Nosso Lar - Capitulo36

419 visualizações

Publicada em

Continuaçao dos Estudos GECD para as obras de Andre Luiz - Nosso Lar cap 36
espacodespertar.blogspot.com

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nosso Lar - Capitulo36

  1. 1. Nosso LarA vida no Mundo Espiritual Cap. 36 – O Sonho Pelo Espirito André Luiz Francisco Candido Xavier Estudo por Mirna Moutinho Dubai, 26/02/2013
  2. 2. O Sonho Cap. 36SonhoCaridade MaterialCaridade MoralRecompensa pelo trabalho
  3. 3. O Sonho Cap. 36…A proveitosa fadiga dos que cumprem o dever não me deu ensejo aqualquer vigília desagradável……Dai a instantes. sensações de leveza invadiram-me a alma toda e tive aimpressão de ser arrebatado em pequenino barco, rumando a regiõesdesconhecidas…Letargia: 1-estado patológico em que há diminuição do estado deconsciência, e caracterizado por indiferença sonolência e apatia. 2- sonoprofundo, letargo.… o sonho não era propriamente qual se verifica na Terra e sabia quedeixara o veículo inferior o apto da Câmaras de Retificação…
  4. 4. O Sonho Cap. 36O corpo físico contêm um corpo etérico, ou bioplásmico (duplo etérico).Este corpo etérico contêm nosso corpo astral que, por vez, contêm nossocorpo mental. Esse, por sua vez, aloja vários outros corpos mentais maissutis. Dentro de todos esses corpos está a nossa alma. Ė dito que a alma enossa realidade, ego eterno, amor eterno e luz cósmica localizada na área docoração, mas existindo em uma dimensão mais sutil, num outro domínio derealidade e como tal, permanecendo invisível para nós.
  5. 5. O Sonho Cap. 36SonhoEfeito da emancipação da alma durante o sono, quando ossentidos ficam entorpecidos, os laços que unem o corpo e aalma se afrouxam. Esta, tornando-se mais livre, recupera emparte suas faculdades de Espírito e entra mais facilmente emcomunicação com os seres do mundo incorpóreo. Arecordação que ela conserva ao despertar, do que viu emoutros lugares e em outros mundos, ou suas existênciaspassadas, constitui o sonho propriamente dito. Sendo estarecordação apenas parcial.
  6. 6. O Sonho Cap. 36Livro Consolador – pergunta 49 – Como devemos conceituar o sonho?- Na maioria da vezes, o sonho constitui atividade reflexa das situaçõespsicológicas do homem no mecanismo das lutas de cada dia, quando asforças orgânicas dormitam em repouso indispensável.Em determinadas circunstâncias, contudo, como nos fenômenospremonitórios, ou nos de sonambulismo, em que a alma encarnada alcançaelevada porcentagem de desprendimento ( e o ato de soltar-se) parcial, osonho representa a liberdade relativa do espírito prisioneiro daTerra, quando, então, se poderá verificar a comunicação intervivus, e, quanto possível, as visões proféticas, fatos esses sempreorganizados pelos Mentores Espirituais de elevada hierarquia, obedecendo afins superiores, e quando o encarnado em temporária liberdade podereceber a palavra e a influência diretas de seus amigos e orientadores doplano invisível.
  7. 7. O Sonho Cap. 36Caridade material…Nos círculos inferiores, meu filho, o prato de sopa ao faminto, o bálsamoao leproso, o gesto de amor ao desiludido são servicos divinos que nuncaficarão deslembrados na Casa de Nosso Pai, o olhar de compreensão aoculpado, a promessa evangélica aos que vivem no desespero, a esperançaao aflito constituem benções de trabalho espiritual, que o Senhor observa eregistra a nosso favor…O verdadeiro sentido da caridade:Benevolência para com todos,Indulgência para as imperfeições dos outros,Perdão das ofensas
  8. 8. Sonho Cap. 36O amor e caridade são o complemento da Lei da Justica, pois amar opróximo e fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejaríamosnos fosse feito.Tal o sentido dessas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãosA caridade segundo Jesus, não se restringe a esmola, abrange todas asrelações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles:Nossos inferiores,Nossos iguais,Nossos superiores.
  9. 9. O Sonho Cap. 36Ela nos prescreve a indulgência, e nos proibe que humilhemos osdesafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer:Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe sãodispensadas,Se for pobre, as pessoas entende que não precisam preocupar-se com ela,No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidadodevemos ter em não lhe aumentarmos o infortúnio pela humilhação.
  10. 10. O Sonho Cap. 36Sede, pois caridosos, praticando não só a caridade que vos faz dar friamenteo óbolo que tirais do bolso ao que vô-lo ousa pedir, mas a que vos leve aoencontro da misérias ocultas. Sede indulgentes com os defeitos dos vossossemelhantes, em vez de votardes desprezo a ignorância e ao vício…No livro a mãe de André diz: …dá sempre, filho meu. Sobretudo, jamaisesqueças de dar de ti mesmo, em tolerância construtiva, em amor fraternal edivina compreensão. A prática do bem exterior é um ensinamento e umapelo, para que cheguemos a prática do bem interior…
  11. 11. O Sonho Cap. 36
  12. 12. O Sonho Cap. 36Remuneração EspiritualAlém do salário amoedado o trabalho se faz invariavelmente, seguido deremuneração espiritual respectiva, da qual salientamos alguns dos itens maissignificativos:Ensina-nos a conhecer as dificuldades e problemas do próximo, induzindo-nos, por isso mesmo a respeita-los,Promove a auto-educação,Desenvolve a criatividade e a noção de valor do tempo,Imuniza contra os perigos da aventura e do tédio,Estabelece apreço em nossa área de ação,Dilata o entendimento, amplia-nos o campo das relações afetivasAtrai simpatia e colaboração,Extingui, pouco a pouco as tendências inferiores que ainda estejamos trazendode existências passadas.

×