Serra da Estrela

2.008 visualizações

Publicada em

SERRA DA ESTRELA - Curso Técnico e Profissional de Turismo
clima, restauração, relevo, cão da serra da estrela, gastronomia tipica, etc

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.008
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Serra da Estrela

  1. 1. Escola Secundária Sebastião e Silva Trabalho realizado no âmbito da disciplina de: Área de Integração Pelas alunas: Ana Patrícia Martins, nº1 Ana Rita Assunção, nº2 Beatriz Santos, nº 4 Professor: Hélder Duarte
  2. 2. Os padrões de distribuição de temperatura e da precipitação na Serra da Estrela são muito complexos, devido às diferentes influências do clima temperado e Mediterrânico e da proximidade do Atlântico e do interior da Península Ibérica. Normalmente, a velocidade do vento e a precipitação aumentam, enquanto a temperatura desce, com o aumento da altitude. Voltar
  3. 3. População Voltar
  4. 4. Tipo de Relevo A Serra da Estrela situa-se num planalto granítico, profundamente recortado pelos vales dos rios e ribeiros que nele têm origem. O aspecto mais marcante da paisagem do planalto é a presença dos afloramentos rochosos, sejam as vigorosas fragas, rochedos e penhascos. Em toda a sua área são inúmeros os vestígios da acção glaciar, designadamente os vales em U do Zêzere e de Unhais, sucedendo-se blocos erráticos, as moreias, os covões e os lagos e lagoas naturais. Voltar
  5. 5. Hidrologia O parque natural da Serra da Estrela abrange duas bacias hidrográficas, a do rio Tejo e a do rio Mondego. Na área central do maciço situam-se diversas lagoas de origem glaciária, tendo algumas sido aproveitadas para a construção de empreendimentos de fins múltiplos, com destaque para os hidroeléctricos Voltar
  6. 6. Fauna A paisagem multifacetada, onde os solos são mais férteis e há água em abundância, permite que, num espaço relativamente pequeno, a fauna disponha simultaneamente de boas zonas de alimentação, bebedouros e áreas de abrigo e reprodução. Na Serra da Estrela existem mamíferos como o lobo, javali, lontra, gineta, raposa, fuinha, texugo e gato-bravo. Voltar
  7. 7. Flora A Serra da Estrela tem uma elevada altitude que faz com que esta seja um dos locais de maior precipitação do país. Na Serra da Estrela, tendo como referência a classificação altitudinal que considera a existência de três andares, podemos diferenciar as seguintes formações e vegetação que lhe está associada: - Andar basal, de acentuada influência Mediterrânica que chega aos 900 m . - Andar intermédio, situado entre os 900 e os 1.600 m. - Andar superior, situado acima dos 1600 m. Voltar
  8. 8. Gastronomia Voltar
  9. 9. Entradas Xerovia A Xerovia é uma raiz que se cultiva nesta zona do país, e tem a forma de uma cenoura e a cor do nabo. O seu sabor é uma mistura de ambos os legumes, mas mais acentuado e até adocicado. É um sabor único e extremamente agradável, podendo ser servido como entrada ou como acompanhamento de um prato de peixe. Dadas as suas características, devem ser cozidas em água e sal e cortadas em fatias finas, no sentido longitudinal, temperando-se com sal e sumo de limão. Em seguida, passam-se por um polme, feito com ovo e farinha, fritas em azeite ou óleo e servem-se. Torresmos Ainda hoje, em qualquer altura do ano, pode provar este prato. Corta-se a carne de porco, ou da entremeada ou da pá, em quadrados. Adiciona-se vinho tinto, sal, alho, louro, colorau e piripiri. Unta- - se uma frigideira com azeite ou banha e deitam-se todos os ingredientes deixando fritar. Os Torresmos servem-se frios. Voltar
  10. 10. Sopas Sopa da Beira Baixa Feita nas aldeias mais escondidas da Beira Baixa, na lareira, numa panela de ferro, em pleno Inverno, enquanto se faziam as brasas para se aquecerem (repolho; feijão encarnado; azeite; fatias de pão centeio; ovos; batata). Caldo Verde com Bagudos Sendo o caldo verde uma das sopas mais apreciadas em todo o país, esta é uma variante em que o feijão bagudo (feijão ainda verde) lhe confere um paladar particular. Voltar
  11. 11. Peixe Bacalhau à Lagariro Nos lagares de azeite dos nossos antepassados, onde se moíam as azeitonas para fazer o azeite, fazia-se a prova do mesmo nos moinhos movidos a água dos rios. Para provarem o azeite, assavam as batatas e o bacalhau no borralho do lume (postas de bacalhau demolhado, batatas miúdas a murro, azeite, cebola cortada às meias luas, dentes de alho, azeitonas e ovo cozido). Assim nasceu este famoso prato de bacalhau. Tiborna Tiborna significa azeite novo, o que implica que só se pode comer durante a apanha da azeitona, ou seja, quando o azeite é novo. Coincidindo com a época natalícia, este é o prato típico da ceia de Natal (couve de corte; bacalhau; batata cozida e azeite novo). Fora desta época já não há azeite novo nem couve de corte. Então, deixa de ter a designação de Tiborna, passando apenas a ser bacalhau com todos. Este prato é típico da zona de Oliveira do Hospital. Voltar
  12. 12. Carne Cabrito na Telha A telha, dita "caleira", era utilizada como travessa pelos mais pobres e servia, ao mesmo tempo, para conservar o tempero do preparado do cabrito de leite confeccionado com azeite, vinagre, sal, salsa e picante. Feijoca à Senhora do Monte A feijoca é cultivada nesta Região e é um prato muito forte e de grande alimento, próprio para combater o frio. Feijocas; chispe de porco; orelha de porco; entrecosto; cebola; tomate; cenoura; dentes de alho; chouriço de carne; dobrada; morcela; azeite; sal e piri-piri. Voltar
  13. 13. Sobremesas Lampreia de Ovos Sobremesa tradicional nas duas épocas festivas, Natal e Páscoa. Tanto pode ter o formato de uma lampreia, como de uma galinha com pintainhos. Ingredientes: fios de ovos. Queijadinhas Serranas Como em toda a Região da Serra da Estrela havia doces típicos alusivos a ela, o Sr. Francisco, proprietário de uma pastelaria, na Covilhã, decidiu, também ele, criar um doce com requeijão e daí nasceram estas afamadas Queijadinhas Serranas feitas à base de farinha, ovos, açúcar e requeijão). Voltar
  14. 14. Bebidas Vinho “Casa da Passarela” Vinho “Monte Aljão” Voltar
  15. 15. Queijo da Serra Trata-se de um queijo produzido exclusivamente com leite de ovelha da raça Bordeleira, coalhado (congelado) pela flor do cardo Cinara (planta espontânea característica da nossa Região), que tem como finalidade coalhar a massa que dará origem ao Queijo da Serra. A coalha é posta no cincho, pressionada manualmente até esgotar todo o soro e maturada, durante nunca menos de trinta dias, em câmaras de cura com controlo de humidade e temperatura. Apresenta-se com a forma de cilindro baixo, abaulado lateralmente e na face superior, portanto sem bordos definidos. Voltar
  16. 16. Rotas Turísticas A Neve: . Estância de Sky, Sky Parque (Sky/Snowboard, Aventura, Casas Xisto, Parque de Campismo, Praia Fluvial, Grupos, Eventos), Estâncias de Montanha. Turismo Cultural: . Rota das Antigas Judiarias, Rota das Aldeias Históricas, Rota dos Castelos, Rota dos Descobridores, Rota da Lã Turismo Ambiental: . Rota dos Vales Glaciários (Vale Glaciar do Covão do Urso, Vale Glaciar de Loriga, Vale Glaciar de Alforfa, Vale Glaciar do Zêzere, Planalto Glaciário), Rota dos 4 Rios (Rio Côa, Rio Zêzere, Rio Alva, Rio Mondego), Rota das 25 Lagoas (répteis, faunas, comunidades, arrelvados, cervunais, zimbrais, flora, o peixe e a pesca nas lagoas, trilho das grandes lagoas, trilho das lagoas da torre, trilho de viriato), Rota das Áreas Naturais (Reserva natural da Serra da Malcata, Parque natural da serra da estrela) Voltar
  17. 17. Alojamento Alojamento Hoteleiro: Almeida, Belmonte, Covilhã, Celorico da Beira, Guarda, Gouveia, Figueira Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Manteigas, Penamacor, Sabugal, Seia, Trancoso. Turismo no espaço Rural: Almeida, Belmonte, Covilhã, Celorico da Beira, Guarda, Gouveia ,Figueira Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso. Parques de Campismo: Covilhã, Guarda, Gouveia, Manteigas, Penamacor Voltar
  18. 18. Cão da Serra Existem dois tipos de pelagem no «Cão Serra da Estrela»: o pêlo curto e o pêlo comprido. Constituem duas variedades distintas que não se podem cruzar entre si, pois isso traria a degenerescência de ambas. É uma raça de grande estatura em que os machos terão de ter 65 a 72 cm de altura e as fêmeas 62 a 68 cm. O seu peso é de 40 a 50 Kg para os cães e 30 a 40 kg para as cadelas. São animais bem musculados e de elegante e sólido esqueleto, o que lhes confere andamentos fáceis e vivos. As suas cores são variadas permitindo, assim, agradar a quase todos os gostos. Eles podem ser amarelos, fulvos ou lobeiros, nas suas diversas tonalidades. Possuir-se um ou mais cães desta raça, calma e segura, e com eles conviver-se pode ser uma ajuda para nos defendermos dos efeitos prejudiciais do «stress» contemporâneo, pela alegria e paz de espírito que eles nos trazem. Voltar
  19. 19. Animação Voltar
  20. 20. Animação Em pleno coração do Parque Natural da Serra da Estrela, este complexo oferece a possibilidade de fazer ski e snowboard todo o ano em pistas sintéticas. Disponibiliza aulas com Monitores de Ski e Snowboard. Dispõe de um Snack-Bar, Parque de Campismo, Escola de Parapente, Zona de Lazer em ambiente fluvial e Parque Aventura onde estão disponíveis actividades como Passeios Pedestres, Tiro ao Alvo, Jogos de Dinâmica de Grupos, Orientação, Caça ao Tesouro, Slide sobre as pistas de ski, etc. Já foi inaugurado o novíssimo campo de futebol de praia e voleibol de praia. A Bem Fixe é uma empresa de Animação Turística, sedeada na Covilhã, vocacionada para a promoção e realização de actividades turísticas na Região da Beira Interior. Procede à organização de acompanhamento turístico em todas as temáticas: culturais, desportivas ou lazer. Voltar
  21. 21. /

×