Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30

287 visualizações

Publicada em

Reunião Publica GECD - Dubai
espacodespertar.blogspot.com
livestream.com

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espíritos Q368 ESE cap.28 item30

  1. 1. O objetivo da alma é o desenvolvimento de todas as faculdades a ela inerentes. Para consegui-lo, ela é obrigada a encarnar grande número de vezes, na Terra, a fim de acendrar suas faculdades morais e intelectuais, enquanto aprende a senhorear e governar a matéria. Gabriel Delanne
  2. 2. S 1- Estudo do Livro dos Espíritos - Parte II Cap 7 - Da Volta Do Espírito À Vida Corporal 2- Estudo do Evangelho Segundo o Espitismo Cap 28 – Coletânea de Preces Espíritas Dubai, 14-02-2016 Por Patrícia Farias http://www.livestream.com http://www.espacodespertar.blogspot.com
  3. 3. 368. Após sua união com o corpo, exerce o Espírito, com liberdade plena, suas faculdades? “O exercício das faculdades depende dos órgãos que lhes servem de instrumento. A grosseria da matéria as enfraquece.” Influência do organismo a) - Assim, o invólucro material é obstáculo à livre manifestação das faculdades do Espírito, como um vidro opaco o é à livre irradiação da luz? “É, como vidro muito opaco.”
  4. 4. Influência do organismo Alma As palavras alma e Espírito, posto que sinônimos não exprime exatamente a mesma coisa A alma é pois o princípio inteligente, imperceptível e indefinido como o pensamento. A união da alma, do perispírito e do corpo material constitui o HOMEM; a alma e o perispírito separados do corpo constituem o ser chamado ESPÍRITO.
  5. 5. Influência do organismo Kardec “A Alma e o perispírito constituem o ser chamado Espírito.” Léon Denis “Chamamos Espírito á alma revestida do seu corpo fluídico.” “A alma desprendida do corpo material e revestida do seu invólucro sútil, constitui o Espírito, ser fluídico, de forma humana, liberto das necessidades terrestres, invisível e impalpável em seu estado normal. Alma
  6. 6. As aquisições do passado permanecem latentes, não são destruídas; e como têm o seu fulcro, as suas raízes, no inconsciente, serão tanto mais opulentas e brilhantes, quanto mais longa tenha sido a trajetória da alma. Influência do organismo Essas aquisições é que fazem o substrato do Espírito, isso que denominamos o caráter, a marca própria de cada qual, assim como os seus pendores cada vez mais amplos para as ciências, artes, letras, indústrias, etc. Todos os atos da vida vegetativa e orgânica hão sido conservados no perispírito, por essa maneira, durante a evolução da alma através da série de formas inferiores.
  7. 7. Assim, nós, em cada encarnação, adquirimos hábitos que acabam tornando-se semi-intelectuais, semi-orgânicos, como sejam, andar, falar, escrever, esgrimir, nadar, etc. Todos esses movimentos foram originariamente conscientes, desejados. Influência do organismo Depois, a repetição constante criou um hábito, formaram-se associações dinâmicas estáveis no perispírito com os movimentos fundamentais, estes se tornaram mais rápidos à força de repetição e, exigindo cada vez menos tempo e menos esforços, acabaram tornando-se inconscientes. É assim que em nós se gravam os estados da consciência: é a memória de fixação. Temos, porém, verificado que todas as sensações, como todas as recordações, não podem existir simultaneamente, e isso em conseqüência do enfraquecimento do seu próprio ritmo, que as faz descer, pouco a pouco, até abaixo do mínimo de perceptibilidade e entrar, assim, no inconsciente.
  8. 8. Por outro lado, pode inverter-se o fenômeno. O Espírito faceta o corpo, mas as leis da hereditariedade podem acarretar-lhe entraves, de maneira que, durante a existência corporal, cerceada lhe fique a manifestação da inteligência em toda a sua amplitude e fulgurância. Em se lhe facultando, acidentalmente, um pouco de liberdade, vê-la-emos, então, demonstrar talentos que mal lhe suspeitaríamos em estado normal. Pág. 185 - A menina pastora Influência do organismo
  9. 9. “O Espiritismo dá-nos a conhecer a alma; a Ciência nos descobre as leis da matéria viva. Trata-se, portanto, para nós, de conjugar os dois ensinos, mostrar que eles mutuamente se auxiliam, se completam, tornam-se mesmo inseparáveis e indispensáveis à compreensão dos fenômenos da vida física e intelectual, por isso que de tal concordância resulta, para o ser humano, a mais esplêndida de quantas certezas lhe seja facultado adquirir na Terra”. Gray, 10 de agosto de 1895. Gabriel Delanne Influência do organismo
  10. 10. Cap. 28 - Coletânea de Preces Espíritas II - PRECES POR AQUELE MESMO QUE ORA 30. Ato de submissão e de resignação
  11. 11. Ato de submissão e de resignação "...e andavam com ele os doze, e algumas mulheres que tinham sido livradas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios, e Joana, mulher de Cusa, procurador de Herodes, e Susana...” Lucas 8:1-3 “E, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais. E eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago, e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.” Lucas 24:1-10 E disse Jesus:"Vai, filha!...Sê fiel!" Joana de Cusa
  12. 12. “Bem-aventurados os aflitos pode então traduzir-se assim: Bem-aventurados os que têm ocasião de provar sua fé, sua firmeza, sua perseverança e sua submissão à vontade de Deus, porque terão centuplicada a alegria que lhes falta na Terra, porque depois do labor virá o repouso.” - Lacordaire. (Havre, 1863.) Ato de submissão e de resignação Religioso dominicano Mai-802 a Nov-1861 Foi padre, jornalista, educador, deputado e académico, sendo considerado como um precursor do catolicismo moderno e restaurador em França da Ordem dos Pregadores.
  13. 13. Meu Deus, és soberanamente justo; todo sofrimento, neste mundo, há, pois, de ter a sua causa e a sua utilidade. Aceito a aflição que acabo de experimentar, como expiação de minhas faltas passadas e como prova para o futuro. Bons Espíritos que me protegeis, dai-me forças para suportá-la sem lamentos. Fazei que ela me seja um aviso salutar; que me acresça a experiência; que abata em mim o orgulho, a ambição, a tola vaidade e o egoísmo, e que contribua assim para o meu adiantamento.

×