“No coração da terra bate o meu coração.Cada vez que mergulhoem mim, em meuspensamentos, em meussonhos, mergulho,profundam...
Cada vez que mergulho na carne do mundo, faço-me ocerne imbatível diante das minhas batalhas internas.
Vou andando pelos seixos do barro que encontro no fundodeste caminhar, abro fendas, rompo espaço e olho cada vezmais adian...
Vejo a luminosidade úmida do barro que me mostra queposso encontrar o que procuro, olho para a luz eencontro a minha própr...
É lá bem no fundo da vida que pulsa no barro que está ahistória que (re)conheço, junto a outras tantas já vividas.Povos di...
Celebro a proteção, a confiança, a pureza do gestogeneroso de gerar seus filhos e permitir andarem sobreseu corpo.
É hora de retornar, pois ainda que precise ir ao centro,mergulhar no corpo do barro, sei que meu lugar também éfora para a...
Sou terra, o barro, a carne, o centro, o dentro e o fora,sou vida esculpida em mim!”PaTTi Cruz
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Barro

412 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Barro

  1. 1. “No coração da terra bate o meu coração.Cada vez que mergulhoem mim, em meuspensamentos, em meussonhos, mergulho,profundamente, na terra,no barro, na argila, nacarne do mundo.
  2. 2. Cada vez que mergulho na carne do mundo, faço-me ocerne imbatível diante das minhas batalhas internas.
  3. 3. Vou andando pelos seixos do barro que encontro no fundodeste caminhar, abro fendas, rompo espaço e olho cada vezmais adiante para dentro.
  4. 4. Vejo a luminosidade úmida do barro que me mostra queposso encontrar o que procuro, olho para a luz eencontro a minha própria: luz úmida, inquietude serenana ânsia da descoberta.
  5. 5. É lá bem no fundo da vida que pulsa no barro que está ahistória que (re)conheço, junto a outras tantas já vividas.Povos distantes, vozes que ecoam, marcas que ficaramcomo registros, há luz na sombra, há sombra na luz, há aherança do que fui e do que me projeto ser.
  6. 6. Celebro a proteção, a confiança, a pureza do gestogeneroso de gerar seus filhos e permitir andarem sobreseu corpo.
  7. 7. É hora de retornar, pois ainda que precise ir ao centro,mergulhar no corpo do barro, sei que meu lugar também éfora para aprender a aprender como realizar o que hádentro de mim. Minhas mãos estão compostas pelo calorúmido, pelos grãos preciosos, pelo aconchego necessáriode quem esculpe a vida do centro para o externo mundoque habito.
  8. 8. Sou terra, o barro, a carne, o centro, o dentro e o fora,sou vida esculpida em mim!”PaTTi Cruz

×