERNO‖ SHOPRITE CASA DOS FRESCOS NOSSO SUPER Supermercados
  10. 10. Página 10AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE SUPERMERCADOS DESDE: 2005 NÚMERO DE LOJAS: 2 LOCALIDADE: LUANDA, VIANA ―CASH&CARRY PARA PEQUENOS E MÉDIOS EMPRESÁRIOS‖ ALIMENTA ANGOLA DESDE: 2013 NÚMERO DE LOJAS: 24 LOCALIDADE: LUANDA ―APOSTA NO COMÉRCIO DE BAIRRO‖ DESDE: 2012 NÚMERO DE LOJAS: 200 LOCALIDADE:DIVERSAS PROVINCÍAS ―PREÇOS BAIXOS PARA A POPULAÇÃO ANGOLANA‖ BEM ME QUER POUPA LÁ Tema Supermercados
  11. 11. SONAE TENTA RECUPERAR ATRASO Página 11AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE FACTURAÇÃO DA LACTIANGOL AUMENTA A indústria de Lacticínios de Angola (Lactiangol) facturou, em 2013, três biliões e 600 milhões de kwanzas, representando um aumento 20% em relação ao exercício de 2012, anunciou, em Luanda, o presidente do Conselho da Administração da empresa, José César Macedo. De acordo com José César Macedo, que falava à Angop sobre ― Actividade agro-pecuária no país‖, o aumento do volume de facturação deveu-se à produção de produtos registados em 2013, como o leite que atingiu quatro milhões e 400 mil litros e o iogurte com dez milhões de unidades. Quanto à produção do leite, esclareceu que registou um aumento de 8%, ao nível de iogurte, cresceu em igual percentagem, a manteiga 16%, enquanto o queijo registou maior volume que ficou acima de 20%. Relativamente aos principais compradores de lacticínios produzidos pela fábrica, disse que conta com os clientes do sector privado que inclui as grandes cadeias de supermercados e hipermercados que se encontram um pouco por todo país. Além das grandes cadeias de supermercados que compram os produtos da Lactiangol, José César e médios supermercados, cantinas, hotéis, restaurantes e cafés. De acordo com o gestor, a unidade fabril atingiu esse volume de produção em 2013 graças à aposta da direcção da empresa e funcionários em melhorar a qualidade dos seus produtos, facto que permitiu a empresas do sector institucional comprarem cada vez mais os lacticínios da Lactiangol, como as Forças Armadas (FAA), o programa da merenda escolar, entre outros. Sobre o programa da merenda escolar, o responsável adiantou à Angop que des quantidades às províncias do Cuanza Norte e Benguela. Inaugurada em Março de 1994, a Lactiangol conta com duas linhas de produção de leite, igual número de linhas para iogurtes, uma para produção de iogurte sólido e a outra de líquido em copo, duas de produção de manteiga . E uma linha de produção de sumos. No quadro da sua estratégia de negócio para os próximos anos, a empresa vai investir cerca de um bilião e 400 milhões de Akz, para garantir maior qualidade dos seus produtos. O projeto expansão dos hipermercados Continente em Angola está "em curso", disse o presidente executivo da Sonae MC, Luís Moutinho, admitindo que a abertura das primeiras lojas acontecerá no próximo ano. Questionado pela Lusa sobre a internacionalização dos hipermercados em Angola, Luís Moutinho disse a operar, mas tem o projeto em curso". O projeto "está a andar ao ritmo que tem que andar, são processos morosos" e inclui aspectos como a logística ou a formação dos recursos humanos, acrescentou. Quanto ao arranque dos hipermercados em Angola, Luís Moutinho afirmou que "loja aberta não será este ano". Questionado a abertura poderá acontecer em 2015, o gestor respondeu: "Sim, talvez para o ano". Em janeiro do ano passado, o presidente executivo da Sonae, Paulo Azevedo, tinha adiantado que o projeto do grupo em Angola estava pronto para arrancar. Na altura, previa-se a entrada em funcionamento dos hipermercados Continente em Angola este ano. Supermercados
  12. 12. Página 12AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE inova ao reunir shopping, serviços e diversão no mesmo espaço. Segundo a responsável pela área comercial e marketing, Patrícia Agostinho, o Ulengo Center vem preencher a lacuna existente em Luanda em temos de espaços de entretenimento. ―O Ulengo vai ocupar um espaço muito maior, pois traz à capital angolana um novo conceito de shopping e parque de diversões no mesmo espaço‖,explica. Entre os diferenciais do Ulengo Center, uma novidade que promete surpreender os angolanos. Um restaurante ambientado dentro de um avião vai aterrar na área do parque. Patrícia Agostinho explica a novidade: ―O avião restaurante irá funcionar como uma experiência de viagem para as pessoas que o visitarem. O pessoal de serviço estará vestido como assistentes de bordos e o chefe de sala será uma espécie de comandante‖. O local onde está a ser erguido o Ulengo Center é um dos principais atractivos para futuros lojistas. Próximo ao Estádio 11 de Novembro e à Cidade Universitária, o Ulengo receberá um fluxo estimado de até 4 mil pessoas por dia. A proximidade do Kilamba é mais uma vantagem da área de 120 mil metros quadrados escolhida para instalar o centro de compras e entretenimento. Patrícia Agostinho acredita que a excelente localização, aliada à união de centro de compras e parque colaboraram para atrair lojistas que já demonstraram grande interesse por uma unidade no local. ―Qualquer negócio vai criar um grande espaço e terá uma ótima oportunidade de consolidação da marca. Apostamos muito neste intenso fluxo de pessoas que teremos‖. Em fase de finalização das estruturas do parque de diversões - que conta com 20 brinquedos - O Ulengo Center deve divulgar, nos próximos meses, o nome das lojas que vão compor o mix de serviços e marcas. Patrícia Agostinho garante que uma selecção cuidadosa está a ser feita para garantir que os visitantes do Ulengo tenham à disposição o maior número possível de serviços e produtos. UlLENGO CENTER — NOVO CONCEITO DE DIVERSÃO Numa área privilegiada, a ser ainda mais valorizada, já começa a aparecer o Ulengo Center. Quem passa pelas proximidades do Estádio 11 de Novembro pode notar a roda gigante e a montanha russa que já se integraram à paisagem. A expectativa de conclusão ainda em 2014 aumenta a procura de lojistas interessados no grande shopping que faz parte do centro de entretenimento. São 200 unidades que vão compor serviços diversos e trazer para o empreendimento um fluxo de pessoas com interesses variados. Entre os espaços já adquiridos, há a garantia do estabelecimento de três grandes bancos, farmácia, pelo menos um supermercado, que já confirmou a parceria, três grandes redes de restauração, seguradora e empresa de telecomunicações, além de outros segmentos. A estrutura contará também com um posto médico e creche para os visitantes do parque, salão de festas, cinema e sala de jogos. Diferente de qualquer proposta de entretenimento ou compras já existente em Angola, o Ulengo Supermercados
  13. 13. Página 13 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE SAUDABEL INVESTE EM NOVA UNIDADE FABRIL A primeira unidade da Saudabel saiu da linha de produção em Março de 2000. Num mercado dominado pelos produtos importados, a água engarrafada não era excepção. Doze anos depois, Sheila Stiller, finance manager da PT Águas, dava conta de uma capacidade de engarrafamento de 17.500 unidades por dia do produto de cinco galões e de 200.000 unidades de garrafas descartáveis. Agora, a empresa pretende investir ―nunca menos de cinco milhões de dólares‖ no arranque de uma nova fábrica de engarrafamento de águas na província de Benguela. Actualmente, a Saudabel conta com duas linhas de produção a esclarece que não será inferior a cinco milhões de dólares, cerca de 488 milhões de kwanzas. O espaço para a construção da infraestrutura já foi encontrado, no entanto a capacidade de produção desta nova unidade ainda não foi estipulado. Outra novidade por parte da empresa angolana são as garrafas Saudabel de 0,5l e de 1l. Esta aposta pretende avançar a comercialização em super e hipermercados e entrar directamente na rota de bebidas dos restaurantes de elite. ―Queremos ver os nossos produtos no topo‖, explicou Belarmino, dizendo que a qualidade da água Saudabel justifica esta ambição. Angola, sendo que planeia agora a abertura de uma nova unidade fabril. ―Acredito que seja ainda este ano‖, avança Belarmino Bambi. O coordenador comercial de vendas da empresa explicou ainda, que esta aposta se deve às ―muitas solicitações‖ que têm recebido da região de Benguela. O objectivo será continuar a produção e o engarrafamento de água, prestando ainda serviços domiciliários. ―Deverá existir a possibilidade de entregas em Benguela, um serviço de que já dispomos no Soyo e em Luanda ‖. Quanto ao investimento por parte da Saudabel, o responsável explica que ―tudo vai depender da Industrial & Logística
  14. 14. AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Página 14 KAMAZ PODE FABRICAR CAMIÕES EM ANGOLA EM 2016 Em 2016, a maior fabricante russa de camiões, a Kamaz, poderá começar a fabricar as viaturas em Angola. O objectivo é fazer do País um ponto estratégico de abastecimento de veículos pesados para a África Austral. O investimento deverá rondar os 20 milhões de dólares. Caso este projecto vá avante, Angola passará a ter a primeira fábrica de automóveis. Um facto que pode diversificar a indústria nacional que conta, no sector automóvel, com a presença de uma montadora da marca Nissan ZZ, localizada na Zona Económica Especial de Viana, em SOBA INVESTE MAIS DE 33 MILHÕES DE DÓLARES A Sociedade de Bebidas de Angola (SOBA) investiu cerca de 33,5 milhões de dólares em duas novas linhas de enchimento de cerveja Cuca e refrigerantes Coca-Cola. Esta aplicação deverá permitir um incremento da produção na ordem dos 60%, de acordo com o director da empresa, Stephanno Cossito. Segundo o responsável, a SOBA dispõe da mais avançada tecnologia para garantir maior qualidade na produção de cerveja, poderá atingir os 77 milhões de litros de cerveja por ano, respondendo às necessidades da população angolana. O director sublinhou que já em 2013 terá sido feito um investimento num montante superior aos três mil mihões de kwanzas. Será assim possível, através destas duas novas linhas de enchimento, o aumento da produção de cerveja e de bebidas em lata, especialmente a Ananás, numa ordem de 33 mil latas por hora. Este ritmo produtivo deverá levar à criação de 2400 novos postos de trabalho. A administradora municipal da Catumbela, Alice Filomena Pascoal, enalteceu o papel social da empresa, por assegurar vários postos de trabalho aos residentes na província de Benguela e por ser exemplo de responsabilidade social, já que a SOBA está ligada a várias actividades culturais na Industrial & Logística
  15. 15. Página 15 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE LAS KASAS INAUGURA PRIMEIRA LOJA EM LUANDA Nascida em Portugal há cerca de 10 anos, a Laskasas estabelece-se agora em Angola num novo projecto no qual conta com a experiência e o know-how do Grupo Multiáfrica, já conhecedor do mercado angolano. Esta aposta passa pela abertura da primeira loja da marca no território. Luanda receberá a inauguração deste novo espaço, no Bairro Maculusso. Este novo espaço de mobiliário e decoração, que agora abre ao público, totaliza os 500 m2, e está instalado bem no centro da capital angolana, empregando 15 trabalhadores. Dispõe de criação e produção próprias através de uma unidade fabril com 6000 m2, proporcionando assim um serviço completo, que vai desde o desenvolvimento de estudos de design de interiores e decoração à sua total implementação, contando com produções personalizadas à medida de cada um dos seus clientes. Para o CEO, Virendra Carsandrás, e para o fundador, Celso Lascasas, a empresa não vê o cliente como um mero cliente. ―Este é um parceiro de negócios. E é com base neste pressuposto que prestamos um serviço eficiente, assente na disponibilização da solução ―chave na mão‖, compreendendo a concepção, apoio ao projecto, construção e criação de ambientes‖. Retalho & Distribuição
  16. 16. KERO ESTENDE SERVIÇO A BENGUELA Página 16AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Com uma área de construção de 16 mil metros quadrados, o Kero Benguela será a loja com dimensão desta cadeia, superando, em termos de espaço físico, o estabelecimento do Lobito, até aqui, o único construído fora da província de Luanda. "Vamos fazer tudo para entregar a obra entre Agosto e Setembro, pois os nossos clientes jam inaugurá-la antes do natal", frisou o encarregado da construção civil. Segundo aquele responsável, o Kero Benguela vai dispôr de uma rede variada de serviços, nomeadamente o seu Retail, que contará com 42 lojas. No geral, o Kero, empresa angolana surgida no mercado em 2010, conta com cinco de do Kilamba e Talatona, em Luanda) e três supermercados. O hipermercado do Lobito (4.500 metros quadrados de área de vendas e sete mil outras de construção), é o único estabelecimento comercial da rede situado fora da província de Luanda, a capital do país. Retalho & Distribuição
  17. 17. Página 17 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE PRESIDENTE VISITOU CENTRALIDADE DO QUILOMOÇO O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, visitou a Centralidade do Quilomoço, na cidade do Uíge e acompanhou atentamente as explicações do empreiteiro sobre o andamento da obra. O coordenador comercial da Kora Angola, empresa promotora do projecto, Crispim Costa explicou a tipologia das residências do Quilomoço, bem como o número de residências que o projecto terá após a sua conclusão. Mil e dez estão praticamente concluídas, todas elas em T3 com 100 m2, com três tipos diferentes. Estas infra-estruturas estão quase terminadas só nos falta mesmo a ligação às redes de água, energia e esgotos‖, referiu. De acordo com o Ministro do Urbanismo e Habitação, José da Silva, esta centralidade é um investimento do executivo que visa a melhoria da qualidade de vida das populações. José da Silva falou também do horizonte temporal lação. ―É uma centralidade que deverá albergar na sua totalidade 4500 fogos, neste momento, estão concluídos aproximadamente 1026. Do ponto de vista das infra-estruturas internas ela está concluída para estas habitações, estamos apenas a trabalhar nas ligações externas da centralidade e esperarmos até Junho do próximo ano ter os primeiros habitantes‖. A Centralidade do Quilomoço dista a 4 km da cidade do Uíge, sede capital da província. Habitação & Urbanismo
  18. 18. Página 18AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE HABITAÇÃO SOCIAL RONDARÁ OS 40 MIL DÓLARES O Governo angolano está a preparar um plano para fixar em cerca de 40mil dólares o preço das habitações sociais que estão a ser construídas em todas provínc ias do país. A informação foi divulgada após um encontro, em Luanda, entre o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e os governadores das 18 províncias de Angola, que teve como objetivo avaliar o grau de implementação do Programa Nacional de Luta contra a Pobreza e do Plano N a c i o n a l d e H a b i t a ç ã o . Este último prevê a construção de 200 bairros sociais, num total de 26 mil residências. MINISTRO ANUNCIA 80 MIL HABITAÇÕES O Ministro do Urbanismo e Habitação, José Silva, disse que o envolvimento da China no sector da habitação permitiu a construção de várias centralidades no país. Segundo José Silva, neste momento, está em curso no nosso país a construção de mais 80 mil habitações. ―Estamos a falar de um pacote de aproximadamente 80 mil habitações, todas elas a serem desenvolvidas a partir de empresas provenientes da China. Portanto todos os projectos desenvolvidos no âmbito do programa geral de habitação, promovidos pela Sonip, envolvem empreiteiros chineses‖, informou Habitação & Urbanismo
  19. 19. Página 19 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE EDIFÍCIO ―NOVA ASSEMBLEIA‖ PARA OUTUBRO 2014 O novo edifício da Assembleia Nacional é inaugurado em Outubro próximo, anunciou o presidente do Conselho de Administração do orgão de soberania, o deputado Francisco Ramos da Cruz, durante o seminário sobre a Organização e Funcionamento do Parlamento. Francisco Ramos da Cruz, que falava da organização e funcionamento do Conselho de Administração da Assembleia Nacional, disse que as novas instalações do Parlamento vão conferir melhores condições de trabalho aos deputados e atender com dignidade os cidadãos. Com as novas instalações, acrescentou, os deputados do círculo nacional vão dispor de tecnologias de informação que lhes permitam interagir com os seus colegas dos círculos provinciais. O presidente do Conselho de Administração da Assembleia Nacional garantiu que os círculos provinciais já dispõem de melhores condições de trabalho. Os novos edifícios no Uíge, Huambo, Benguela, Kwanza Norte e Moxico já estão prontos e equipados. Francisco Ramos da Cruz justificou a criação de condições no interior com o facto de as deslocações dos deputados dos círculos tos à Assembleia Nacional. "A permanência dos deputados nas províncias vai permitir mais interacção com os cidadãos", disse. Os participantes no seminário referiram a necessidade de mais informação sobre a actividade parlamentar nas províncias, municípios e comunas do país. Representantes das 18 províncias, entre estudantes, autoridades tradicionais, entidades religiosas e membros de organizações não-governamentais participaram no seminário. O secretário-geral da Assembleia Nacional convidou os cidadãos a assistirem mais às actividades dos deputados. GOVERNO DE ANGOLA INVESTE NA NOVA CIMANGOLA A fábrica de cimento Nova Cimangola vai receber 11,3 mil milhões Kz (116 milhões de dólares) para reforçar a capacidade produtiva, de acordo com um decreto presidencial de 28 de Abril, publicado no Diário da República de Angola de 5 de Maio. De acordo com o decreto, a transferência a ser efectuada pelo Ministério das Finanças justifica- se pela necessidade de dar maior capacidade financeira à Nova Cimangola, assegurando maior oferta no mercado nacional, com impacto na redução do preço. O decreto presidencial sublinha a importância do cimento no processo de reparação e construção de infra-estruturas produtivas e sociais no país, assim como na execução de programas de construção de habitação. Criada em 1957, a Nova Cimangola tem como accionistas, a Ciminvest (49%), o Estado angolano (40%) e o estatal Banco Angolano de Investimentos (10%), estando o restante 1% nas mãos de accionistas individuais. Arquitectura & Construção
  20. 20. Página 20AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Com duração de 120 dias, as obras, que tiveram início no princípio do mês de Junho, estão a cargo da empresa construtora ―Angolaca‖ e consistem, numa primeira fase, na recuperação do antigo sistema das águas pluviais em substituição de colectores, grelhas e sarjetas entupidas por acumulações de resíduos sólidos. O encarregado de obras, Rafael Silva, revelou que existem áreas da cidade bastante danificadas, daí a necessidade da sua substituição por um modelo mais recente para evitar inundações na época chuvosa. Constam ainda do projecto, cujo montante a investir não foi revelado, a instalação novas linhas de condução de abastecimento de água domiciliar e asfaltagem das principais ruas da zona urbana da cidade. Para o administrador da Ganda, António Kapewa Kalianguila, o arranque deste projecto deve-se ao engajamento total do governador da província, Isacc dos Anjos, que quer dar uma nova imagem a esta cidade. Revelou que, depois desta acção, seguir-se-á a implementação de outros projectos baseados no sistema de abastecimento e fornecimento de energia eléctrica à cidade, assim como a recuperação de alguns edifícios públicos actualmente em escombros. CIDADE DA GANDA: OBRAS DE REQUALIFICAÇÃO Questionado sobre a recuperação dos escombros e lugares baldios cedidos, o administrador local avançou que existe a necessidade dos seus ocupantes pronunciarem-se no prazo de 45 dias e provar a sua capacidade de intervenção. Para a concretização deste desiderato, reuniu-se há dias com os munícipes, para compreender a necessidade que se impõe no combate destes escombros para a mudança da imagem da cidade. Arquitectura & Construção
  21. 21. Página 21 INAUGURAÇÃO ESCRITÓRIOS—MASUIKA AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Foi no passado dia 5 de Julho que a AIM –ANGOLA IMOBLIÁRIO MAGAZINE esteve na apresentação oficial do Masuika Office Plaza a convite da Novinvest. Nesta apresentação, a cargo da arquitecta Jéssica Gonçalves, estiveram também várias consultoras e promotoras imobiliárias no mercado angolano. Fundados nas suas ancestrais raízes culturais angolanas, os edifícios dos para afirmarem a sua cultura única, uma vez que, Masuika significa, em quimbundo, triângulo de pedras, onde se faz o fogo para cozinhar ou aquecer. Num conjunto de edifícios que se divide em 3 conceitos, escritórios, lojas e habitação, a sua construção vai estar dividida em três fases, sendo que a ser concluída será a de escritórios já no final de Agosto. Imobiliário
  22. 22. Página 22 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE CALENDÁRIO DE FEIRAS JULHO 03-06 EXPO UÍGE 5ª Feira Agro-Pecuária e Industrial do Uíge Local: UÍGE Organização: Governo Provincial do Uíge – FIL 22-27 FILDA 31ª Feira Internacional de Luanda Local: FILDA Organização: FIL – Feira Internacional de Luanda SETEMBRO 16-19 AGRO ANGOLA 2ª Feira Inter. da Agricultura, Pecuária, Alimentação e Florestas de Angola Loca: FILDA Organização: Ministério Agricultura – FIL 18-21 IMOURBE 1ª Feira Internacional do Imobiliário e Urbanismo Local: FILDA Organização: Ministério Geologia e Minas – FIL 18-21 EXPOASEA 1ª Feira Internacional da Electricidade Local: CCTA Organização: EDEL, ENE e FIL 25-28 EXPO LWINI 2º Salão Internacional de Saúde, Bem-estar e Ajudas Técnicas para pessoas com Deficiência em Angola Local: FILDA Organização: Fundação Lwini – FIL INTERNACIONAL 20-23 AGOSTO INTERBUILDAFRICA Feira de construção de edifícios, equipamentos e serviços Local: EXPO CENTRE—Joanesburgo Organização: Specialised Ehxibitions 27-29 SETEMBRO HABITAT EXPO Salão de Imobiliário e Habitação Local: Poitiers—França Organização: Gi Events France Co. Ltd. 07-10 OUTUBRO IREIS Feira Internacional de Imobiliário Local: Abu Dabhi—Emirados Árabes Unidos Organização: Dome Exhibitions 8-12 OUTUBRO Salão Imobiliário de Portugal Local: FIL – Lisboa Organização – AIP 21 OUTUBRO Salão Imobiliário Internacional de Madrid Local – IFEMA - Feria de Madrid - Parque Ferial Juan Carlos I Organização – Planner Ehxibitions 22-26 OUTUBRO Barcelona Meeting Point Salão Imobiliário Internacional Local- Feira de Barcelona Organização – Feira de Barcelona
  23. 23. Página 23 AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE O Ministro da Energia e Águas de Angola, João Baptista Borges, revelou em Oslo, durante o encontro com o ministro dos Petróleos e Energia, He Tord Lien, que o governo angolano irá quadriplicar a capacidade de geração de energia até 2025. ―O nosso grande objectivo é atingir 9.000 MW até 2025, isto significa multiplicar por quatro a capacidade actual, e o grande recurso será a produção hídrica. O potencial do país inventariado ainda no tempo colonial é de 18 mil MW, é possível ampliá-lo com as novas tecnologias. Particularmente desenvolveremos a capacidade energética do Médio Kwanza que tem uma potência de cerca de 7.000 MW‖, afirmou. Neste momento está em curso a construção da infra-estrutura de aproveitamento hidroeléctrico de Laúca que acrescentará ao sistema eléctrico nacional 2.060 MW. Outras acções em curso são a modernização da primeira Central de Cambambe, o alteamento da barragem de Cambambe e a construção da segunda Central de Cambambe, que no final terá 960 MW, explicou. Durante o actual quinquénio está prevista a construção do empreendimento Caculo Cabaça, que terá uma capacidade de geração de 2.100 MW. No Soyo, será erguida a Central do Ciclo Combinado com uma capacidade de produção de 750 MW, para atender o Norte do país e, particularmente, a capital do país, Luanda. Estas centrais hidroeléctricas e térmicas vão gerar cerca de 5.000 MW, concluiu o Ministro João Baptista Borges. ―Queremos construir nos próximos anos, 3.000 Km de rede de transportes. Outra grande prioridade são as mini hídricas para atender aquelas zonas mais distantes da rede nacional‖, admitiu. A Noruega, através da ―NVE‖, direcção Ministério dos Petróleos e Energia, tem prestado assistência técnica no domínio da revisão da Lei Geral de Electricidade, que ainda este ano, deverá ser submetida á aprovação do Titular do Executivo. A regulação deve de adaptar-se à realidade actual, para atrair o investimento privado, pelo que está igualmente em curso a reforma do papel da entidade reguladora. Ainda em relação à cooperação com a Noruega, o Ministro João Baptista Borges afirmou que Angola poderá aproveitar as acções de formação de quadros na área de gestão de recursos hídricos, elaboração do inventário dos recursos hídricos nacionais e outros. Por sua vez, o Ministro dos Petróleos e Energia, He Tord Lien, garantiu que o seu país pretende expandir a cooperação com Angola, em termos de produção energética, gestão de recursos hídricos e formação de ENERGIA EM ANGOLA SERÁ QUADRIPLICADA Infra-estruturas
  24. 24. Página 24AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE PONTE MOLHADA SERÁ SUBSTITUIDA A alternativa à actual ponte do Benfica, que na época de chuva não oferece condições de segurança, vai custar quase 1.000 milhões Kz. Aprovado o contrato para a construção de mais de 100 passagens aéreas em Luanda. O Governo aprovou o contrato de construção de uma nova ponte sobre o rio Cambamba para substituir a problemática Ponte Molhada, no Benfica. Os trabalhos, que vão custar cerca de 970 milhões Kz, estarão a cargo da Tecnovia, de acordo com o Diário da República, onde foi publicado o contrato da empreitada. No documento, o Presidente da República autoriza o Ministério da Construção a rubricar o contrato e encarrega o Ministério das os recursos financeiros necessários". Em época de chuvas, a Ponte Molhada tem criado alguns riscos aos seus utilizadores, cujo número tem vindo a aumentar como consequência do crescimento demográfico das zonas adjacentes. Além de ser a principal via dos moradores do Benfica, é também, actualmente, o escape para o centro da cidade dos moradores da centralidade do Kilamba devido ao mau estado de outras opções. Construída como passagem alternativa à via entre o Benfica e o antigo Futungo de Belas, a via é inúmeras vezes interditada, no período de chuva, por não oferecer condições de segurança. O mesmo Diário da República (n.º 85) revela ainda que o Presidente da República aprova o projecto de empreitada para a construção de 104 passagens aéreas pedonais em Luanda, num total de 20,4 mil milhões Kz. O valor inclui 19,5 mil milhões Kz para a construção das pontes, cujo contrato, segundo o despacho, deve ser assinado entre o Ministério da Construção e a Eiffage Construction Metallique. O documento explica que o contrato de prestação de serviço de fiscalização fica a cargo da DAR Angola Consultoria, que vai receber 996,8 milhões Kz. Tal como para a empreitada da Ponte Molhada, o Ministério das Finanças, segundo o despacho presidencial, deve assegurar os recursos financeiros necessários. Infra-estruturas
  25. 25. Página 25AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE O Grupo Valouro anunciou que quer avançar com o cultivo de soja para rações e produção, abate e transformação de aves em Angola, um investimento de 150 milhões de euros que pode atingir os mil milhões em dez anos. O presidente do Conselho de Administração do grupo líder da produção avícola em Portugal indicou que o objetivo é começar em 2015 com a produção de 22 mil hectares de soja para ração e com a construção de unidades para produção de aves e reprodução e de indústria para transformação da carne. ―Há apenas contactos, mas há muito interesse do Governo angolano em investimentos destes, porque importam 99,9% das aves que comem e, como tal, querem começar a produzir‖, afirmou José António dos Santos. O investimento inicial é de cerca de 150 milhões de euros, necessários para o grupo alcançar 10% da quota do mercado avícola angolano, mas pode chegar aos mil milhões de euros em dez anos, para balança comercial e ter produção capaz de responder a metade das necessidades do mercado interno daquele país. ―Numa primeira fase, vamos produzir 350 a 400 mil aves para abate por semana e 500 mil ovos de incubação por semana‖, destinados ao consumo nacional naquele país, adiantou. O investimento vai permitir criar cerca de quatro mil postos de trabalho. GRUPO VALOURO QUER INVESTIR EM ANGOLA Economia
  26. 26. Página 26AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE ANGOLA INVESTE: 87 PROJECTOS APROVADOS Pelo menos 87 projectos no âmbito do programa Angola Investe foram aprovados desde 2012 presente data, pelo Banco Millennium Angola, que disponibilizou 728 milhões e 700 mil Akz, anunciou, em Luanda, a vice-presidente da comissão executiva da instituição financeira, Hermenegilda Benge. De acordo com a gestora, que falava no acto do lançamento do programa Pequenas, Médias Empresas ―PME por Excelência‖, o Angola Investe, criado em 2012 pelo Executivo angolano para apoiar as micro, pequenas e médias empresas, já aprovou um total de 242 projectos ligados ao sector produtivo. Segundo mas aprovados, 133 já foram financiados pelos 17 bancos envolvidos no projecto, sendo que 42 foram efectuados através Millenium Angola, que perfaz um valor total de cerca de 46 mil milhões de Akz, no qual o Banco contribui com um total de 728 milhões e 700 mil Akz, que permitiu a criação de mais de cinco mil novos postos de trabalho. Na conferência de imprensa, Hermenegilda Benge disse ser objectivo do Executivo, atingir no próximo ano 150 mil milhões de kwanzas e 300 mil postos de trabalho. Disse também, que o financiamento para o sector da indústria transformadora e Geologia e minas anda à volta tura pecuária e pescas 30%, materiais de construção 9%, enquanto os serviços de apoio ao sector petrolífero 10 %. Estão envolvidos no programa Angola Investe, 17 bancos comerciais, no qual, a vice-presidente considerou que as PME são as peças essenciais para o desenvolvimento da economia angolana. Através de parcerias estratégicas desenvolvidas com diferentes empresas, as empresas ―PME Excelência‖, beneficiam do acesso a serviços de qualidade com descontos especiais nas áreas de contabilidade e apoio à gestão, formação técnica, distribuição alimentar, transportes e aluguer de Economia
  27. 27. Página 27 REQUALIFICAÇÃO DA ZONA TURÍSTICA DO NÓQUI AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE estar para as populações do Zaire. A piscina, que existe desde o tempo colonial, será reabilitada e modernizada na sua totalidade, durante um ano, trabalho que passa pela recuperação da zona da esplanada, restaurante, balneários, zonas de acesso interno, assim como a tela de cinema. A empreitada está inserida no Programa de Investimentos Públicos do governo provincial do Zaire e custará 202 milhões, 499 mil e 852 Os habitantes locais manifestaram-se unânimes no que toca aos benefícios que a consignação das obras deste projecto à construtora civil ―Lena Construções‖, pelo governador provincial, José Joanes André, poderá trazer à localidade. De acordo com o munícipe Mário Tuba, o ambiente de permanente ―monotonia‖ que se vive actualmente na sede municipal do Nóqui ficará ultrapassado, com o reaproveitamento da referida infra- estrutura de lazer. Na opinião do interlocutor, a vila do Nóqui, por possuir uma visão panorâmica deslumbrante sobre o rio Zaire, apresenta grandes potencialidades turísticas. Por sua vez, o administrador local, Miguel Pedro, mostrou-se regozijado pela consignação do projecto da piscina municipal, gesto que considerou ser mais uma prova dos esforços do governo local que visam a criação de melhores condições de vida e O director-geral do Instituto de Fomento Turístico, Eugénio Clemente, considerou, que os preços baixos das infra-estruturas hoteleiras e de restauração podem garantir uma maior movimentação de turistas nacionais e estrangeiros. De acordo com o responsável, que falava na abertura do primeiro fórum nacional de turismo social, além dos baixos preços proporcionarem maior movimentação de turistas, permite igualmente maior arrecadação de verbas para os agentes económicos. ―Se os preços praticados pelos agentes económicos ligados ao sector hoteleiro forem acessíveis, mais angolanos conhecerão os locais turísticos do país e a realidade dos povos‖, disse. Segundo o director, a realização do primeiro fórum nacional de turismo social em que participam responsáveis e representantes de diferentes ministérios, visa identificar e discutir um plano estratégico para a implementação do turismo social. Disse que os resultados do fórum serão submetidos ao Ministro de Hotelaria e Turismo, para traçar as linhas de orientação do Plano Estratégico, visando a implementação do turismo PREÇOS BAIXOS NA REDE HOTELEIRA Hotelaria & Turismo
  28. 28. Página 28AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE O novo Boeing 777-300ER da TAAG – Linhas Aéreas Angolanas chegou no dia 24 de Junho, pela manhã (11h40 locais) ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, na capital angolana, depois de uma viagem de 16h52 desde Everett/Paine Field, na costa Oeste dos Estados Unidos da América, onde está situada a linha de montagem dos B777 da construtora aeronáutica norte-americana. A viagem foi feita por uma tripulação de cockpit constituída pelos comandantes Saúl e João Jardim e pelos primeiros oficiais pilotos Reginaldo e Jorge Vicente, todos dos quadros da companhia, segundo conseguiu saber o ‗NewsAvia‘. A cerimónia de entrega formal da aeronave teve local em Paine Field, logo pela manhã do dia 23 de Junho, antes da partida em direcção a Angola. A chegada a Luanda foi aguardada e seguida com muito interesse e parte dos quadros da companhia aérea nacional de Angola, que se encontra num processo de modernização e crescimento assinalável. Na cerimónia de recepção e baptismo da aeronave, que recebeu o nome de ‗Ebo‘, em homenagem aos antigos combatentes da guerra colonial, por parte das forças dos movimentos de libertação do território, esteve presente o Vice-Presidente da República e o ministro dos Transportes. NOVO BOEING 777 CHEGOU AO PAÍS INVESTIMENTO: MINISTÉRIO DA ÁGUA E DA ENERGIA O Ministério da Energia e Água investiu USD 23 mil milhões para melhorar a rede de transportes e distribuição de energia eléctrica, disse em Luanda, o secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, que falava no workshop sobre ―Financiamento às infra-estruturas, à agricultura e agro-indústria‖, afirmou que ―já foram disponibilizados para os projectos em curso no sector da energia e águas cerca de USD 12 mil milhões‖, explicou o secretário de Estado. Luís Filipe da Silva acrescentou que os valores disponíveis são, igualmente, para as construções e reabilitação da barragem da Laúca, do ciclo combinado do Soyo e Cambambe. ―A reabilitação de centrais térmicas e a expansão das redes de distribuição dessas barragens são as nossas prioridades, porque queremos estar entre os melhores produtores de energia em África e também produzir e distribuir a toda a população angolana‖, acrescentou. Luís Filipe da Silva fez saber ainda que para o financiamento ordinário do tesouro, o pelouro tem assegurado cerca de USD 3 mil milhões e para os de pré-análise cerca Utilities
  29. 29. Página 29 SII—O SOFTWARE CRIADO EM ANGOLA AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE Aconteceu no passado 6 de Junho no Epic Sana Hotel, a apresentaçao do SII – a nova ferramenta de trabalho para as empresas exportadoras. O SII – Sistema Integrado de Importações, é um novo software de gestão de processos de importação que permite aos exportadores a preparação de todo o processo de exportação e a preparação para os seus clientes de todos os cálculos de impostos e custos locais em Angola. Este novo software surge como resposta ás necessidades de adaptação das empresas para com a nova pauta aduaneira. A partir de agora, é possível ás empresas exportadoras poderem avaliar os custos totais do processo de exportação, produto a produto, avaliando assim a sua competitividade. Este novo software veio facilitar também todo os processos ao nível da importação, uma vez que permite aos importadores o controlo de custos de importação desde o processo da encomenda, licenciamento, cálculo de direitos e impostos de consumo, imputação dos custos de frete, cálculo das sobreestadias, custos de despacho, controlo de contentores e tempos de importação. Além do controlo financeiro e temporal, o SII, permite também a gestão documental de todo o processo de importação, gestão de DU provisórias e definitivas, gestão de pagamentos ao despachante, validação do BL, gestão dos EP 14 e 17 e controlo dos interchanges. O SII é apoiado por uma linha de apoio ao cliente em Portugal, num sistema de aprendizagem contínuo em ―e- learning‖ e sessões de formação certificadas. A Ango_Despa é a criadora deste novo software, fundada em 2008, esta empresa angolana especializada em software aduaneiro e logistico, é hoje líder de mercado e o seu software de gestãoo aduaneira é responsável por 90% dos SII
  30. 30. Página 30AIM - ANGOLA IMOBILIÁRIO MAGAZINE PROJEKTO ARQ ente da Chetwoods Architects, empresa responsável pelo projecto. Ao usarem um sistema mecânico complexo que irão filtrar simultaneamente o ar e a água da cidade de Whuan, irá colectar também energia solar e eólica, bem como um jardim vertical que irá aproveitar a colheita das águas da chuva. As ―Phoenix Towers‖têm como objectivo ajudar na crise ecológica que a China atravessa de Na cidade de Wuhan, na China, vão começar a ser construídas as ―Phoenix Towers‖. Projectadas a partir do solo como duas estalagmites gigantes, estas torres vão ser o edifício mais alto do mundo com um quilómetro de altura, destronando assim o Burj Khalifa, no Dubai. Além de terem como objectivo ser o edifício mais alto do mundo, as ―Phoenix Towers‖ irão ser também, o mais ecológico de sempre, indicou Laurie Chetwood, além de todas as suas características ecológicas e a aposta no turismo ecológico, o projecto das torres respeita também a filosofia e religião locais. As duas torres representam o duplo sexo da legendária ave e a sua importância que esta tem na iconografia chinesa. A construção está para começar ainda no final do ano, com a conclusão prevista em 2018, altura em que a cidade de Whuan vai estar pronta para retomar o Projekto Arq

×